História Uma Bruxa No Meio De Vampiros e Lobisomens - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alec, Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Billy Black, Caius Volturi, Carlisle Cullen, Carmen Denali, Demetri Volturi, Edward Cullen, Emmett Cullen, Esme Cullen, Jacob Black, James, Jane, Jasper Hale, Kate Denali, Marcus Volturi, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Rebecca Black, Rosalie Hale, Sarah Black, Seth Clearwater, Sue Clearwater, Tânya Denali, Victoria, Vladmir
Tags Crepusculo
Visualizações 264
Palavras 707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Será? Não, não pode ser


   Algo preto pulou em cima de mim enquanto eu viajava no mundo da lua, cai de cara nas pedras. A coisa que me empurrou começou rosnar. Me virei para encarar meu agressor

   ---Alexia, não!- gritou uma voz masculina. Algo me arrancou de debaixo do que só depois percebi que era um cachorro. Aquilo não era um cachorro, era um leão disfarçado de doberman. o dono dele o segurava pela coleira

   ---Você está bem?- perguntou outra voz masculina atrás de mim

   ---Estou- falei vendo tudo girar. Quase cai tentando me virar para ver a pessoa atrás de mim, sorte que o mesmo me segurou

   ---Percebi- ironizou ele fazendo o amigo dele rir

   Quando meus pés ficaram no lugar em que deveriam estar, olhei para cima para ver o meu heroí do dia, ele era lindo, seu cabelo cor carvão e seus olhos cinzas eram excepcionalmente lindos, ele era um pouco mais alto do que eu, magro e forte, no momento em que nossos olhos se encontraram eu senti um choque e minha testa começou a latejar

   ---Você está sangrando- disse ele tocando minha testa com o dedo indicador e voltando com a ponta vermelha

   ---Percebi- falei no mesmo tom ironico dele, fazendo o ser humano atrás de nós rir ainda mais. Fiquei encarando ele com uma cara de boba. O amigo dele tossiu propositalmente. Virei para vê-lo. Ele tinha cabelos dourados e olhos azuis como safiras, magro e pequeno. O cachorro denominado por ele como Alexia, rosnou mostrando suas presas brancas e pontiagudas. Assustada, dei um passo pra trás encostando sem querer no peito do garoto com as costas

   ---Desculpe-me por ela, Alexia Costuma ser quieta e carinhosa, não sei o que deu nela. A propósito sou Ian e esse- apontou para o menino de olhos escuros- É Matt. A casa da minha tia é aqui perto, ele pode te levar e usar a caixa de primeiros socorros para não deixar que a ferida fique infeccionada

   ---Acho que até eu chegar lá já vai ter formado casquinha- falei tentando recusar o pedido sem ser ingrata. Se Alice tiver uma visão minha e dele na casa e Edward estiver perto o suficiente para olhar na mente dela, Ed é capaz de violar o tratado e vir me buscar pessoalmente

   ---Anda logo então- Ele segurou meus ombros e me empurrou para dentro da floresta. Andamos por alguns minutos até chegar em uma cabana feita de madeira, simples, mas bonita. O sangue quente que saia dñn com o corte descia queimando minha pele gelada- Senta aqui- Suas mãos rápidas e ágeis puxavam uma cadeira para eu sentar em quanto vasculhava os pequenos armários até encontrar uma caixinha vermelha. Fiquei olhando seus olhos irem de um lado para o outro. Ele era lindo. Matt ajeitou meu cabelo  atrás da orelha para dar vais visibilidade. Limpou a ferida e colocou uma pomada incolor.

   ---Você vai ser um bom neurocirugião- elogiei

   ---Como você sabe?- sua cara agora era de diversão

   ---Suas mãos são ageis mas ainda sim tem uma força controlada e precisa. Além do mais, meu pai é cirurgião geral e eu vejo como ele trabalhar- ele me olhou surpreso

   Conversamos por bastante tempo na trajetória da casa de madeira até o final da praia. O sol já estava se pondo dando uma cor alaranjada a água. Matt estava me acompanhando até a saída do estacionamento aonde eu percorreria 24 km a té em casa

   ---Vou te ver amanhã?- disse ele parecendo indiferente, a não ser por uma pintada de super curiosidade em sua voz

   ---Provavelmente não, amanhã é segunda, eu fico o dia inteiro na escola, mas se eu conseguir escapar dos meu irmãos eu vejo se consigo passar aqui. Lembra que você me prometeu os famosos Muffins da Emily

   ---Juro que não vai se arrepender- rimos e depois nos encaramos. Mesmo não querendo, virei as costas para ele e segui meu caminho até em casa. Provavelmente teria de responder o questionário de Edward e a curiosidade de Alice junto com as piadinhas de Emmet. Mas depois de tudo, depois dele, vale apena combater meus irmãos. Naquele minuto eu percebi, eu estava apaixonada. Quase um amor à primeira vista. Eu me sentia ligada a ele de um jeito totalmente estranho e esquisito



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...