História Uma Segunda Chance para Viver- Tom Riddle e Hermione Granger - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Fred Weasley, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Ronald Weasley, Tom Riddle Jr.
Tags Amor, Hermione Granger, Medo, Romance, Sexo, Tom Riddler, Viagem No Tempo, Vingança
Visualizações 155
Palavras 4.274
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido mais um!!!

Capítulo 20 - Escolhas de carreiras


Hermione sentiu como se ela estivesse flutuando pelos corredores. Continuou com este sentimento por vários dias. Tom sentou-se junto a ela em todas as refeição e mal se via um sem o outro. No final da semana o foco de fofocas de escola tinha se voltado para Minerva e Felipe com sua relação tempestuosa.

No sábado, os dois casais estabelecidos foram para Hogsmeade. Minerva andou rapidamente, tentando se afastar de Felipe, como o mesmo era superior a ela em altura tornou impossível. Hermione olhou para Tom, tentando não rir. Ele sorriu com diversão evidente em seus olhos. Normalmente não era afetado por dramas de escola, mas encontrou no de Minerva algo hilariante.

Tom e Felipe acompanhou as meninas até a loja de roupas para em seguida irem para o Três Vassouras.

– Então, como esta o seu maxilar? - Tom perguntou, rindo enquanto ele bebia cerveja amanteigada.

– A maior parte esta curada. - Felipe respondeu - A enfermeira se recusou a curar-lo, disse algo sobre eu merecer isto.

– Eu não posso imaginar. - comentou Tom secamente.

– Você deveria ter visto ela- Felipe suspirou - Ela é linda quando ela está com raiva, ainda mais que o normal.

– Você acha que irão demorar a encontrar os vestidos? - Tom perguntou, não querendo ouvir sobre a paixão de Felipe.

– Estamos aqui só a meia hora. Dê-lhe mais algumas horas, depois checaremos.

Tom suspirou e voltou a tomar sua cerveja amanteigada.

Durante a compra, Minerva e Hermione alegremente passeavam por prateleiras de vestidos. Dentro de 20 minutos, ambas tinham vários vestidos escolhidos para experimentar. Hermione tinha escolhido um de cetim cor de vinho escuro, outro rosa claro de musselini, tafetá rosa escuro e um vestido de seda dourado.

Minerva havia escolhido seda carmesim, outro de cetim azul royal e vestidos de pano cor de esmeralda. Minerva rapidamente pegou o vestido de seda carmesim. Era longo até o chão, com alguns bordados de seda preta no corpete.

– Este está perfeito. - disse Minerva - Você acha que eu deveria pegar luvas pretas também? - Perguntou ela, apontando para as amostras de luvas.

– Por que não? - Hermione disse - Agora, por favor, me ajudar a escolher um destes vestidos, eu não tenho idéia de qual eu quero.

Hermione experimentou todos. O último foi o dourado, Hermione imediatamente soube que era o certo. Era um pouco mais caro do que teria preferido ela pagar, depois teria que escolher os acessórios.

– Todos eles te ficaram bem, - Minerva Disse - mas acho que o dourado ficou melhor.

– Eu adorei este também. - disse Hermione, girando ao redor o vestido - Não é muito formal?

– É assim mesmo. Você não foi para o baile dos namorados antes. É definitivamente formal. Alguns estudantes se vestem como se eles estivessem indo para uma festa de gala no Ministério com jóias de família e tudo.

– Então eu acho que eu deveria comprar sapatos novos e luvas também - disse Hermione muito desapontada, indo até os acessórios. Minerva rolou seus olhos sorridentes e caminhou rapidamente atrás dela.

Três horas mais tarde, Hermione e Minerva chegou ao Tres Vasouras. Felipe estava olhando para o nada pela janela e Tom estava lendo um livro que ele havia comprado uma hora depois que ele estava esperendo por elas.

– Nós estamos acabadas. - Hermione anunciou.

– Você vai me mostrar o que você comprou? - Felipe perguntado a Minerva.

– Você irá ver o meu vestido no baile- ela respondeu- Só não se esqueça de usar roupas pretas e você vai ficar bem.

– Lá vai o meu plano para o terno laranja com bolinhas de púrpura. - Felipe suspirou.

– Muito engraçado.

– Você encontrou tudo o que precisava? - Tom perguntou a Hermione com cortesia.

– Sim, eu encontrei o vestido perfeito. Espero que goste.

– Eu tenho certeza que vou. - disse ele, beijando-a levemente no rosto enquanto ela se sentava ao seu lado.

– Hmm, boa idéia. - disse Filipe, puxando Minerva para baixo ao lado dele porém em vez de beija-la, encostou os lábios em seu rosto. Ela afastou-se quase que instantaneamente e fez uma careta, todo mundo percebeu o brilho nos olhos dela.

– Alguém de vocês vão para a reunião desta noite ClubSlug? - Hermione perguntou. –Slughorn perguntou a mim, e pessoalmente eu não tenho idéia de um pedido de desculpas ainda.

– Eu vou com você. - Tom disse - Eu não tenho ido a nenhuma em meses e tenho certeza que será mais interessante com você lá.

– Bom. - disse Hermione, aliviada - Eu não sei quanto tempo eu posso ficar com algumas daquelas pesoas conversando.

– Eu não te culpo. - disse Minerva - Malfoy, Avery, ugh.

Tom pensou por um momento, antes de rir.

– Eu podia ver como você se encontraria sem conversas. Sonserinos não são conhecidos por suas habilidades sociais, com exceção de ameaças e extorsão.

– Tom, acabei de ouvir o que eu acho que eu ouvi? Um Sonserino admitindo fraqueza?- Minerva perguntou com um falso choque.

– Quem disse que eu estava descrevendo uma fraqueza? - Tom perguntou seriamente.

Eles pediram a suas comida e comeram. Todos eles decidiram voltar para o castelo para o resto do dia. Todos, exceto Felipe tinham dever de Transfiguração. Surpreendentemente, ele estava em adivinhação com Heloisa.

O fim de semana passou muito rapido. Apesar do Dia dos Namorados ser na sexta-feira, e o baile no sábado à noite, os efeitos do dia dos namorados estavam já quatro dia antes. As meninas estavam emocionadas, a metade masculina da população estundantil estavam sem saber o que fazer. Jason, em particular estava sofrendo, Heloisa arrastou ele para Senhora Puddifoot três vezes durante a semana.

Finalmente chegou o sábado. Minerva, Heloisa e Hermione dormiam até tarde, almoçaram e começaram a se arrumar na sala de Minerva, assim como fizeram para o baile de Halloween. Sua arrumação desta vez era mais elaborada que para o baile anterior. Havia que conjurar joias, arrumar os cabelos e muitos outros detalhes.

As sete horas, elas estavam prontas. Na Sala Comum entrando, estavam seus companheiros na espera, prontos para ir ao baile.

Quando elas desceram as escadas duas bocas e mais escancarou-se, Tom nunca se permitiria olhar como um peixe, então ele só abriu a boca em um meio sorriso, que se transformou em um largo quando olhou para os lados e viu as caras de bobos de seus companheiros.

– Você está maravilhosa. - disse Jason à Heloisa saindo do estupor. Heloisa, surpreendentemente, estava usando um vestido de seda rosa claro com um pano que

Ouvir

Ler foneticamente

flutuava ao redor, como se ela era uma entidade viva. Seu cabelo ondulado suavemente foi solto. Jason pensou que nunca tinha olhado algo mais bonito.

– Obrigado, Jason. - ela disse, dando-lhe um beijinho rápido - Vamos, nós não queremos chegar tarde. - Ela o puxou para fora da sala com um aceno para os outros. Felipe foi o próximo a falar.

– Você parece um anjo, Minerva.

Ela sorriu timidamente.

– Possivelmente, e embora caído.
 

Seu rosto se mostrou em melhor vantagem com seu vestido vermelho e preto e seu cabelo preto era puxado para um nó brilhante. Seu batom vermelho escuro fez nada para desmentir a descrição de Felipe.

– Bem, já que está você é um demônio, eu diria que estamos bem correspondidos.

– Finalmente você reconheceu que somos um fogo feito no céu... - Ele disse a ela enquanto Minerva ia para a porta. Ele rapidamente a seguiu.

Tom não estava prestando atenção às outras pessoas na sala. Ele só tinha olhos para Hermione. O cabelo dela se acumularam com ondas na cabeça em um meio rabo bem arrumado com duas mechas soltas em seu rosto. O vestido dourado combinava perfeitamente com o Tom de sua pele e com a cor de seus olhos e cabelos, o vestido era grapeado na parte de cima marcando bem sua cintura e seu busto, tinha uma fina alça com alguns detalhes em cobre mais escuro, que contornava a cintura e embaixo de seus seios, o decote era profundo e a parte de trás era aberta, suas sandálias eram de cobre e também seus brincos.

Tom ficou contente em ver que ela usava a corrente que deu a ela embora não estivesse combinando com o conjunto. Ao todo ele não conseguia se lembrar de ver algo mais bonito.

– Você gostou? - Hermione perguntou. Ele não tinha dito nada ainda, apenas olhou para ela sem expressão.

– Você esta perfeita exceto uma coisa. - disse ele andando até ela.. Ele pegou sua varinha e murmurou um feitiço rápido. Sua corrente se tornou de ouro em vez de prata.-- Agora você esta perfeita. - disse ele sorrindo para ela. Ele estendeu o braço para ela e eles desceram para o Salão Principal.

O Grande Salão estava decorado com rosas vermelhas e com drapeados dourados. Uma pequena orquestra tocava. Casais já estavam dançando uma valsa no meio do salão. Sussurros eclodiu no momento em que Tom e Hermione entraram. Todos concordavam, eram maravilhosos juntos.

Tom tinha a postura de um verdadeiro principe, sua roupa preta com detalhes na gola em prata, fazia as garotas suspirarem por ele, Hermione teve que admitir que nunca pensou em vê-lo mais bonito que o normal. Dumbledore olhou-os enquanto conversava com o professor Merrythought, sorriu conscientemente.

Tom levou Hermione para a pista de dança. Eles dançaram várias musicas antes de Tom perguntar a Hermione se queria algo para beber. Tom mal tinha deixado ela Hermione se viu cercada de pessoas do sexo masculino a convidando para uma dança.

– Aí está você Hermione, você me prometeu uma dança, lembra? - disse uma voz. Hermione se virou para ver Abraxas Malfoy calorosamente a sorrir-lhe. Ela olhou de volta para os rapazes em volta e decidiu, sobre os males ele era o menor.

– Oh, me desculpe, eu tinha me esquecido completamente, Abraxas. - ela respondeu com um sorriso brilhante, feliz por escapar dos outros. Ela olhou em volta procurando Tom e o viu falando com o professor Slughorn.

Abraxas era um bom dançarino, embora não fosse tão elegante como Tom era. Tudo correu bem até que começou ele começou a falar.

– Então, agora você é oficialmente a namorada de Tom. - afirmou.

– Sim. - respondeu ela.

– Fiquei extremamente surpreso quando ouvi. Eu não podia imaginar que Tom iria namorar alguém fora da casa de Sonserina. Alguns o chamam de até mesmo de traidor de sangue.

– Isso é ridículo. - zombou Hermione - Será que a casa da Sonserina só é composta por pessoas de linguas grandes e mentes idiotas se eles nunca se casaram com pessoas de outra casas.

– Estou contente por você ter uma visão tão positiva da minha inteligência e aparência, Hermione. - ele respondeu com firmeza.

– Eu sei que você não é um idiota nem tampouco tem lingua grande, mas acho que você não vai escapar de se casar com alguma da sonserina por causa de sua familia, ou no mais acasionalmente alguem da Cornival. - comentou Hermione levemente, olhando em volta a procura de Tom. Ele ainda estava falando com Slughorn.

– Mas garotas da Sonserina, porém, não se casam fora da casa. Você não pode imaginar como perturbada algumas delas ficaram quando descobriram que Tom estava namorando você. Eu teria cuidado. Sonserinas não são boas perdedoras... Algo lamentável pode vim a acontecer a você. - Disse ele suavemente.

– Você está me ameaçando? - Ela se irritou.

– Você me entendeu mal, Hermione. Estou avisando apenas da atitude geral na casa de Sonserina. Odiaria vê algo acontecer com você. - adicionou inocentemente.

– Estou tocada. - Hermione respondeu. Malfoy sorriu friamente. Alguém bateu-lhe no ombro. Hermione deu um suspiro de alívio quando viu Tom.

– Olá, Tom. Eu não tenho o visto por um tempo. Você deve estar muito ocupado com outras... Coisas. - disse Malfoy. Tom fez uma careta por uma fração de segundo antes de formar um sorriso educado.

– Bem, acabei de terminar um projeto de runas onde eu estava muito envolvido e tenho estado muito ocupado com as obrigações de monitor-chefe. Espero que as coisas fiquem mais calmas até o mês do NIEM. – respondeu ele – Agora descupe-nos, vamos? – questionou a Hermione a abraçando levando para o outro lado do salão. Malfoy olhou incrédulo para os dois antes de irem para sua companheira que estava sentada em uma mesa junto com Avery.

– O que o Malfoy disse para você? - Questinou Tom, aparentemente sem se preocupar.

– Apenas falava como alguns dos Sonserinos estão insatisfeitos com sua escolha de namorada, nada que eu não tenha ouvido antes.

– Ele está apenas com inveja que eu consegui obter uma namorada capaz de fala humana. Diferente de Crabbe com aquela garota. - olhou para um casal em um canto - Ela pode ser umas das melhores família, mas é duas vezes mais estúpida. - ele disse com uma risada curta.

Passaram a noite dançando e socializando-se com rapidez. Algum tempo depois, Hermione e Tom saiu para a varanda a mesma que eles haviam descoberto Heloisa e Jason se beijando durante o baile de máscara de Halloween.
 

– Esta noite está sendo maravilhosa. - Hermione suspirou, olhando para as estrelas. -Muitas coisas mudaram desde da última vez que estive aqui. - disse ela, lembrando de seu relacionemneto com Tom.

– Para o melhor. - Tom acrescentou. - Eu não acho que fui mais feliz do que sou agora. - disse ele, com a voz suave próximo a ela. Por mais que Tom não quisesse admitir ele estava feliz ao lado de Hermione.

– Nem eu, ainda sinto falta meus amigos que deixei, mas eu estou feliz. - disse ela, olhando para ele com olhos brilhantes.

Não foi possível Tom resistir. Ele queria beijá-la durante toda a noite e finalmente teve a oportunidade. Ele tinha acabado de tocar seus lábios quando ouviram alguém vir para a varanda.

– É Minnie isto é muito ruim, parece que a varanda esta ocupada. Hmm ... isso é uma boa idéia. - disse Felipe travesso, percebendo o que Tom e Hermione vinha fazendo.

– Nós estávamos saindo. - disse Hermione com alegria, arrastando Tom de volta com ela para o Salão Principal.

Ela riu quando eles se juntaram com os outros dançarinos.

– Certifique-se que eu não esteja perto quando Minerva alcançar você. - Tom brincou.

– Oh, ela vai me agradecer por isso eventualmente. - respondeu Hermione alegremente.

– Qual seu nome? Heloisa?- ele perguntou.

– Muito engraçado. - Hermione socou levemente no seu braço.

– Isso não foi muito agradável. - ele repreendeu com carinho.

– Olhe, lá Minerva! - Ela apontou.

Minerva e Felipe tinha vindo da varanda. Minerva estava claramente corada, Felipe não tinha nenhuma marca de dedos em seu rosto.

– Eu vou ter que parabenizar Felipe. - murmurou Tom a Hermione.

– Não se atreva. - Hermione sussurrou, puxando-o de volta para a dança- Ah, eu me esqueci de perguntar. O que você estava falando com Slughorn enquanto eu dançava com Malfoy?

– Ele queria falar comigo sobre oportunidades de carreira após a formatura. Eu não sei por que ele decidiu fazer isso aqui em vez de algum dia depois da aula.

– O que ele sugeriu?

– Oh, o Ministério, para me torna um Auror ou um pesquisador. O mesmo que todos os professores dizem se você tem metade de um cérebro e não têm dinheiro. - disse ele cinicamente.

– Eu sempre quis fazer um desses. Para ser capaz de fazer a diferença no Mundo. - respondeu ela - Eu sei que pessoas como Malfoy parecem ter tudo, mas fingem que são que felizes. Eles tem que viver da mesma maneira que seus pais viveram e tentar encontrar algo para ou propósito que não são contra as regras. E eu posso amar, casar com alguém que eu quero e saber que meus filhos serão felizes como eu sou agora, ou eu posso escolher qualquer carreira que eu quero, de abrir uma livraria a pesquisar a cura para a Licantropia.

– De alguma maneira, você faz isso soar muito melhor. - disse Tom, sorrindo para ela.

Logo mais o baile acabou e os estudantes começaram a sua caminhada de volta para os dormitórios. Tom levou Hermione até o retrato e a beijou da maneira que desejou durante a noite toda, com carinho e desejo. Logo após foi para seu dormitório.

Tom entrou no quarto e tirou suas vestes a rigor. Ele estava deitado na cama pensando sobre a noite, especificamente, sobre a sua carreira futura. Tom tinha originalmente planejado viajar e encontrar bruxos e bruxas para ensinar-lhe o que não pode estudar em Hogwarts, as magias mais secretas.

No entanto, ele começou a pensar. Ele queria ficar próximo a Hermione. Era quase a certeza que ela trabalharia em alguns do departamento do Ministério da Magia ( Tom não sabia que Hermione voltaria para o futuro). Se ela estivesse de alguma maneira a evitar que ele se tornasse um bruxo das Trevas, ela iria saber imediatamente se ele fosse para lugares desconhecidos. Ele teria que pensar em uma solução.

Hermione também pensava sobre sua conversa. "Espero que ele pelo menos pense sobre isso", pensou. Ela tinha cada vez mais dificuldade de se ver sem ele, ela sabia que seu tempo no passado estava terminando, queria influência-lo o máximo possível antes de partir, mas só de pensar nesta hipótese de o deixar, fazia seu coração doer.

Sabia que não poderia se envolver com ele da maneira que se envolveu, mas quem manda nos desejos do coração, ela ao menos sabia se valia a pena voltar para seu tempo, talvez não teria mais coragem para encarar Lord Voldemort, depois de ter conhecido o verdadeiro Tom Riddler, ela estava confusa mas só esperava uma coisa, que ele não sumisse durante anos e voltasse já como Lord Voldemort, adormeceu pensando nisto.

O resto do mês de Fevereiro passou rapidamente. Os professores estavam começando a passar pilha de trabalhos para os alunos do sétimo ano. Todos poderiam encontrar Minerva, Felipe, Tom, Hermione estudando e trabalhando na biblioteca quase todas as noites.

Às vezes outros se juntava a eles, mas não os alcançava nos estudos. Minerva foi surpreendida agradavelmente quando Felipe finalmente provou que ele era realmente esperto. Ele poderia competir com ela em todas as classes, exceto Transfiguração que ele não cursava. Tom e Hermione foram praticamente iguais em todos os aspectos. Era quase como se propositadamente negociavam o primeiro e segundo lugar em todas as suas aulas um em cada semana.

No início de março, magos e bruxos do ministério e muitas outras empresas mágicas vieram a Hogwarts para demostrar suas carreira. O sétimo ano saiu a tarde para falar com os representantes.

Hermione estava triste em fingir que teria que escolher uma profissão, queria fazer isto verdadeiramente, com seus amigos, mas ela ao menos sabia se teria esta oportunidade, talvez depois de derrotar Voldemort. Mas se ele não existir? E se quando ela retornar o futuro esteja melhor do que quando ela deixou? E se Tom continuar a ser seu Tom? Hermione tinha esperanças, esperanças que aquele garoto que estava do seu lado, lindo e inteligente continuassae a ser ele. Mas por enquanto teria que fingir.

– Eu não posso acreditar que só falta tres meses para a formatura! - Hermione exclamou, enquanto olhava ao redor do salão - O que todos vocês vão olhar? - Ela perguntou a Tom, Minerva, e Filipe.

– Eu sempre quis ser professor aqui. - Minerva respondeu - Eu acho que Dumbledore ja leciona Transfiguração aqui a muito tempo, mas até ele sair eu preciso encontrar outra coisa para fazer em primeiro lugar, de preferência que envolveria transfiguração de modo que eu não esqueça tudo.

Uma bruxa uniformizada tinha ouvido Minerva.

– Você mencionou Transfiguração? Eu sou do Departamento de Execução a Leis Magicas. Nós temos um departamento que se concentra em itens especificamente transfigurado para ocultar provas de atividades ilegais ou itens de contrabando, trabalhao muito desafiador. Posso apresentar-lhe um dos agentes venha por aqui. - disse ela orientando Minerva, esta estava radiante sobre a oportunidade que surgiu.

– Lá vai a minha namorada. - Felipe reclamou - Se ela consegue esse emprego, eu vou ter que infligir a lei para ver-la.

–Então o que você gostaria de fazer?- Tom perguntou com curiosidade.

– Oh, eu tive várias ofertas de times de quadribol. - disse ele encolhendo os ombros- Vou esperar para decidir até que Minerva decide onde ela ira trabalhar.

– Isso é doce de sua parte. - comentou Hermione - Eu vou ser auror. - disse ela depois de um tempo - Eu tenho as habilidades necessárias e não gostaria de ficar presa em uma mesa o dia todo. - Ela riu de si mesma - Quando eu era jovem, eu queria ser uma pesquisadora para que eu própria não teria que lidar com as pessoas. Mas eu acho que posso fazer mais como auror. - Ela virou o focou em Tom - Com quem é que você vai falar? - Perguntou o vendo olhar para a sala, a procura de alguma coisa interessante.

– Talvez o Departamento de Mistérios. - pensou ele, caminhando por uma multidão de estudantes. Hermione foi para a mesa do auror, ao lado de Minerva onde estava conversando animadamente com uma mulher do ministério.

A mesa do Auror consistiu de um pedaço de pergaminho expondo os requisitos para a entrada no programa de formação e um bruxo grisalho sentado em uma cadeira.

– Então você quer ser um Auror, hein? - Questinou ele com um forte sotaque escocês -Você é o primeiro aluno a se incomodar em fazer o pedido hoje. Vou dizer-lhe agora que você provavelmente não vai fazer isso.

– Acho que vou. - disse Hermione com teimosia.

– Diga-lhe que eu vou ajudá-la. Podemos ir até a borda da sala, eu não posso fazer uma avaliação rápida para não acabar perdendo o seu tempo, tudo bem quanto a isso?

– Tudo bem. - Hermione aprovou azeda, tinha certezaque poderia impressioná-lo. Ambos caminharam até a borda do salão, longe de pessoas inocentes.

– Tem certeza que quer fazer isso? - ele perguntou.

– Positivo.
 

Hermione mal tinha terminado de falar quando ele lançou sua primeiro feitiço. Rapidamente, ela bloqueou e disparou um Feitiço Silenciador. O auror esquivou-se surpreendentemente rápido sua idade aparente e revidou com um Feitiço de desarma. Apanhada desprevenida, Hermione não teve chance de segurar sua varinha. Ela decidiu continuar sem a mesma. Ela usou o mesmo feitiço na tentativa de desarmá-lo, mas ele bloqueou. De repente, ele lançou um feitiço em silêncio. Hermione não sabia o que era, então ela lançou um feitiço de Blindagem. Ela senti algo bater em seu escudo e continuou empurrando-o.

Ela não conseguia segurá-la por muito tempo sem sua varinha. Rapidamente, ela lançou um feitiço diferente de escudo, que vivamente desvia de feitiços muito mais que o Protego. A pressão imediatamente levantada. Ela usou de surpresa do Auror para enviar uma magia impressionante, particularmente desagradável para ele. Porém não atingiu plenamente nele, mas que foi o suficiente para retardá-lo, dando-lhe uma vantagem de meio segundo.

Ela lançou um Expelliarmus, esperando ter sucesso facilmente. No entanto, isso não aconteceu. Ao invés, o Auror saltou e bateu de lado voltando o feitiço para ela. Hermione sentiu-se caindo, mais foi capturado por Tom, que rapidamente removeu o feitiço.

Hermione olhou ao redor. Uma multidão se juntou em volta para assistir ao duelo. Aplausos irromperam esporadicamente para por alguns minutos. Tom sorriu vendo o duelo lembrando-se como eles duelaram no início do ano letivo.

– Você quase não usou de magias forte como você fez comigo. - ele murmurou enquanto ajudava Hermione se recompor

– Ele não me deixou tão irritada como você fez. - ela respondeu calmamente com um sorriso.

– Eu sou Virgil Thomson, chefe do Departamento de Aurore.- disse o mago, caminhando até Hermione - Você obviamente duela com experiência.

– Hum, um pouco. - ela respondeu evasivamente.

– Hmm. Enfim, vou oferecer-lhe um lugar na próxima classe de Formação de Auror desde que você passe nos NIEMS.

– Obrigado. - respondeu Hermione, muito satisfeita com o resultado. Pena que não valera para aqui 50 anos, pensou tristemente.

– Parabéns. - Tom disse depois, Thomson voltou para os alunos que olhava a mesa.

– ObrigadA! - Hermione disse - Como foi o seu encontro com o representantante do Departamento de Mistérios?

– Ele disse que eu precisava para conseguir entrar, passar em todos os meus NIEM. - ele encolheu os ombros - Eu estava planejando isto de qualquer maneira. - acrescentou com um sorriso.

– É claro. - disse Hermione, retornando um sorriso muito semelhante. Tom notou.

– Eu acho que você me copiou. Você robou o meu sorriso. - ele brincou.

– Eu percebi que se me irritava, ele poderia irritar você também.

– Razoável, mas eu sinto mais orgulho do que irritação. Você teria se encaixado tão bem na Sonserina. - lamentou.

– Provavelmente. - ela concordou- Mas não é melhor ser uma Grifinória com carascteristicas Sonserinas?

– Bom neste ponto, você enganou a todos. - Tom disse - Eles não conhecem o verdadeiro você.

– Sorte para você. Ao contrário eu teria tantos pretedentes que você nunca teria a minima chance. - ela respondeu despreocupadamente.

– Não, eu só teria de matar mais alguns idiota. - Tom disse com seriedade.

Hermione se encolheu quase imperceptívamente antes de rir brevemente. Tom notou ligeira contração. Ele percebeu que ele deve ter-la lembrando de seu futuro, como seus amigos correm perigo provavelmente por sua culpa. Tom Riddle se sentiu um pouco estúpido, um sentimento muito raro para ele.

– Então eu teria que matá-lo. - ela respondeu igualmente séria, antes de sorrir para liberar a tensão no ar.

************************************************************************************

PROXIMO CAPITULO

– É lindo Tom, o que dizes aqui ?

– Eu sou teu, e você é minha. – disse ao pé de seu ouvido - Eu te amo Hermione.

Hermione olhou para aqueles olhos tão profundos, que naquele momento trasmitia carinho e amor.

– Eu também te amo, Tom. – disse selando seus labios aos dele


Notas Finais


O que acharam? E a cena do próximo curiosos?? Fui boazinha, que tal alguns comentários, gostaria muito de saber a opinião de vocês e o que estão achando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...