História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Leex2ndre

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Exibições 31
Palavras 1.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


17/1

Olha ele! Aqui é o tio Leex de novo, falando com Mayu pelo chat rapidão porque ela ainda está sem net, krl que viado eu sou mais quem liga!?

Na capa Eru/Querubim.

Capítulo 7 - Querubim, o Cupido


Fanfic / Fanfiction Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 7 - Querubim, o Cupido

Akira PoV:

 

Realmente sentimentos humanos me deixam curioso... Peguei o corpo de Luna largado no chão, ela desmaiou em meio a ilusão e por algum motivo não soltava a espada por nada neste plano. Comecei a caminhar com ela no meus braços estilo noiva, nunca tive muito contato vivo além de meu pai e minha falecida mãe.

Interagir com ela me deixa curioso pelos sentimentos humanos, raiva , orgulho, vergonha tudo em uma grande salada... Balancei minha cabeça espantando essas analises desnecessárias, nós teleportei para dentro da casa dela.

Enquanto observava o local sua casa era simples, o som de miados chamou minha atenção até o gato que descia as escadas, quando ele me viu com ela no colo miou pra mim como se estivesse ameaçando atacar.

- Não finja pra mim, eu sei o que você é - A depositei no sofá, me agachando em seguida, o estendi  a mão para o mesmo.

Se transformando, deu inicio ao um hexagrama nas sete cores e seguida fazendo um - puf! - completando, deu origem a um lobo infernal, de pelos negros, porém em suas patas, cauda e as orelhas eram vermelhas e os olhos um profundo escarlate. Então ele se aproximou de mim rosnando, apenas acariciei sua cabeça ignorando a ameaça, ele com meu carinho arregalou os olhos é pufou de volta para um gato.

Dei uma leve risada e o deixei sendo acariciado por uma ilusão minha, fui ver o que tinha pra cozinhar, a pobre Luna levou uma surra então vou preparar algo pra quando acordar, mas ainda sim ela despertou o verdadeiro poder naquela luta, e se era o que ela queria por algum motivo isso me satisfazia... Abri os armários.

- Macarrão... Molho de tomate... Carne? Quem é que... - Subitamente lembrei que era casa dela - Deixa pra lá - Um gota se fez em minha cabeça.

Assim como a luta, terminei tudo rapidamente está tão entretido que quase me assustei ao ouvir alguém batendo na porta, rapidamente coloquei todos meus sentidos de volta a ação pois tinha me distraído demais.

Com certeza era uma criatura magia a essência gélida que emanava dela era media, enquanto caminhava camuflei minha essência e fui em direção a porta. Eu a abri olhando para o chão procurando analisar o quanto antes a pessoa, botas preta de cano médio, saia xadrez vermelha, meia calça transparente, um cinto preto com uma caveira e uma blusa com decote um colar com espinhos e pulseiras. 

A loira era bonita quando olhei seu rosto quando nossos olhos se encontraram percebi sua heterocromia, cinza e verde, ela me olhava desconfiada.

- O que você ta fazendo na casa da Luna?

- Nada que você tenha que se preocupar... - Falei sorrindo falsamente.

- Posso entrar pelo menos?

- Claro - Dei passagem pra ela entrar e quando a mesma pisou na sala Luna acordou gemendo de dor.

- Luna o que aconteceu com você?! - Comentou desesperada se agachando ao lado da mesma.

- Ahn... Lilith? Tá fazendo o que aqui mulher? - Falou analisando a casa - Perai, que que eu tô fazendo aqui?

- Esse garoto estranho me deixou entrar e agora eu te encontro assim, o que aconteceu? - ignorou a pergunta dela e mudou o assunto completamente.

- É que eu cai de um morro bem alto e me machuquei muito, então ele me salvou pois estava perto e enquanto estávamos vindo pra cá eu desmaiei no caminho - Mentiu perfeitamente escondendo a verdade.

- Toma cuidado sua demente - Falou enquanto ela abalava as palavras para longe.

- Akira eu to com fome, tem algo pra comer? - Elas sempre cortam a conversa ente si como malucas?

- Tem sim, espere um pouco -  Falei indo até a cozinha, mas então parei e me virei - Também vai querer comer? - Apontei pra outra.

- Tem carne?

- Sim... - estranhei a pergunta

- É LOGICO QUE EU QUERO PORRA! - A aura dela cresceu absurdamente enquato um rastro de saliva se formava enquanto ela devia pensar na carne.

Então voltando ao meu caminho até a cozinha, nós servi e após todos comerem, Lilith comendo a carne igual uma canibal, eu peguei os pratos para lavar até que bateram na porta de novo. A figura masculina, sutilmente, olhou para mim com uma cara de surpresa, igualmente como a Lilith ele possuía uma aura.

Porém não era uma é sim duas essências, a aura negra emanando dele dava a impressão de ser o demônio... Mas... A aura branca celestial meio que dançava com a mesma em uma misto, senti o poder de um general de Hades, então deduzi que uma das suas essências era de um demônio, mas a outra era difícil, sua outra aura era angelical mas parecia incrivelmente antiga, eu estava perdido em meus pensamentos que nem notei ele balançar as mãos em minha frente.

- Com licença, aqui é a casa de Luna Harnet? - Perguntou inocentemente.

- Sim... - Ele arregalou os olhos e me empurrou.

- LUNA SUA RAINHA CHEGOU! - Comentou entrando - Minina que porteiro e esse tô passando mal - Falou abanando as mãos indo até ela enquanto eu sorri.

- Migo controla o cu e fica quieta - falou tudo calmamente e com uma gota na cabeça.

-Relaxa nada eu tava no tédio então fui te caçar, agora que estamos aqui vamos brincar porra! - Falou sentando ao lado dela - Filha você parece um pobre do aniversario do guanabara.

- Eu cai de um morro... - Comentou coçando a bochecha, eu apenas observava tudo ao longe - Ae está é a... -

- Lilith! - Ela a interrompeu estendendo a mão para o garoto.

- Querubim, Bi pra você! - Falou apertando e lhe dando uma biscada.

- Ui! - Falou arrancando risadas de todos nós.

Ficamos um bom tempo conversando, quando me juntei a conversa, em algum momento nós estamos rindo mas de repente Luna teve a ideia.

- Vamos brincar de verdade ou desafio, se alguém amarelar terá que pagar um desafio ou falar um segredo ou uma verdade mais pesados! - comentou novamente não aquietando.

Então após tirar a  garrafa do limbo e nós quatro nos reunimos no centro daquela sala e então o mesmo girou a garrafa, então Lilith tinha que perguntar a Eru.

- Verdade ou Desafio? - É impressão minha ou os dois se olham com um olhar super maligno?

- Desafio! -

- Eu te desafio a beijar... - Passou os olhos em todos nós até para em mim - O Akira - falou com um olhar super maligno direcionado a mim.

Ele não disse nada e apenas revirou os olhos, levantou e deu a volta na mesa pois estava ma minha frente se aproximou de mim e simplesmente sentou em meu colo, ele me olhou com uma cara de quem pede e eu dei de ombros.

Ele então enlaçou meu pescoço com seus braços e me puxou para um beijo, ele fico de joelhos no meu colo e eu agarrei suas nádegas fazendo gemer em meio ao beijo, que foi nem tão molhado nem tão seco, eu invadi suas boca que batalho com uma incrivel maestria com a minha, então aprofundamos mais o beijo até que decidimos parar por motivos um pouco óbvios.

- Parabéns senhores, por produzirem uma cena de um beijo que mas pareceu um pornô radiante! - Comentou Lilith batendo palmas e Eru voltou ao seu lugar e girou a garrafa novamente. E parou em Lilith.

- Verdade ou Desafio?

- Desafio.

- Quer fazer as honras Luna? - Falou olhando para ela.

- Sim, muito obrigado... Eu te desafio a dizer se me seguiu ontem e como descobriu o endereço de onde eu moro!

- Ahn... eu te segui ontem sim e não te interessa sobre como descobri o endereço.

- É um desafio - sorriu Luna maligna.

- AHN TA BOM EU DESCOBRI LOCALIZANDO SEU CELULAR! - Cedeu a maldade da mesma.

- Lilith ja foi então vai Akira! - Falou Eru.

Rapidamente girei a garrafa parando na Lilith.

- Verdade ou Desafio?

- Desafio - Comentou fria.

- Certo, espere um pouco - Fui na cozinha e peguei um prato de carne, coloquei em sua frente - Te desafio a não comer UM pedaço de carne desse prato durante o jogo inteiro.

- ZEUS O QUE EU FIZ PARA MERECER ISSO! - gritou chorosa.

- É o preço da minha vingança.

- Mas vingança se come em prato frio Akira - comentou Luna

- Mesmo assim, ela merece.

Então continuamos a jogar, Lilith Ficou semi-nua com a minha grande vingança, Eru foi "forçado" a ir em um sex shop de bom grado comprar uma fantasia de coelhinha sexy dizendo que mais parecia um sábado, Eu tive que levar um balde que mais tinha gelo que água fria e a comer sabonete, Luna foi forçada a gemer como se estivesse fazendo sexo na frente de um casal, colocar o Nêmesis em sua cabeça até o final do jogo, ser torturada por doces e beijar o Nêmeis. E por fim quando quase deu duas da manhã fomos todos dormir no quarto de Luna.


Notas Finais


Espero que tenham se divertido gente lindjah e gento lindjoh, até mais ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...