História Uma semideusa um pouco diferente - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Percy Jackson & os Olimpianos
Tags Deuses, Mitologia Grega, Semideuses
Visualizações 16
Palavras 1.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Helllooo demigods! Como vcs tão?
Gentee falta 1 favorito para batermos nossa meta! Uhhhhuuuyyy!
Se possível compartilhem com os amigos e sempre terá um lugar guardado no meu ♡.
Então bora continuar a história!

Capítulo 9 - O sátiro desaparecido


- O-olá? – Perguntei me aproximando.

O sátiro não parecia muito amigável, o que não é muito comum. Ele dizia palavras que eu não conseguia entender direto. Ele olhava para o chão o tempo inteiro. Quando finalmente olhou para mim, fez cara de pavor. E logo, rápido ele correu tropeçando na minha direção. Eu fiquei assustada e comecei a andar para trás. Ele se jogou aos meus pés e com o resto de sua força disse:

- Me ajuda...

Ele desmaiou e Hanne chegou tão pálida quanto eu.

- Laurie? Oque você fez? – Ela perguntou olhando para o coitado.

- Eu não fiz nada! Ele desmaiou e precisava de ajuda... Chame Quiron!

- Ok

Ela saiu correndo. Não demorou até que Quiron chegasse. Escutei ele trotando pela floresta e estava acompanhado de Téo. Ao ver o sátiro atirado no chão, Téo ficou extremamente pálido e por um segundo achei que iria desmaiar. Quiron se abaixou, pegou o sátiro no colo (para um centauro velho, ele era bem forte). Clara chegou correndo.

- O que está acontecendo aqui? Eu os vi correndo! O que foi que... – Ela olhou para o corpo no chão.

O silêncio tomou conta da floresta. Quase não respirávamos. Apesar de todos estarem chocados, Téo parecia estar mais. Não demorou até que Quiron toma-se uma decisão e tira-lo de lá.

- Preciso que Téo venha comigo. – Disse Quiron

Eu comecei a me levantar, mas o centauro me impediu.

- Não! Somente Téo!

Ele deu uma última olhada para mim. Quando se foram, fiquei com Clara.

- Quem era? – Perguntei

Clara manteve em silêncio.

- Clara?

- Não é possível...

- Clara me responda!

- Esse é George! O sátiro desaparecido junto de Carlitos e as outras ninfas.

Fiquei paralisada. Não mexia um musculo. Fiquei me lembrando do rosto do sátiro. A expressão de horror se repetia em minha memória. O que teria acontecido? Apesar de que o sátiro estar ferido, não acredito que fora agredido. Quando eu olhei em seus olhos senti algo estranho, como se fosse uma magia negra ou coisa assim. Talvez.... Não! Isso seria um absurdo!

Depois de um tempo eu resolvi me juntar com os meus meios irmãos no chalé. Todos aparentemente já sabiam o que havia acontecido, Hanne já devia ter contado para eles. Não diretamente mas talvez alguém de seu chalé poderia ter contado, isso não tem importância mas eu estou querendo preencher minha cabeça com alguma coisa para poder esquecer o que havia acontecido. Como que ele tinha desaparecido mas voltou assim... do nada? Estou cheia de perguntas mas uma que não sai da mente é a questão de que ele chegou dois dias antes de irmos a missão. Talvez alguém tenha feito isso de propósito! Alguém deve ter libertado o sátiro logo hoje exatamente para que não fossemos para a missão. Só pode ser isso mas quem é essa pessoa? Sinto que esse ser tenha uma magia ao ponto de esconder, torturar, ou sei lá. Eu só tenho um pressentimento muito ruim... Acho que tem alguém no acampamento que está passando informações para fora da colina.

Fiquei pensando em todos os seres mitológicos que tinham esse poder e suspeitei de uma deusa menor mas mesmo assim muito poderosa: Circe. Mas não tinha provas sobre ela. Isso estava me deixando meio nervosa. Uma coisa em minha barriga, como se alguém estivesse passando um aspirador de pó no meu estômago.

- Ei! Laurie!? Você está bem?- olhei para trás e vi Ayla se aproximando.

- E-estou bem... Só estou pensativa- percebi que eu estava olhando para a parede e que não tinha mais ninguém no chalé.

- Sei! A garota que fica olhando para o nada só está pensando. -ela levantou uma sobrancelha para mim.

- Tá legal. Eu estou preocupada com Téo e com o George. Porque agora? Porque isso é tão estranho e de certa forma... Mágica! Mas não no sentido bom, eu estou falando de magia má. Tenho pressentimentos ruins. Quem poderia estar por trás de todos esses desaparecimentos? Tenho suspeitas mas eu não posso sair apontando o dedo para todos. Téo se sentiu em choque extremo mas porque? George não poderia ser apenas um amigo acho que tem algo mais além e não quero que aconteça com o Téo o que aconteceu com ele... Téo é meu amigo e não devemos deixar que os outros machuquem nossos amigos... Não é? Como posso saber? Nunca tive amigos...

- E-eu acho que não podemos deixar isso acontecer.– ela estava pensativa e meio preocupada- Isso é sério.

- Desculpe por te passar esse pensamento negativo... Acho que é o bastante. Você não vai querer ouvir mais... Melhor irmos agora.

Enquanto eu caminhava até a porta do chalé, Ayla segurou meu pulso e chorando me abraçou em quanto ela dizia:

- Eu sei o que você está passando... acredite eu já passei por isso!

Eu sequei suas lágrimas e a abracei. Acho que ela estava lembrando de algo que tenha acontecido com ela, alguém que ela gostava muito. Não tenho certeza mas eu não queria perguntar mais nada.

O clima estava bem chato na hora no jantar. Ninguém conversava acho que a volta de George abalou a todos. Eu ficava a olhando para Ayla quase o tempo todo. Não conseguia comer direito, assim como fiquei na casa da sra. Encara quando Téo fora me buscar. Antes de todos se retirarem, Quiron deu um pequeno aviso:

- Como vocês estão sabendo, George voltou e não adianta mentir para vocês... Ele não está nada bem. Não sabemos quem fez isso com ele. Não se preocupem! Em ralação a missão... Bem, decidimos que... Pensando melhor, todos que participaram da missão me encontre na casa grande após o jantar.- ele olhou para todos nós e quando chegou em mim fez uma cara que eu não pude distinguir o que significava.

Após o jantar, eu fui até a casa grande acompanhada de Claire, Jasmim e o Hig. Ficamos calados até a casa. Quando entramos, percebi que somente nos estávamos presentes. Quiron estava nos esperando sentado em uma mesa que parecia ser de jogar cartas. Nos sentamos nas outras cadeiras e por um longo tempo ficamos lá, em silêncio quase sem respirar. Resolvi tomar a iniciativa e perguntei:

- Onde está Téo?

- Ele está com George. Não se preocupe, ele já sabe de tudo que eu vou dizer a você.- respondeu Quiron.

- E Marie?- perguntou Yasmim.

- Bem... Eu iria chegar lá. Por causa de um acidente na parede de escalada e fraturou sua perna. Eu reuni vocês para que possamos refletir sobre a missão. Quero que saibam que essa missão poderá ser perigosa demais. Teremos que tomar providências, em relação de adiar ou não a missão...

- Não podemos adiar a missão!!! Não está vendo que quem fez isso está querendo nos dar medo? - Eu protestei.

- Laurie está certa. Não podemos adiar, aliás acho que todos concordam que devemos continuar com o plano.- Disse Claire olhando para mim.

Olhei em volta e todos acenavam sim com a cabeça.

- Bem já que querem assim... decidi que vocês devem levar mais 3 semideuses com vocês. Mas acho melhor se apressarem pois só resta mais 2 dias até a missão. Lembrem que nenhum semideus menor poderá ir. Já é arriscado demais para vocês irem. Querem decidir agora?

- Pode ser, tanto faz- Disse o tal Hig. Sua voz soava como de um adolescente normal porém mais confiante.

- Bem... Podemos levar a Hanne?- perguntou Jasmim.

- Estou achando melhor conversarmos com os outros para ter certeza que eles querem ir. Sabe? Para não obriga-los. – Disse Claire.

- Ok. Vamos falar com eles e amanhã já teremos a resposta. -eu disse olhando Quiron.

- Já que resolvemos tudo, podem se retirarem. Boa noite a todos.

Saímos da casa e fomos caminhando juntos.

- Essa reunião foi inútil! -disse Hig.

- Não fale assim Hig!- Disse Jasmim dando um peteleco na orelha de Hig.

Eu dei uma risadinha.

- Mas fala a verdade, Quiron acha que somos criancinhas.

- Ele só estava nos mantendo em segurança.

Hig bufou e depois deu os ombros.

A medida que passávamos pelos chalés, cada um ia entrando nos seus.

Cheguei no meu chalé e me troquei. Eu me deitei e fique olhando para o teto. Quem eu chamaria para ir em uma missão suicida em busca de espíritos da floresta?

- Ei! Você está bem?

Olhei para o lado e vi o “coleguinha”.

- Estou bem.

- Sabe... Será que não teria uma vaga para mais alguém na missão? Eu soube que um dos membros fraturou a perna.

- Como você sabe?

- As notícias voam.

- Nós até temos vagas mas tem certeza que você quer ir para uma missão na qual você pode acabar morrendo?- Eu lhe disse com um tom ameaçador.

- Não podemos viver a vida sem riscos, não é?


Notas Finais


Então gente o que acharam? Bom? Ruim? Sua opinião me ajuda muito! Enfim até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...