História Unchained - Paladins - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Futuro, Guerra, Inteligência Artificial, Luta, Overwatch, Paladins, Romance, Suspense
Visualizações 17
Palavras 2.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Steampunk, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aqui está a segunda parte. Mais uma vez desculpem qualquer erro de português, só tive uma chance de ler ele novamente ;-;

( Na imagem é a Emily feita pela minha irmã. Vou pedir pra ela desenhar os outros personagens criados para vocês conseguirem imaginar melhor :3 )

Boa leitura.

Capítulo 60 - The Prophecy (Part 2)


Fanfic / Fanfiction Unchained - Paladins - Capítulo 60 - The Prophecy (Part 2)

- Eu não achei que chegaríamos a essa conversa tão cedo. - Ying vira o rosto e respira fundo.

Ying levanta sua mão esquerda e junto sua lente flutua até sua direção. Ela respira fundo e a lente se desfaz em uma leve fumaça verde e se refaz no ar no formato do livro mágico que vi em seu quarto. Diferente das outras vezes, não estava me sentindo tão atraído por ele nesse momento.

- Muitas lendas contam sobre um mago capaz de ver o futuro através de pequeno espelho mágico. - Ela faz um gesto com as mãos e o livro se abre em uma página mostrando um desenho feito a mão de sua lente. - Ele sabia o passado, sabia o presente e principalmente o futuro.

- Espera, se você está portando esse espelho, você é a oráculo, não é? - Emily fica curiosa.

- Na verdade não. Todos acreditavam que quem portasse o espelho seria um oráculo, mas estavam enganados. Ele foi passado por muitas pessoas, mas nenhuma era capaz de sequer ver seu próprio reflexo no límpido cristal do espelho. Somente o próprio mago poderia carregar o fardo de ser o oráculo da humanidade, mas ele já se foi a muitos anos. Como último ato, ele deixou escrito todas suas profecias em um livro mágico. - Outra página do livro se abre e mostra o retrato do próprio livro. - Ele é conhecido como Morellonomicon.

- Então aí estão todas as profecias e previsões sobre o que ele escreveu? Você pode saber de tudo? - Emily ficou ansiosa e parecia querer pegá-lo.

- Sim, mas não é como você imagina. Como eu disse, o livro é mágico e a maioria de suas páginas são seladas com magia do Abismo. Eu não sou a primeira a ter posse do livro, mas sou a única que ainda está viva. - Ela diz nos fazendo engolir em seco.

- É como... - Tentei dizer.

- ...uma armadilha. Você não escolhe o livro, o livro escolhe você. Sua função é protegê-lo e usar suas informações com sabedoria, ou perderá sua posse. Eu não sei tudo o que está nele pois não posso escolher o que ler. Ele me mostra o que deve, na hora certa e...a alguns dias ele me mostrou verdade sobre a profecia, que é o que acabei de contar a vocês. Caso eu tente ler algo que o livro não deseje que eu leia, a magia do Abismo irá instantâneamente consumir minha alma e destruí-la. - Ela finaliza com um tom dramático e o livro se fecha, voltando para seu colo.

- Se o oráculo morreu e...o livro é como seu espírito, você é... - Lex chegou a conclusão.

- Sou a protetora do oráculo. - Ela finaliza respirando fundo.

- Isso foi o que te deixou nesse estado de...cansaço. Saber sobre tudo isso acabou te sobrecarregando. - Cassie diz, preocupada.

- Bom...sim. - Ela assente de forma que não me convenceu.

- Qual seu plano? - Amy continua a olhando sem muito interesse.

- O Morellonomicon me revelou sobre Éris e Serena terem sido libertadas. Nós devemos encontrar Serena e acredito que após tanto tempo, ela tenha um plano para eliminar não só Éris, mas as deusas novamente. É só uma questão de tempo para que elas encontrem Loxus e juntem forças para eliminar Serena de uma vez. - Ela revela também parecendo preocupada.

- Estamos...no meio... - Começo a dizer, abismada.

- ...de uma guerra celestial. - Lex completa um pouco perplexo. - Meses atrás eu achava que estava lutando para defender algumas pessoas, mas descobri estar lutando pelo meu país. A semanas atrás descubro que estive lutando para salvar a Europa e agora...eu...preciso salvar o mundo.

- Eu passei um ano com uma dessas deusas de quem falamos, dentro de mim. No começo também me senti assim, mas se você lutar do nosso lado, a responsabilidade não pesa tanto. - Coloco a mão em seu ombro.

Ele continua pensativo mas abre um pequeno sorriso e respira fundo.

- Bom, seja pra salvar quem for e onde for, ninguém desrespeita a lei enquanto eu estiver de pé. - Ele sorri pra mim.

- É bom ter você de volta. - Eu o abraço mais satisfeita.

Eu e Lex não temos um passado grande de amizade e sabíamos disso. Desde minha entrada nas Forças Unidas vivíamos em pé de guerra, seja de Soldado para Agente ou de Tenente para Capitão, mas agora era diferente. Estávamos ali apenas de Maeve para Lex.

- Você ou...o livro, tem alguma pista de onde podemos encontrá-la? - Tony diz um pouco ansioso.

- O livro não me deu nenhuma pista sobre. - Ela diz nos fazendo murchar como flores no inverno. - Mas, existe alguém que já a conheceu. O lugar de onde veio, é nossa principal pista do onde procurar. - Ela olha para Lex.

- Espera, você acha que eu...a vi? Mas como? - Ele fica surpreso.

- Karol. - Amy e Tony dizem juntos e ficam chocados pensando nisso.

- Então por isso ela está sumida. Sua segunda alma esse tempo todo era a própria Serena e agora que está livre, está usando o corpo da Karoline como seu. - Emily conclui.

- Lex, precisamos saber aonde você estava, aonde foi encontrado por ela. - Ying volta o olhar para o grisalho.

- Eu...não lembro. Não consigo me lembrar. - Ele diz preocupado.

- Eu lembro pra você. - Emily se levanta, coloca as duas mãos sobre os cabelos do grisalho e fecha os olhos.

Após alguns segundos aguardando. Ela volta respirando fundo e se senta novamente enquanto ofegava.

- Suíça. Sei a localização exata até lá. - Ela se joga de costas no sofá.

- Ótimo. Agora precisamos nos juntar com os outros para partir. O que acham de um prazo de...3 dias. - Ying nos pergunta parecendo torcer para que eu e Cassie não ficássemos contra a ideia.

- Eu...aceito. Evie está em boas mãos e também sabe se cuidar. - Digo mesmo ainda estando preocupada.

- Bom...eu confio em vocês. Se você acreditar que nada de ruim irá acontecer a ela, eu acredito em você. - Ela abre um pequeno sorriso para Ying que cora e retribui.

- Obrigado por sua confiança. Temos 3 dias para respirar bem fundo antes de mergulhar. - Ela se levanta mais calma.

- Espera, alguém aí viu o Lin e o Pip? - Disse Emily olhando em volta e nos deixando curiosos.

- Devem estar lá em cima. Vou avisá-los que vocês irão contar nosso plano. - Ying respira fundo novamente e segue para o corredor enquanto o velho Morellonomicon se transforma novamente em sua lente. - Cassie, você me ajuda? - A médica diz já no final do corredor.

- Mas... - A ruiva tenta argumentar.

- CASSIE. - A médica diz mais uma vez e a ruiva engole em seco.

- Sim. - Ela se levanta e a segue, me deixando um pouco que...curiosa.

- Eu tenho que...agradecer por vocês me aceitarem em seu plano. Durante muito tempo acabei cego atrás de respostas dentro das Forças Unidas, que perdi a confiança em outras pessoas.

- Todos já cometemos erros no passado. - Coloco a mão em seu ombro.

- Menos a Emily, ela é perfeita. - Amy da de ombros, zombando a pequena.

- É diferente, eu não lembrar meu passado não quer dizer que não tive um. - A baixinha resmunga.

- Acho que ela foi uma assassina de aluguel. - Tony cochicha nos fazendo rir e Emily revirar o olhar.

Ver Lex em silêncio parecia algo comum até, mas o que me incomodou era ele parecer inquieto com algo.

- Você...tá bem? - Digo para ele.

- Eu... - Ele olha pra baixo e fica pensativo. - ...onde está Kinessa? - Ele mostra certo peso no olhar.

- Bom, a mais ou menos 1 dia ela foi atrás do Fernando junto de Skye e Evie. Uma missão de resgate. - Digo com certo remorso por ainda ter vontade de ir atrás delas.

- Você acha que ela está bem? Sabe...conhece ela melhor que eu. - Ele diz em um suspiro.

- Está sim. A Kinessa é incrível, inteligente e habilidosa. - Abro um pequeno sorriso para ele.

Alguns segundos o silêncio entre nós dois se estabalece novamente até ele quebrar o gelo.

- Eu lembro de quando te apresentei para Cassie e Evie como suas novas parceiras. Eu tinha certeza de que isso não daria certo, mesmo que não fosse minha escolha sobre as equipes. - Ele da uma risada de nostalgia. - Olha onde estamos hoje. A minha melhor agente encontrou toda uma equipe disposta a salvar...o mundo. - Ele diz como da primeira vez, mas ao invés de incrédulo, agora parecia maravilhado.

- Melhor agente? - O olho com certa curiosidade.

- Agente de operações especiais Maeve, Tenente do Capitão Lex. A agente mais nova que já tivemos em missão. - Ele diz pensativo. - Após o dia que vocês partiram para missão, me contaram que você havia sido escolhida como melhor agente e não tive como te avisar após isso. Talvez hoje não tenha mais valor, mas fico feliz por isso. - Ele diz colocando a mão sobre minha cabeça.

- E olha que a parte mais difícil foi lutar contra Skye. - Dou uma risada tímida.

- Skye... - Ele volta a ficar pensativo.

Todas as vezes que Lex a viu conosco, eu via esse olhar no rosto dele, como se ele soubesse de mais do que ela demonstrava.

- O que sabe sobre ela? - Pergunto um pouco curiosa. Não acho que ele saiba mais do que eu sei.

- Apenas conhecida como Skye, uma hacker britânica e excelente lutadora. Todos seus dados foram apagados dos sistemas mundiais, como se ela não existisse mais. Seduzia homens por informações e privilégios, mas abandonou essa vida após conseguir o que queria, encontrar seu irmão. - Ele diz como se tivesse montado um registro sobre ela.

- Você...a conhecia? - Fico surpresa.

- Ela era a 2° pessoa mais procurada pelas Forças Unidas, só atrás da Ashley. No fundo estou satisfeito de não a ter capturado, agora que sei que suas intenções eram para encontrar alguém da família e bom, digamos que agora que conseguiu o que queria, não fez mal a mais ninguém. - Ele justifica.

- Houve mais alguém que você não capturou? - Olho mais uma vez curiosa.

- Só mais um. Não se trata exatamente de uma pessoa, mas de...uma raposa. - Ele diz dando mais uma risadinha.

- Fale mais sobre ele. - Eu digo engolindo em seco.

- Um ladrão ligeiro e inteligente. Consegue facilmente se passar por algo que não é, como agentes ou apenas um civil, ou...

- ...um cientista. - Emily que começou a prestar atenção no assunto completa.

- Isso também. A alguns meses que vinha seguindo seus passos, mas ele é bem esperto. Nunca nos encontramos, mesmo que ele soubesse que eu estava procurando por ele. Até onde sei ele não é uma ameaça em potencial, mas não deixa de ser um fora da lei. - O grisalho completa cruzando os braços.

- E...qual você acha que seriam as intenções dele? - Digo engolindo em seco novamente.

- Talvez ele queira ir atrás de algo maior. Pelos fatos que juntei sobre ele, nunca foi realmente interessado em dinheiro e sim em equipamentos e algumas substâncias químicas. Ele é como um tipo de alquimista louco, fissurado na evolução do ser humano a partir dos animais. Pode ser que ele esteja em busca de um bom arsenal, ou alguém que possa bancar um. - O grisalho completa levantando uma sombrancelha. - Mas...por que tanto interesse nele? - Ele me olha curioso.

- Apenas...curiosidade? - Respondo de uma forma nada convincente e abro um sorriso sem graça. - Emily. - Olho para a pequena que entende o recado.

- Certo. - Ela sai correndo para o corredor para procura-lo.

- Vocês sabem de algo sobre ele, eu sinto isso. - Ele se levanta olhando em volta.

- Espera, não é como parece. Ele está nos ajudando desde... - Tentei me explicar.

- NUNCA ME PEGARÃO VIVO! - Pip sai correndo em quatro patas da cozinha em direção a porta de saída da casa.

- Droga, espera! - Saio correndo atrás dele.

Ele pode ser rápido correndo em quatro patas, mas consigo o alcançar e parar em frente a porta antes dele.

- Pip, espera, foi um mal entendido. Ele não vai fazer mal a você.

- Qual a garantia disso? - Ele vira e sobe as escadas correndo.

- EMILY! - Gritei por ajuda e a pequena apareceu no final da escada o agarrando.

- Calma fofucho, não vou deixar nada acontecer com você.

- Maravilha. - Ele cruzou os braços e virou o rosto emburrado.

O levamos para baixo e Lex estava confuso e surpreso por ver que ele estava conosco.

- O que houve? - Ying desce quase que desesperada.

- Estão todos bem? - Cassie também vem até nós puxando Lin pelo pulso.

- Oi de novo, pessoal. - O arqueiro assente tímido.

- Sentem-se. - Tony fala calmamente e se arruma no sofá.

- Vocês...estavam com ele esse tempo todo? Ele poderia ter feito mal a qualquer um de vocês. - Lex se contém apenas cruzando os braços e encarando o peludo.

- Poderia me soltar por favor pra eu me defender? - Ele olha para Emily que o solta abrindo um sorriso.

- Pip, do começo. - Olho séria pra ele.

- Como vocês sabem, eu sou uma raposa. Nunca fui realmente um cientista, mas por que tenho só... - Ele para de falar e fica tímido.

- Tem só? - Lex levanta uma sombrancelha.

- Eu tenho só 9 anos. - Ele suspira e todos olhamos surpresos.

- Eu não sou a mais nova! - Emily levanta os braços comemorando.

- Na verdade eu nunca fui humano, não sei como é ser um. Sou um animal geneticamente modificado, inteligente e racional. - Ele completa respirando fundo.

- Se você é tão inteligente, por que precisava roubar? - Lex o encarava pensativo.

- Por que está nos ajudando? - Cassie levantou uma sombrancelha.

- Por que é tão fissurado por química? - Ying também ficou curiosa.

- Por que é tão fofo? - Amy levantou uma sombrancelha.

- Quem te criou? - Eu olhei séria e todos voltam ao silêncio encarando os dois.

- Eu...eu não sei, okay? Eu apenas me lembro de acordar um dia em um laboratório vazio na França. Tentei procurar respostas e saber o que estava acontecendo, mas a única coisa que encontrei era uma receita e alguns componentes químicos. Eu não tinha propósito algum, então passei a acreditar que talvez eu devesse encontrar a resposta, quando criasse a solução da receita. Não fui aceito abertamente por motivos óbvios, então o único jeito que eu podia conseguir ingredientes era roubando e enganando as pessoas. - Ele finaliza parecendo preocupado com o que estávamos pensando dele.

- Isso ainda não explica o por que está nos ajudando desde o começo. Não é só você que precisava de nós. Você nos ajudou sem um propósito e está aqui até hoje. Você nos ajudou na recuperação física e está cuidando de Sha Lin desde então. Qual a justificativa Pip? - O olho totalmente curiosa e um pouco indignada.

- Isso...bom... - Ele da uma pequena risada enquanto cora e abre um sorriso sem graça. - Em todo esse tempo vocês são o mais próximo que eu tive uma família. Eu não tive intensões em roubar de vocês. Pelo contrário, além de querer ajudar, vocês também tem contribuído comigo. - Ele completa em um suspiro.

- Como podemos confiar em você? - Ying olha um pouco triste por ele ter escondido isso.

- Vocês confiaram até agora e eu mostrei que podem continuar confiando. Falta pouco pra eu conseguir completar a receita é tudo graças a vocês. - Ele olha aparentemente triste.

Começamos nos entre-olhar, mas não sabíamos o que fazer quanto a isso, até alguém quebrar o gelo.

- Pip, posso não te conhecer melhor e nem saber sobre seu passado, mas agradeço por ter salvo minha vida e me livrado daquele veneno. Não sei suas outras intensões, mas você me ajudou e sou grato por isso. - Lin abre um sorriso para ele e começa a olhar em volta pra ver se alguém dizia mais alguma coisa.

- Você criou uma poção capaz de regenerar quase que instantaneamente a saúde de uma pessoa... - Falei, pensativa.

- E usou em mim. - Lex completou.

- Eu...quero ajudar. Mas também quero saber...quem eu sou. - Ele diz de forma deprimida. - Por que eu fui criado? - Ele olha pra mim.

Eu nunca imaginei que ele estaria nesse tipo de procura e bom...sem saber o que realmente aconteceu com meus pais, me sinto da mesma forma.

- Eu confio em você. - Falei serenamente.

- Acho que todos nós confiamos. - Ying completa pensativa e olhamos para Lex.

- Talvez eu tenha me precipitado sobre você. E ainda te devo uma. - Lex diz respirando fundo.

- Obrigado pela confiança. - Ele assente parecendo satisfeito.

- Alguém tem mais alguma revelação a fazer? - Amy pergunta estragando o clima.

Em seguida ouvimos o som de algo batendo com força na porta de entrada da casa, nos deixando assustados.

- Pessoal? - Lin olha pelo corredor e sai correndo do em direção a porta.

Por não saber sobre o que se tratava, corremos até lá e nos assustamos a ver a porta de entrada aberta e uma pessoa alta, coberta por um grande capuz vermelho entrando.

Para aumentar nossa surpresa, ela tira o capuz e nos olha aparentando exausta. Alguns pequenos cortes e machucados pelos braços, um corte sobre sua testa deixava uma pequena mancha de sangue que desceu e secou pela lateral do seu rosto. Estava mais magra do que já aparentava, mesmo que ainda musculosa e intimidadora.

- Não acredito que...sobrevivi até aqui. - Ela cai de joelhos no chão e senta em cima de suas pernas rindo.

- Ash? - Todos nós dizemos em uníssono.

Quando achamos que todas as perguntas acabaram, temos mais alguém para cuidar. Um novo aliado em potencial.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo. Estou a dois dias escrevendo que nem louco e finalmente consegui kkkkkkk

Eu sei que o capítulo ficou bem açucarado, ainda mais na parte do Pip, mas é necessário pro desenvolvimento da história :v kkkkkk

Eu planejo que o próximo capítulo venha até Domingo, mas vocês sabem que pode demorar um pouco mais.

AGORA SIM, QUE VENHAM AS TEORIAS ❤️

BEIJOS DO TIO LOUIS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...