História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Chunchii

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Visualizações 86
Palavras 1.039
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLHA A BICHA MARAVILHOSAS DE VOCÊS AQUI!!! Eu deixei de ser vagabunda é voltei a editar os capítulos, sim depois de quase dois meses, que devia ter terminado no ano passado ¬¬
Mas isso não vem ao caso, aqui está o especial de dia das crianças que Mayu fez para mostrar o passado da Luna, eu acho que isso não é um Infeliz Dia das Crianças porque... Porra...

Boa Leitura! ^^
- Leex

Capítulo 5 - O Dia em Que Tudo Mudou - Filler


Era um dia qualquer de verão, naquela igreja beira-mar, duas crianças brincavam no prédio abandonado próximo a floresta. A casa de ambos era uma mansão mas, como viviam cercados pelos empregados, era muito difícil ficarem tranquilos com todos aqueles adultos encima de dois.

A garota, radiante e sorridente, e o garoto, calmo e reservado, ambos com oito anos, aprenderam como é a realidade muito cedo.

- Luna cuidado! Pode ser perigoso! - Falava o menino ao ver a irmã subindo nas tabuas que faziam o chão do segundo andar.
Sua irmã apenas deu leves risos, sem dar ouvidos ao irmão. Ele subia a mesma pilha de escombros tentando alcança-la.

- LUNA, É PERIGOSO - Repetiu mas no mesmo momento Luna se desequilibrou.No momento em que ia cair seu irmão, se jogou sobre a tabua e agarrou a mão dela.

- Você é pesada... - Falou a puxando, com lagrimas de medo, pra cima.

Ele a puxou para a parte feita do piso, logo ao lado, com ela sobre ele.

- Desculpa... - Falava, rindo para ele, voltando ao seu estado normal.

- Beleza agora sai de cima - Falou a emburrando.

- Ai! - Falou sentando no chão com o mesmo - ... Você ta bem? -

- Claro, mas você que ia quebrar um perna - Falou dando um pequeno tapa na cabeça da mesma.

- Ai! Cadê o amor? - Falou esfregando o lugar do tapa.

- Nem foi forte tá? -

- AINDA SIM DÓI! - Falava enquanto levantaram.

No momento em que ele revirou os olhos, pode se ouvir o barulho estranho

- O que foi isso? - Perguntou Luna olhando para os lados.

- Não sei... - 

De repente outro som pode ser ouvido, parte do teto estava desabando, apenas uma tabua caia em meio a poeira. De repente, em uma fração de segundos, o irmão a empurrou deixando a madeira acerta somente ele.

- TAKEO! - Gritou desesperada levantando correndo.

Ele não caiu no chão mas ficou tonto, no momento em que foi andar na direção a irmã, cambaleando para os lados mas Luna o segurou.

- Vamos pra casa, mas vamos pelo rio limpar o sangue... - Falava apavorada.

- Não é necessário -

 

...

 

Andando a passos lentos Luna quase teve que o carregar, pois o mesmo ainda estava tonto, ao chegarem no pequeno rio ela o ajoelhou e amarrou o vestido para entra na água. Na beira limparam o machucado,Takeo não sentia mas nada mas sua irmã insistir em ver o machucado.

- Ué? Não tem nada aqui - Falava vasculhando os fios brancos do irmão a procura de qualquer coisa.

- Eu tô bem! Já disse! - Falou levantando mas cambaleou um pouco.

- Bem é meu cu! Vamos! - Falou colocando o braço do mesmo em seu ombro esquerdo novamente.

O rio era próximo a casa então não levou menos de quatro minutos para chegarem. A mansão no meio da floresta.

Ao chegarem Luna viu que irmão estava fraco, tentou o animar mas recebeu um vácuo em resposta, após o sacudir levantou sua cabeça vendo que ele desmaiou. Ficou soando frio, correu até o entrada arrastado os pés dele na grama, bateu na grande porta assim que uma empregada a abriu ficou espantada com ao ver os dois.

Pegando-o nos braços ela o levou para dentro. Luna a este ponto já estava chorando de novo correu para o seu quarto e desabou na cama. Berrando e chorando, ninguém a ouvia pois o som era abafado pelo travesseiro, não demorou muito para pegar no sono.

 

...

 

Durante a noite, após o entardecer, a porta do quarto foi aberta revelando Takeo, que mesmo parecendo tonto, estava bem melhor. Ficou surpreso ao ver a irmã dormindo em sua cama, notou seu estado deplorável e criou uma pequena linha de pensamento que sua irmã chorou preocupada consigo, então sorriu se sentando do lado da mesma, acariciou sua cabeça de leve pra não acordar a mesma.

- Linda como um cãozinho fazendo cocô... - Falou rindo igual um retardado, parecia sua irmã - Deus pode haver alguém mais bobo que ela? Luna... eu não quero te ver machucada e magoada com algo então por favor, pare de chorar por coisas bestas... - Falou deixando as risadas de lado. Deitou-se ao lado dela e a abraçou, dormindo em meios as seus pensamentos. 

Ainda no dia seguinte porém logo na madrugada um som ecoou na mansão inteira, os dois despertaram juntos em meio ao caos que causando pelo incêndio repentino. Sentirem o cheiro da fumaça e o barulho de fogo, aquilo causou a explosão mas ambos apenas acordaram com o som.

- Que que taconteceno? - Comentou desesperada.

- Um incêndio óbvio - Falou irônico devido a preocupação.

- VAMOS SAIR DAQUI! - Gritou puxando o irmão e abrindo a porta, o fogo estava muito próximo então recuou para trás - E agora? - Falou espantada.

Seu irmão ficou parado pensando enquanto ela apertava a cabeça tentando acorda, ele então correu até o armário e pegou cobertores bem grossos dali de dentro. 

- O que vai fazer? - Falou ainda em meio ao pânico. Ele jogou os lençóis por cima dela a enrolando, seu olhar parecia calmo mas triste.

- Corra igual um retardada e chame ajuda! - Falou dando um beijo em sua testa, ela apenas estava paralisada sem entender nada até o momento do beijo.

- Mas e você? - Falou o abraçando fortemente.

- Eu me viro - tossindo devido a fumaça ele sorriu. A empurrou para fora, ela quase tropeçou mas ao se recuperar rapidamente, começou a correr - VÁ AO ORFANATO LÁ EU DE ENCONTRO - suando por conta do calor e tossindo muito por causa da fumaça, a saída estava bloqueada. 

Então ao achar uma janela, não teve escolha é pulou, a mesma ficava de frente a um pequeno lago do lado da mansão. Caindo no lago ela se livrou dos cobertores queimados e subiu a superfície olhando tudo caindo.

Sem perder tempo ela correu para longe, ao se distanciar o suficiente da mansão ouviu mesmo que de longe uma explosão, olhou para trás chorando ela continuou seguindo para o orfanato. Mesmo não tendo esperanças de rever seu irmão.


Notas Finais


Qualquer erro de português é meramente proposital.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...