História Uncertain Future - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Ariana Grande, Chloë Grace Moretz, Hailee Steinfeld, Justin Bieber, LaLi Esposito, Lily Collins, One Direction
Personagens Ariana Grande, Chloë Grace Moretz, Hailee Steinfeld, Harry Styles, Justin Bieber, Lali Esposito, Lily Collins, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Niall Horan
Tags Drama, Morte, Psicopata, Tragedia
Exibições 53
Palavras 1.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá :3

*Italico: flashbacks*

Capítulo 17 - Vitimas principais


Fanfic / Fanfiction Uncertain Future - Capítulo 17 - Vitimas principais

- A dor é uma solução. 

 

Dor, dor. Eu posso sentir ainda mais dor. Eu posso ser rasgado e cortado por uma faca, mas eu só preciso ter você. A sua existência é meu céu e inferno. Você é o limite que separa a linha, eu prometo ser o seu anjo se você prometer ser minha. É apenas uma fantasia. A dor surge aqui e ali com luzes que parecem que vão estraçalhar tudo. Minha tragédia, eu juro por tudo o que eu tenho que vou te trazer de volta para minha fantasia.

 

POV- Autora

O mascarado parou de perseguir o grupo de amigos e saiu puxando o corpo sem vida de Stayce pra um caminho que dava acesso a todo o lugar da cabana. Ele conhecia ali como conhecia seu próprio corpo, como conhecia seus medos e prazeres, o que seria bem estranho pra qualquer um.

Ele soltou a perna da Stayce e puxou um armário dando a visão de um buraco na parede, parecia ser uma passagem pra andar por dentro das paredes da casa. Então pegou o corpo sem vida e entrou no buraco logo o fechando novamente. Teias de aranhas grudaram em sua roupa e o lugar era bem escuro, mas não foi difícil passar por ali, justamente porque conhecia o lugar.

Caminhou lentamente pelo pequeno corredor que tinha um cheiro insuportável de mofo e então avistou uma luz vinda de um pequeno cômodo, caminhou até lá e empurrou a porta com o pé. Assim que a porta se abriu a visão que ele teve foi do paraíso. Uma cama no canto do cômodo, uma mesa com ferramentas, e um balde com tripas já em decomposição, aquele cheiro era horrível. O cômodo era parecido com o qual ele usou para matar Michael.

Sorriu soltando o corpo no chão e então limpou suas mãos na blusa, suspirou levando a mão até sua mascara e deslizou a mão pela a mesma a tirando. Seu rosto se encontrava em uma feição perdida e ao mesmo tempo satisfeito pelo o que tinha feito.

Caminhou até a mesa e pegou uma faca afiada passando os dedos por ela.

- Ora, Stayce – se virou para o corpo. – Vou ser sincero: Você fica bem mais bonita assim, em silêncio – se aproximou do corpo e então se abaixou ao lado do mesmo – Você não tem noção de como fica bonita assim – riu sem humor vendo o sangue escorre pelo o chão do corpo sem cabeça – Eu esqueci sua cabeça lá fora, não se importa né?

A faca na mão dele percorreu o corpo rasgando a blusa e então ele apertou mais um pouco a mesma fazendo um corte profundo na barriga do jeito que ele gostava. Soltou sua preciosa faca e segurou a parte onde estava o corte e abriu o mesmo já conseguindo ter a visão por dentro do corpo.

Enfiou uma das mãos dentro e puxou poucas coisas que conseguiu sentindo aquele negócio gélido em suas mãos, jogou o mesmo no chão e levantou sorrindo.

_Eu estive escondendo isso, eu te conto algo

Só para você manter segredo

 

Caminhou até o balde com as tripas e pegou o mesmo fazendo uma careta por conta do cheiro, voltou até o lugar onde estava e então pegou as tripas as colocando no balde.

- Uma surpresa pros meus pequenos. – sorriu.

Com o balde em mãos e já mascarado novamente ele entrou novamente em um dos corredores por dentro da parede e caminhou tranquilamente.

_O que eu não posso mais suportar

Eu não sei porque não pude dizer naquele momento

 

POV- Maggie Benetti

Estávamos muitos assustados e sem saber o que fazer, Stayce tinha partido também e isso me deixou abalada mesmo não me dando bem com ela, a mesma não merecia isso.

Mais e mais, a ferida apenas fica mais profunda

É como um pedaço de vidro quebrado que não pode ser remendado

Todos os dias é apenas o meu coração que se machuca profundamente

Ela era tão frágil, e recebeu a minha punição ao invés de mim

 

Isso era injusto, todos estavam partindo e nem sabíamos o motivo, nem sabíamos quem era aquela pessoa que nos perseguia sem nem ao menos nos dar um motivo ou uma solução.

- Temos que tentar sair daqui... – Brad parou olhando para mim.

- Uhum. – suspirei assentindo.

- E como fazemos isso? – Lunna perguntou – O ônibus ia passar na semana que vem e aqui não tem área pra ligar pro motorista.

- Vamos ter que ir a pé. – Brad disse.

- Ta muito difícil de enxergar algo, Brad. – John disse – Impossível.

- E vamos fazer o que? Ficar aqui esperando que aquele louco venha e nos mate como fez com os outros? – Brad disse em um tom alto.

- Você está com medo? – John perguntou maldoso.

- Vai se fuder, Washington.

- Calem a boca. – Lunna resmungou.

- Vamos procurar algum lugar pra nos escondermos e resolver o que vamos fazer. – Falei voltando a andar.

_"Por que você era assim comigo naquela época?"

"Me desculpe"

 

[...]

- Vamos entrar aqui. – Lunna apontou pra uma sala pequena que ficava fora da cabana.

Entramos na pequena sala com cuidado, pois estava muito escuro. Suspirei aliviada assim que a luz foi acesa revelando a espécie de um quarto onde tinha várias caixas e coisas jogadas no chão. A janela estava coberta por uma cortinha cor bege e a luz da lua poderia ser refletida facilmente. Rodei meus olhos pelo local e parei em uma caixa que estava escrito “Joshua Washington”

 - Meu irmão morreu e você quer que eu apenas ignore?

- Seu irmão era perturbado, ele deve ter se metido em algo.  

- Cala a boca, Angelina. 

_Me desculpe, me desculpe

Me desculpe, meu irmão

Aquela luz, aquela luz brilha sobre meus pecados

Apenas o sangue vermelho cai incapaz de voltar

Todos os dias, eu quero morrer ainda mais

Deixe-me levar a punição

Conceda-me absolvição dos meus pecados

 

Me aproximei com cenho franzido da caixa e entortei a boca de forma curiosa.

 - Onde estão os documentos? – Jason perguntou.

- Eu não sei, pai. – bufou o menor.

- Não bufe pra mim, garoto. – levantou a mão para o filho.

- Vai me bater de novo? Vá em frente. 

Passei o dedo pela a caixa tombando a cabeça pro lado e sinto a presença de alguém ao meu lado.

- O que é isso? – Lunna perguntou.

- Eu não sei – falei baixo.

Lunna tirou minha mão da caixa e pegou a mesma colocando no chão. Analisou a caixa enquanto tentava arranjar um jeito de abrir a mesma e quando conseguiu atraiu o olhar de Brad e John.

- O que é isso? – John perguntou confuso.

- Tem o nome do seu tio. – respondi.

- Como assim? – ele se abaixou em frente à caixa e pegou alguns papeis de dentro da mesma. - Há indícios de que ele foi assassinado, porém existem duvidas que estão rondando o caso.
Ele tinha marcas pelo o corpo, mas não tinha há digital de nenhum indivíduo. – ele leu em voz alta.

- Isso estava na matéria do assassinato do tio. – falei me abaixando ao lado dele.

- Sim, mas como isso veio parar aqui? – Brad perguntou.

- Não faço à mínima ideia – John respondeu.

- Não foi você? – Lunna perguntou.

- Não. – ele negou.

Peguei um papel que parecia mais uma foto e olhei o mesmo com cuidado.

“Vítimas principais.”

Arregalei os olhos assim virei o papel, era uma foto do nosso grupo que foi tirada antes de virmos pra cá ano passado. Mas, o que me chamou a atenção foi o fato de que eu e o John estamos circulados na foto e logo abaixo tinha um “X” no Otávio e na Olivia.

Peguei um envelope na caixa e abri o mesmo tirando de lá mais fotos, só que dessa vez era fotos separadas do nosso grupo já sem a Olivia e o Otávio. Fui passando as fotos e cada uma tinha uma numeração de caneta vermelha.

Clarice - 1
Michael - 2
Jake - 3
Stayce - 4

Cruzei o cenho olhando novamente os números.

- Gente... – chamei em um tom baixo e logo senti olhares sobre mim. – Essas fotos... Tem fotos nossas aqui. – mostrei.

- Essa foi a sequência que eles morreram. – Lunna disse – Calma... Essa foi a sequência que eles morreram – arregalou os olhos.

- Não é possível. – Brad negou pegando as fotos da minha mão. – Essa pessoa já tinha tudo programado. A intenção do principio era calcular cada morte, uma por uma.

- Vitimas principais. – falei mostrando a outra foto.

- Então quer dizer...

- Que isso não foi por acaso, é uma armadilha. 


Notas Finais


Só isso mesmo, bye :3

~Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...