História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Leex2ndre

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Exibições 34
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Eu amei refazer este mas ainda sim tirei umas coisas sem nexo. E sim o nome do shipp é Akiru ou Akeru, mas Akiru é melhor ^^

Capítulo 8 - Essência do Gelo E Akiru


Luna PoV:

Acordei em meio ao breu da noite, ouvia um barulho estranho ele parecia distante mas ainda sim eu não consegui distinguir. Retirei os lençóis de cima de mim me levantando para do quarta, fui difícil com os meninos deitados no chão mas sai do quarta.

Enquanto descia as escadas vestia uma camisa qualquer afim de cobrir meu pijama quase transparente. Ele parecia aumentar a cada passo que dava escada a baixo, quando cheguei na porta consegui notar que parecia um rugido, abri a porta de casa afim de descobrir qual era o animal.

Ao colocar minhas mãos na maçaneta senti um frio percorrer o chão da porta, quando a abri as pressas de repente um vento sobrou neve por toda o local e quando abri os olhos notei que não estava em casa pois tudo sumiu, restava apenas gelo e cristal.

O rugido alto tremeu todo o lugar, corri segurando a camisa no corpo devido ao vento que vinha do local. Ao encontrar o fim da caverna uma forte luz quase me cegou, quando me recuperei estava em uma escadaria que sai da caverna e levava ao piso de baixo pelos cantos da caverna.

Um dragão branco encontrava-se no meio daquele enorme lugar, estava lutando com um grupo de pessoas, ele parecia assustado e com muito medo pois apenas corria e se defendia com as colunas do local... Decidi interferir, saltando da grande escadaria por impulso, meu corpo parecia agir sozinho, aterrissei em frente as dois casais de humanos que me olhavam surpresos.

- O que está fazendo? Não vê que estamos no meio de algo? - Gritou um homem.

- Um olha como fala - Levantei fazendo pose - Dois estou parando essa luta, trés ferir outro ser não é algo importante, é cruel! - 

- Ele matou vários garota SAIA DA FRENTE! -

- Garota teu cu! - No meio do xingamento me virei para trás ouvindo uma voz na minha mente.

- Eles estão mentindo, pensam que a tempestade de neve que aconteceu foi minha culpa mas eu sou inofensivo! - Voltei meu olhar com ódio para eles.

- Me-mestre e-e-ela ta com o olhar pegando fogo e o cabelo dela ta ficando ver-vermelho! - Comentou uma das meninas medrosa.

- Pouco importa essa garotinha mimada não vai conseguir matar o melhor grupo de caça da cidade Éden.

Sorri, abri minha mão criando um circulo mágico, um octagrama formou-se ao redor deles que se agarraram com medo atrás do velho que falava demais, das paredes dele apareceram outros estrelas como a primeira, no chão, fazendo grandes rajadas de fogo saírem deles queimando-os. 

Quando me virava com os gritos deles, o dragão me surpreendeu estendendo me uma de suas garras a frente do meu rosto, ao abrir as patas havia uma bola de cristal que tinha algo pulsando dentro... como um coração...

- Esta é a essência de gelo que viveu comigo, acho que você tem alguém que necessita disto muito mais que eu necessito - Nada falei apenas dei meus braços para ele deposita-la, a cretina queima de tão fria puta que pariu.

- ARDE! ARDE! - Falei pulando com medo de deixa-la cair, ele ria com aquilo, uma risada colossal mas gostosa.

- Hahaha, vá menina! - Disse, encanto tudo tornava-se escuro e de meus pés a imagem de minha sala de formava, enquanto descia o vazio. 

Quando finalmente toquei o chão, Lilith encontrava-se encostada na porta.

- Então você sabe Luna? - Falou seria.

- O que? - Falei boba.

- NÃO SE FINJA DE IDIOTA! -

- OPA OPA! OLHA COMO FALA COMIGO QUERIDA, NA MINHA CASA AINDA - Gritei a surpreendendo - NÃO SEI O QUE CARALHOS VOCÊ TEM MAIS POUCO ME IMPORTO TÔ COM SONO! -

- ... Então o que é essa bola nas suas mãos? - Falou cruzando os braços com vergonha da bronca.

- É... - Falei ainda pensado o que era.

- Realmente não sabe? - Falou indignada - Eu sei muito bem o que é isso sua demente -

- Escuta aqui, mal ti conheço e sei que não te dei liberdade pra porra nenhuma, se você sabe o que caralhos está rolando foda-se minha irmã porque eu não sei agora que se me licença vou voltar pra cama - Ela ficou calada e eu apenas voltei pro quarto, no caminho Nêmesis encontrava-se na escada, o acariciei - Tu beija bem pra caralho! - Sussurrei rindo, chegando no quarto. 

Chegando lá encontrei Eru deitando encima de Akira ainda sonolento. Sorri com essa cena... Eles dariam um ótimo casal. Passando por cima dos pompinhos, coloquei aquele cristal, que pareceu encolher bastante, embaixo do meu travesseiro apenas me joguei na cama e ouvi Lilith voltar, deitando ao meu lado com certa vergonha eu acho.

 

Akira PoV:

Acordei sentindo um peso em cima de mim.

Mesmo de olhos fechados conseguia sentir a aura negra da pessoa, só podia ser o Querubim, abri os olhos confirmando minha teoria, ele dormia tranquilamente em cima de mim, sorri com a cena, realmente acho que essa dimensão vai me divertir por um tempo... 

Me sacudi ganhando sua atenção, que levantou ainda de bruços sobre minha virilha, quando ele mesmo uma pressão com a barriga senti um incomodo. Me senti violado, então enquanto ele ainda recobrava os sentidos mudei nossas posições ficando por cima dele.

Seus olhos azuis abriram rapidamente surpreso pelo ato, ele ficou corado mas de repente um sorriso travesso se formou em seus lábios, misturado com a vergonha, apenas nossas bocas já pedindo passagem com a língua, que foi cedida facilmente e aprofundou o beijo colocando as mãos na minha nuca.

Durante o beijo senti ele colocar uma das mãos por baixo da minha camisa e vagar pelo meus músculos, em algum momento ele apertou meu membro me fazendo separar o beijo e sorri para ele também.

Um rastro de saliva se fez entre nós, mas meu sorriso estragou ele, já partindo pro seu pescoço e dando chupões no mesmo, coloquei uma das minhas mãos dentro de sua roupa íntima e agarrei seu membro, ganhando um grunhido, fazendo movimentos de vai e vem, ele ficou mordendo direita e me afogando em meu pescoço com a esquerda.

Tomei consciência de que Luna e Lilith, mas continuei as carícias o ouvindo gemer mais ainda enquanto deixava marcas em seu pescoço, tirei o seu braço da boca e o beijei novamente fazendo nossas línguas dançarem enquanto eu o acariciava. Até que o mesmo se desfez na minha mão melando a mesma e o gemido foi abafado pelo beijo, mas decidi parar com aquilo pois não era momento e nem hora apropriados pra isso e além do mais podíamos ser pegos no flagra.

- Vamos parar por aqui - Falei satisfeito, ele fez um bico.

- Que chato! - Cruzou os braços.

- Eu prometo que vou te recompensar mais tarde - Falei em seu ouvido, o mordendo a seguir fazendo o mesmo arfar.

Enquanto levantava para ir a cozinha ouvi ele pela porta.

- Mulher a gente se deu bem! -


Notas Finais


Espero que tenham gostando até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...