História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 29


Escrita por: ~ e ~Leex2ndre

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Exibições 11
Palavras 3.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OLÁ GENTE AQUI É O LEEX-SENMÃE (Brincadeira minha mãe ta viva e saudavel, so com um pouco queimada de sol xp)
Mayu deixou depois de muito tempo eu ser o coautor dela para corrigir os bugs que ela deixa pelos capitulos, que cai enre nós são muitos. Então eu queria deixar 2 recados:
1º Ela esta sem net, então ela me manda os esboços por mensagem e eu apenas tornou o entendimento melhor, sendo assim não e por que ela não posta que eu sou o chefe.
2º Vou refazer os primeiros caps aos poucos então quando eu ter refeito irei avisa para vocês passarem neles e verem o que mudou ou melhorou ; )


Bom boa leitura e kissus de atum ´3´

Capítulo 29 - Luna Lilith


Luna Pov:

Acabei despertando com a cabeça dolorida, por engraçado que pareça estávamos nós quatro deitados no chão ,fazendo um circulo, tudo esta quase tudo concertado, apenas algumas das marcas da luta do loiro com o Orfeu... Me levantei sentindo a cabeça doer, é lembrei que em algum momente durante a luta deles eu vi tudo sendo sugado por um buraco negro, ignorei esses pensamentos e fui em direção ao Orfeu para ver se ele estava bem, não duvido que alguma pessoa tenha perdido uma parte do corpo ou sofrido hematomas. 

- Orfeu, você tá bem? - falei pensando que ele iria acordar mas nada aconteceu

Então percebi que sangue escorria do canto da boca dele, será que ele sofreu alguma ferida interna? Levantei sua camisa como impulso apenas para ver se ele se feriu mas acabei corando sem querer por ver seu físico, era um perfeito tanquinho, sacudi a cabeça ignorando esses pensamentos e abaixei sua camisa novamente, então engatinhei até onde o loiro estava deitado, ele aparentava estar super bem nem um fio de seu cabelo estava desarrumado, o mesmo estava apenas dormindo, eu realmente fui a primeira a acordar? 

- Lu-Luna? - Ele então abriu os olhos quando eu toquei em seu braço pra medir o pulso e então me assustei me afastando, eu nem ao mínimo conheço esse estranho! 

- Acalme-se, eu não vou fazer nenhum mal -apenas levantando o tronco deixando suas pernas deitadas.

- Como posso me garantir? - falei me distanciando, e percebi que ele me olhou nos olhos. 

- Por favor, confie em mim - implorou quase lagrimejando e percebi que em seus olhos estavam a sinceridade e verdade, então cedi. 

- O-okay, você sabe o que aconteceu? - Falei pensativa mas nã lembrava de nada depois do grande buraco negro.

- Não tenho ideia - falou e estendi a mão pra ele levantar, o que o mesmo aceitou e então ouvi Orfeu gemer um pouco de dor e se levantar, mas a seguir ele olhou pra gente e ficou com uma cara nada boa. 

- ORFEU, VOCÊ TÁ BEM?! - corri em sua direção, deixando o Loiro ali.

- Eu estou bem sim pequena, agora pode me soltar? - falou totalmente sério mas fingi que ele tinha falado em um tom normal, e fiquei um pouco irritada pelo "pequena"

- EU NÃO SOU TÃO PEQUENA ASSIM! -

- Será? - falou rindo um pouco, e isso me animou, parece que um momento entre a gente deletava tudo e todos em volta. 

- Sim, eu não sou tão pequena assim! - Fazendo bico.

- É, só tem nanismo mesmo. - falou e eu me revoltei dando pequenos tapas nele que com certeza não surtiam efeito.
Isso o fez fazendo rir, então com raiva o empurrei fazendo ele cair junta a mim e a seguir montei em seu abdômen, e e peguei na gola da sua camisa suspendendo sua cabeça no ar e o encarando, estávamos até muito próximos. 

- E agora quem é a anã aqui em?! - me aproximei mais, e ele sorriu. 

- Não acha que estamos perto demais senhorita Luna? - corei com esse comentário, então ele se aproximou mais, e eu acabei caindo na lábia dele até que Loiro nos interrompeu:

- Escuta aqui, não porque eu tenho fogo que eu seja vela ta bom?! - Falou me fazendo rir 

Então percebi que a Rin tinha acordado e estava ao lado dele observando tudo com um olhar nada aprovador. 

- Luna luna, que desagradável... - falou e então sai rapidamente da posição constrangedora que eu estava com Orfeu e o mesmo se levantou a seguir, apenas fiquei sem jeito mas então ouvi a voz da Mei atrás de mim. 

- EEEEEEIIIII! GENTEEEEE! ESSES DOIS AQUI ERAM OS PRISIONEIROS? - gritou de longe arrastando Safhy e outro garoto que estavam amarrados em uma corda dourada, a cara deles era de puro medo e ela simplesmente sorria totalmente alegre. 

- Ahn, Mei, se divertiu? - falou Orfeu sorrindo e a mesma fez um sinal de jóia com a mão, e a seguir arrastou a corda em com os dois presos. 

- O eu eu faço com eles Feu-chan? - disse fazendo Orfeu franzir a testa. 

- Feu? -

- Novo apelido - 

- Ahn... apenas os desamarre, não são pessoas ruins - Mei apenas fez a corda sumir e Safhy e o outro garoto indo pra trás de mim

- Gente, não foi tão ruim assim foi Akira? - Mei questionou para o garoto cujo nome era Akira. Então o mesmo e Safhy fizeram não com a cabeça, Mei sorriu e Orfeu me puxou para um abraço  me surpreendendo e me fazendo corar. 

- Mas gente que intimidade é essa? Eu perdi o que? - Falou o loiro.

- Nada, amigos são próximos certo Mei? - Orfeu falou e Mei apenas fez um uhum e notei um guarda ao longe correndo em direção a gente totalmente desesperado. 

- Ahn... gente... o que é aquele guarda correndo em nossa direção? - Falou Mei.

- Um dos guardas do portão da base, o que ele faz aqui... - Orfeu se perguntou e enquanto o guarda chegava perto da gente respirando com

dificuldade. 

- Me-mestre O-Or-Orfeu, u-um a-anjo penetrou a muralha, ma-mas está sendo seguido por espectros, e está totalmente fraca, a mestra Yumi te chama para ajudar ela pois a horda é muito grande! - falou e então ele sorriu com isso, e foi andando mas peguei na sua mão antes que fosse embora. 

- E-e-eu posso ir com você Orfeu? - falei timida.

- Claro pequena - sorriu e fui andando ao lado dele, mas Safhy nos interrompeu.

- E a gente fica? - Falou curiosa.

- Vocês podem ficar comigo - Falou Mei.

- Como posso confiar em vocês? Ainda estou com a pulga atrás da orelha! - falou em nossa frente e então fiquei calada, até que pensei em algo. 

- Você pode confiar neles sim Safhy, mesmo não tendo memorias eu confio - falei antes que Orfeu tomasse iniciativa.

- Hum... - Falou pensativa, então reparei no grupo o Loiro estava com Akira conversando baixo e ao lados deles Rin encarava Orfeu que devolvia o olhar frio. 

- Certo, apenas tome cuidado Luna, você sem poder se defender não é a mesma coisa - Rin falou e eu apenas fiquei calada com uma cara totalmente fechada, eu odeio ser protegida, então peguei na mão do Orfeu andando em frente. 

- Luna... você sabe onde é a muralha? - Orfeu me perguntou e eu apenas apressei o passo. 

- Se você se refere a um muro extremamente grande com um enorme nuvem negra encima, então sim eu sei onde é - Falei olha a cena que estava logo na nossa frente. 

- Certo certo... - enquanto ele falava tive uma forte dor de cabeça, caindo ajoelhada no chão , e Orfeu me olhou assustada.

- Luna, você tá bem!? -

- E-e-e-eu to ó-óti-ótima. - tentei disfarçar a dor e me levantei cambaleando mas cai no chão de novo, porém Orfeu me segurou antes que eu pudesse cair no chão. 

- Você realmente tá bem? 

- Si-sim... - Orfeu apenas me observou e ficou um pouco surpreso. 

- O selo... 

- O que tem ele? 

- Se rompeu... - falou me deixando muito surpresa, ele recuo um passo, parecia pensar um pouco e falava sozinho, bem baixo por sinal, apenas me aproximei pra tentar ouvir pelo menos um pouco. 

- Se o selo se rompeu existe algo que impede que seus poderes sejam selados, e isso pode ser uma invocação ou algo do gênero, mas o que seria...?  -

- Orfeu, você tá bem? - Perguntei.

- Ahn... eu? - estranhei, ele parecia falar com outra pessoa enquanto ficava murmurando coisas. 

- Sim -

- Estou, vamos agora? - Ele mudou o assunto voltando a andar. 

- Sim sim... - apenas comecei a andar calmamente ao seu lado, ele parecia estranho em relação a algo, mas ignorei isso e começamos a andar em direção a muralha. 

Lilith Pov:

Eu estava no meu quarto deitada na cama de barriga pra baixo e as pernas pra cima, balançava de forma repetitiva e constante numa atitude entediante e pensativa... Fazia alguns dias que eu não fazia uma visitinha até a casa da minha nova amiga. 

- Mas que saco... A Luna deve ter ficado brava comigo... Não posso sair de casa... Meu tio anda por ai mais ocupado que a minha tia Nastya...

Tio Mah andava muito ocupado uktimamente, ele estava caçando uma infestação dos Voids, criaturas corrompidas pela morte e cujas almas perambulam procurando corpos, eles tem apareci com muita fequencia ultimamente.

- Já sei, vou experimenta meus presentes de aniversário na área de treinamento do tio mah hehehe - Enquanto levanta lembrei do dia em que ganhei, foi um dia dopois do meu niver mas não sei de quem...

Flash Back On:

Estava no meu quarto jogando video game quando a campainha tocou. Quando fui atender reparei pelo olho de vidro que tinha uma garota platinada do lado de fora, vestindo o uniforme dos correios. Logo que abri a porta ela disse:

- Lilith?! - Falou.

- S-sim... - Respondi sem entender nada.

-Prazer Leex, sou seu carteiro hoje - Falo me estendendo a mão, eu o comprimentei com um aperto "Nessa Trap eu me jogava" falei mentalmente e ele então prosseguiu.

- Estes algumas coisas para você... - Falou remexendo a bolsa - Um anel e armadura... - me  pedindo pra segurar, então peguei e coloquei a armadura no movél ao meu lado, mas coloquei o anel.

- Meu favorito, Poção de Puro Desejo do Herdeira da Luxiria, vocês usa como um perfume e... - Ele sessou e corou com um sorriso na cara

- Bons momentos - Falou com um sorriso malicio me entregando eu apenas coloquei no movel.

- Ham... deixa eu ver, onde esta onde esta... - Falou revirando a bolsa então me assustei ao ver ele enfiando o braço inteiro lá dentro, aquilo não tem fundo? - Achei...  Uma colar de cristais encantada - Me deu ainda espantada.

- Proximo... Como você é escorpião me pediram pra avisar que esse colar foi feito com muito amor - Falou fazendo drama e me estendo um colar que continha um enfeite de escorpião de rubi e era feito em prata.

- Esse é muito valioso, me pediram para avisar que use isso no momento certo e na hora certa, ou até mesmo quando achar necessário, pois você ainda vai passar por muita coisa Lilith - Ele falou pegando no meu pulso e colocando coisa que tinha o formato de uma esfera.

 - E mais uma coisa, pense bem antes de usar isso, pois tem efeitos colaterais - Não estava entendendo nada.

- Agora uma das melhores parte KYAAAAAAAH - Falou dando um gritinho bem "hetero" 

Então foi tirando de dentro da bolsa uma espada azul que puta que pariu era linda, fez até eu me sentir empolgada. Ela emitia uma aura congelante inigualável, sua lâmina era feita de um material azul escuro e o meio da espada continha um tipo de neon azul claro que quando toquei congelou meu dedo na hora.

- Ai! -

- Cuidado ela disse que essa porra é tipo super congelante - Falou dando risos e então jogou a espada.

Eu apavorada em um instante peguei ela me curvando, então com isso do lada ele bateu na minha cara com um papel que explodiu em brilho em brilhos dourados enquanto eu ficava curvando pra trás.

-Desculpa mas só isso tirava o selo - Falou enquando eu esfregava o nariz que doia, então do nada senti meu poder aumentar em uma quantidade absurda, me espantei com aquilo logico.

- Agora a melhor parte mesmo... - Falou pegando uma gaiola que estava tampada com um pano, ele então abriu a portinha e eu coloquei minha cara na entrada para ver.

Do nada um coisa se jogou na minha cara, fazendo cair no chão ainda com espada na mão. Assim que abri meus olhos eles brilharam eu conhecia muito aquela criaturinha que parecia a Silkie de Jovens Titans.

- GENTE ISSO AQUI É UMA BEBÊ SILKIE! MEU DEUS QUE FOFO! -  Larguei a espada no chão, e peguei rapidamente da minha cara vendo aquele pequeno bichinho acariciando ela acariciando.

- Qual nome dele? - Falei curiosa.

- Você colocou de Azi Dahaka - 

- Como assim eu? - falei curiosa eu nem conhecia aquela garota.

- Não lhe interassa apenas assine aqui - Falou me dando um planceta e uma caneta, eu assinei na hora.

- Bom, parabéns atraso e kissus de atum - Falou pegando a planceta e saindo pelo corredor. Me deixando uma puta poker face na cara, mas ignorei e dei atenção ao meu Silkie...

Flash Back Off

Depois de pegar todas as coisas que havia ganhado e claro, meu BEBEZINHO FOFO AZI VEIO JUNTO COMIGO. Abri a porta do quarto, caminhando até o andar de baixo e fui em direção à porta que levava para a dimensão fantasma, que era onde ele treinava. Ao chegar lá notei que a porta estava trancada por uma maldita codificação eletrônica... 

- A meu fala sério... Pra que dessa merda... –

...

 Fiquei uns 15minutos tentando todas a combinações que pensei possíveis dele usar... Frustada depois de muito tentar apenas desisti voltando pro meu quarto indignada com a falha. Azi Dahaka estava grunhindo, parecia com fome. 

-Ta com fome meu amor? – falei indo pra cozinha. 

Chegando lá comecei a preparar as coisas e Azi foi pra cima do balcão ficar observando minhas incríveis habilidades culinárias. ao terminar aquilo que não levou nem 2min lhe estendi sua efeição.

- Pronto meu bebezinho lindo, um perfeito e incrível PÃO COM OVO UHUUUU!!! – falei ultramente feliz e Azi grunhiu alegremente dando leves pulinhos com o rostinho fazendo um sorriso. 

– Quem é o bebezinho mais lindinho da mamãe, quem é quem é!? – ele ficou de barriga pra cima dando uma reboladinha enquanto fazia cosquinhas na sua barriguinha.

– Toma meu bebe, esse é pra você – Na mesma hora ele esticou sua lingua como uma lagartixa pega as moscas e devorou o pão de imediato dando um arroto no fim. 

Fiquei na sala depois do lanche jogando Overwatch junto de Azi, aquela larvinha safada jogava bem... de repente ouço uma grande batida na porta de casa e vejo que era o tio mah completamente sujo de sangue e gosma esverdeada. Ele parecia muito irado com algo, então sai da partida e dei atenção a ele.

- Tio Mah, o que foi que houve com o senhor? - perguntei preocupada. 

- Outra maldita criatura hibrida oras - Falou me assustando, não gosto dele assim - Ela queria comer pessoas para dar a seus filhotes... Ela me devorou e eu tive que abrir suas entranhas para retirar as pessoas de lá de dentro – Falou andando para seu quarto.

- Você pelo menos salvou aquelas pessoas né tio mah - Então ele andou em silêncio até seu quarto e pude notar a tensão que estava nele...

- Tio, não foi sua culpa... -

- AQUELA MALDITA ERA MINHA ANTIGA PROFESSORA! – falou irritado.

- EU MATEI A MINHA PROFESSORA! Essas malditas só vêm ao nosso mundo para foder com tudo... - Disse indignado.

- E agora sua avó só sabe dizer que é meu dever salvar a todos, que tenho que fazer isso, tenho que fazer aquilo... AGORA O MALDITO TA LA NA PUTA QUE PARIU DE ELYSIUM E AINDA NÃO DESCOBRI COMO ENTRA NELA! – entrou no quarto e bateu a porta com força na minha cara, Azi grunhiu irritado pra ele, mas eu o peguei da minha cabeça e segurei em minhas mãos. 

- Relaxe bebe, ele precisou fazer algo que não queria - Falei é o mesmo se enrolou na minha mão com uma carinha fofa, Ai meu kokoro SOCORRO!!!

...

Eu ja estava gorfando no sofá e Azi capotado na minha cara, estava maravilhoso dormir ali mas o tio mah nos acordou colocando a televisão em um canal de reportagem. Enquando despertava com a cara suja de saliva prestei mas atenão no TV, passava algo sobre um parque que estava destruído e comentavam que aquilo não foi acidental. 

- Eu conheço esse parque... é aquele parque onde você me levava pra brincar no balanço! – falei impressionada. 

- Eu não me lembro de ter sentido nada nesse lugar... Esta a fim de fazer um passeio especial minha fofinha? – falou já pegando seu sobretudo e sua espada. 

- Com certeza! – respondi pulando do sofá e indo pegar minhas coisas no quarto. 
Assim que saimos de casa fomos andando traquilhamente durante o caminho, atée que era pertinho. Chegando perto do parque, era visivel ver vários investigadores e reportes perto querendo saber do misterioso ataque aconteceu.

Meu tio me pediu para que eu desse uma leve refrescada no ar e eu entendi o que queria dizer, fiz uma nevoa bastante densa, o suficiente para passarmos despercebidos. Azi aninhado na minha cabeça começou a farejar algo e grunhiu descendo com um pulo e foi andando como um cão farejador.

Quando chegamos perto dos guardas, tudo ficou ainda mais tenso. Mah fez sinais com as mãos para que neutralizássemos e assim que parti para o ataque ele já havia acabo com todos.

- Você é muito lerda fofinha – disse dando uma alongada no braço DB e dando um lindo sorriso para mim. 

- Você não precisava estragar a brincadeira usando o tempo a seu favor – falei cruzando os braços bufando. Então Azi grunhiu pedindo para seguirmos ele e por fim acabamos achando umas fiosinhos perto do penhasco e uns pedaços de roupas. 

- Amarim... Eu conheço essas malditas cordinhas – olhei curiosa para aquelas coisinhas dourada enquanto meu tio pegava os fiapos de roupas - Olhe, parecem as roupas de sua amiga. 

- AI MEUS DEUSES, ELA DEVE TER CAIDO NO PENHASCO!!! – ele olhou pra mim com uma cara bem ironica.

- AZI, CHEIRA ISSO AQUI BEBE! - lhe estendi os pedaços da roupa ele de inicio cheirou mas logo em seguida comeu a roupa... – NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOO SUA COISINHA BESTAAAAA!!!! –falei indignada e ele grunhiu pra mim triste com a bronca que tomou. 

- Você e seu bichinho são duas coisas doidas mesmo -

- O que você quer dizer – olhando séria para ele, mas o mesmo apenas chegou próximo do penhasco alterado pelo barranco sofrido por pela Luna. 

- Onde esta minha mãe chata, pra me dizer o que devo fazer – disse olhando para aquele enorme precipício onde bem ao fundo havia uma cachoeira – Eu nunca entendi porque esses idiotas fizeram essas corredeiras d’aguas. 

- Para o ambiente ficar mais refrescante -

- Duvido muito -

De repente ele olhou para o lado e pude notar aquela mulher misteriosa surgindo do nada novamente para falar algo bem baixo com ele. Corzelis... o que ela tem de tão especial que faz meu tio ficar tão tranquilizado assim, ela só é uma mulher que aparece e desaparece a hora que quiser. Eu não me sinto confortável perto dela. 

- Ok minha querida, podemos tentar isso sim – falou para ela e assim, Corzelis acenou para mim se despedindo virando um monte de poeira cósmica que o vento soprava – Ela disse que Luna e uma outra garota lutaram aqui. Essa garota é responsável pelos amarins, talvez o único caminho seja o mesmo que os dela. 

- Vo-você tá me dizendo que quer pular no buracão ai? – falei pegando Azi no colo. 

-Você confia em mim? – falou virando de frente para mim e caindo no precipício de costas para ele e esticando o braço para mim como um convite. 

- SEU IDIOTA NÃÃÃÃOOOO – corri em sua direção e consegui segurar sua mão então ele pexou fazendo nós cairmós. Ele me abraçou forte e apenas disse que nada aconteceria a nós três. 

Caíamos demoradamente naquele eterno breu que consumia tudo. Foi então que comecei a olhar pra cima, pra baixo, não sabia mais o que eram os lados, apenas caia. De repente um brilho começou a surgir e clarear aquela escuridão em nossa volta. Bem perto de uma fenda, meu tio virou o corpo para cima e apenas disse para me segurar forte e assim que entramos ele abriu suas grandiosas asas e começamos a planar por aquele local lindo, parecia que estávamos no paraíso.

- Que lugar mais lindo! – falei de boca aberta e admirando a paisagem que me era proporcionada pelo planar do Mah. 

- Eu não acredito que você estava aqui o tempo todo e não pude ver – falou olhando para frente e chegando perto da queda da gigantesca cachoeira. 

- Ufa, achei que não teria mais fim esse buraco –

Assim que chegamos no solo Azi desceu do meu colo vomitando coisas nojentas na grama, e logo em seguida as comeu novamente - Credo seu nojentinho – ele grunhiu feliz indo tomar a agua do lago presente ali – E agora tio, por onde comecemos?

Ele então olhou para uma direção me fazendo seguir seus olhos, então notei uma enorme muralha com um nevoa negra na mesma, parecia que estava havendo um incendio ali. Ele então fez ambas as asas desaparecerem e disse:

- Vamos até lá!... Se estiver tendo um incendio deve ter dedo da sua amiga no meio - Falou com um olhar frio e começou a andar.

Eu então chamei Azi para perto o pegando no colo e o mesmo subiu e já se aninhando na minha cabeça começou a roncar. Parecia que a caminhada iria realmente demorar...
 


Notas Finais


Até a proxima seus gostosos! ( ͡° ͜ʖ ͡°)
Perdoem meus erros de português


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...