História Umedeça-me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Boy Love, Bts, Divando Nas Viadagen, Lemon, Só Dá Viado, Taekook, Taiga Nos Secsu De Novo, Taiga Só Sesgo, Vkook, Yaoi, Yoongi Tpm
Exibições 299
Palavras 5.272
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oin gente lindinha do meu core~
Então, dessa vez é uma One eeeeeh
Significa que eu não vou levar um ano pra atualizar (ha ha, é brincadeira não, levo um ano mesmo)

Então, essa é minha primeira one barra é meu primeiro lemon barra é minha primeira taekook.
Nossa... Essa fic é cheia de estreias... Bem, não vou pedir pra pegarem leve porque críticas construtivas são sempre bem vindas (CONS-TRU-TI-VAS) espero que gostem e apoiem meu shipp, OTP master e razão do meu viver

P.S.: Gente, com quem vocês shippam o Yoongi? Tipo, ele é meu utt e pá, mas nunca sei com quem shippar porque, enquanto eu quero ele com todos, não quero com ninguém... triste... Enfim, mandem aí seu par do Yoongi pra eu saber como fazer a próxima one (sim, você leu certo, aguarde huahuahuahuah)

P.S.2: Eu também postei a fic no Nyah! Tá gente? Não é plágio não...

Beijão and.... ENJOY, BITCH :3

Capítulo 1 - Teach Me Dance And Make Me Wet


Fanfic / Fanfiction Umedeça-me - Capítulo 1 - Teach Me Dance And Make Me Wet

Jungkook estava cansado. Isso era um fato. E ai de quem ousasse contradize-lo. Quer dizer, eles já estavam sentados naquele maldito estúdio olhando para as mesmas letras, as mesmas notas e as mesmas coreografias havia quase seis horas, nenhum ser humano normal estaria em condições de manter-se focado em trabalho algum. Digo, quase nenhum, já que Yoongi parecia mais do que satisfeito com a situação, uma vez que dormira as três primeiras horas e agora, às duas da madrugada, encontrava-se em seu horário de pico, tamborilando animadamente os dedos conforme letras e mais letras invadiam sua mente.

O maknae passou os dedos pelos fios negros revoltos pela enésima vez e piscou pesado, levando muito mais do que o necessário para abrir os olhos e, quando enfim o fez, preferiu que os tivesse mantido fechados, ao seu lado um sonolento Taehyung apoiava-se no encosto da cadeira, os olhos vidrados no rebolar lento e ritmado de Hoseok, que explicava-lhe os passos da nova música que Namjoon e Yoongi terminavam de compor. Tae não era muito bom em aprender as coreografias, na verdade ele era péssimo, e era sempre Jungkook que tinha de ajuda-lo a aprender quando havia pouquíssimo tempo para fazê-lo, mas o garoto realmente não se importava em passar horas com seu hyung, apenas observando-o imitar os movimentos sexys, sem muita destreza, mas o atingindo feito um raio. Entretanto observá-lo aprender tais movimentos com outra pessoa, em especial Hoseok, causava-lhe náuseas e o moreno realmente não fazia ideia do porque desse fato. Ou como muda-lo.

Hoseok dirigiu-se a seu discípulo, pedindo que tentasse fazer os movimentos, Tae levantou-se, um tanto envergonhado e passou a língua sobre os lábios secos. Jungkook já estava cansado e sonolento, sonhando acordado em qualquer situação, focar-se nos lábios levemente rachados do mais velho o fez perder um pouco da concentração, quase inexistente, que dedicava à pauta em suas mãos. Ele não estava pensando em nada específico e claro que não queria acariciar tais lábios só para ter certeza do quão ressecados eram, afinal quem precisa umedecê-los tanto quanto Taehyung? Chegava a ser ridículo! Se Jungkook pudesse tocá-los, mostraria que aquilo não passava de uma mania, já que sua boca era definitivamente macia...

-Droga, Jungkook! – resmungou, remexendo-se na cadeira e voltando a encarar a folha que segurava, porém seus olhos perderam-se entre linhas e mais linhas e acabou fechando-os novamente.

-Por Deus, Jungkook! – alguém gritou, levando o moreno a sentar-se corretamente, porém sem conseguir conter o bocejo – É a terceira vez que você adormece, vá buscar um café – alguns segundos se passaram sem que o garoto reagisse aos berros de Jin, que encarava-o indignado – Anda logo, e Tae, vá com ele, vai que acaba dormindo no meio do caminho ou sei lá.

Só então o moreno notou que seu hyung estava caído na cadeira ao lado, os cabelos na cor vinho tão desgrenhados quanto as roupas que trajava. Seus olhos estavam fechados levemente, porém ele ainda parecia estar parcialmente desperto, já que os abriu ao ouvir seu nome e, após alguns segundos entendo o que ocorrera, levantou-se vagarosamente.

-Vem Kookie, eu mataria por um cappuccino – sorriu quadrado para o maknae que ainda o encarava e o puxou pela manga, ainda levemente anestesiado pelo sono e sem agir com muita rapidez.

Jungkook assentiu e seguiu o mais velho até os corredores que levavam à máquina de café aos fundos. Eles caminhavam em silêncio, não aquele pesado e constrangedor silêncio de pessoas que não possuem assunto, apenas um silêncio reconfortante e acolhedor de dois amigos que sabiam bem quando o outro estava cansado demais para conversar, um silêncio que dizia “Sua respiração sonolenta é agradável de ouvir”. Ou, pelo menos, era assim que Jungkook interpretara tal silêncio. Chegando ao destino ele observou Tae fazendo os pedidos, seu cappuccino e o café do mais novo, com todas as características que ele sabia que Kookie apreciava, fazendo com que um sorriso preenchesse o rosto cansado do moreno.

-Sabe – começou V, novamente passando a língua pelos lábios, causando uma breve hesitação no rapaz à sua frente – Eu não estou entendendo nada dos passos que o Hobi tá tentando me ensinar! Quer dizer, ele dança bem, é claro, mas não faz nenhum sentido pra mim!

-Olha – Jungkook chamou a atenção dos olhos do mais velho e logo arrependeu-se por isso. Piscou algumas vezes, indeciso – S-se você quiser, eu posso ajuda-lo com isso. Quer dizer, eu também não estou mais entendendo nada das notas que tenho de alcançar, é bom darmos uma variada... – amaldiçoou-se por ter gaguejado e o tom envergonhado que sua voz assumira, afinal quantas vezes ele e Tae não ensaiaram juntos, droga?

-Jura? Nossa, isso seria o máximo, não tem como não entender quando é o seu corpinho me ensinando – riu-se Taehyung, cutucando as costelas do menor até ele encolher-se – Ótimo, vamos lá para o estúdio então e...

-Não! – Jungkook não queria ter gritado e droga, como tudo aquilo era clichê! Aliás, quantas vezes havia pensando “droga” só diante de suas ações? Ele estava ficando idiota? Ou será que o “droga” só valia para suas ações diante de uma pessoa em específico? Ah, Deus, isso não fazia sentido algum, era só Taehyung, não IU, certo? Então por que continuava agindo como um idiota?! – Droga, Jungkook!

-Está tudo bem? – uma expressão preocupada, e incrivelmente fofa, ocupou o rosto de Taehyung quando ele o inclinou levemente para a direita, curvando-se na direção de Jungkook quando o moreno parou de falar, encarando o nada como uma estátua. Os membros já deveriam estar acostumados com essa expressão no rosto do maknae quando acabara de acordar, mas ainda os assustava.

-Sim, é só que... – uns segundos de profunda reflexão ocuparam a mente do garoto até ele respirar fundo para soltar: - O Suga... Está muito concentrado e precisamos ouvir o ritmo da música para melhorar na hora da sua dança, então é melhor irmos para uma sala separada e não atrapalha-los.

O garoto apertou os dedos até os nós ficarem brancos, porém Tae nem parecia ter desconfiado da intenção do mais novo de manter-se sozinho com seu hyung, uma vez que apenas pegou sua manga, da mesma forma que fizera mais cedo, e o puxou para uma das salas desocupadas, os copos de café na mão de cada um transmitia certa segurança a Jungkook e ele não fazia ideia do que estava passando pela sua cabeça. Assim que entraram o mais novo colocou as mãos sobre o interruptor, porém Tae o interrompeu.

-Deixa em meia luz – pediu, já posicionando as cadeiras que seriam necessárias na dança – O que? Eu sou péssimo, pelo menos não vou ficar completamente exposto!

O garoto riu e fez o que lhe fora pedido. Era engraçado, com a luz amarelada acesa parcialmente o ambiente assumia um ar romântico, porém tendia drasticamente ao sexual... Jungkook sacudiu a cabeça e sentou-se em uma das cadeiras, apoiando os cotovelos no encosto e indicando a Taehyung que fizesse o mesmo.

-A dança não é difícil, uma vez que você solta o quadril, é só relaxar e se movimentar – o garoto fez o movimento tendencioso, indo lentamente para frente e para trás sentado na cadeira enquanto uma das mãos segurava o encosto, ainda encarando um Tae levemente constrangido – Tenta você.

-Eu não consigo! – o constrangimento cresceu e o rapaz abaixou a cabeça – Acha que eles vão mesmo por isso na dança? Quer dizer, é tão... Grind On Me e etc.

Jungkook soltou uma gargalhada alta, gostosa de se ouvir, e deu de ombros.

-Mesmo se não, isso vai ajuda-lo em danças futuras, encare como um treinamento – o outro o incentivou a mover-se e, quando Taehyung finalmente o fez, Jungkook não pode conter outras de suas gargalhadas – Não está funcionando – apontou o óbvio e refletiu por alguns segundos – Hyung, você é virgem?

-O-o-o que? – o mais velho tossiu algumas vezes, o rosto atingindo uma coloração tão avermelhada que nem mesmo a pouca iluminação impediu que Jungkook notasse o quanto tal pergunta o afetara – Claro que não!

-Então, é só lembrar-se de quando fez, imagine que tem... Uma garota embaixo de você.

Taehyung tossiu novamente. A parte que ele não era mais virgem era verdade, porém não era bem com uma garota que ele tinha perdido sua virgindade... E não era bem da forma como Jungkook estava insinuando que o fizera. Então Tae lembrou-se. Em sua primeira vez ele estava sentado e ele fez esses mesmos movimentos, porém era um tanto mais macio sob suas coxas. Olhou de relance para o maknae, visualizando novamente o movimento que o mesmo fizera e inconscientemente imaginou como seria mais fácil fazê-lo tendo o moreno sob si... Piscou forte algumas vezes, repreendendo-se e voltando a concentrar-se nos movimentos. Pouco a pouco as lembranças foram preenchendo sua mente e ele foi reproduzindo sobre a cadeira tudo o que fizera anteriormente com seu parceiro.

-Olha só, então a garota realmente te ajudou em algo – brincou o maknae, um tom estranho em sua voz, porém não tão estranho quanto a sensação em seu baixo ventre que o deixava desconfortável – Depois disso, que deve durar uns três ou quatro segundos, então você levanta-se, inclina a cadeira, faz apenas duas vezes o mesmo movimento, e vira-se de costas para o espelho, colocando a cadeira na posição normal – Jungkook realizou exatamente como narrara e olhou para Tae, pedindo que o acompanhasse.

Taehyung não via-se capaz de falar, seus lábios ressecaram novamente quando a visão das coxas bem marcadas pela calça justa do mais novo tomou conta de toda a sua consciência, ele teve de umedecê-los, levando a um olhar perdido de Jungkook sobre si. E Taehyung percebeu, como ele sempre percebia. Foi então que sua mente iluminou-se como em uma explosão pirotécnica, mas tudo o que fez foi sorrir de canto e imitar perfeitamente os movimentos do mais novo.

-Ótimo, ótimo! – comemorou o outro, ele odiaria admitir, mas não estava exatamente feliz por Taehyung estar aprendendo os passos com ele, mas sim por poder assisti-lo executa-los sem outros olhos os observando – Agora essa parte é mais difícil e... Bem, veja, depois eu te mostro com a música.

Desta vez, não houve narração por parte de Jungkook, ele apenas virou-se de frente para o espelho e fez. O começo era semelhante com Jimin em Blood Sweat & Tears, suas mãos taparam seus olhos e desceram lentamente pelo pescoço e abdômen, levantando a barra de sua camisa e flexionando levemente os joelhos conforme rebolava, ajoelhou-se completamente no chão e inclinou-se para trás, um braço o apoiava na posição conforme o outro puxava sua franja para trás, os poucos movimentos foram o suficiente para fazê-lo ofegar e manter os lábios entreabertos conforme seu corpo ondulava. Taehyung obrigou-se a desviar o olhar rapidamente, causando constrangimento em ambos os presentes.

-Tae, você precisa prestar atenção, não quero fazer isso por nada – o garoto pensou em dizer “também é constrangedor para mim” mas imaginou que o outro não encarava a situação com os mesmos olhos que ele – Essas partes estão quase acabando, prometo.

-Tudo bem, estou concentrado.

-Certo, vá fazendo essas partes enquanto eu coloco a música para ver se te ajuda – falou o mais novo, engatinhando até o celular que deixara sobre a mesa.

Jungkook sentou-se ao lado do aparelho enquanto observava o desempenho do companheiro de banda, porém V parecia ter perdido completamente cada informação que o mais novo lhe passara, pois cada movimento estava mais dessincronizado que o outro, ele embolava-se com os próprios pés e invertia a ordem das estocadas, tornando a dança confusa e acabando com qualquer clima sensual que Jungkook tinha a esperança de que a pouca iluminação, dança sexy e música provocante pudesse criar. Não que ele realmente possuísse tais esperanças, isso era óbvio que não, na verdade ele realmente temia que algo assim acontecesse, quer dizer, seria muito estranho ele ficar duro vendo seu melhor amigo rebolar sobre uma cadeira, certo? De qualquer forma essas preocupações o abandonaram assim que viu a forma desnorteada e desengonçada que seu hyung executava cada um dos passos que mais cedo ele parecia ser perfeitamente capaz de fazer.

-Mas que porra é essa Taehyung? – exclamou o mais novo quando a dança atingiu um nível ridículo – Você quer seduzir suas fãs, não leva-las a chamar a ambulância porque acham que você está convulsionando! – ele levantou-se e cruzou os braços, muito mais perto da cadeira em que o garoto tentava danças – Vamos lá, já te falei como pode funcionar não é?

-Mas é difícil imaginar que tem alguém embaixo de mim com uma cadeira tão dura! – exclamou, um biquinho emburrado em seus lábios.

-Então o problema é a cadeira, não é? – o moreno não entendeu muito bem o que estava fazendo até sentar-se na dita cadeira e bater em suas próprias coxas – Está bem, vamos tentar assim!

Taehyung arregalou os olhos e não ousou mover-se, então tudo o que Jungkook fez foi segurar seu pulso e girar com ele nos braços, colocando-o sobre si, uma perna de cada lado da cintura, conforme sentava-se na cadeira. Tae umedeceu os lábios, encarando os olhos que tantas vezes considerara inocente, o fitando de volta na mesma intensidade.

-Vamos lá TaeTae, em nome da dança – sussurrou o pequeno, sem desviar o olhar, naquele momento a playlist trocou de música e todos os nervos de Tae retesaram-se ao ouvir a batida eletrônica de Needed Me iniciando-se lentamente, e Jungkook percebeu – Tudo bem? Está macio agora?

-Rihanna, Jungkook? Isso é sério? – ironizou com um sorriso sacana.

-Qual é, essa é minha playlist de danças sensuais... – o menor fez um muxoxo, porém logo voltou-se ao foco do momento que era a extrema proximidade dos dois – Aliás não mude de assunto, vamos lá, relaxando...

Suas mãos envolveram a cintura de Tae e massagearam o local e lá estava ela novamente, a língua atrevida umedecendo os lábios ressecados, entretanto dessa vez Jungkook não importou-se em disfarçar, encarando descaradamente o movimento dela, até retornar lentamente para seu devido lugar, porém o moreno continuou a encarar quando Taehyung mordeu o lábio inferior, levando Jungkook a arfar sem perceber.

-Será que você não consegue, hyung? Esses simples passos de dança? – um sorriso inocente formara-se nos lábios de Jungkook, mas uma faísca de desafio passou por seus olhos. Era seu trunfo e sabia que Taehyung jamais negaria um desafio. Ou ousaria ser derrotado em um.

-Kookie... – murmurou o outro, no mesmo tom de voz baixo e arrastado que o maknae usara consigo, tornando a Jungkook impossível não imaginar seu próprio nome como um gemido vindo dos lábios do garoto sobre suas pernas – Seria muito estranho fazer um lap dance em você, quer dizer, nem nos beijamos para chamar isso de encontro – brincou o outro, remexendo-se no colo do mais novo.

-Ah, então é esse o problema? Você quer um beijo? – o sorriso brincalhão sumiu dos lábios de Jungkook, dando lugar apenas a um olhar carregado de malícia e desta vez foi Taehyung que arfou, colocando uma mão de cada lado do pescoço de Jungkook e segurando firmemente o encosto da cadeira.

Taehyung começou a mover-se lentamente, de certa forma ele era grato à música de Rihanna, ter algum ritmo a seguir facilitava as coisas, porém o olhar intenso de Jungkook sobre si o deixava vermelho e ele abaixava ao máximo a cabeça para não ter de encara-lo.

-Você está olhando muito para baixo – o maknae chamou-lhe a atenção, levantando seu queixo até que ambos os olhares encontrassem-se – E precisa chegar mais perto, se não vai ficar muito estranho.

-Mas Jungkookie! – exclamou o outro e tudo o que recebeu foi um apertão na cintura e um puxão que fez seu nariz encostar ao de Jungkook ao mesmo tempo em que a música trocava para mais uma americana que Tae não conhecia e o menor realmente agradeceu pelo péssimo inglês do garoto quando a primeira frase dita foi “I can fuck you all the time”.

-Você quer fazer direito ou não? – agora as respirações misturavam-se em apenas uma e Jungkook deixou suas mãos ao redor do quadril de Tae, os dedos quase envolvendo sua bunda.

Tae recomeçou os movimentos de vai e vem, porém desta vez as mãos de Jungkook acompanhava suas estocadas, diminuindo o ritmo quando ia muito rápido ou trazendo-o para mais perto quando o via se afastar. Alguns segundos se passaram naquilo e Taehyung começou a arfar levemente, cansando-se aos poucos, então Kookie viu-se obrigado a ajuda-lo a se mover com mais força, ele não queria que o garoto parasse, logo testas uniram-se e narizes tocaram-se. Ambos estavam ofegantes e mantinham os olhos conectados, mesmo que isso significasse um intenso rubor no rosto de Jungkook, ele ainda perguntava-se o que havia no café que tomara para dar-lhe tanta segurança. Quando o maknae abriu levemente as pernas, buscando mais contato, Tae passou a língua sobre os lábios novamente e então Jungkook não pode evitar o baixo gemido que escapou-lhe, surpreendo ambos.

-Está muito pesado, Kookie? – perguntou Tae, mesmo que soubesse que não era nada disso, mas, bem como Jungkook havia apontado, o mais velho odiava perder e, nesse momento, ele resolvera jogar – Acho que eu aprendi, não é?

-É, com certeza – Jungkook não queria ter soado tão desnorteado quanto Tae o fizera sentir-se, ou talvez estivesse impressionado, mas falhou miseravelmente e tudo o que pôde fazer foi levantar-se rapidamente quando o maior saíra de seu colo. Agora sim ele tinha um grande problema para disfarçar – A-agora o resto da dança, vamos tentar...

E o perfeito desenvolvimento de Tae no lap dance morreu ali, porque o resto estava tão ruim quanto sempre fora e o moreno desesperou-se. Ele esperou toda a música acabar antes de levantar-se e mover as mãos pelos cabelos em um movimento exasperado que fez V parar de dançar e abaixar a cabeça até que seus pés fossem a única coisa em seu campo de visão.

-Eu sou um desastre! – reclamou, com um suspiro afetado.

-É mesmo, mas eu sou a melhor pessoa que você jamais vai conhecer, lembra? – o moreno sorriu, levantando-se e indo até o garoto – Primeiro você tem que mudar a pose inicial, curve-se mais – o moreno colocou as mãos nas costas de seu hyung e o encurvou um pouco mais, porém o garoto perdera completamente a posição ao fazê-lo – Ah! Por que você é tão duro, Taehyung?!

Ambos os rostos esquentaram com essa exclamação e, mesmo que Tae curvasse sua cabeça, Jungkook tinha uma perfeita visão das orelhas completamente vermelhas do garoto, o que o fez conter um riso malicioso. Mesmo assim, o problema da “dureza” de Taehyung permanecia.

-Olha, eu vou ter que... – Kookie não completou a frase, apenas encaixou-se atrás de Tae, curvando suas costas e arrumando seus pés, nessa posição seu abdômen estava colado às costas de Taehyung, o que queria dizer que seu... Jungkook balançou a cabeça, focado nos olhos curiosos de Tehyung que o fitavam através do espelho que lhe dava uma visão perfeita do posicionamento impuro em que colocaram-se – Espera, você tem que...

E novamente ele não completara sua frase, apenas pegou a mão do mais velho e a colocou na coxa do mesmo, alto o suficiente para que Jungkook quase pudesse sentir o volume ao lado, subiu a mão novamente até alcançar o pescoço do garoto e a deslizou desde o peitoral até o abdômen, alcançando a barra da camisa, Tae a ergueu e Jungkook levantou o queixo de seu hyung, que insistia em olhar para baixo, nesse momento Taehyung deveria ondular seu corpo, porém parecia ter esquecido completamente desse fato e o maknae não possuía mais mão para movimentar a cintura do garoto, portanto tudo o que podia fazer era investir contra seu corpo, fazendo-o movimentar-se ao ofegar e esfregando-se contra a bunda do mais velho.

-Kookie... – gemeu Tae e dessa vez não havia dúvida, aquilo não era um mero sussurro para não atrapalhar a batida e Jungkook percebera isso.

-Você ainda está tenso, TaeTae – o menor aproximou seus lábios da orelha do hyung, levando o mais velho a umedecer os lábios – Sabe, você não pode me culpar pelo que acontece agora, não é? Porque você continua mostrando sua língua, então não pode me responsabilizar por nos meter em problemas...

-Do que você-

Entretanto, antes que Taehyung percebesse, suas costas colaram-se à parede e o joelho de Jungkook posicionava-se perigosamente entre suas pernas, os olhos do mais novo faiscavam e seu corpo estava quente, levando o mais velho a abrir levemente os lábios, convidativo.

-Não é minha culpa se você é irresistível – a voz rouca de Jungkook arrepiou o mais velho e ele apenas viu-se ainda mais eriçado quando os lábios do menor tocaram seu pescoço, ainda tímidos – E nós ficamos tão bem juntos, é o que todos dizem – seus lábios deslizaram pelo pescoço arrepiado, Tae, involuntariamente, inclinou a cabeça para o lado oposto, aumentado o espaço de alcance de Jungkook – E não é minha culpa se você continua me excitando dessa forma – os dedos gelados de Jungkook entraram em contato com a pele fervente sob a camisa de Taehyung, fazendo o garoto desencostar da parede e avançar buscando mais contato – E você é o único que faz isso comigo – os lábios do moreno desencostaram do pescoço de seu hyung para subir até a altura dos lábios do outro, que ainda o encarava sem reação e completamente corado – Com seu corpo me chamando desesperadamente dessa forma...

Taehyung não ousava mover-se, portanto Jungkook teve de vencer a distância que os afastava, seus lábios enfim tocando os do garoto que tantas vezes o umedecera e, exatamente como imaginara, e desta vez não negava ter imaginado, não havia nada de ressecados neles. Eram macios, levemente adocicados e inebriantes. Apenas toca-los foi o suficiente para atiçar todos os sentidos do garoto, que arrepiou-se completamente quando quem pediu passagem com a língua foi Tae. Sentir o gosto de Taehyung em sua boca ia além de qualquer sonho, ele sentia os dedos do maior brincarem com seus fios conforme o próprio Jungkook acariciava o abdômen de Tae. O movimento das bocas parecia seguir a música ao fundo, lenta e paciente, porém ao mesmo tempo carregada de luxúria e desejo. Conforme Taehyung puxava mais sua nuca para perto, mais Jungkook aprofundava o beijo que há tanto tempo desejara, afastaram-se minimamente para respirar, sem abrir olhos ou fechar bocas, então aproximaram-se novamente, contudo não havia paciência dessa vez e o beijo era sedento, como se para provar que estava realmente acontecendo. O mais novo envolveu a cintura de Tae a apertou sua bunda, provocando um sorriso do mais velho através do beijo, o garoto separou-se novamente e atacou o pescoço do moreno, deixando chupões e mordidas por toda a extensão de pele que a camisa lhe permitia tocar. Jungkook arfava cada vez que a língua quente de Taehyung tocava sua pele e, quando o garoto o pressionou mais contra a parede, as ereções tocaram-se, causando um ofego em cada um e levando o maknae a subir as coxas de Tae até que suas pernas envolvessem sua cintura e a parede fosse a única coisa que o sustentasse.

-Senta – sussurrou o mais velho ao seu ouvido, mordendo o lóbulo da orelha do garoto logo em seguida.

Jungkook não esperou outra ordem, apenas posicionou-se na cadeira conforme o rapaz em seu colo começava a mover-se, da mesma forma que fizera mais cedo, contudo os beijos e mordidas que o moreno deixava por todo o seu pescoço tornavam o momento ainda melhor do que minutos antes. O mais novo retirou a camisa de Tae e arfou, fosse porque novamente as ereções chocaram-se, fosse porque o rapaz que estava sobre si era Kim Taehyung.

Jungkook levantou-se novamente e inverteu as posições ajoelhando-se entre as pernas de Tae e sorrindo-lhe com malícia, lentamente a zíper foi aberto e calça e cueca desceram até revelar o membro semiereto do hyung.

-Kookie... – gemeu Tae quando sentiu a boca aconchegante do maknae o envolvendo e apenas isso foi o suficiente para fazê-lo estremecer.

Os movimentos começaram lentamente, apenas na glande, Jungkook sugava-lhe com calma, após alguns segundos sua boca aprofundou-se mais até alcançar a base, repetiu a mesma coisa diversas vezes antes de retornar até a glande e passar a língua pela fenda enquanto sua mão movimentava-se para frente e para trás na base do pênis de Taehyung. O garoto começara a arfar conforme os movimentos tornaram-se mais rápidos, suas mãos desceram até os cabelos macios do garoto e ajudaram-no nas estocadas, Taehyung chegara ao ponto de estar movendo o quadril na direção da boca do mais novo a cada vez que sua glande tocava sua garganta.

-Jungkook... – nesse momento Kookie não sabia o que mais o ensandecia, Tae gemendo seu apelido ou o nome completo – Eu estou... Quase...

Os movimentos foram ainda mais aprofundados e não passara-se um minuto antes do líquido quente tocar a língua do garoto. Jungkook era virgem, seja com um homem ou mulher, porém lera dezenas de fanfics que suas fãs escreveram para saber como fazer aquilo direito, mas nenhuma delas avisara-lhe sobre o quão interessante o gozo de Taehyung era. Adocicado e amargo no final, poderia parecer estranho, mas até mesmo isso o garoto adorara.

O garoto estava prestes a levantar-se quando o peso de Tae sobre seus ombros o fez voltar ao chão, até deitar-se e o garoto inverter as posições, com seu hyung completamente corado e nu preso entre seus braços.

-Jungkook – o garoto sussurrou, encarando o moreno sem desviar os olhos – Eu quero que você me foda com todas as suas forças.

Isso foi o suficiente para a calça de Jungkook tornar-se apertada demais e ele a tirou no mesmo momento, já a camisa, repleta de botões estúpidos, demorava a sair. Tae sentou-se novamente, desabotoando desesperadamente a roupa do mais novo conforme seus lábios beijavam repetidamente o garoto à sua frente. Kookie curvou-se até as costas de Taehyung encontrarem novamente o chão frio, colocou três dedos nos lábios do mais velho, que os envolveu rapidamente e passou a suga-los com certa necessidade que fazia o pau de Jungkook latejar. Ele desceu até o pescoço do mais velho, sugando-lhe a pele e marcando com mordidas agressivas, ele adoraria que todos notassem como o rapaz estava roxo no dia seguinte. Quando Tae terminou de lubrificar os dedos do moreno ele os posicionou em sua entrada, o primeiro entrou facilmente, levando Jungkook a pensar há quanto tempo Taehyung fazia algo do gênero, o segundo causou certo desconforto e o terceiro resultou em um gemido arrastado por parte do maior, porém com mais prazer do que dor. Apenas alguns segundos passaram-se antes que Tae movimenta-se o quadril, pedindo que continuasse, Jungkook os movimentou lentamente, entrando e saindo de seu hyung com todo o cuidado, até os gemidos do outro alcançarem notas que não permitiam ao rapaz continuar daquela forma.

-P-por favor, Kookie – ofegou o outro – Eu quero você.

Jungkook posicionou-se na entrada do mais velho e o preencheu por inteiro. Taehyung soltou um gemido alto ao senti-lo entrar completamente, não levou muito tempo até estar rebolando, implorando por mais, e Jungkook assim o fez. As estocadas eram variadas, no começo ele entrava e saia lentamente, porém logo tornou-se mais agressivo, necessitado, levando Taehyung a gritar seu nome, o que apenas fazia o menor sussurrar baixinho obscenidades.

-Hyung... – murmurou Jungkook, fazendo os olhos de Tae brilharem. Mas logo eles fecharam quando o mais novo atingiu algum ponto específico que fez o corpo de Taehyung estremecer

-Ah, ahn... Kookie... Aí... Mais fundo! – gritava ele, os olhos bem cerrados e as unhas arranhando as costas do menor, arrancando-lhe sangue e gemidos.

Jungkook nunca entendera aquela expressão, mas ao suspirar ele percebeu, o quarto cheirava a sexo. O som de corpos chocando-se, os gemidos em alto e bom som, os suspiros, as músicas sexuais soando baixinho e, principalmente, o corpo nu de Taehyung sob o seu. O garoto estava chegando à loucura e sua temperatura corporal aumentara tanto quanto a temperatura daquele estúdio. Alguns segundos depois das estocadas que arrancavam os mais belos sons dos lábios de Tae, Jungkook sentiu algo revirar-se em seu baixo ventre e colocou-se fundo no mais velho quando enfim liberou-se dentro dele. Sentir o líquido de Jungkook o preenchendo foi o suficiente para levar Taehyung ao ápice, fazendo-o abrir a boca e deixar um som longo e manhoso escapar, conforme manchava seu abdômen e o de Kookie com o líquido branco.

O maknae ainda ficou alguns segundos dentro de seu hyung antes de afastar-se lentamente, cansado e coberto por suor, ele envolveu Taehyung em um abraço repleto de paixão e tocou os lábios ressecados com os seus, sem língua ou luxúria, apenas um selinho um pouco mais demorado para enraizar o sentimento. Levantaram-se lentamente, colocaram as roupas e Jungkook desligou a música do celular, arregalando os olhos ao ver que marcava 3:17 em seu relógio, sendo que saíram do estúdio para buscar café quando eram 2:10.

-Será que eles pensam que nós morremos? – indagou o mais novo, terminando de arrumar seu cabelo e abotoar sua camisa. Olhou de soslaio para Taehyung, o garoto tinha os lábios extremamente vermelhos e inchados e seu pescoço estava repleto de marcas que nem mesmo um moletom seria capaz de cobrir, a camisa em V então. Esse conjunto serviu apenas para encher o peito de Jungkook de satisfação por ser o responsável por essas características.

-Eles pensam que nós estamos fazendo exatamente o que estamos fazendo – os lábios curvaram-se no sorriso quadrado que Jungkook tanto adorava e eles deram outro selinho antes de dirigirem-se à porta.

Ao abri-la um pequeno ser de cabelos esverdeados e pele branquela despencou, batendo com a testa no tênis de Jungkook e colocando-se de quatro, ainda confuso.

-Maldito, Jungkook, qual o seu problema?! – gritou o outro, como se os dois houvessem ido perturba-lo em seu cantinho, e não o tivessem pego espiando-os atrás da porta.

-Yoongi?! – berraram em uníssono, trocando risinhos após perceberem isso.

-O que você está fazendo aqui? – indagou Kookie.

-Vendo um pornô, claramente – mal-humorado, o outro não mediu esforços em constrangê-lo, e alcançou seu objetivo com sucesso – Mas, principalmente, vocês acham que a gente é retardado ou o que? Jin te manda ir tomar um café e tu demora uma hora, pirralho? Não tem senso de tempo e espaço, não? Caralho!

-Desculpa, Suga... – Jungkook não sabia se era exatamente isso que devia falar, mas o tom extremamente ofendido de Yoongi o fez achar que essa seria a melhor resposta.

-E é pra se desculpar mesmo! – agora Jungkook sabia o que falar – Tem ideia das maracutaia que tive que inventar pra livrar a cara de vocês? Falei que a máquina não tava fazendo cappuccino e vocês saíram pra comprar...

-Mas então você veio, viu a gente, os avisou e... Voltou? – Taehyung soara confuso, mas seu sorriso malicioso indicou que ele sabia bem o que aquilo significava.

-É c-c-claro que não, cacete viu V, tu é muito estranho! – mesmo que o outro tentasse soar indignado o rubor que tomara conta das suas bochechas o entregaram – Voltem logo pra lá, seus vagabundos! A gente tudo se esforçando pra vocês transarem em paz, ah, mas vai se foder viu...

-Ah, pode deixar que a gente vai...

Ambos trocaram olhares cúmplices conforme caminhavam pelos corredores e Yoongi colocou as mãos sobre os ouvidos gritando “Informação desnecessária!” e apertando o passo. Jungkook inclinou-se na direção de Tae e sussurrou em seu ouvido:

-E como fica com a dança?

-Ah, eu já sei os passos – o mais velho sorriu inocente.

-Como? E toda aquela merda que você tava fazendo?

-Kookie, se eu não te convencesse a me ensinar, como ia te provocar até tomar uma iniciativa? – Taehyung virou levemente a cabeça para encará-lo – Eu uso manteiga de cacau, acha mesmo que preciso umedecer meus lábios o tempo todo?


Notas Finais


AAAAAH É ISSO
Olha, desculpa qualquer erro e tals e espero que tenham curtido, porque eu amei escrever isso, sério, foi o máximo!
E desculpa o final, eu mudei umas cinco vezes, mas não sou muito boa com isso, então...
Enfim, espero que tenha gostado e um beijo pra quem quiser!

P.S.: Quem adivinhar a música ali nas entrelinhas que eu me baseei pra fazer a fic ganha um limão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...