História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Leex2ndre

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Exibições 38
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


AQUI ENCONTRAREMOS UM POUQUINHO SOBRE O PASSADO DA LUNA (e revelações ocultas) COMO ESPECIAL BEM ATRASADO DE DIA DAS CRIANÇAS (porque sim.) E EU NÃO SEI PQ EU TO COMENTANDO COM CAPS MAS ISSO AQUI TA MUITO ESCROTO, ta bom parei... aproveitem o grande especialzin legalzin, até as notas finais

Capítulo 5 - Um pouquinho sobre o passado da Luna (especial DdCrianças)


Narrador Pov

Em um certo dia, duas crianças brincavam em uma casa abandonada que havia em uma floresta cujo consideravam perto. Pois aquilo era o único lugar legal e perto o bastante da mansão que havia ali perto, a garota em específico era radiante e sorridente, sempre sorrindo a qualquer coisa. E o garoto era sempre calmo e temia que sua irmã se machucasse com alguma coisa, ambos continham oito anos e aprenderam como é a realidade muito cedo, mas isso não era o suficiente para largarem de ficar rindo ou desejarem a felicidade de todos, pois todas as pessoas não são iguais, existem exceções. Mas sempre quando você se abria completamente para essa pessoa ela revelaria quem realmente é de corpo e alma.

- Ei Luna cuidado subindo ai em cima, pode ser perigoso! - falou o garoto autoritário mas ela não deu ouvidos e subiu ali em cima rindo como se fosse a melhor coisa do mundo, sorrindo pro mesmo e se gabando ao ficar em pé na tábua que estava suspensa no ar. - Eu já falei pra descer dai Luna, É PERIGOSO. - Avisou novamente mas de nada adiantou, então Luna se desequilibrou dali de cima e caiu. Porém seu irmão teve o tempo suficiente de correr e pegar ela antes de cair no chão, mas acabou deitando no mesmo por causa da gravidade e seu trabalho. - Você é pesada...

- Desculpa...

- Tudo bem mas que isso não se repita, sabe como o pai e a mãe são rancorosos em relação de você voltar toda ralada ou machucada.

- Sim eu sei. - comentou rindo - Mas eu quero pelo menos aproveitar enquanto posso por hoje. - terminou assoprando a pequena franja.

- Agora pode sair de cima de mim por favor ?

- Ahn... DESCULPA EU NÃO PERCEBI! - gritou saindo de cima do mesmo preocupada. - VOCÊ TA BEM ? NÃO QUEBROU NADA NÉ ?

- Eu to bem idiota. - falou dando um pequeno tapa na cabeça da mesma.

- Aiii, Takeo isso dói...

- Mesmo assim eu não dei um tapa com força o suficiente pra você girar em circulos exagerada.

- MESMO ASSIM ISSO DOI! - birrou acariciando a cabeça, até que ouviram um barulho estranho como se uma madeira estivesse se quebrando. - O que foi isso ?

- Não sei...

Até que uma madeira que fazia parte do teto da cabana em que estavam cedeu a sua pequena rachadura e iria cair em cima dos dois, mas Takeo apenas a empurrou e acabou levando uma madeirada na cabeça.

- TAKE VOCÊ TA BEM ? - gritou desesperada correndo em direção ao irmão cujo cabeça sangrava.

- Eu to sim Luna, só estou um pouco... tonto... - levantou cambaleando para os lados mas Luna o ajudou servindo de apoio.

- Melhor a gente voltar pra casa, mas primeiro vamos no rio aqui perto para limpar esse sangramento...

- Não é necessário.

- Mas eu insisto, não quero te perder aqui por causa de uma madeira e um sangramento na cabeça.

- Certo certo...

Então começaram a andar lentamente, com Luna o ajudando pois ele ameaçava cair, e ao chegarem no pequeno rio a mesma ajoelhou junto com o mesmo na beira para limparem e tratarem o machucado em sua cabeça.

- Aqui, pode arder mas passa. - comentou jogando o pouco de água em sua mão na cabeça do mesmo e então limpando o sangue no local, e repetindo a ação até não ter rastro de sangue nenhum.

- Você sabe que pode sangrar mais não é ?

- Pelo que eu to vendo por algum motivo a ferida já se fechou, se sente mal, irmão ?

- Eu ainda estou um pouco tonto, mas consigo andar normalmente agora - comentou se levantando.

- Nananinanão, eu vou te ajudar a caminhar pois vai que você ta mentindo e cai no meio do caminho morrendo de traumatismo craniano.

- Você nem ao mínimo sabe como isso ocorre Luna.

- MEEEESMO ASSIM! - comentou nervosa ameaçando o socar.

- Certo certo. - riu sem graça fazendo um sinal de rendição.

- Agora vamos. - Luna envolveu o braço do irmão em seu pescoço e foram andando em direção a mansão que nasceram e foram criados

- Quebra de tempo: Oito minutos depois. -

- Chegamos. - comentou Luna ao irmão que aparentava fraco por causa da tontura. - Take você ta bem ? - em troca recebeu um grande vácuo, então Luna levantou sua cabeça e viu que o mesmo desmaiou. Ficou soando frio e então ficou andando com dificuldade pelo irmão ter desmaiado até a porta da grande mansão, então bateu com a mão livre desesperadamente na mesma. - ALGUÉM POR FAVOR ABRE A PORTAAAA! - gritou até que uma das empregadas abriu e ficou espantada ao ver o estado de Takeo.

- Luna... o que aconteceu ?

- Eu não sei ele tava bem até um momento atrás. - comentou ameaçando chorar e então a empregada o pegou nos braços.

- Luna vá para seu quarto ou fique na sala, iremos tratar o seu irmão e descobrir o que ele tem...

- Tudo bem, mas por favor não deixem ele morrer... - Luna a este ponto já estava chorando mas tentava não deixar sua voz alterada, então correu para o seu quarto que compartilhava com Takeo e desabou na cama do mesmo ao abrir a porta já que era mais perto e começou a berrar e chorar no travesseiro, mas ninguém ouvia pois o som era abafado pelo mesmo. Então ficou cansada de derramar lágrimas e chorar e acabou adormecendo na cama do irmão...

-Quebra de tempo: 20 minutos depois-

A porta do quarto dos dois foi aberta revelando Takeo cujo ainda estava um pouco tonto mas bem melhor e ficou surpreso ao ver a irmã dormindo em sua cama, porém notou seu estado deplorável e criou uma pequena linha de pensamento que sua irmã chorou e muito mais cedo preocupada consigo então sorriu e se ajoelhou do lado da mesma acariciando sua cabeça de leve pra não acordar a mesma.

- Você é muito boba por se preocupar bastante comigo Luna... eu não quero te ver machucada e magoada com algo então por favor, pare de chorar por coisas bestas... - então suspirou, sabia que ela não iria ouvir aquilo e deitou ao lado dela em sua cama a abraçando e adormecendo junto com a mesma. Porém mais tarde na mesma noite em cerca de dez ou onze horas um barulho ecoou na mansão inteira, e isso era uma explosão feita por ladrões que resultou em um incêndio, mas os dois não despertaram. Apenas despertaram depois de sentirem o cheiro da fumaça e o barulho de fogo.

- Take o que ta acontecendo ? - comentou desesperada.

- Um incêndio, mas foi causado pelo que...

- Não sei mas devemos sair daqui agora mesmo - comentou Luna puxando o irmão e abrindo a porta mas o fogo estava muito próximo então recuou para trás. - O que a gente faz agora Take ? - o mesmo caminhou até o armário e pegou cobertores bem grossos dali de dentro. - O que vai fazer ?

- Apenas se enrole nisso e corra igual uma retardada em direção a escada.

- Mas e você ?

- Eu me viro do meu jeito. - sorriu para a mesma que estava enrolada no cobertor que achou e tossindo por conta da fumaça. - Vai. - E a empurrou que saiu do quarto tropeçando mas se recuperou e correu pra escada e se livrou do cobertor que já queimava nas bordas.

- ONDE A GENTE SE ENCONTRA ? - gritou tossindo mais ainda.

- APENAS SIGA PRO ORFANATO QUE TEM AO NORTE DA FLORESTA NA CIDADE!

Então Luna apenas caminhou pelo local onde não tinha fogo nenhum, soando por conta do calor e tossindo muito por causa da fumaça com a mão na boca e pensando.

-"onde eu acho a saída ? onde..." - então localizou uma janela que ficava de frente a um pequeno lago do lado da mansão, não teve escolha mas tinha medo de altura mas então pulou de olhos fechados caindo no lago e subindo a superfície olhando a mansão em que vivia cedendo ao fogo e caindo aos pedaços. Tudo caindo, mas se lembrou qual era seu destino e correu como seu irmão indicou, pro orfanato na cidade ao norte da floresta. Ao se distanciar o suficiente da mansão ouviu mesmo que de longe uma explosão na mesma e olhou pra lá, já chorando e perdendo as esperanças de que encontraria seu irmão no orfanato, mas mesmo assim seguiu para o mesmo.

-Fim-


Notas Finais


Espero que tenham gostado gente lindjah, e pra quem lê essa fic parabenizo por ler até aqui sem fechar a página :v e um LINDO FELIZ DIA DAS CRIANÇAS ATRASADO pra vocês, até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...