História Uma Syrena e Sua Prisão! - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias H2O, Meninas Sereias, Mitologia Grega, Originais
Personagens Personagens Originais
Tags H2o, Meninas Sereias, O Legado De Sryrena, Poseidon, Sereias, Syrenas, Tritão, Triton
Visualizações 34
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A votação foi só de uma pessoa mais mesmo assim está bom.E muito obrigada pela sua cooperação <3
Bom sem mais delongas...
Espero q gostem e boa leitura my star's <3

Capítulo 14 - Mordida


Ele se aproximava lentamente de mim,e eu recuava dois passos pra traz a cada passo q ele dava em minha direçao,cheguei até um ponto em q bati as costas na parede e ele acabou me encurralando.O rapaz na minha frente estende seus braços um de cada lado do meu rosto,me impedindo de sair pra qualquer direção q eu quisesse.

-Eu disse q nao aguentaria muito mais...-Disse ele aproximando seu rosto do meu.

-Isso...nao..é uma boa ideia....-Falei tentando convencer mais a mim mesma do q a ele

-Eu sei...infelizmente eu sei disso,princesa.-Diz ele e sinto seu halito quente tocar a minha pele delicadamente 

-E eu tambem.-Nao aguentei mais aquela situaçao,eu era atraida completamente pra ele,seguro seu rosto e o pucho pra mim.

Senti q ele se assustou com meu movimento brusco, mais ele correspondeu em questao de segundos.Ele preenche o pequeno espaço q tinha entre nós e se colou em mim e agarrou minha cintura e a minha nuca com suas mãos fortes aprofundando ainda mais nosso beijo.

Nossas linguas pareciam estar em uma batalha insana e voraz. Nao contive um leve gemido quando ele morde meu labio inferior e ele intende isso como um sinal pra me pegar no colo.Comigo ainda nos braços dele,ele caminha comigo até a cama.O principe do norte se deitou comigo por baixo de seu corpo e novamente eu estava pegando fogo,o sangue q antes corria em minhas veias agora deu seu lugar a fogo liquido.E ao mesmo tempo  q eu esquentava sentia a pele dele reagir da mesma maneira q a minha.

Isso é loucura! Isso esta parecendo um tipo estranho de efeito colateral de uma droga q assim q se experimenta uma vez,nao se consegue mais largar ou ficar sem.

 

Perseu percorre sua mãos pela minha costa e cochas ,e céuuussss,era muito bom.A batalha entre nossas linguas ficou ainda mais feroz do q antes,se isso é possivel,mais infelizmente chegamos em um ponto em q nos faltou oxigênio e tivemos q nos separar.

-O q estamos fazendo?-Perguntou ele com dificuldade, parecia q ele estava embriagado 

-É O Q EU QUERO SABER!!!-Gritou João invadindo o lugar-O Q VC PENSA Q ESTA FAZENDO COM ELA?!

Meu amigo vem em nossa direção como um raio,em um  piscar de olhos ele tira o Perseu de cima de mim e o pucha longe o derrubando no chao.Ele pega o cobertor q ainda estava no chao,por causa de quando eu cai,e veio me cobrir mais parou assim q me olhou.

Só faltava a baba começar a escorrer de sua boca.

-Err....argh,como vc é...gostosa...droga!-Diz meu amigo jogando o pano em mim e saiu correndo pra fora do nosso ''dormitorio''.

Quando ele saiu ficamos em silencio total,só se ouvia nossa respiração descompassada.

-Entao...oq faremos?-Pergunta o rapaz sentado no chao

-Eu nao sei,mais eu tenho q ir atras dele-Falei

-Desculpe?

-Vc me ouviu,ele saiu correndo e nao sabemos pra onde ele foi...Haa nao,nao,nao! 

-Oq aconteceu?!-Perguntou levantando em um pulo

-A caverna.Se ele correu pra onde eu penso q correu,ele foi em direção a piscina da lua!

Vou rapidamente até minhas malas q tinha deixado meio aberta ontem à noite,pego um shorts jeans,uma blusa branca e minha escova de cabelo.Tiro meu pijama sem nem me importar se o rapaz continuava ali ou nao. Acho q eu posso me candidatar pra ser a nova heroina da DC caso eles nao usem mais o flash,pq olha...eu nunca fui tao rapida  em me trocar como agora.

Penteei meu cabelo o mais rapido q consegui,peguei me chinelo,o calcei o mesmo e sai correndo deixando  a vossa alteza estacado no mesmo lugar de alguns minutos antes. No caminho esbarrei no estrupicio numero 2,fazendo nois dois caindo na grama.

-Hey! Calma lá doida!-Falou Gabriel se levantando e tentando me ajudar a fazer o mesmo

-O João...vc viu pra onde ele foi?-Perguntei com desespero na voz

-Ele foi pra lá,correndo como um louco-Ele apontou pra direção leste da ilha

Pq meu Deus? POR QUE?????????

TINHA Q SER JUSTO NAQUELA DIREÇÃO????

-NAO,NAO,NAO,NAO,NAO....-Murmuro sem parar começando a correr na direção da caverna dos cristais,onde tem varias armadilhas para os terrestres e q só os marinos(syrenas e tritoes)conseguem passar.

É o seguinte, a caverna dos cristais é a entrada para Atlântida por terra,só q essa Atlântida esta em grande quantidade para fora d'água,grande tipo 99% pra fora da água...

E para melhorar essa situação linda e maravilhosa a primeira barreira para a proteção da cidadela Atlantis sao...

Droga! Tarde demais,consigo ouvir um urro de dor um pouco mais ao longe de onde eu estava.

Consigo sentir a adrenalina percorrer todo meu corpo como uma corrente elétrica me dando mais força para correr.Desviava de pedras,raizes e buracos na terra a todo tempo,paro em frente de um pequeno muro de marmore de cor caramelo coberto por trepadeira o camuflando quase totalmente,o ponto ruim? Alguns dos cipós e trepadeiras q estavam entrelaçadas na pedra fria nao eram simples plantas inofensivas.

Eram cobras e serpentes q só ''despertavam'' de uma especie de coma quando alguem de sangue nao marino chega perto ou tenta passar pelo muro.E o veneno mata até mesmo uma baleia azul em uma hora,no maximo,e devido ao tamanho e resistencia de um ser humano comum,ele duraria no maximo meia hora.

O João estava caido ao lado do muro de marmore se contorcendo de dor e segurando seu ombro direito.O bom é q nao foi no ombro esquerdo,q é pertissimo do coração e sim do lado oposto pelo menos ganhamos um pouco de tempo,até o sangue dele fazer o percurso completo em seu corpo podemos adquirir o antidoto,mais tenho q ir rapido.

-Sy...como vc chegou aqui?...-Ele continuava a se contorcer e tenho certeza q ele segurava seu grito de dor

-Pq vc saiu correndo daquele jeito?! Idiota! Vc nao pode sair correndo assim nessa ilha! -Eu tremia dos pés a cabeça,ajudei-o a levantar o mais delicadamente possivel devido a sua condição e consegui observar melhor seu braço q no momento pingava sangue.

A mordida era profunda e tinha um liquido amarelo fluorecente q supus ser o veneno da cobra.

E era um mordida grande mesmo...

 

 

 

 

To be Continue...

 

 

 

 

 


Notas Finais


Agora sim esta terminado esse capitulo ....
até o proximo e espero muito ansiosa os comentarios<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...