História Unchained - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Futuro, Guerra, Inteligência Artificial, Luta, Paladins, Romance, Suspense
Visualizações 38
Palavras 3.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Steampunk, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoal. Espero que gostem do capítulo de hoje, especialmente porque revelo quem é a minha personagem e quais são suas intenções.

Boa leitura meu povo.

Capítulo 27 - Betrayal


Fanfic / Fanfiction Unchained - Capítulo 27 - Betrayal

A confraternização havia sido bem relaxante. Fui parabenizada por Ash e Lin, consegui me descontrair e conhecer pessoas novas da Legião, até colocar um sorriso no rosto de Kinessa com algumas piada ruins.

Porém não conseguia de forma alguma tirar aquele momento da minha cabeça. E todas as vezes que era pega pensando naquilo, me perguntavam o por que estava sorrindo sem motivo.

Após o término, eu voltava para o alojamento antes das outras e ao entrar encontro Evie sozinha.

- O que tá fazendo aqui sozinha? - Fico surpresa.

- Eu? - Ela corou.

- Só tem você aqui certo? - Olho em volta enquanto a porta automática se fecha.

- Sim...eu...só... - Ela para e respira fundo. - Tudo bem se eu dormir na cama ao lado da sua a partir de hoje? - Ela me olha com vergonha.

- Claro. - Respondo sem dúvida. - Eu também...adoraria. - Tentei esconder as bochechas vermelhas.

Ela sorri e volta a levar suas coisas para a cama ao lado da minha. Ao terminar, as outras garotas vão chegando enquanto conversávamos e por último vinham Cassie e Kinessa.

- Desencanou em azulzinha. - Disse Kinessa vendo que Evie mudou de cama.

- Vê se não enche. - Respondeu uma Evie corada por não saber se a morena se referia a simples mudança de cama ou a ida para perto de mim.

- Vai ficar bem sozinha? Não quer que eu vá ficar aí com você? - Cassie enquanto se trocava decidiu provocar Kinessa. Eu e Evie caímos na gargalhada.

- Você é muita areia pro meu caminhãozinho, paixão. - Kinessa provocou de volta e nós 4 começamos a rir.

Em seguida a porta do alojamento abre e entra Ash, nos fazendo ficar em um silêncio instantâneo.

- Olá garotas. Vim apenas avisar que os alojamentos a partir de hoje terão um líder. Esse líder será a responsável por toda a equipe e todas deverão obedece-la.

- Não sendo a Kinessa acho que podemos sobreviver. - Caçoou Evie, fazendo todas as garotas rirem em seguida.

Ash ignorou a piada e continuou. - A líder do alojamento de vocês será a Cassie por ter a maior pontuação nos treinamentos.

- Mas o que a pontuação tem a ver com a responsabilidade? - Questionou Kinessa aparentemente com inveja.

- Eu dou a pontuação com base no destaque que a pessoa tem. Sem nem precisar conversar com ela, sei que é a mais qualificada para tomar conta de todas aqui. Inclusive de você. - Ash a encarou.

Evie começou a rir e eu segurei por saber que era assunto sério.

- Algum problema Evie? - Ash a intimidou.

Ela parou de rir instantaneamente e pigarreou. - Não senhora.

- Então por hoje é tudo. Tenham uma boa noite garotas. - Ela completou e se retirou do alojamento. Em seguida a porta automática fechou.

Assim que ela sai, eu comecei a rir. - Você tinha que ver sua cara quando parou de rir. - Caçoei de Evie.

- Juro que escapou. - Ela começou a rir junto.

Nesse momento Cassie ajoelha entre nossas camas. - Agora vocês estão sob meu comando. - Em seguida começou a rir sozinha, enquanto eu e Evie paramos de rir sem entender a piada. Em seguida ela para de rir espontaneamente e olha séria para nós. - Então vão dormir. - Ao terminar subiu para o lado de cima da beliche e as luzes começaram a se apagar.

Eu e Evie deitamos e ficamos nos encarando. Estava um completo escuro, mas eu podia a ver claramente. Nossas camas eram separadas por poucos centímetros.

- Eu posso ver seus olhos. - Ela sussura com um sorriso e estica a mão para fora da cama.

- Eu posso te ver perfeitamente. - Sussurro de volta e pego em sua mão.

Em menos de 5 minutos sinto o sono chegando e acabo adormecendo, sendo acordada pouco mais de uma hora depois.

- Maeve, tá acordada? - Sussurra a azulada. Estranhei por parecer que estava mais perto que o normal.

- Agora estou. Tá tudo bem? - Respondo coçando os olhos e sentando na cama.

Em seguida tomo um susto por notar que ela estava sentada do meu lado em minha cama.

- Eu...só...não consigo dormir. - Ela fala abaixando a cabeça.

Eu penso sobre e pergunto. - Quer deitar aqui um pouco? Tem espaço pra dois. - Abro um pequeno sorriso para ela, por mais que ela mal pudesse ver.

- Obrigado. - Ela sorri de volta e coloca as pernas embaixo das cobertas também.

Eu deitei novamente e ela deitou de frente para mim. Seus olhos ainda brilhavam como o meu, um pouco menos, mas ainda brilhavam. Senti sua mão fria pegando na minha e seus pés também frios encostando nos meus.

- Você ta bem? - Pergunto preocupada.

- Você pretende...sabe...voltar para as Forças Unidas? Sabe, aqui pela primeira vez me senti em casa desde que ganhei esses poderes. - Ela sussurra olhando em meus olhos.

- Eu não sei. Aqui eu fui tratada muito melhor do que jamais fui nas Forças Unidas, por mais que ache que voltar seja a coisa certa a fazer.

- Eu entendo. - Ela começa a fitar a cama de cima. - O que devemos fazer? - Ela pergunta sem me olhar.

- Talvez devêssemos seguir com o plano por enquanto. - Digo ainda pensando no assunto.

- Eu quero seguir o que você seguir. - Ela olha para mim sorrindo e aperta minha mão.

Nesse momento pego em suas duas mãos e as seguro. - Estamos juntas. Ainda mais agora que conheci esse lado incrível seu... - Me refiro ao lado amoroso e sensível que não conhecia. - ...acho que posso sentir a mesma coisa por você. - Sorrio de volta para ela.

- Confio que você não vai contar a ninguém, o que se esconde por baixo de toda essa ignorância. - Ela diz e começamos a rir baixo tentando não acordar ninguém.

Quando paramos ficamos fitando uma a outra por alguns segundos. Seus olhos eram hipnotizantes como os meus. Ainda estava lidando com essa nova Evie.

Foram poucos minutos e novamente acabei caindo ao sono enquanto fitava seus olhos.

- Hmm...bom dia? - Ouvi a voz de Cassie.

- Bom dia? - Respondo com a mesma pergunta e sentando na cama, coçando os olhos. A sensação era de ter dormido menos de 20 minutos.

- Vocês...dormiram bem? - Ela perguntou sentando na beira de minha cama.

Ao notar que ela disse "vocês", olho para o lado e vejo Evie ainda dormindo. Algumas garotas passavam de um lado para outro olhando mas ignoravam.

Eu fico totalmente corada e deito na cama novamente com vergonha. Em seguida Cassie começa a rir. Evie dormia como uma criança, ficava encolhida com apenas a cabeça para fora da coberta, de forma bem fofa.

- Bom dia. - Digo cutucando sua bochecha devagar, tentando acorda-la.

Ela começa a abrir os olhos e se assusta ao notar que dormiu em minha cama. Em seguida levanta rapidamente e senta na sua como se não soubesse de nada.

- Dormiu bem? - Pergunto enquanto me levanto espreguiçando.

- Muito bem. E você? - Ela tenta esconder as bochechas vermelhas de vergonha. Ao notar, Cassie começa a rir e levanta para ir ao banheiro.

- Agora melhor. - Respondo com uma pequena risada e também vou indo ao banheiro. Em seguida ela vem atrás.

- Vocês viram a Kinessa? - Cassie me olha confusa.

Eu e Evie nos entre-olhamos. - Não! - Respondemos em uníssono dando de ombros.

- Não a encontrei desde que acordei. - Completou a ruiva colocando a escova de dentes na boca.

- Deve estar lamentando seu 4° lugar em algum canto por aí. - Caçoa a azulada começando a escovar os dentes.

Ao terminar de nos arrumarmos, vamos juntas ao refeitório e não a encontramos. Após comer, ficamos esperando o chamado para o treinamento até ouvir:

- Atenção. Todos podem ir para o pátio de treino exceto por Evie e Maeve. Compareçam a minha sala. - Disse Ash.

Eu e Evie ficamos confusas por não entender sobre o que se tratava.

- O que vocês fizeram? - Cassie nos olha brava.

Nesse momento, a garota de aparentemente 18 anos, magra, alta de cabelos tingidos de verde, preso em um rabo de cavalo que pouco passava do pescoço e com olhos castanhos, sentou ao nosso lado. Usava o mesmo uniforme que nós.

A reconheci, por ser a garota que me viu espionando Ash e me ajudou a vencer no treinamento no dia anterior, além de ter me visto com Evie no dormitório, na noite anterior.

- Vocês precisam fugir daqui. - Ela fala baixo aparentando preocupada.

- O que? - Nós 3 perguntamos em uníssono.

- Ontem no horário da confraternização, estava escondida no alojamento, até que vi Kinessa procurando algo e encontrando uma mochila embaixo da beliche. - Ela nos deixou preocupada. - Não sei de quem era, mas de dentro da mochila, ela tirou uma espécie de aparelho comunicador.

Nesse momento nós 3 ficamos paralisadas. Cassie disse coloca a mão sobre a boca e percebe que era o dispositivo que Lex nos deu para enviar informações sobre a Unificadora.

- Mas quem é você e como podemos confiar? - Perguntei duvidosa.

- Meu chamem de Jess. Vocês não me conhecem, mas eu conheço vocês e quero ajudar a não terem problemas com o chanceler. - Ela soa convincente.

Nos entre-olhamos pensativas e não sabíamos se podíamos realmente confiar nela. E se ela estivesse armando para nós?

- Vocês são das Forças Unidas. - Jess perguntou.

- E se formos?. - Perguntou Cassie.

- Olha, posso tentar ajudar a vocês a fugirem daqui. - Ela propõe falando baixo.

- E por que deveríamos confiar em você? - Evie perguntou.

- Vocês tem outra opção? - Ela pergunta revirando os olhos.

- Precisamos confiar nela. - Eu disse por conseguir me convencer de que realmente corríamos perigo. - Qual seu plano?

- Eu andei estudando esse lugar inteiro e existe uma forma de escaparem sem ser vistas. Bom, não sei vocês todas, mas pelo menos uma consegue. - Ela olhou para Cassie.

- Mas...eu não posso deixar vocês duas aqui. - Cassie nos olhou.

- Cassie, vá até Fernando e Skye e conte para eles nossa situação. Nós aguardaremos reforços. - Digo a ela.

- Você também pode trazer Ziggs como reforço. - A irmã propõe, me lembrando sobre sua rara águia que eu nem lembrava mais.

- Vocês tem certeza? - Ela abraça nós duas ao mesmo tempo.

- Confie na gente. - Completou Evie pegando em minha mão.

- Por favor. Lembre-se do seu limite. Não se mate. - Cassie falou olhando nos olhos da irmã.

- Farei o possível. - Evie falou assentindo com a cabeça.

- Vamos, precisa ser agora. - Diz Jess e em seguida as duas partem na tentativa de não serem descobertas.

- Nossa vez. - Digo olhando em seus olhos da azulada e seguimos caminho até a sala de Ash.

Ao chegarmos, a porta automática se abre e vemos Ash, Kinessa e Sha Lin nos aguardando. Ao entramos, a porta automática se fecha.

- Sistema, trancar porta! - Diz Ash de braços cruzados e nos encarando.

Eu e Evie engolimos em seco. Não tínhamos mais como escapar. Em cima da mesa central estava o aparelho de comunicação todo aberto, mas não destruído. Aparentemente foram retirada as informações que mandamos, para verem o que sabíamos sobre eles.

- Forças Unidas? - Ela andou em nossa direção.

- Nós abandonamos as Forças Unidas por vontade própria e viemos para Legião. - Tentei contornar.

De alguma forma, o olhar que Kinessa tinha para nós, era de preocupação. Se ela realmente nos entregou, eu não iria descobrir se não tivessem me contado.

- Você realmente nos enganou? - Sha Lin me olhou com tristeza no rosto.

- Nós somos das Forças Unidas e fomos encaminhadas para descobrir quem era a Unificadora! - Evie começou. - Não vou mentir, me senti mais bem vinda aqui do que em qualquer outro lugar que já estive! - Finalizou abaixando a cabeça.

- Isso por que eu sei o como as Forças Unidas são. Eles te tratam como se fosse um animal e quando não precisam mais de você, te descartam como papel! - Ash grita furiosa e bate na mesa.

- Comandante... - Sha Lin tenta intervir.

- Vocês mentiram pra mim. E se é ser tratadas como animais que vocês querem, eu concederei esse desejo a vocês! - Ela afirmou desencostando da mesa e estalando os dedos.

Em seguida a porta se abre e entram 4 guardas armados e seguram nossos braços.

- Kinessa, parabéns por descobrir quem são as infiltradas. A partir de hoje você é a segunda tenente da Legião. - Diz Ash.

- Obrigado Comandante. - Disse a morena de cabeça baixa.

Notei que Evie a encarava furiosamente, como se fosse devora-la em uma só mordida.

Em seguida chega outro guarda correndo.

- Comandante, a soldado que pediu para capturar, acaba de escapar. O que devemos fazer?

- Cassie? - Se perguntou Kinessa surpresa.

- Kinessa, como tenente, quero que vá atrás dela e a traga de volta. Viva. - Diz Ash.

- Sim senhora. - Ela afirma baixo e segue com pressa sem olhar para nós duas, enquanto a azulada a engolia com os olhos.

Assim que ela ia passar pela porta, Evie começa concentrar seu poder e iria congelar a porta, mas em seguida um dos soldados nos coloca uma espécie de coleira eletrônica.

- O que é isso? Tira isso de mim. - Ela começa a gritar.

- Não achou que eu iria deixar seus poderes livres, achou? Esse colar vai drenar seu poder e impedir que os use enquanto estiver com eles. Quanto mais tentar, mais isso vai te enfraquecer e por fim poderá te matar. - Ash completou.

- Eu vou dar um jeito de tirar isso. Você vai ver. - Evie gritou.

- Pode até ser que sim. Mas depois que eu remover seus poderes por completo! - A grandona bufou, deixando Evie em prantos.

- Não...não...você não pode. - A azulada gaguejou.

- Quer apostar? - Ash olhou para o 5° soldado que havia chego na sala. - Avise o chanceler que as duas especiais dele estão preparadas. - Completou se virando e colocando os dois braços para trás.

O soldado saiu apressado para passar a informação.

- Espera, então a especial que ele disse que tem algo dele...sou eu? - Perguntei indignada.

Ela se vira parecendo surpresa. - Você andou nos espionando? - Ela pareceu ficar mais irritada.

Eu apenas engoli em seco pensando no que acabei de fazer e terminei não respondendo.

- Lin, escolte-as soldados até as celas de detenção. Tenho novos planos! - Ela finalizou.

- Sim senhora. - Ele respondeu de cabeça baixa. Parecia estar muito desapontado. Chegou perto de nós e nos algemou sem dizer nada.

Ao meio do caminho eu olho para Evie e entendemos o que a outra dizia. Não queríamos ser levadas para detenção alguma.

De surpresa eu derrubo 2 soldados com uma a rasteira e ela se joga de costas em cima dos outros 2 os empurrando na parede. Ela da uma cabeçada no queixo do primeiro o desmaiando e em seguida gira dando um chute certeiro no queixo do outro que também foi desmaiado. Mesmo sem os poderes ela ainda lutava muito bem. Eu acerto um chute em um de cada vez que também apagam. Havíamos nos livrado dos 4 soldados, então decidimos correr.

Quando comecei a correr eu sinto uma flecha passando de raspão ao lado da minha cabeça, alguns fios de cabelo voam e sinto o sangue começando a escorrer.

- Vocês não vão! - Disse Lin segurando furioso, outra flecha apontada para mim.

- Lin, se ficarmos aqui eles vão matar Evie. Você tem que nos ajudar. - Supliquei a ele.

- Você já me enganou demais. Não vou deixar que enganem mais ninguém. - Ele levantou seu arco novamente.

- Maeve, tentamos. Vamos com ele antes que você se machuque. - Evie disse colocando as mãos em meu braço.

- Mas e você? Eu não posso deixar que te matem! - Gritei começando a chorar.

- Nós vamos dar um jeito. - Ela sorri para mim. Surpreendentemente ela estava muito mais calma do que eu esperava. Esperava que ela tivesse um plano.

- Andando! E tentem mais alguma gracinha e não vou errar a próxima. - Ele afirmou ainda apontando para nós.

Voltamos a andar calmamente enquanto pensava no que podíamos fazer para fugir, até chegarmos em uma espécie de sala muito parecida com um laboratório. Havia várias cortinas e algumas celas grandes sem nada por dentro, muito parecidas com gaiolas e foi lá que ele nos colocou. Evie estava em uma que ficava ao lado da minha, separada apenas pelas grades.

- Você tem algum plano? - Pergunto baixo mas me desesperando para a azulada que ainda estava calma.

- Temos que esperar Cassie trazer ajuda. - Ela disse calmamente.

- Não temos tempo até que ela volte. Precisamos fazer algo. - Digo pegando nas suas mãos pelas grades.

- Você tem algo que é meu. - Disse o chanceler Damba se aproximando e olhando para mim. - E você minha querida, será o futuro do exército que salvará a Europa. - Ele diz olhando para Evie e começando a rir.

- Ouse tocar um dedo nela e... - Comecei a dizer e fui interrompida.

- Você será a próxima. - Ele disse me olhando. Engoli em seco por estar com medo. - Com ajuda de seus poderes, posso criar um exército de soldados imbatíveis. Só preciso retirar o soro de seu sangue e terei a fórmula completa. - Ele afirma olhando para Evie e ri mais uma vez.

- Eu posso controlar meus poderes, você não vai ser capaz de tira-los de mim! - A azulada diz o olhando com fúria.

- Eu sei seu segredo. Eu sei que manter a calma e a concentração é o que te deixa a salva do lado obscuro do seu poder. - Ele se aproxima da grade de ela que engole em seco.

- Lado obscuro do poder? - Pergunto desentendida.

- Se você perder o controle, uma nova você assumirá. Mais poderosa, mais determinada, quase imbatível. É o poder de sua Lacrima. - Ele responde olhando para mim e me deixando confusa sobre o que é uma Lacrima.

Nesse momento me lembro da luta contra Skye e Drogoz em que perdi o controle por achar que Fernando havia morrido. Lembro de Bolt me dizendo no hospital, eu ter deixado de ser eu mesma e uma nova pessoa surgindo. Isso explica os olhos amarelos, a voz em minha cabeça. Esse tempo todo, não era eu.

- Isso é uma segunda alma querendo assumir seu corpo. E eu preciso especialmente da sua. - Ele finaliza para mim com uma risada.

- Vai ter que se esforçar muito pra tirar minha calma. - Evie o provoca para tirar o foco de mim.

- Mesmo? - Ele diz pegando um pequeno controle em seu bolso e apertando um botão.

Nesse momento sinto meu colar me dando um choque muito dolorido. Caio no chão e começo a me contorcer gritando de dor.

- NÃO. PARA. DEIXA ELA EM PAZ! - Evie grita e ele para de me eletrocutar.

- Então parece que tá disposta a me ajudar, não é? - Ele a provoca e vira as costas indo para o fundo da sala, em um lugar onde não conseguimos ver o que ocorria por conta de estarmos em celas.

Ela abaixa a cabeça começando a chorar - Sim. - Vejo suas lágrimas caindo. - Só não a machuque. Eu imploro.

- Evie, desculpa. - Começo a me levantar lentamente ainda atordoada.

Ela se ajoelha ao lado da grade para se aproximar de mim.

- Eu vou tirar a gente disso. Eu prometo. - Ela coloca o rosto pela grade e vejo suas lágrimas caindo.

Nesse momento me aproximo dela segurando seu rosto e a dou um curto beijo.

- Se você conseguir manter a calma, eu vou ficar bem. Não vou te perder por nada, não importa o quanto eles me machuquem. Apenas mantenha a calma. - Digo ainda olhando em seus olhos.

- Chanceler, capturamos mais uma traidora! - Interrompe um soldado que acaba de chegar.

- Não pode ser Cassie. - Disse Evie assustada.

- Tragam-na. - Respondeu o chanceler.

Em seguida entra dois homens arrastando Jess pelos braços, estava com um pouco de sangue pela camisa branca, como se tivesse apanhado.

- Coloquem-na junto da de cabelos rosa. - Diz o chanceler.

- Se afaste garota! - Disse o soldado que estava abrindo a cela e a jogando do meu lado.

- Jess, o que houve? - Digo me aproximando de seu corpo mas noto que estava desmaiada.

- Afaste-se! - Gritou o soldado que a soltou e em seguida bateu em minha nuca com um bastão, me derrubando novamente atordoada ao chão.

- Pare de machuca-la! - Gritou Evie caindo novamente em prantos.

- Agora tragam-me a de cabelos azuis. - Ele disse seguindo para a saída da sala.

Os soldados abrem cela e mesmo sem a azulada reagir, também a acertam na nuca e a vejo cair diretamente desmaiada.

- NÃÃÃO. - Grito enquanto começo sinto a raiva tomando conta de mim. Não conseguia me levantar por conta das tontura do choque.

- Continue no chão! - Disse o mesmo guarda que me bateu enquanto me acerta novamente e dessa vez me desmaia como fez com Evie.

Foi a última coisa que ouvi.


Notas Finais


Espero que tenham gostado da história e da Jess. Ela é só a primeira de alguns personagens que criei. No próximo capítulo vocês vão entender aonde ela se encaixa em toda a trama.

Próximo capítulo conhecerão mais um, se gostaram dela, vão gostar dele também.

Comentários sempre inspiram o autor. Comentem :D

Próximo capítulo vem na Quinta-Feira.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...