História Umbrella - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bts, Drabble, Guarda-chuva, Jikook, Quero Fazer Mais Drabbles, Um Draminha Leve
Exibições 57
Palavras 486
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Antes de tudo queria avisar que acabei tendo que repostar essa fanfic por causa de alguns probleminhas do spirit (nheee), mas nao consegui evitar trazer ela de novo ja que se tornou meu novo xodó *---------*

Mas meu Deus, Cupcakes!! Ultimamente eu tô que tô para escrever, não é mesmo? kkkkkkkkkkkkkkkk
Sei, atualizar que é bom, nada >.< Mas convenhamos, quando esse plot surgiu na minha cabeça ao som de Hold Me Tight, eu precisei colocar em prática, mesmo não tendo feito outras drabbles e essa sendo a primeira (que melhor forma de começar, fazendo uma drama leve, mas que pessoalmente, me deixou bem feels quando acabei ;-;) Mdds, descobri esse universo com poucas palavras há pouco tempo, mas nom é incrivel como essas histórias conseguem ser ainda mais tocantes?
Amém dia de chuva que me trouxe essa vibe inspirativa asuhasusahusauhuashuas
Bem, de qualquer modo, espero que gostem essa jikook, mas não me responsabilizo por quem quiser colocar uma musiquinha bad para acompanhar aushusahusahasuashuusahasu
Vejo vocês nas notas finais ~chu

Capítulo 1 - Meu lado do guarda-chuva


     A chuva batia de maneira insistente na janela, me fazendo lembrar que havia uma casa logo atrás de mim e não apenas aquela tempestade do lado de fora que molhava minhas roupas. Contudo, isso não era relevante e nem o fato de que poderia ter uma febre, importava — naquele momento nada mais parecia me atingir, nem mesmo as gotas frias que beliscavam minha pele no toque brusco.

     Não que eu estivesse me declarando dependente de alguém ou super-protetor, mas eu havia perdido um pedaço do meu passado e pseudo-presente naquela tarde, que como em um drama cinematográfico, decidira fechar suas nuvens para mim, assim como Jungkook fechara seu coração.

     E eu sabia que ele não voltaria, pois diferente da chuva que poderia evaporar e ter sua segunda chance, eu perdera até mesmo a quinta — talvez devesse ter mostrado mais interesse às suas conquistas, dado mais atenção ao garoto manhoso que ele era e esperado sua cena favorita do filme chegar antes de cair no sono. — De fato, sequer podia odiá-lo pela escolha lógica que fez em largar a mão do idiota que eu estava sendo até então.

     Agora já era tarde para acreditar que ele voltaria aquela esquina e aceitaria minhas lágrimas mescladas a chuva, como desculpa pelo tolo que fui. A chuva afinal já tinha sido suficiente em nossas memórias.

     Fora a garoa de uma noite que nos aproximou, na frente daquela cafeteria mesmo — ele sendo o último cliente e eu fechando a loja quando me deparei com seu cenho franzido, indignado com a mudança de clima. Talvez acreditasse que iria se molhar por completo uma vez que eu estivesse fechando o único estabelecimento aberto àquela hora. — Porém eu abri meu guarda-chuva para si, oferecendo-lhe meu lado direito e tendo sua resposta quando se aninhou para perto.

     Vi em seus traços, tranquilidade, uma juventude perdida que queria ser encontrada; olhos que eram escuros como chocolate derretido, igual àquele chocolate quente que sempre pedia ao se sentar no mesmo lugar; mas seu sorriso, que surgiu mudo em agradecimento, me derreteu mais que neve no verão. E desde então ele também ocupara o lado direito de meu coração.

     Todavia, como tudo começava calmo, como uma garoa, terminou-se em uma tempestade com direito a granizo — que impediu-me de entender suas últimas palavras e compreender seus reais motivos por ter me dado as costas enquanto era banhado pelas primeiras gotas da chuva. — Sequer consegui me manifestar em meio todas as sinceridades que me deu em bandeja de prata banhada a angústia. Ele me poupou do adeus e abriu seu guarda-chuva.

     E eu ficara ali, olhando todos fecharem as janelas ou pedalarem mais rápido para casa; acompanhara quando a chuva aumentou e mais nuvens escuras se acumularam no mesmo espaço; quando minhas roupas grudaram no corpo e a primeira lágrima desceu.

     Ele havia se retirado do meu coração junto com as memórias, momentos e meu único guarda-chuva para estações chuvosas.

 


Notas Finais


E bom, crianças, é isso por hoje >.>
Eu sei, fui um ser humano horrivel fazendo essa final, mas como sou incapaz de fazer alguma angst decente ou de matar alguém (sequer dou finais tristes sem ficar na bad junto), essa fanfic foi libertadora. Deixa em off que quase fiquei com medo de passar os 1k kkkkkkkkkkkkkkkkkk Quem me acompanha sabe que para mim escrever coisas pequenas é um desafio e eu ja achei um exagero ter ficado com esse tanto de palavras, quando devia ter 200 como meta pessoal. Mas enfim, espero que tenham gostado e nos vemos por aí ou nos comentarios s2
Caso alguém queira me seguir para bater um papo ou mandar correios anonimos, tamo aí >.> https://twitter.com/YInacoco kaijisasijsiajsisisis
~bye-bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...