História Uma vez babá, babá sempre - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Angélica Vale, Jaime Camil
Personagens Angélica Vale, Jaime Camil, Personagens Originais
Tags Comedia, Família, Romance, Valecamil
Visualizações 15
Palavras 1.334
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Começando com o pé direito


Fanfic / Fanfiction Uma vez babá, babá sempre - Capítulo 1 - Começando com o pé direito

Lá estava eu indo para a casa da senhora Maria, eu estava muito feliz por ter que fazer isso... Trabalhar, conhecer essa criança. Estava uma manhã bonita, um calor gostoso! Ao chegar na casa, observei o tamanho, era de se imaginar as coisas, era uma casa e tanto. Muito bem, toquei a campainha e esperei... Angélica Maria saiu com o Marido, os cumprimentei e entramos, o pai dela já teve que sair.

AM: Já sabe o que fazer, eu não volto cedo.

Day: Sim, e ele?

AM: Também não.

Day: Assim, onde ela tá?

AM: No carrinho!

Day: Ah, posso?

AM: Claro que sim.

Day: Licença!

AM: Toda.

Fui até o carrinho, assim que o virei, Angie estava sentada, ela me olhou e riu, me ajoelhei e peguei na mão dela, ela era tão linda, tão gostosa! Ela ficou rindo, aquela risada gostosa dela era de fazer qualquer um babar...

Day: Meu Deus, ela é tão linda!

AM: Obrigada! (Riu)

Day: Oi bebê... Oi...

- Você é a Angélica Vale?

- Fez jus ao nome!

AM: Jura?

Day: Sim... Sua cara.

AM: Um pouco.

- Eu lamento mas preciso ir agora, ela não quis mamar... Te ligo! (Beijou a Angélica)

Day: Tudo bem!

AM: Qualquer coisa me liga, cuida da minha filha.

Day: Pode deixar.

Assim que a Angélica Maria foi trabalhar, eu peguei a Angie no colo. Dei vários beijos nela, era uma fofa.

Day: Goida!

Angie: Mama...

Day: Quer Mama?

Angie: Mama... Mama...

Day: Tudo bem, vou procurar a cozinha aqui. (Ri)

Coloquei minha bolsa sobre o carrinho e sai andando em busca da cozinha, ao achar, procurei a mamadeira da Vale, eu coloquei a mesma no chão, sentada, ela ficou me olhando e olhando para o chão... Fui fazer o leite dela, após isso a peguei no colo novamente e ela fez bico.

Day: Vai chorar?

- Calma coisinha!

- Paciência...

- Eu posso te levar aonde quiser!

Dei o mama dela, ela mamava segurando meu dedo e me olhando, eu não parava de sorrir, era boazinha. Depois de dar o mama dela e fazer ela arrotar, a levei para fora, me sentei na varanda e fiquei mexendo no celular com ela, com ela por que? Porque ela não tirava o dedo da tela.

Day: O que tá fazendo?

- Você não fala?

- Fala assim, bolo!

Angie: Bu...

Day: Bo...

Angie: Bo...

Day: Lo!

Angie: Lu!

Day: Lo, é lo!

Angie: Lo.

Day: Agora fala, bolo!

Angie: Bulu...

Day: O menina... É bolo!

- Você é engraçada. (Ri)

- Você é muito linda!

- O que tá olhando? São meus olhos?

- Quer jogar? Não!

Guardei o celular e olhei para a rua, ela pegou no meu seio e riu... A olhei e chacoalhei a cabeça.

Angie: Mama!

Day: É meu...

- Gostou?

- Peitão.

- Eu não tenho leite, você tem que mamar na mamãe.

Angie: Mamãe...

Day: Isso!

- Você é uma boneca...

- O que foi?

Ela começou a chorar, fiquei sem entender, ela não parava, eu fiquei sem entender... A chacoalhei e nada, ela estava ficando roxa, quando me levantei, ela parou, sentei e ela continuou chorando, me levantei e ela parou, coloquei a chupeta em sua boca e ela ficou mexendo no meu brinco.

- Aí, um dia você vai ser tão maior.

- Eu vou sentir saudades... Sabe Angie, eu estou ficando velha.

- Espero que sua mãe ou seu pai não me mandem ir embora... Eu não iria aguentar, vamos nos dar bem.

- Um dia irei te levar na praia, sabia que eu sei surfar, patinar, nadar, dançar? Só não cantar, sou péssima nisso.

- Como sua mãe é talentosa, espero que tenha o dom também... Aí você vai me ensinar, o que acha?

- Dada...  (Ela disse)

- Isso meu amor.

- Tá na hora de dormir, você não quer?

- Quer saber, vou te levar em muitos lugares...

Fiquei ninando ela, ela logo dormiu, eu a segurei direito e observei, assim que vi uma amiga, fui até ela... Na calçada, ela estava com o bebê.

Ci: Oi...

Day: Oi... Como estão?

Ci: Bem demais!

Day: E você meu amor, tá bravo? (Dei um beijo no Jaiminho)

Ci: Esta!

Jaime: Tô! (Cruzou os braços)

Day: O que foi?

Jaime: Eu telia um sorvete.

Day: Você queria um sorvete?

Jaime: Aham... Bebê?

Day: É, é Angélica. Da um beijo nela...

Jaime: Bebê! (Beijou a Angélica na testa)

Ci: Ela é linda.

Jaime: Tá dormindo?

Day: Esta, ela cansou.

- Você tá fazendo o que?

Jaime: Bravo!

Day: Vai comprar o sorvete dele, não seja malvada.

Ci: Vou lá, aí... Tchau.

Day: Tchau.

Ci: Linda sua filha.

Day: Ah... Tchau.

Jaime: Tchau!

Eu fui pra dentro, coloquei a Angélica no berço e me sentei na cadeira, fiquei olhando ela dormir... Após horas e horas, ela acordou, eu avisei a mãe dela que íamos pra minha casa e lá fomos nós. Seguimos pra casa, ao chegar eu pedi uma pizza e fiquei aguardando, me deitei no sofá com a Angie sobre mim, ela queria assistir desenho, toda vez que o bicho aparecia na tela, ela gritava... Eu ria muito.

Após um tempo, a pizza chegou, eu paguei o entregador e fui me sentar, peguei um pedaço pra mim e dei alguns pedacinhos para a Angie, ela me mordeu algumas vezes, era doida... Nos entretemos tanto com o desenho que quando olhei, ela estava com os pés dentro da caixa de pizza.

- Uai Angie!

- Que isso?

- Tira o pé daí mocinha... (Afastei ela)

- Não! (Ela disse rindo)

- Vai nessa...

- Folgada!

- Como eu vou comer? Vou fazer o que agora?

Continuamos comendo, ela bebia muito suco, gente do céu... Após um tempo, esperei deitada, cansei de comer, ela em cima da minha barriga como sempre. O desenho animado era chato demais, mas ela gostava... Quando a princesa começou a cantar, ela ficou pulando e batendo palmas.

- Como você pode gostar disso?

- Misericórdia... Minha barriga.

- Eu acabei de comer. (Segurei ela)

- Você vai passar mal!

- Bolu... (Ela disse rindo)

- É bolo!

Uma hora depois, eu estava fazendo doce, ela ficou gatinhando pela cozinha, ela era terrível... Do nada ela deitou no chão e ficou chacoalhando as mãos. Já imaginei que era convulsão.

- O que foi, Angie?

- Mama!

- Você quer mama? (Arregalei os olhos)

- Mama...

- Tem certeza?

- Bicho. (Ela se aproximou de mim)

- Toma! (Dei um pouco de doce a ela)

Ela ficou comendo, me pedia mais,  ao entregar a vasilha de chocolate pra ela, ela fez a festa, entrou dentro, tudo. Se lambuzou toda, eu ria muito... Depois que deixei os doces na geladeira, fiz um vídeo dela ali. Logo tirei a vasilha da cabeça dela e lavei.

Quando disse que ia dar banho nela, ela saiu gatinhando depressa, eu a peguei no colo e beijei, suas mãozinhas me sujaram toda, o rosto então, ela era encantadora.

- Vamos lá?

- Que nojo...

- Me sujou.

A levei para cima, fui para o meu quarto, ela só sabia rir, assim que a coloquei no chão, tirei sua roupa, ela não parava de dançar...

Day: Vamos tomar banho?

Angie: Vamo.

Day: Você fez xixi?

- Fica calma! (Tirei sua fralda)

- Fez... Credo, tá pelada! Tampa...

Angie: Ah! (Riu)

Day: Vem meu amor, ti linda...

A levei para o banheiro, ela ficou me olhando, tudo queria mexer, a segurei até que a banheira enchesse, feito isso, a coloquei na mesma. Ela ficou batendo as mãos na água, enquanto eu tentava dar banho nela.

- Isso é legal, não é?

- Tem seu pato.

- Cara, você vai ser linda no futuro. É uma pena que eu vou estar velha... (Ri)

- Pelo menos você não tem preocupação.

- Diferente de mim!

Depois de dar banho nela, a tirei da banheira porque ela chorava muito. Deixei ela com a toalha, sentada no banco que ela viu! Ela não queria sair então eu tirei minha roupa e entrei na banheira, ela ficou olhando para os lados...

Logo Angie voltou a chorar, mas fazendo graça, não saía lágrimas. Ela jogou a toalha e se aproximou de mim, eu a peguei e coloquei dentro da banheira comigo, ela parou de chorar e riu, abracei ela e passei a mão em suas costas, era um bebê... Precisava de carinho, apenas.

Após o banho, nos vestimos, jantamos e nos deitamos, pensa num trem que mexia, ela ficava me olhando todo o tempo, se as pernas não estivessem na  minha barriga, não estava bom...  Eu abracei ela e ri, ela riu de volta.

- Dorme bebê.

- Vai dormi! (Fechei os olhos dela)

- Feia...

- O que você pensa?

- Vai dormir.

Assim que ela dormiu, eu apaguei. Quando acordei, Angélica Maria apareceu, levou a filha embora, novamente voltei a dormir...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...