História Uncontrollably Fond - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Dorama, Drama, Romance, Uncontrollably Fond
Visualizações 11
Palavras 2.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que goste e Boa Leitura ♥

Capítulo 2 - Sentimentos


Fanfic / Fanfiction Uncontrollably Fond - Capítulo 2 - Sentimentos

✥ Pink Princess ✥

 

Yeon Doo largou a mochila sob a cama e deitou-se, ainda vestindo o uniforme escolar. Eu estava sentindo falta do nosso pequeno dormitório. É quase inacreditável que o destino tenha sido tão bonzinho com nós duas, ao ponto de conseguirmos dividir o mesmo quarto. Minhas malas estão jogadas no canto do dormitório, lembrando-me que tenho muitas coisas para arrumar, mas eu não quero me ocupar agora. O ânimo da Yeon Doo está como o clima lá fora, frio, cinzento e triste. Parece que ela está escondendo alguma coisa de mim. Mas mesmo se eu insistir, sei que ela vai tentar esconder o que aconteceu nas férias com a força de todos os dentes. Por isso, eu me esforço bastante para ficar de boca fechada, para não perguntar nada. Me deitei na pequena cama de solteiro e fechei os olhos. Já sinto falta do meu pai. Será que ele está se dando bem sem mim? Vou precisar de muita energia para ajuda-lo nos finais de semana. A lanchonete sempre fica mais movimentada nas sextas e nos sábados.

Os pais da Yeon Doo vivem pegando no pé dela, por causa das notas baixas. As vezes, me sinto uma péssima amiga por não insistir mais em faze-la estudar. E mesmo que eu insista, Yeon Doo desiste facilmente de aprender os novos conteúdos. Parece que ela não se importa com as notas e eu me preocupo com isso. Quando teve três notas vermelhas em seu boletim no bimestre passado, sua mãe lhe deu um tapa na bochecha. Eu não estava presente quando isso aconteceu mas se estivesse, eu teria apanhado também, pois nunca deixaria isso acontecer. E não quero que aconteça de novo. Eu já tive notas baixas mas depois que minha mãe morreu, me forcei a virar uma nerd para o meu pai se sentir orgulhoso. E ele está. O que eu mais gosto quando os professores entregam os boletins, é do grande sorriso estampado em seu rosto. Tenho a certeza que papai vai dormir sorrindo todas as noites por causa de mim. Ele vive me mandando mensagens, me incentivando e me ajudando quando tenho dificuldades com algumas coisas na escola. Ele andou muito ocupado durante as férias e eu não o culpei por isso. Mesmo que ele tenha mil planos para fazer, papai sempre consegue tirar alguns minutinhos para ficar do meu lado. Ele insiste em me trazer para a escola toda vez que vou passar o final de semana em casa, mas eu sempre consigo inventar uma desculpa para que ele não saia de casa tão tarde da noite. 

Agora que o Yoongi está estuando comigo, ele pode pegar o ônibus e me fazer companhia. Tenho certeza que meu pai não ficará mais desesperado, preocupado ou quase tendo um ataque cardíaco por eu não ter chegado na escola antes das 23 horas.

Papai e eu moramos no bairro Dobong-dong. Não é um dos maiores em Seul, mas tem uma vizinhança super bem humorada e divertida. Todos parecem se conhecer, todos parecem vizinhos e sabem de tudo, — principalmente das fofocas sobre a vida dos outros.

— Com quem o Min Yoongi vai dividir o quarto?  — Perguntei, me sentando na cama devagar.

— Ele vai dividir o quarto com o Seokjin — Yeon Doo bufou, cobrindo o rosto com as duas mãos. — Quero as férias de volta! 

— Aigo! Pare de se lamentar. — Me levanto e tiro o casaco cinza do uniforme. — “Aproveite cada segundo como se fosse o último” — Ergui as sobrancelhas, fazendo uma pose de modelo quando ela levanta a cabeça para me encarar. — Esse é o meu lema agora. Siga o meu exemplo! 

Yeon Doo pegou o travesseiro e jogou em minha direção. Eu dei um pulo para o lado, desviando do seu ataque e fiz outra pose de ninja. Ela soltou uma gargalhada alta e logo cobriu a boca para tentar abafar o som. Gosto quando ela está sorrindo, minha melhor amiga já passou por muitas coisas difíceis e se depender de mim, ela só irá passar por mais uma. Mas tenho a certeza que ela irá ser forte e seguir em frente, como sempre está fazendo. Apesar de ser uma pessoa divertida, amigável e engraçada, Yeon Doo tem transtorno de ansiedade social, mais popularmente conhecido como fobia social ou sociofobia. — Quando alguém a segura por muito tempo, Yeon Doo tem ataque de pânico, ela sente dificuldade de respirar e até desmaia. Eu a ajudei a esconder esse “medo” por bastante tempo, mas infelizmente, todos os nossos colegas descobriram no ano passado em um campeonato de vôlei. Eu não sou muito boa em esportes mas estava na arquibancada com dois pompons coloridos, torcendo para a minha melhor amiga. 

Foi a primeira vez que briguei no colégio. Queria poder dizer que foi a última também. Quando a pestinha da Eun Byul resolveu segurar o braço da Yeon Doo e a impedir de sair do jogo quando ela estava com dor no tornozelo, eu sabia que ia resultar em problemas. Eun Byul não é uma garota com quem pode se confiar, ela é mimada e adora me provocar. Para encerrar o assunto, Yeon Doo desmaiou no meio da quadra e a Eun Byul ganhou dois socos no nariz. — Eu fui proibida de sair da escola por duas semanas. Mas não me senti culpada, pelo contrário, estou disposta a fazer tudo de novo caso isso aconteça.

— Por que Min Yoongi veio estudar aqui? — Ela perguntou, sentando na cama e bagunçando os cabelos lisos.

— Eu falei tanto do quanto a escola é boa para ele nas férias. — Eu menti e me senti mal por isso. Para falar a verdade, nem eu sei a verdadeira resposta para essa pergunta. — Que ele resolveu estudar aqui. 

— Hm. O Seokjin foi na minha casa na semana passada. — Ela respirou fundo e mordeu os lábios. — Foi a primeira vez que a minha mãe conheceu um amigo meu. 

— Ela ficou desconfiada sobre vocês dois? — Perguntei, com um sorrisinho malicioso nos lábios.

— Aish! Ela me perguntou várias coisas. — Yeon Doo fez uma carinha triste. — Eu fiquei envergonhada por ela ter pensado nisso. Um garoto como o Kim Seokjin nunca se interessaria em uma garota problemática.

— Um garoto como o Kim Seokjin? — Quase cuspi essas palavras. — Ele tira boas notas, sabe falar um pouco de chinês, ele sabe cozinhar muito bem, ele é calmo e romântico, seu rosto é tão lindo e qualquer garota gostaria de ficar com ele. Você não acha? —  Yeon Doo desviou o olhar e percebi que suas bochechas estavam vermelhas. Yeon Doo nem desconfia que os sentimentos do Seokjin, eu já sei que ele gosta dela e provavelmente a escola inteira também sabe, menos ela. — Enfim, vamos ver o que tem de bom no refeitório hoje? Estou faminta!

— Hm? Não quero. Eu vou ficar aqui. — Yeon Doo se deitou na cama novamente, com os braços esticados. — Quero morrer!

— Então, morra de fome. — Pego o travesseiro e jogo em cima da minha cama antes de sair do quarto correndo e ouvi-la gritar um “Yah”.

 

Eu não quero mais nada de você
Se eu pudesse ver você me preenchendo
Eu posso dar tudo para você
Você vai ter tudo de mim
Se o amor é uma piada

 

Quando fechei a porta do quarto, senti meu ombro esbarrar em alguém no corredor.

— Desculpe. — Resmunguei, virando-me.

— Sempre nos encontramos assim, não é mesmo? — Taehyung disse, deixando um largo sorriso escapar nos lábios. — Sentiu minha falta nas férias?

Com certeza, não. Por que ele tem que ser tão convencido? Acho que no fundo, Taehyung é um garoto iludido ou carente de atenção. Seu pai, Kim Woo bin é dono de um famoso hospital, casou-se umas três vezes antes de finalmente encontrar a mulher certa. Taehyung mora em uma grande casa que parece mais uma mansão. Só para deixar claro: eu nunca fui na casa dele, okey? Só estou dizendo o que ele espalha pelos corredores da escola. Talvez, seja por isso que as garotas vivem babando por causa dele. Taehyung tem uma fama de mulherengo mas no fundo, sei que ele nunca ficou com alguém. Pelo menos, eu nunca vi uma garota se sentir orgulhosa por ter ficado com ele. Eca! Só de pensar nisso, sinto vontade de vomitar.

Olhei para o garoto caminhando em nossa direção com a cabeça baixa, ele tem cabelos e olhos castanhos, está usando a calça preta do uniforme e a blusa branca, a gravata em seu pescoço está torta mas Jimin não se importa com isso. Alias, ele nunca se importou com a aparência de alguém.

— Jiminie! — Gritei, abrindo os braços. — Jiminie! — Park Jimin parou no meio do corredor e quando levantou a cabeça para me olhar, a expressão em seu rosto se tornou assustada. Ele segurou a risada e me deu as costas. — Yah! Volte aqui! Eu estava com saudade! — Gritei, correndo atrás dele pelo corredor e deixando o Taehyung sozinho. Não me importo com o que os outros alunos irão pensar, todos sabem que eu e Jimin somos melhores amigos.

— Por que você tem que ser tão escandalosa? — Jimin perguntou quando eu parei na sua frente com os braços abertos, impedindo que ele passe por mim. — Eu também estava com saudade. — Ele sussurrou.

Um largo sorriso escapou dos meus lábios.

— Vamos almoçar? — Perguntei, colocando meu braço em volta do seu ombro e o puxando.

— Estou fazendo dieta.

— Dieta? — Baguncei os seus cabelos, com uma expressão séria no rosto. — Você quer sumir?

— Meu pai me disse que eu estou muito gordo. — Jimin resmungou, abaixando a cabeça.

Dei de ombros. O Sr.Park é um homem muito exigente e bravo. Jimin é filho único e seu pai é um famoso delegado, ele sempre está evitando falar sobre a família e isso me incomoda muito. Sua mãe o abandonou quando ele tinha nove anos de idade e desde então, Jimin se meteu em várias confusões. Seus braços sempre estão com novas cicatrizes e seu coração parece se partir cada vez mais. Eu não sei mais o que fazer para ajuda-lo a parar de tomar decisões dolorosas. Jimin faz de tudo para deixar os braços cobertos, para que ninguém veja as suas dores e o julgue.

Ele não sabe o quanto cada corte me machuca.

— Soube que o Seokjin vai se declarar antes de nos formarmos. — Jimin disse, colocando o braço ao redor dos meus ombros. 

— Eu espero que sim. — Suspirei. — Onde a nossa princesa está? 

— Ele foi na diretoria. 

— Aigo! Fiquei perdido pelos corredores. — Min Yoongi parou de caminhar quando nos encontramos no final do corredor. Ele está com a respiração ofegante e passou a mão nos cabelos loiros, com a tentativa de arruma-los. — Vocês precisam ver o quarto do Seokjin! Ele tem toda a coleção do Mário em uma pequena estante e na prateleira é cheia de ursinhos. Ele tem um quadro das princesas da Disney!

— Isso te incomoda? — Jimin perguntou, colocando as mãos nos bolsos da calça.

— Isso me assusta. — Yoongi colocou a mão no peito. — Imagina: sair do banho e dar de cara com várias princesas te olhando penduradas na parede? É assustador!

— Aigo! Agora você está exagerando. — Comecei a rir.

— Yah! — Dei um pulo quando ouvi a voz grossa do Taehyung gritar atrás de mim. — Você não sabe que é falta de educação me deixar falando sozinho?

— Não estrague o nosso primeiro dia de aula. — Digo, me virando para encara-lo.

— Ei! — Taehyung apontou para o Yoongi. — Vocês se conhecem? São amigos? Desde quando?

— Nós dois moramos no mesmo prédio, somos vizinhos. Muito prazer. — Yoongi estendeu a mão para cumprimenta-lo. Jimin e eu nos entreolhamos, tentando não sorrir. — Me chamo Min Yoongi.

— Eu sei. Estamos na mesma classe. — Taehyung o olhou dos pés a cabeça com uma expressão que me deixou preocupada. Ele parece estar bravo. Mas por que? Será que ele esqueceu de tomar a vacina contra raiva? — Você quer almoçar?

Ergui as sobrancelhas, surpresa. Desde quando Kim Taehyung me chama para almoçar com ele?

— Você só pode estar louco. — Resmunguei, segurando a mão do Jimin e puxando o Yoongi pelo braço. — Vamos comer!

— Eu já disse que estou de dieta. — Jimin quase gritou, rindo.

— Você quer apanhar? — Dei um leve tapinha em seu braço e ele sorriu.

— Desde quando você precisa emagrecer? — Yoongi perguntou, fazendo uma careta engraçada.

Pelo canto dos olhos, percebi que Taehyung continuou parado no mesmo lugar, nos olhando como se estivesse decepcionado.

O que ele tem? Será que precisa de ajuda?

 

Tudo o que eu preciso é que nosso relacionamento
Seja lembrado lindamente.
Quando sua mente estiver tranquila você vai me descobrir
Poderia ter sido inteligente
Amar um tolo 
Block B — Toy


Notas Finais


Gostaram? Deixem suas opiniões ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...