História Uma vez eu conheci um dançarino, - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai, Sehun
Tags Dança, Ficlet, Kyunghun, Kyungsoo, Melodia, Sehun, Sesoo, Soohun
Visualizações 47
Palavras 1.350
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me deu vontade de escrever algo pequenino então cá estou eu mais uma vez. Olá, estrelinhas~!

Ontem eu pedi um couple a Bomma e ela me disse sesoo, por isso essa sesoo está nascendo neste momento. Ela é bem bobinha, pelo ponto de vista do Sehun, mas eu gostei bastante do resultado dela e eu espero que vocês gostem também! A música utilizada é Safe and sound, da Taylor Swift; não conta o fato de que a escrevi ouvindo Look what you made me do, porque coerência não existe n.

A capa foi feita pela linda da Bomma, que se não é a princesa mais linda desse reino eu não sei quem é. Meu Deus, obrigada, Bomminha! <3

Ela também é um presente pra Bomma por ela ser tão lindinha e fofa, uma princesa linda dessas. Espero que você goste, bb. <3

Boa leitura~!

Capítulo 1 - Sem perceber que a dança não seria nada sem melodia.


Uma vez eu conheci um dançarino,

Capítulo único - sem perceber que a dança não seria nada sem melodia.

 

Uma vez, eu conheci um dançarino. Ele tinha os movimentos mais limpos que já vi, em giros perfeitos com um sorriso límpido em seu rosto, os olhos fechados demonstrando o quanto ele estava aéreo ao que acontecia ao seu redor que não fosse o palco sob seus pés e os holofotes acima de sua cabeça. Encantei-me de primeira, apaixonado por seus movimentos, por seu sorriso, pela liberdade que representava.

 

Você se lembra, Kyungsoo, de quando fiz da minha maior motivação conseguir ser notado por ele? Nós estávamos na mesma academia de dança, mas ele sempre foi tão difícil de se alcançar. Sempre esteve rodeado das pessoas mais importantes daquele lugar, recebendo propostas irrecusáveis, mas que apenas sorria e dizia que estava bem onde estava no momento. A dança era seu maior prazer e transformá-la em obrigação faria com que destruíssem parte de si.

 

Eu estava cada vez mais encantado por sua presença, pelo que ele representava para mim e determinado a fazê-lo me notar. Ele era uma estrela em ascensão que tinha o mundo em seus pés, enquanto eu era apenas um dos novatos que tentava se fazer reconhecido por ali. Depois de um tempo, o reconhecimento que mais me importava era o dele, embora eu não soubesse se isso um dia aconteceria.

 

Todos os meus movimentos passaram a ser inspirados em sua dança, inconscientemente tomando para mim seu estilo livre e tentando reproduzi-lo do meu jeito. Esperava que, se ele visse o quão parecidos estávamos sendo, pudesse atrair sua atenção, o que deu certo no final. Demorou um certo tempo para que eu conseguisse, mas um dia ele estava me vendo dançar e o sorriso em seus lábios foi o maior prêmio que recebi.

 

Eu me recordo de quando você me disse para manter meus pés no chão enquanto minha cabeça viaja nas nuvens, Kyungsoo, mas eu estava dançando nas estrelas enquanto tinha a atenção de Kim Jongin para mim. Recordo-me de cada um de seus conselhos sobre como não poderia confiar em sorrisos bonitos e nas poucas palavras que trocamos após minha apresentação, mas eu estava extasiado demais para dar atenção a você.

 

Eu deveria, porque você sempre foi o mais sábio entre nós. Eu sempre fui sonhador demais para conseguir entender que nem tudo funciona como nos meus sonhos mais febris.

 

Jongin e eu formamos uma dupla depois de um tempo, quando estávamos mais íntimos e conseguimos convencer nossos instrutores de que juntos dançaríamos melhor. Jongin era o queridinho de muitas outras pessoas além de mim, então não foi difícil que concordassem conosco e passássemos cada vez mais tempo juntos ensaiando nossos passos coreografados. Foi nessa época em que acabamos nos afastando um pouco, Kyungsoo, e eu sinto muito por isso.

 

Eu estava tão feliz por estar ao lado da minha paixão de meses que sequer me importava com o fato de que ele desconhecia qualquer coisa a respeito dos meus sentimentos. Eu estava bem dessa forma, não precisava que ele dissesse que sentia o mesmo ou enfrentar sua rejeição; eu ainda me recordava dos seus conselhos, mas os mantive cada vez mais afastados de minha mente conforme os dias ao lado de Jongin passavam e seu sorriso começava a espelhar o meu.

 

Porém, houve um momento onde a minha música parou, os meus movimentos quebraram e Kim Jongin me deixou.

 

Nós tínhamos uma apresentação importante no dia seguinte, você lembra. Nas poucas vezes em que ainda conversávamos, eu não parei um minuto de falar para que você estivesse na plateia e me visse brilhar ao lado da estrela da companhia. Suas aulas de canto começavam a ficar cada vez mais puxadas, mas você me prometeu que estaria lá. Eu estava tão radiante com a ideia de que poderia atrair atenção e seguir carreira com a dança que não falamos de mais nada além disso naquela dia.

 

Na noite anterior à nossa apresentação, Jongin e eu estávamos dançando juntos, repassando cada um dos passos que já tínhamos decorado, quando me desequilibrei em um dos giros e torci meu tornozelo. A dor física não se comparava ao que eu sentia por dentro porque um tornozelo torcido me impediria de dançar no dia seguinte, me impediria de rodopiar com Jongin e me impediria de vê-lo na plateia porque eu não estaria nos palcos. Eu estava devastado porque um único movimento causou um efeito dominó.

 

Jongin me garantiu que cancelariam nossa apresentação e a faríamos juntos assim que eu melhorasse. Eu acreditei em suas palavras, mas esqueci-me de mandar uma mensagem para você alertando-o de que não precisava mais ir me ver porque eu não me apresentaria àquela noite. Foquei em cuidar do meu tornozelo para que melhorasse o quanto antes e, dessa forma, pudesse voltar aos palcos ao lado de Jongin.

 

Na noite seguinte, você apareceu na minha sala de dança enquanto eu arrumava as minhas coisas - eu precisava ir à companhia mesmo com tornozelo torcido para conversar com meu instrutor, você se recorda - e sua expressão cabisbaixa me indicava que você estava magoado com algo. Eu havia esquecido…

 

“Jongin está no palco”, você disse assim que se sentou ao meu lado. “Com Zhang Yixing. Com a sua coreografia.”

 

O mundo desabou aos meus pés, com todas as promessas que Jongin me fez e a imagem de seu sorriso ao me garantir que estaríamos juntos de repente tornou-se deformada, quebrada como eu me sentia. Eu havia confiado nele e Jongin não hesitou em trair minha confiança; eu não sabia o que poderia tê-lo impulsionado a isso quando estávamos nos dando tão bem, fazendo planos de continuar dançando em companhias de dança muito maiores do que a que estávamos.

 

“Há um olheiro na plateia hoje”, você completou. “Jongin perderia uma grande chance se não dançasse.”

 

“Ele nunca aceitou os convites de outras companhias…”

 

“É a chance da vida dele, disseram”, você deu de ombros. “Não tem problema em ficar magoado, Sehun. Sei o quanto era importante para você, sabe, estar com Jongin…”

 

Meneei a cabeça, tentando entender o que estava acontecendo. “Desculpe por fazê-lo vir aqui, Soo”, murmurei. “Eu deveria tê-lo avisado de que não dançaria.”

 

“Quem cuidaria de você se eu não viesse, garoto?”, você sorriu, cutucando meu ombro. “Eu não dou a mínima pro Jongin e para todas as chances de sua vida, mas eu me preocupo com você, Sehun, sempre me preocupei. Não posso deixar que firam meu garoto.”

 

Sorri com suas palavras; você só era tão aberto a carinhos comigo, já que sempre foi tão reservado com outras pessoas, dispensando contato físico. Apoiei minha cabeça em seu ombro, suspirando. Estava acabado para mim com Kim Jongin porque eu não estava mais envolvido em seus planos para o futuro e eu deveria tirá-los dos meus. Eu deveria ter ouvido você, Kyungsoo, e ter percebido que aquele dançarino não fora feito para mim.

 

Just close your eyes, the sun is going down”, você sussurrou, sua mão brincando com a minha enquanto aproveitávamos do silêncio da sala de dança sendo quebrada apenas por sua voz; o barulho e alvoroço do auditório não nos alcançava ali. “You’ll be alright, no one can hurt you now…”

 

“Eu amo a sua voz”, confessei, com um riso baixo. “Eu queria que você cantasse para mim pra sempre, Soo.”

 

“Se você me der a chance para isso, eu não vou a lugar nenhum.”

 

Foi nesse momento em que percebi que não há dança sem melodia e Kim Jongin e eu apenas reproduzíamos passos de dança iguais, sem nunca estarmos sintonizados na mesma música. Eu mantive em minha mente que teríamos o mesmo fim, mas deveria saber que não havia reciprocidade do rapaz que amava apenas a dança e nada além disso. Com você, Kyungsoo, sempre houve notas musicais ao nosso redor, entre risos baixos e dedos mindinhos entrelaçados.

 

Você sempre foi a minha melodia e a música que eu deveria dançar, me desculpe por perceber isso tão tarde, Kyungsoo. Eu espero que não seja tarde demais para que cante para mim pra sempre.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Podem me encontrar aí nos comentários, no twitter que é o @iambyuntiful (que, caso não saibam, é também minha conta principal aqui no Spirit) e aceito recadinhos no https://iambyuntiful.sarahah.com/ <3

Até a próxima~! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...