História Uma última chance - Capítulo 64


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Alice, Amor, Carol, Esperança, Filha, Liam Payne
Visualizações 116
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi galera, tudo bem? Queria, inicialmente, me desculpar por toda a demora para atualizar e tudo mais. Eu estou com uma puta falta de criatividade, além da falta de tempo porque ultimamente eu estou muuuuito ocupada com escola, trabalho, curso e etc...
NÃO irei abandonar a fic e por esse motivo - mesmo que fique sem graça e tudo mais ou que eu estrague tudo, me desculpem, sério - eu resolvi encurtar ainda mais o final. Aviso que UUC tem mais 4 capítulos.
Não gosto e não quero deixar vocês esperando demais e está muuuito difícil atualizar com tanta frequência assim. Vou tentar fazê-los os maiores possíveis para que não fique tãaaao sem graça.
Espero que entendam, eu amo vocês e muito, muuito obrigada por tudo. Sério mesmo ❤

Capítulo 64 - Capítulo Sessenta


 

Narrado por Caroline

Meses depois...

Ainda de olhos fechados, eu podia escutar o barulho que Alice e Liam faziam no outro quarto. O som da risada dos dois, junto com os de móveis sendo arrastados denunciavam que ambos estavam aprontado.

Algo me dizia que era no futuro quarto de Logan e que provavelmente eles queriam me fazer uma - lê-se mais uma- surpresa ao deixar o quarto todo arrumado. E até seria uma bela surpresa se não tivesse sido eu a receber - secretamente - os móveis a dois dias atrás em casa, ou se Liam não tivesse entrado lá de madrugada só para ter o prazer de apreciar o local e eu tivesse dado falta dele ma cama e ido procurar (claro que ele não me viu, mas vai que né..) ou até mesmo se eles não fizessem tanto barulho tentando arrumar tudo antes da "mamãe acordar".

Eles tentavam ao máximo falar o mais baixo que desse, mas era quase que impossível e tudo se tornava um pouquinho mais barulhento com os latidos de Buddy.

Sem fazer qualquer barulho alto demais para não ser escutada, me levantei da cama. Levei minhas mãos até a minha barriga e sorri minimamente ao que senti um chute. Logan era um garotinho forte e ao longo de cada mês de gravidez que se passava ele me mostrava bem isso.

Lembro de quando o pequeno chutou pela primeira vez e Liam faltou chorar de tanta emoção. Ele conversava com ele como sempre fazia antes de irmos dormir e então só aconteceu.. Ele passou a semana inteira sorrindo feito bobo.

- Hey bebê, bom dia! - sorri afagando minha barriga. Ela estava enorme e por pouco eu não me confundia com uma bola ao me olhar no espelho.

Procurei um elástico em cima da pequena mesinha ao lado da cama e com eles prendo meu cabelo, agora muito mais curto que um dia já esteve. A poucos dias atrás eu tinha o cortado pouco mais acima dos ombros e o doado a uma instituição de apoio crianças com câncer.

Apesar da boa porém lenta recuperação de Alice, não podia esquecer de tudo que passamos anteriormente, de toda luta ou noites em claro até tudo se estabilizar. Foi difícil e eu não posso me esquecer disso. Nem de que nesse exato momento pode haver um sorriso a menos de esperança no mundo ou que existe milhares me crianças por ai melhor ou até mesmo pior que Alice já esteve um dia.

Tudo estava saindo tão incrível e perfeito que parecia não ser real.

As obras da floricultura tinha começado a alguns meses atrás e ela estava ficando cada dia mais linda. Eu ia, pelo menos uma vez na semana, com Liam lá para acompanhar cada passo.

Estava tudo lindo. Tudo maravilhoso. Até demais. 

– Bom dia, Marie..– murmurei sorridente, assim que entrei na cozinha.

   Marie se virou pra mim com um sorriso doce nos lábios, me olhando como uma mãe olha para uma filha. E ah, ela tinha se tornado praticamente isso.. Uma mãe.

– Bom dia, meu bem..– se aproximou de mim, deixando um beijo em minha testa. – E bom dia garoto! Dormiram bem?

Sorri.

  – Nah, tive que levantar umas três vezes só para ir ao banheiro e agora está difícil de achar uma posição confortável.. – fiz careta. – Mas na medida do possível..– ri.

– Bem.. Agora que falta apenas três meses, então é normal..– voltou a fazer o que fazia anteriormente. – Mas logo logo acaba.. Vai passar rapidinho..

– Se vai...– suspirei.

   Marie parou mais uma vez o que estava fazendo e me encarou.

– Eu sei o que você está pensando, menina..– resmungou, sentando-se a minha frente.

– Sabe?

– Olha Carol eu já vi muito nessa vida e sei reconhecer um olhar como o seu..– disse. – Você faz eu me lembrar de como era antigamente. Uma garota cheia de sonhos e que precisou crescer antes do necessário. Que foi mãe cedo e teve que se sacrificar tanto, lutar tanto e que agora que está tudo certo, tem medo do que o futuro reserva..– abaixei a cabeça. – E eu sei que você está com medo, mas você não pode querer que dê certo quando se acha que tudo vai dar errado..

– Mas esse é o problema, Marie! Eu se quer tive um dia de calmaria em toda a minha vida. Sempre tive meus limites testados, provas de fogo a serem passadas cada vez em que me levantava de manhã. Eu nunca soube o que era ter ao menos um dia de paz, de tranquilidade sem ter medo do que viria depois porque.. Sempre veio. Sempre. – senti minha garganta fechar. Não posso chorar. Não posso. – O que você quer que eu espere? Está tudo perfeito demais, tudo saindo como planejado, mas eu sei que vai vir ai porque na minha vida tudo é o contrário. Depois da calmaria, a tempestade, é assim que funciona. É impossível não pensar assim..

– Ah querida, eu te entendo bem..– Marie segurou minhas mãos. – Mas não deixe estragar o seu momento, okay? Vocês estão em um momento tão lindo, tão importante na vida de todos, prestes a ter mais um membro na família.. Aproveite! Deixe o depois quando ele se tornar o agora.

– Sim, Marie.. Eu vou tentar– sorri mesmo sem querer. – Eu prometo.

(...)

De: Liam

Para: Carol.

      “Hoje eu acordei sozinho na cama e por um segundo cogitei a ideia de que tudo que aconteceu até hoje foi um sonho. Mas então senti o cheiro do seu perfume nos lençóis e vi que não era.
Pelo menos não mais.
Hoje não te comprei rosas, ou qualquer outro tipo de flor. Hoje não te comprei presentes, nem preparei uma surpresa da qual você passaria horas de boca aberta.

Não. Hoje não.

Por hoje eu só preparei essa carta. Escrita com poucas palavras que não diz nem a metade do que deveria.

Por hoje apenas isso, só porque queria te mostrar a simplicidade que cercara o nosso amor por tanto tempo.
Por hoje apenas eu e minhas palavras. Eu e minha sinceridade. Eu e você, sem complexidade, sem mais nem menos.
Só isso.
Cada dia que passa eu sinto que nossos passos estão se tornando mais sólidos. Eu percebo que não há outro lugar que eu queria estar que não fosse ao seu lado, ao lado e Alice, de Logan.. Da nossa pequena família.
Não há nenhum outro lugar porque vocês são a minha casa.
Vocês são meu lugar no mundo.
Você é.
E eu amo isso. Ou o fato de que eu preciso de você muito mais que você precisa de mim.
Ou até mesmo do fato de que vocês são linhas novas razões de viver. Só vocês, sem nada a mais.

Essa é a nona carta, mas não a última.

Eu te amo Caroline,
Até a próxima.

Com todo o meu coração,
Liam.”


Notas Finais


Pequeno mas é o que temos para hoje.

Dependendo do resultado amanhã tem mais.

Até logo,
Xx Loh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...