História Uma Bruxa No Meio De Vampiros e Lobisomens - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alec, Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Billy Black, Caius Volturi, Carlisle Cullen, Carmen Denali, Demetri Volturi, Edward Cullen, Emmett Cullen, Esme Cullen, Jacob Black, James, Jane, Jasper Hale, Kate Denali, Marcus Volturi, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Rebecca Black, Rosalie Hale, Sarah Black, Seth Clearwater, Sue Clearwater, Tânya Denali, Victoria, Vladmir
Tags Crepusculo
Visualizações 71
Palavras 629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Me apresenta a ele


Chegando em casa, Esme foi ao meu encontro. Ela não parecia estar brava

   ---Como foi lá?- perguntou casualmente colocando um braço em volta da minha cintura e me guiando para o sofá- O que é isso na sua testa?- tirando meu cabelo do corte

   ---Eu caí-  falei indiferente. Ela cheirou a ferida

   ---Não parece estar infeccionada

   ---Um grupinho que estava jogando bola me ajudou, e me emprestaram um kit de primeiros socorros- deixei meu corpo exausto afundar- Onde está o pessoal?- não havia ninguém em casa além de nós duas

   ---Seus irmãos foram caçar e seu pai está de plantão- Graças a deus eu teria tempo pra inventar um desculpa convincente para Alice e Ed

   Imagens de Matt ficavam rodeando minha mente. Seu olhos negros intensos me deixaram hipnotizada nas minhas lembranças

   ---Quem é ele ou ela?- Es me encarava com aqueles olhos super analíticos da sua mãe quando você apronta e esconde dela

   ---Aquele vaso sempre esteve ali?- perguntei a ela tentando escapar da conversa. Eu sei, eu sei, foi a pior desculpa do universo. Fora eu quem deu aquele vaso em cima mesa, ele era feito de argila e tinta guache, dei a ela quando tinha quatro anos, o vaso tinha várias ondulações e depressões, além os meus dedinhos pequenos que cobriam a maior parte do design, na boca do vaso faltava uma parte que serviria para segurar a planta, só que a inteligência rara aqui achou que seria uma boa ideia provar para ver se o gosto era bom. Alice teve uma visão e Edward correu para me impedir, e eu enfiei a argila na boca dele. Eu tenho vergonha daquela coisa orrenda em uma casa arrumada e com cores combinando. Ele era um invasor que não combinava, pedi a ela para substituí-lo ou que deixasse eu fazer um novo, mas ela se recusava, vivia dizendo que era um dos objetos de mais valor sentimental que ela tem

   ---Não foge do assunto- disse ela puxando minha cabeça com cuidado para seu colo. Coloquei minha cabeça em sua coxa e joguei o corpo no resto do sofá                       
   
   ---Matt- disse derrotada


   ---Me diz como ele é- pediu ela. Sorri feito boba                       

   ---Ele tem olhos mais pretos que carvão, cabelo preto bagunçado e arrumado ao mesmo tempo, magro, forte, alto e tem a pele bronzeada. Ele é muito gentil, um perfeito cavalheiro

   ---Ele deve ser bem legal, hoje você demorou mais do que de costume

   ---Demorei não- Olhei para o relógio em cima da porta- Eu fiquei lá por 7 horas?!- meus olhos estavam arregalados e minha boca estava aberta em um perfeito "o".ela riu e balançou a cabeça afirmando

   ---O tempo passa rápido quando nos divertimos. Eu estava ficando preocupada, você não me avisou nada,não mandou mensagem, estava quase ligando para o seu pai para perguntar se eu sabia de algo- os faróis do carro de  Carlisle iluminaram a parede sul da casa-Depois me apresenta a ele, eu gostaria de conhecê-lo- sussurrou a em meu ouvido. Sorri ainda mais. Carlisle entrou em casa em uma velocidade humana, acho que para não me assustar, colocou a chave do carro no chaveiro e sorriu ao nos encontrar na sala. Ele deu um beijo na minha testa e um beijo demorado em sua esposa

   ---Estou indo para o meu quarto- avisei subindo as escadas. Os dois riram. Fechei a porta com o pé e me joguei na cama. Tirei a bota  aos chutes, tentando ficar confortável, mas eu tinha muita coisa na cabeça. Depois de amanhã seria meu aniversário. Alice ainda insistia em uma festa, não ligo para presentes,gosto mais quando são comestíveis, mas festas sempre acabam mal. Essa noite dormi como uma pedra, sem sonhos, em uma posição nada boa e um pressentimento ruim de que alguém iria em bora


Notas Finais


Sei que essa capítulo não teve nada de mais, mas é para dar uma longa sequência a história


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...