História Uma última chance - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Alice, Amor, Carol, Esperança, Filha, Liam Payne
Exibições 225
Palavras 2.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura

Capítulo 42 - Capítulo Trinta e Oito



Narrado por Carol..
        
       

- Vamos bebê, seu pai vai chegar daqui a pouco..- balanço o corpo sonolento de Alice em cima da cama.
        - Oô mamãe deixa Ali dormir mais um pouquinho, pu'favô..- ela resmunga puxando o cobertor para o rosto.
       - Não bebê, nós temos que nos arrumar. Seu papai chega daqui a pouco pra a gente ir para a casa da vovó, lembra?- pergunto.- Ou você não quer ir mais conhecer as tias e o vovô?
     - Quero!- faz um biquinho e me olha.- Mas eu tô com soninho...
       Sorrio da carinha dela e deixo um beijo em sua testa.
       - Você dorme na estrada, babe.
       - Tá..- boceja e coça os olhos.- Mas eu não vou tomar banho agola..-Diz decidida e eu começo a rir. 
       - Quando foi que você virou uma porquinha dessa forma?- ela da de ombros e apoia a cabeça no vão do meu pescoço. 
        - Eu banhei ontem antes de dormir e hoje está cedinho e flio. O médico disse que a Ali não pode ficar passando flio por que é perigoso..- diz tudo em um só fôlego e eu a olho admirada.- Por causa da inunidade baxa..- murmura me fazendo rir novamente. 
- É imunidade babe - corrijo - Imunidade baixa.
   - É isso aí mesmo.- diz. Nego ainda rindo e caminho até o banheiro.
  "Inunidade baxa"
    
[...]
      
         Falei para Alice dormir na estrada mas ela fez muito pelo contrário. Ela e Liam pareciam estar ligados a 220 volts em plenas 8 horas da manhã e os dois pasaram quase o caminho todo cantando as músicas da banda, conversando ou fazendo qualquer outra coisa que não exigisse ficar calados.
          Alice só veio inventar de dormir quando faltava cerca de 30 minutos para chegar em Wolverhampton, o que não foi nem um pouco legal ter que a acordar pela segunda vez no dia, já que ela ficou um pouco emburrada e sua feição só mudou quando nós falamos que havíamos chegado.
       
        - Nossa..- digo, sorrindo ao olhar a casa em minha frente. Ainda era a mesma, com poucas coisas diferentes, mas ainda sim a mesma.
        - É aqui mamãe? - Alice pergunta e eu concordo saindo do carro junto com Liam. Abro a porta traseira e tiro ela de lá enquanto ele tirava as bolsas do porta-malas. 
        - É tão linda!- coloca a mão na boca e sorri me estendendo a outra livre.
         - Sim babe, também acho.- caminho com ela até a entrada e Liam vem logo atrás. 
         Toco a campainha e enquanto nós esperamos alguém atender a porta me viro para ele.
         - Sua mãe vai nos matar quando ver que nós viemos sem avisar a ela. - murmuro e ele sorri amarelo.
         - Matar não seria bem a palavra. Mas dar uma bela de uma bronca e depois nos encher de mimos eu sei que ela vai.- diz.- Preparada para ver Alice ser mimada pelas tias e pelos avós? - pergunta me fazendo revirar os olhos. Isso não é bom. 
- Como se você ja não fizesse isso..-resmungo e ele dá de ombros sorrindo sem graça.
      Um fato no qual me irritava profundamente: Liam sempre faz o que Alice quer. Sempre. Em qualquer ocasião. Se ela falar "papai eu quero um castelo" e fazer uma carinha de choro com um biquinho e o queixo tremendo, Liam obviamente vai atrás de um castelo para lhe dar. Ele não sabe dizer não a ela e Alice sabe e faz questão de se aproveitar perfeitamente disso.
      
      - VOVOOÓ..- corto meu pensamento quando escuto o grito animado de Alice. Ela solta da minha mão e abraça as pernas de Karen sorrindo.- Eu senti tanto saudade..- murmura e Karen parecia ter se tocado. 
   A expressão dela ainda era de surpresa quando ela se abaixou para falar com Alice. Ri fraco quando notei isso e senti a mão de Liam tocar a minha.
    - Oh meu bem, a vovó também sentiu saudades.- sorriu antes de se levantar com ela no colo.- Olha só para você! Cada dia mais linda, meu amor!- beija a cabeça dela e nos olha sorrindo.- Eu não acredito que vocês vieram sem me avisar. Eu estou com vontade de dar uns cascudos nos dois por conta disso. Vocês deviam ter dito para mim poder preparar as coisas..
- Olá mãe, eu também estava com saudades.- Liam passa na minha frente e abraça a mãe de um jeito desengonçado por conta de Alice. 
- Não me interrompa quando eu estiver falando, menino.- reclama fazendo Alice rir e eu acompanhar.-  E você? Está rindo de quê? Eu também devia te dar uns cascudos por não ter me avisado..- ela se vira para mim e eu paro na mesma hora.
Alice tampa a boca escondendo a risada e eu tento não rir de seu jeitinho fofo. Karen ainda nos olhava tentando manter a pose séria e eu preferia não correr o risco. 
- Mas eu também estava com saudades de vocês, meus amores.- sorri amorosa me dando um abraço também desengonçado e respiro aliviada.
- Eu também senti sua falta, tia Karen..- sorri. 
      Ela nos deu espaço para entrar e caminhou logo atrás de mim até a sala, enquanto Liam iria guardar a bagagem. E eu incrivelmente já me sentia em casa.
      - Onde estão todos?- pergunto tirando o casaco que vestia porque a casa era maravilhosamente aquecida e me viro para ela.
        - Nicola e Ruth estão no trabalho e Geoff foi ao banco, eles ja devem estar chegando.- conferiu as horas no relógio de parede e sorriu.- Enquanto isso, vocês não acham melhor irem descansar? Eu sei que é bem cansativo viajar, ainda mais de carro.- sorri quando Alice boceja e assente deitando a cabeça em seu peito.- Quando a hora do almoço chegar eu chamo vocês.
       Concordo me levantando e indo até elas pegando Alice no colo.
       - O quarto de hóspedes ja está arrumando por conta da faxina que demos ontem, então..- deixa no ar enquanto nos acompanha até o corredor.- Você sabe onde fica, não é meu bem?- concordo e ela sorri antes de passar a mão no meu rosto e dar um beijo em minha bochecha.- Fico feliz que vocês tenham vindo..- murmura baixinho e eu sorrio.
- Eu fico feliz por estar aqui também..- sorri.
       Karen se afasta e eu caminho com uma Alice sonolenta até o quarto de hóspedes.  Deito ela na cama e tiro suas botas e seu casaco a cobrindo logo em seguida. 
     - Você vai deitar aqui com a Ali, mamãe? - me pergunta com os olhos quase fechando. 
      - Vou babe, pode dormir..- tiro os meus sapatos e me deito ao seu lado. 
       Alice se aconchega mais perto de mim e logo em seguida dorme. Fico cerca de 10 minutos deitada e me convenço de que eu não conseguiria dormir por agora. Levanto com cuidado para não acordar a pequena ao meu lado e saio do quarto dando de cara com Liam no corredor. 
  - Hey..- murmura baixinho enquanto chega perto. 
- Hey, babe..- sinto seus braços passarem ao redor da minha cintura e me puxar levemente enquanto eu levo minhas mãos até seu peito, mas antes que nós pudéssemos fazer qualquer outro coisa escuto um grito chamando o meu nome.
- CAROLZINHAAA..- me viro rapidamente e sinto meu corpo ir para trás e caio no chão quando um ser pula em cima de mim. 
Ruth.
- Oh sim, eu também senti saudades..- murmuro quando ela beija a minha bochecha repetidas vezes ainda em cima de mim me fazendo rir- Mas, tipo, será que você poderia, sabe, deixar eu me levantar para nós fazermos aquele comprimento como duas mulheres adultas normais..?- pergunto e ela finalmente para, me olha e assente.
- Aaah, mas eu senti tanta saudades! Como vocês estão? Como foi a viagem?  Cadê a minha sobrinha linda? E por que vocês não avisaram que iriam vir?- solta tudo de uma vez. 
- Bom..Estamos bem, a viagem foi ótima, sua sobrinha está dormindo no quarto de hóspedes..- aponto para o quarto.- E se não avisamos é culpa do seu irmão. 
        - Tinha que ser você né Bolota?- ela pergunta se aproximando dele e lhe dando um abraço apertado.- E vocês dois, hum?- pergunta.- Estavam bem agarradinhos quando eu cheguei aqui...- sorri maliciosa e eu sinto minhas bochechas esquentarem.- Já estão se preparando para me dar mais sobrinhos? Vou avisando logo, não vou me contentar só com a Alice..
     - Por Deus, claro que não.- murmuro.- Acho que você vai  ter que se contentar só com ela por um bom tempo..
     - Então vocês estão realmente juntos? - pergunta olhando para Liam.
     - Yeah..- ele dá de ombros e me abraça de lado enquanto caminhávamos até a sala.
       Ruth começa a pular ao nosso lado, sorrindo. 
       - NICOLA VOCÊ ME DEVE 20 DÓLARES.- grita correndo até a cozinha, nos deixando para trás. 
    Essa definitivamente vai ser uma semana maravilhosa.

[...]
       

Abro a porta da varanda e me deparo com o quintal. Um sorriso automaticamente nasce em meu rosto quando meus olhos param na pequena gangorra mais a frente. 
       Me sento em um balanço e me deixo ser invadida por milhares de lembranças dali. Seguro a xícara de chá com as duas mãos e apoio um dos pés do chão para me balançar devagar.

      Eu tinha passado praticamente toda a minha infância aqui, com essa família, nessa casa, nesse quintal. Tudo o que me aconteceu aqui foi maravilhoso,por que esse era o meu verdadeiro lar. Eu nunca pensei que um dia admitiria isso mas, eu sinto muita falta de tudo que vivi. Sinto tanta que ao lembrar de cada momento, meu peito se aperta e me mostra o quanto foi mágico. 
Infância é algo mágico.
      - Baby, o que foi?- Liam pergunta me assustando e parando em minha frente. Passa o polegar em baixo dos meus olhos e só aí, eu percebo que estava chorando.- Amor...
     - Está tudo bem..- minha voz saí chorosa e eu sorrio fraco.- É só que...- as palavras parecem fugir me fazendo suspirar. 
         Ele senta ao meu lado e me abraça enquanto eu me aconchego mais nele e escondo meu rosto em seu pescoço.  Passamos um tempo em silêncio. 
       - Esse lugar me cheira a infância, sabe? Ele me faz lembrar de tanta coisa que sinto falta. Tudo o que nos passamos aqui foi tão...- sussurro não completando porque, novamente faltou palavras. Liam apenas me abraça mais e deixa um beijo no topo da minha cabeça.
       - Foi um tempo bom, hum?- sua voz saiu um pouco saudosa e eu assenti.- Lembra do dia em que você caiu da gangorra e seu dente caiu?
  
      Comecei a rir em meio a poucas lágrimas e concordei.
    - Sua cara de desespero foi hilária..- me acompanhou. 
    - Claro, minha boca estava sangrando muito e eu odeio sangue, você sabe - disse.
     - Minha mãe correu desesperada até você, pensando que tinha quebrado um braço ou qualquer outra coisa..- murmurou risonho. 
     - Você também não ficou para trás, Payne..- falo.- Você também estava preocupado.- ele dá de ombros e continua. 
    - Claro, eu não queria uma namorada sem dente e com um braço quebrado, as pessoas me zoariam por isso...- bati em seu peito e ele riu.
    A porta da varanda novamente se abre e então um serzinho com o dedo na boca, de meias rosas, abraçada a um urso chama a nossa atenção. Alice olha vem em nossa direção e estende o braço ocupado com o urso para mim. Pego ela no colo e ela se deita em meu peito esticando as perninhas para o colo de Liam. 
       - Você anda muito preguiçosa, mocinha.- Liam diz cutucando as pernas dela fazendo Alice sorrir.
      - Não sou peguiçosa..- fala embolado, ainda com o dedo na boca.
Preciso tirar essa mania dela. 
     - Eu só estou no modo encononia de emergia..- resmunga errado.
     - Econômica de energia? - perguntei confusa. - De onde você tirou isso, filha? 
        - Foi o tio Lou que disse..- rio de leve, já sabendo que aquilo era bem a cara dele.
        - Nós temos que te tirar de perto de Louis urgentemente.- Liam murmura.- Para o bem de todos.
       - Papai, o vovô e as tias vão demorar muito para vir?- Alice olha curiosa.
      - Suas tias já chegaram, bonequinha..- ele disse e ela arregalou os olhos.
      - Sélio?- pergunta já descendo do meu colo. 
       - Elas estão com a vovó lá na cozinha..- desta vez sou eu quem digo e vejo ela correr até a porta.
       - Ooh, então vamo falar com elas!- diz e volta nos puxando ela mão.- Vamo! Vamo!- ela dizia animada enquanto nos puxava.
Acho que acabo de perder a minha filha para as tias dela.
 


Notas Finais


Estou sem nenhuma criatividade então me desculpem pelo capítulo bosta
Desculpem qualquer erro também


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...