História Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Leex2ndre

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dorgas, Girllife, Magia, Pornografia, Traps
Exibições 25
Palavras 1.874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


BOA SORTE COM A LEITURA GENTIH, a imagem abaixo é exatamente como o irmão da Luna é (atualmente com 16 anos como a Luna) TÉ MAIX

Capítulo 9 - Um fogo grande e o banho desabafado


Fanfic / Fanfiction Uma vida comum para uma garota estranha - Capítulo 9 - Um fogo grande e o banho desabafado

Luna PoV

Tinha acordado e ainda sentia a presença congelante debaixo do meu travesseiro, notei que quase todos estavam dormindo pois apenas Lilith dormia e Eru estava petrificado no colchão, comecei a cutucar ele igual uma retardada debiloide com cara de cu.

- Ei, Eru, o que aconteceu ?

- ...

- ACORDA BICHA FILHA DA ÉGUA!

- ... - Perdi a paciência e resolvi fazer uma maldade já que quase todos estavam dormindo, então fiz uma pequena chama no meu dedo e o direcionei a sua bunda ainda em cima da calça do pijama que ele vestia, então botei fogo ali e depois de um tempo o mesmo acordou em um pulo. - SUA PUTA FOI VOCÊ QUE TACOU FOGO NO MEU RABO PROSTITUTA ? - então apenas cai na risada enquanto o mesmo gritava pelo fogo no cu, até que Lilith acordou e notou o circo todo que eu criei e começou a cair na risada também. - PAREM DE RIR E ME AJUDEM PUTAS DO CARALEOOOO! - Então ouvi passos apressados e Akira abriu a porta notando o espetáculo também, e acabou caindo na risada

- MIGA ACALMA TEU FOGO TA TÃO GRANDE QUE ATÉ A CHINA VÊ! - Comentou Lilith entre risadas.

- ALGUÉM ME AJUDA PELAMOR DE DEEEEUS! - então Akira levantou e foi ao banheiro, então pegando um pequeno copo de água e jogando no Eru que parou de ter o grande fogo no cu. Então Akira segurou Eru antes de cair no chão e sussurou algo no ouvido fazendo ele ficar corado, mas depois ele sussurou outra coisa que fez Akira corar de leve.

- Gente o que eu perdi ? - comentou Lilith olhando pros dois com cara de tacho.

- Sim, o que a gente perdeu ?

- Nada! - comentou Eru alegre da vida e rodopiando por ai

- Se não é nada pra que esse clima todo "fofo" ente vocês ?

- PAREM DE INSISTIR NA MINHA VIDA SUAS PUTAS METROFOBICAS! - gritou Eru mudando de personalidade.

- Antissocial... - comentei o olhando com cara de cu

- EU NÃO SOU ANTISSOCIAL SUA VAGABUNDA CONDENADA! - juro que podia ver fogo saindo da cabeça dele enquanto ele falava. - E ALÉM DO MAIS, QUE FOI QUE BOTOU FOGO NA MINHA BUN - e foi interrompido pelo Akira que o beijou, acho que aquilo era um pedido pra se calar e os dois estavam namorando em segredo.

- Da pra calar essa boca ? - Falou Akira depois de um tempo.

- Ahn querido só se for agora! - disse Eru enlaçando as pernas na cintura de Akira e os fazendo cair no chão enquanto se beijavam durante o ato.

- Aaaaacho que eu to de saída. - comentou Lilith desconfortável saindo do local.

- Ehn, gente eu não vou ficar aqui segurando vela... bem que queria mas podem parar com essa agarração no meu quarto por favor ? - fui ignorada e então Eru partiu pro pescoço do Akira o fazendo gemer baixo e marcando o mesmo. - ahn que se foda, tchau. - E sai do quarto deixando os dois pombos ali atrás se comendo, tomara que eu não ouça gemidos constrangedores e que não trepem na minha cama...

- Oooe! - Falou Lilith me dando um mini ataque cardíaco por aparecer dunada na minha frente.

- Oi.

- Olha... desculp por hoje na madrugada, sei que errei e me sinto culpada por isso. Alem do mais eu sei que você é a escolhida pelo dragão que guardou o legado do deus do fogo, e também te libero a saber que sou a rainha das yuki-onnas. Mesmo assim a briga de ontem foi igual fogo e gelo sabe ? sempre opostos, realmete estou arrependida você pode me perdoar Luna ? - franzi a testa, deus do fogo ? que seja depois eu pesquiso sobre isso. Essa declaração ficou linda demais.

- Sim eu te perdoo Lilith, mas ainda tenho minhas duvidas em você - a abracei antes que tivesse uma crise de choro.

- Se eu conseguir te tirar essas duvidas eu vou estar cem por cento perdoada ?

- Hum... sim. - fui pra cozinha beber água

- E quais são ?

- Depois eu te falo, tenho uma coisinha a resolver. - peguei um balde e enchi de água, fiz ela ficar em uma temperatura extrema e subi as escadas cuidadosamente, ao achar os senhores ainda se comendo nas preliminares eu joguei o balde nos dois que pararam na hora e me olharam.

- VOCÊ TA MALUCA DO QUE MENINA TU JOGA UMA ALGA SUPER QUENTE NA GENTE! - comentou Eru desesperado novamente.

- Pera ai, alga ?

- Ahn... NÃO EU DISSE ÁGUA, ÁGUAAAAA! - E veio pra cima de mim pra me bater, porém eu previ seus movimentos e peguei a mão esquerda então girando o corpo do mesmo que nem em danças e chutando seu calcanhar fazendo ele cair de costas no chão.

- Controla teu ser zé biruta.

- Vaca.

- Corno.

- Chifruda.

- Árvore.

- Vadia.

- Prostituto.

- Puta.

- Gordo.

- Demonia.

- Antissocial.

- Mimada.

- Ta bom chega. - cedi ao campeonato de provocação e o levantei. - E Akira toma um banho agora e não quero saber nada de ninguém se comendo aqui.

- Ahn... não. - fiz um círculo mágico em sua direção ignorando que Eru estava ali e não tinha poder nenhum.

- A-go-ra. - soletrei pausadamente um pouco furiosa, então o mesmo foi pro banheiro sem questionar e Eru foi saindo do quarto mas eu segurei seu braço. - E você toma banho no banheiro lá embaixo, e Lilith vem logo tomar um banho comigo no banheiro dos meus pais.

- Ahn... mas eu não touxe roupa nenhuma... - Lilith ficou um pouco receosa.

- Usa as roupas da minha mãe, com certeza as duas tem o mesmo tamanho de peito e as mesmas medidas. - a mesma corou com meu comentário e apenas me seguiu, então entramos no quarto dos meus pais e eu fui tirando o pequeno short do meu pijama e a camisa do mesmo. E entrei no banheiro começando a encher a grande banheira que tinha ali com uma água morna e vi Lilith entrar um pouco tímida no banheiro. - Miga calma somos duas mulheres e podemos muito bem ver o corpo uma da outra pois sabemos que porcaria nenhuma vai acontecer.

- Mesmo assim é embaraçoso...

- Pouco importa, vai entrar ?

- Ahn, ta bom né... VAMO SE DIVERTIR NA BAGAÇA! - gritou se jogando na banheira fzendo água vor pra todo lado.

- Sua doida...

- UUUHUULLL! - gritou então entrei na bahneira e desliguei a torneira que estava enchendo a mesma e apenas entrei na mesma ficando de frente com a Lilith.

- Então, vamos conversar sobre a vida ?

- Certo...

- Hum... você tem pai ou mãe morando com você ? parente ou algo ?

- Vou ser sincera, meus pais me abandonaram quando criança e em questão de gente morando comigo eu tenho um tio.

- Certo certo, agora manda uma pergunta.

- Hum... seu cabelo é natural ?

- É lógico que é. - e entçao peguei o sabonete e fui nas suas costas lavando a mesma. - Você consegue chegar ao zero absoluto ?

- Sim... você tem uma familia ? pois pelo que vejo nas fotos eles parecem ser padrasto e madrasta.

- Ahn... - deixei o sabonete cair sem querer

- Algum problema Luna ? - comecei a lembrar de tudo da minha infância e tudo que passei, e fiquei tremendo mas tentei disfraçar e peguei o sabonete, porém o deixei cair denovo e ela olhou pra mim preocupada. - Luna realmente você ta bem ?

- E-e-e-eu to óti-ótima Li-li-lilith, não é na-nada! - falei com dificuldade e as memórias em minha cabeça iam e voltavam como flashs frenéticos.

- Não, você não ta bem, vamo desembucha.

- É que eu apenas tive memórias não tão boas do passado... - murmurei chorando.

- Vamos, desabafa, eu to aqui pra isso... - então nos encostamos em uma das beiradas da banheira e Lilith me abraçava me confortando.

- Bom... acontece que eu tinha uma familia, nem tão boa e nem tão ruim. Eramos ricos e moravamos em uma mansão no meio da floresta. Meus pais não toleravam me ver chorar ou machucada, minha mãe era uma ótima conselheira e o meu pai era um homem de bom coração, o meu irmão sempre foi tratado como se fosse a ovelha negra da família pelos empregados, ele sempre tinha opiniões diferentes. Teorias fora do normal e um raciocinio super evoluido, me protegia de qualquer coisa... tanto que aprendi a me denfender com ele, e também sempre me tratava com muito carinho. Mas era visto por maus olhos pelos empregados por algum motivo que eu desconhecia, sempre era muito misterioso e por ironia do destino nascemos com o cabelo platinado, porém com olhos diferentes...

- Você fala tanto dele, parece que o admirava bastante...

- Sim... eu o admirava e muito, ele me ensinou maioria das coisas, coisa que meus pais não faziam. Trabalhavam duro e quase não tinham tempo pra gente, mas mesmo assim o pouco tempo que tinham era muito precioso e gastado com precisão.

- Sabe parece que você admira ele tanto que pessoas que ouvem você falando dele parece que você era louca de paixão pelo mesmo.

- Olha, eu até que me peguei pensando isso um dia, mas não é nada fatal assim...

- Certo, o que aconteceu depois ?

- Depois de um certo tempo quando tinhamos oito anos a mansão pegou fogo, eu me escapei graças a ele que me ajudou mas ele... eu não tenho tanta certeza, a mansão explodiu enquanto eu ia pro orfanato em uma cidade ao norte da floresta em que a mansão se localizava, chegando no orfanato fui acolhida com amor e carinho pelos funcionários de lá, mas sofria agressões frequentes tanto por garotos quanto por garotas, todos os dias eu me cortava no orfanato querendo morrer, mas meu desejo não se realizava por mais que eu me cortava. Aos meus treze anos eu me cortei bastante o suficiente pra desmaiar de anemia, eu tive um sonho em que encontrei meu irmão, ele estava na mesma idade que eu e por algum motivo meu cérebro conseguiu projetar uma aparência do mesmo. Estavamos em um grande lugar com diversas flores coloridas e tinham pequenas ruínas ao fundo, eu corri em sua direção mas depois tudo ficou escuro, então eu fiquei com medo mas senti alguém me abraçando e murmurando em meu ouvido que estava tudo bem. E tudo se transformou em um total caos, e eu acordei em um hospital... e depois de sair do mesmo fui adotada e cá estou...

- Realmente muito estranho...

- O que é estranho ?

- Nada não, vamos terminar de tomar nosso banho e sair.

- Certo. - parei de chorar e terminamos de tomar nosso banho, então eu sai do banheiro e como era domingo chamei todos para o pequeno campo em que estava treinando e desmaiei lutando com Akira ontem...

- CONTENUA -

 

Notas Finais


Espero que tenham gostado, até mais ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...