História Uma vida sem paz! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Hindu
Personagens Personagens Originais
Tags Deuses Indianos, India, Krishna, Rama
Exibições 14
Palavras 2.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Harem, Hentai, Magia, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Essa é a minha primeira oneshot! E sou tão apaixonada por mitologia oriental q tive q fazer ela.
Dedico essa oneshot para três amigas: ~Tia-HimeSama, Julinha e Sabrina.

Capítulo 1 - Eu odeio minha vida!


P.o.V. Daía

Hoje é o dia em que todos os homens de Nova Délhi viram se apresentar para meus pais e eu acho um absurdo casamentos arranjados. Em minha opinião, nós temos que escolher nós mesmos, não nossos pais e vai que eu me apaixone por um príncipe, e ai eu estarei casada e eles não terão a riquezas do reino desse príncipe. 

Sou filha da família mais nobre de Délhi, e sempre fui desejada por vários homens da cidade mas eles não eram nada de como eu pensava. Se for pra casar, quero que ele seja inteligente, educado, muito interessante e que me respeite, pra mim, isso é um homem perfeito, mas meus pais dizem que o homem tem que ter beleza ou riqueza para se casar comigo. 

Hoje eu tenho 19 anos, e desde os 10 anos eu tive e tenho sonhos estranhos, que dizem para eu ir até o templo de Shiva e levar um colar de flores, incenso e jóias à noite e fazer uma oração forte e que Shiva me contaria um segredo. Nessa noite, eu fiz isso. Sai escondida de casa e fui até o templo e botei todas as coisas no altar do deus e rezei. Na mesma hora, uma grande nuvem dos incensos se formou e apareceu Shiva e sua esposa Kali, e eu pergunto:

- O que você me contaria senhor? 

- Daía, o que você acha que eu iria falar? 

- Que o senhor me daria uma missão ou me julgasse pelos meus crimes.

- Não é isso minha amada, é outra coisa! - Falou Kali. 

- Você é nossa filha! 

Fiquei com a boca aberta e fiquei encarando eles, até que eu disse:

- Eu sou uma...semideusa!

- Isso mesmo! Te trouxemos para esse mundo, porque teve uma guerra no mundo celestial e quando você nasceu, a guerra ficou mais violenta do que no começo. 

Shiva Flashback on

Estou esperando do lado de fora do quarto. E hoje nasceria meu filho ou filha, que tanto esperei. Naquela hora estava acontecendo uma invasão no mundo celestial e eu estava muito preocupado. A grande guerra dos mundos começou de verdade e eu nem sei o que fazer. 

Ouço um choro de bebê e entrei no quarto, em que vi minha esposa e minha filha. Ela segurava ela nos braços e depositava beijos em sua testa. Chorei em saber que a minha amada esposa e filha estavam bem. Até que ouço um barulho vindo do hall de entrada, e vejo que os guerreiros do outro mundo atacando o palácio. 

Mal pude segurar minha filha nos braços que tive que manda-la para o mundo dos humanos e isso é triste para mim.

Shiva Flashback off

Então, aqueles não eram meus pais, e sim o deus Shiva e a deusa Kali. Na mesma hora, vi uma visão e vi essa guerra acontecer. Meu pai me teletransportava para esse mundo em seus braços enquanto eu chorava. Naquela hora, minha pele ficou azul e minha roupa mudou. Até que papai disse:

- Venha! Vamos te mostrar o mundo celestial!

O portal foi aberto, e vi um grande reino, repleto de casas aonde moravam pessoas e deuses. Eu estava usando uma roupa de deus hindu, uma coroa dourada, tinha mais dois braços...espera ai, dois braços? Eu tinha mais dois braços estranhos. Também usava piercings e várias jóias. O lugar era lindo, cheio de pedras preciosas, ouro e prata. Então era aqui que eu nasci, meu lugar de origem e o meu verdadeiro lar. Meus pais me mostraram todo o lugar, e até mesmo meu quarto que era muito belo. 

Até que apareceu um belo homem, que veio ao meu encontro, e disse:

- Seja bem vinda princesa! Me chamo Rama, sou um dos deuses do mundo celestial! - Fala ele beijando minha mão. 

- Rama, o que você está fazendo aqui? É pra eu recepcionar a princesa! - Fala outro.

- Krishna, eu fui mandado pela imperatriz para recepcionar a princesa e não você! 

- Rama e Krishna, parem agora!!! E Krishna, fui eu quem mandei Rama para recepcionar ela! E agora quero que saia Krishna! 

Ele saiu e até que Rama pegou meu braço e peguntou:

- Que cara é essa Daía? 

- É que meus pais do mundo dos humanos querem que eu me case, mas não quero! 

Ele me abraçou por trás e deu um beijo em minha bochecha. Corei, e me virei para ele, dei um beijo em sua bochecha e abracei ele forte. E ele retribuiu.

Ele me pegou no colo, e me levou até a cama e botando seus braços um de cada lado de meu corpo e me beijou intensamente. Até que percebi uma ama nos olhando e paramos. Ficamos corados e eu disse:

- Pode entrar!

Ela não falou nada e entrou, até que Rama deu um beijo em minha bochecha e saiu. Fui até meus pais, e disse:

- O Rama é tão romântico! E ele é casado? 

- Não, por quê? - Falou papai.

- Nada não! 

- Tá apaixonada por ele filha? - Pergunta mamãe. 

- Sim! Ele tocou meu coração! Ele é o homem mais perfeito que já vi.

- Ele é um idiota isso sim! - Falou Krishna. 

- Krishna! Já deveria estar em casa!

- Desculpas, então vou indo! E princesa, eu te amo!

Dois deuses me amam? Como assim? Agora minha vida é um problema! Eu tenho que voltar para o mundo dos humanos, meus pais devem estar preocupados. Até que eu disse:

- Mama, Papa eu tenho que voltar para o mundo dos humanos. Meus pais de lá devem estar preocupados! 

- Tudo bem! - Falou papa. 

Ele me levou para minha casa, e eu deitei na minha cama antes de amanhecer. Dormi mais um pouco, mas logo fui acordada por minha ama Janice, que era inglesa. Naquela hora, eu estava me arrumando para hoje à noite, pois haveria um baile para meus pais escolherem meu noivo. Eu queria tanto viver com o jovem deus Rama do que com um estranho. 

À noite:

Vários homens me olhavam enquanto eu caminhava pelo belo salão. Será que meu futuro marido me tratará bem? Não sei, só quero me desligar do que está acontecendo e desse vexame público. 

Minha mãe me pegou pelos braços e disse:

- Senhores, está é minha filha Daía! Futura herdeira da riqueza dos Hamesh! E hoje, eu e meu marido iremos escolher um marido para ela e vocês são os candidatos! Fiquem à vontade, comam e bebam, e depois será a seleção! E muito obrigada por virem!

Todos os homens em minha volta eram bem idiotas, que nem tinham papo interessante e nem eram inteligentes. Seus QI devem ser só de 2 isso sim. 

Até que Balraj, um jovem playboy de apenas 17 anos, que era órfão, que possuira a riqueza de sua família. Ele era um advogado muito famoso em toda Índia, e ele era bonito, mas eu pensava que ele era inteligente, interessante e sábio, mas era um verdadeiro mimadinho que só falava de si mesmo, sobre sua fortuna e sua vida. Ele não faz nada na vida à não ser trabalhar como um mero advogado, e sempre anda com seus empregados. E eu que planto, colho, cozinho, limpo a casa, lavo roupa e trato todos os animais. E eu nunca quero ter empregados, e sim eu fazer as coisas, e prefiro assim como está. 

Até que chegou a hora da seleção, e todos os homens se apresentaram. Eles escolheram Balraj para ser meu marido. Fui para meu quarto e me tele transportei para o mundo celestial, à procura dos meus pais.

Quando cheguei lá, fui até minha mãe, e apoiei minha cabeça em seu colo enquanto chorava. Rama e Krishna me olhavam, mas Rama me olhava sorrindo, enquanto me levantava suavemente. 

Krishna olhava Rama com cara de desprezo. Eu abracei ele, até que Krishna disse:

- Não toque na princesa! Você tem permissão para encostar nela?

Eu aumento ainda mais o choro, e minha mãe vai em direção à Krishna, e diz:

- Krishna, saia daqui agora! 

Ele não falou nada e saiu. Rama estava muito concentrado em mim. Me pegou no colo e foi até meu quarto, e me botou na minha cama. Ele trancou a porta e se deitou e beijou meu pescoço. E depois chupou meu pescoço deixando marcas fortes. Sua mão foi até meu top, retirando ele. Ele retirou minha saia, e apertou minha coxa.

Eu estava de olhos fechados, apenas sentindo suas mãos em minha coxa. Minha mão foi até sua nuca, e levando sua boca até a minha, enquanto eu retirava com minha outra mão, sua camisa de seda dourada. Até que ele perguntou:

- Por que estava chorando?

- É que meus pais do mundo dos humanos, querem que eu me case com Balraj, e eu não quero, porque eu só penso em você, Rama! Você é o único que eu amo, em toda minha vida! 

Seus olhos penetravam os meus naquela hora, até que apertou meus peitos, fazendo eu arfar. Seus cabelos estavam soltos, e eram a coisa mais linda que já vi.

Retirei sua calça e sua cueca, mexendo em seu membro ereto. Agora eu fico em cima dele, depois mudo minha posição, indo para a famosa 69. 

Hoje será o dia em que perderei minha virgindade, e eu nem sabia muito sobre o assunto. Ele retirou nossa posição, e me botou em seu colo, encostando seu membro em minha intimidade, já molhada. 

Ele me penetrou naquela hora, e me estocava forte, e aquilo era tão bom, até que ele me botou em pé, continuando à me penetrar. Ele chegou ao clímax junto comigo, e se desfez de mim. Ele me abraçou e dorminos.

No dia seguinte, acordei com seu forte abraço, me rodando. Meus pais do mundo dos humanos devem estar preocupados, então, botei um papel do seu lado, dizendo que eu sai. Botei minhas roupas, e fui dar um tchau para papa e mama.

Quando cheguei em casa, fui dar bom dia para meus outros pais. Até que mãe falou:

- Filha, amanhã será sua cerimônia de casamento com Balraj. E quero que se comporte amanhã. 

- Mas mãe, eu nem conheço o Balraj direito, como vocês querem que eu me case com ele? - Gritei

- Você vai se casar com ele e pronto! Vai se lavar Daía! E não grite comigo menina! 

Sai bufando, e voltei para o mundo celestial, e vi meus pais conversando sobre umas coisas. Fui até Rama e abracei ele e o mesmo acariciava meus fios negros. Até que eu disse:

- Rama, você pode me dar um punhal?

- Pra que você quer um punhal? 

- Eu vou me matar amanhã! 

- Por que quer se matar? Não tem motivo! 

- Eu quero e pronto, eu não quero viver com o tonto do Balraj! 

Ele me entregou o punhal e botei em minha bolsa. Fui até meus pais e os abracei e disse:

- Mesmo se eu me matar, vocês podem me trazer para esse mundo? 

- Sim, mas você terá que falar essa frase: "Adeus vida, que os deuses me aceitem em seu mundo de esplendor!" Ok? - Falou papa.

- Sim!

- Filha, nós sempre protegeremos você de qualquer coisa! Você é o nosso presente querida! - Falou mama.

Voltei para o outro mundo e fiz minhas coisas diárias. 

No dia seguinte, vesti um sari vermelho e fomos para o local da cerimônia. Quando a cerimônia estava quase acabando, levantei e sai correndo até o templo em que vi meus pais verdadeiros e disse:

- Adeus vida, que os deuses me aceitem em seu mundo de esplendor! 

Botei o punhal em meu peito e finquei o punhal.

Até que acordei no mundo celestial, pois vi meus pais. Me levantei e abracei eles com muito carinho. Eu estava escutando barulhos vindos lá de baixo, e quando desci, vi Rama e Krishna lutando. Até que Krishna disse:

- A princesa é minha, não sua!

Ele atacou Rama forte e o mesmo desmaiou. Fui até Rama, curei suas feridas e beijei sua testa. 

Até que ele acordou e pegou minha mão e disse:

- Daía, você prefere eu ou o Krishna? 

- Fique a vontade para decidir princesa. - Fala Krishna. 

- Eu quero você Rama! E Krishna, você machucou ele.

Beijei os lábios de Rama, e ao mesmo tempo, o mesmo botou uma sutra em meu pescoço e perguntou:

- Aceita esse pedido? 

- Claro! 

No dia seguinte, foi feito uma cerimônia de casamento, pois naquele dia, eu me casei com Rama. Meu verdadeiro amor.

"Não importa se serão momentos bons ou ruins, mas se for ao seu lado, cada segundo vale a pena!"


Notas Finais


Sei lá pq, mas a ~Tia-HimeSama me inspirou, não sei como, mas me inspirou!

Beijos de carambola! ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...