História Uncontrolled - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom, Bts, Canon, Fanon, Fluffy, Hentai, Incesto, Irmãos, Jeon Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Kookmin, Lemon, Lime, Min Yoongi, Ooc, Park Jimin, Pov, Sap, Shipper, Shounen Ai, Twt, Vhope, Vkook, Vmin, Waffy, Yaoi
Visualizações 73
Palavras 2.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


explico tudo nas notas finais, por favor leiam ♥

Capítulo 4 - Hoseok ferido, Jungkook traído e Jimin não correspondido


— Jungkook, ela te trai! 






 O irmão menor gritava atrás do Jeon, como fez na maioria do dia, enquanto esse permanecia com uma expressão cansada e irritada. Jungkook, não aguentando mais ser seguido pelo ruivo; esse o seguiu desde que acordou. Se virou e encarou Jimin, posicionando as mãos na cintura decidiu entrar no jogo do menor e saber mais sobre ser traído.




 

— Com quem? - praticamente, cuspiu as palavras fazendo o irmão há frente fazer uma careta, oras, o Jeon estava irritado com toda a balela do Park, estava sem paciência.






 Ele excitou por um momento. Falaria do amigo? O entregaria? Estava entre o certo e o errado, não queria sair como X9 na situação e perder seu novo amigo, não que já tenha tanta intimidade, mas o Park era medroso.

 

 

 

 

 — Com um cara. Eu ví! Eu estava com Taehyung e o ví com sua "namorada" - fez aspas com os dedos. 

 

 

 





 Jungkook pode apertar os lábios ao ouvir a palavra "Taehyung" sair da boca do irmão mais novo. Oh sim! O Taehyung, seu namorado, pensou com ironia e soltou um breve riso nervoso.
Jimin que por sua vez esperava uma resposta do maior parado feito poste em sua frente, estava como uma criança curiosa esperando anciosamente descobrir coisas novas, no seu caso, se sentia uma criança culpada mesmo sem culpa nenhuma.






 

— Jungkook! 







 Gritou o ruivo, emburrado. Fazendo o moreno dar um pulinho de leve ao escutar o grito fino e escândaloso do menor invadir seus tímpanos, o que foi aterrorizante. Ele definitivamente estava ficando louco.



 

– Ah e aonde você viu isso? - perguntou Jungkook, agora cruzando os braços e desafiando seu irmão, o fazendo se sentir como um mentiroso.

 

 

 

 

 Ele sabia que Jeon repetia em sua mente coisas como: "Você só está com ciúmes!" "Pare de inventar mentiras Park Jimin!".
Mesmo que esteja dando seu melhor para seu irmão acreditar em si.




 

 E Jimin, irritado com a insistência do irmão - apesar de ele também estar insistindo ele pensava "pelo menos eu estou certo" -, o agarrou pelo braço e o puxou casa à fora. Indo até a lanchonete do dia anterior. E Jungkook com o nariz torto de que o irmão o puxava em passos rápidos o fazendo cansar. Oh sim, ele está louquinho!, Jeon pensou cansativo ao parar à frente de uma lanchonete, não achava que aquilo era verdade, sua namorada tem traços comuns e que podem ser confundindos com um outro rosto qualquer, mas na verdade, era uma mera desculpa para encobrir seu nervosismo e paranóia, Jimin nunca mentira sobre isso para ele, é algo grave demais para usar como mentira, o que acrescentava mais crédito para seu talvez fato.

 

 

 

 

 Entrando no lugar que transmitia um cheiro agradável de café recem coado, Jimin inspecionou todo o lugar com os olhos, até parar seu olhar em um casal nos fundos da loja. Sem pensar muito, puxou o Jeon, esse que só queria voltar e deitar no sofá enquanto assistia à algum seriado e aproveitava sua folga do dia. 

 

 

 

 

 

Ele também só queria não ter visto o que viu. 

 

 

 

 

 Lee, sua namorada de maquiagem forte e cabelos loiros beijando outro homem, na sua frente

 

 

 

 

 

 

 

— Mas que porra é essa... 

 

 

 

 

 

 

 Ditou o Jeon, vendo a namorada super leal - pensou irônico - deixar a boca alheia e o olhar, confusa e totalmente fodida. Olhou para o moreno que permanecia incrédulo e enraizado com um olhar de cachorrinho abandonado, o que não funcionou nada em Jungkook. 

 

 

 

 

 

 

— Sua vadia. 

 

 

 

 

 

 E, quando seus punhos fecharam e íam em direção a cadela à sua frente, viu o outro moreno ali o impedir, segurando suas mãos e desviando-se do futuro chute que iria receber. O olhou com os olhos arregalados. 

 

 

 

 

 

 

— Você está louco? Não pode bater em mulheres. 

 

 

 

 

 

 

Você acha que eu me importo com isso? Jungkook dera um riso soltando o indivíduo. Ele estava pouco se fodendo. 

 

 

 

 

 

 

 

– Então vou ter que espancar você, corno. 

 

 

 

 

 

  E assim, Jeon levou seus punhos pesados e cheio de veias aparentes ao rostinho de Hoseok, mas dessa vez satisfeito à escutar o som do soco depositado e sentir seus ossos chocarem bruscamente com os alheios. Lee correu. Novidade!. O ruivo até então excluído de todo o acontecimento estava assustado e choroso, nunca vira seu Jungkookie desse jeito, nunca o vira encostar o dedo em alguém. Jimin estava com medo de Jungkook. Não bastando o soco enraizado do irmão, Jungkook ainda dera socos na beixiga do Jung, o fazendo cair no estofado vermelho que pouco antes sentava. Jimin, desesperado com os gritos assustados dos outros presentes ali e vendo seu irmão quase matando seu amigo, pegou o celular e discou o número do amigo loiro. 

 

 

 

 

 

"Ligação aceita"

 

 

 

 

 

 

— Alô? 

 

 

 

 

 

 

— T-Taehyung. — Jimin soluçava ao ver que ambos agora sangravam ao ver que Hoseok não apanharia sozinho. — Venha ao D-Dalla's, rápido. 

 

 

 

 

 

 

 

 — Aconteceu algo? — O amigo tinha um tom preocupado. Por que está... 

 

 

 

 

 

 

– Venha rápido. 

 

 

 

 

 

"Ligação encerrada"

 

 

 

 

 E Jimin desligou na cara do loirinho. Esse que bufara entediado, logo se levantando do sofá e das cobertas que o chamavam para voltar. Ele jura que escutava-as; 

 

 

 

 

 

"Volte para nós Tae! Precisamos de você!"

 

 

 

 

 

 Seu padrasto o chamava de criança e às vezes até mesmo de louco por ser muito feliz, como sua mãe dizia que era. 

 

 

 

 

 

 

— Este garoto precisa de um psiquiatra! 

 

 

 

 

 

— Ora. Ele é apenas muito feliz, não é Taehyung? — o filho concordara balançando a cabeça e fazendo seus cabelos castanhos voarem bruscamente. 

 

 

 

 

 

 

 Taehyung subiu as escadas apressado após quando iria sair sua mãe entrar em sua frente e o apontar o dedo mandando-o pegar um casaco. Ele não negou, já que nunca se diz contra quando sua mãe aponta. Após colocar uma jaqueta com colarinho quente, ele desceu indo correndo ao Dalla's. Ele não pôde deixar de se preocupar. Nunca vira o ruivo chorar, desesperadamente daquele jeito. Lembrar os soluços do menor o dava um gelo na espinha e uma ponta de preocupação à mais pensando ter acontecido o pior. Apertou os passos atravessando a rua, olhando para os lados como sua mãe o pedia para fazer todas às vezes que iria sair - mesmo ele tendo já bons vinte e um anos - e entrou na lanchonete, vendo olhares direcionados para o fundo da loja. Ele se aproximou e reconheceu aqueles cabelos alaranjados de longe, correu e abraçou o menor, esse que se virou de frente para o amigo e se debruçou nos braços do mesmo. 

 

 

 

 

Ah, isso irritou tanto o Jeon. Ver Jimin abraçado á aquele ninfetinho era a última coisa que esperava acontecer hoje. Isso fez sua raiva aumentar em 10% e fazer o coitado do Jung sofrer dez vezes mais. Taehyung, ao ver seu crush sendo espancado arregalou os olhos, Jungkook era um brutamontes. Após os quatro verem um baixinho de cabelos esverdeados se aproximar e afastar a briga ficaram impressionados com tamanha coragem, pois nem os próprios funcionários fizeram tal. O verdinho olhara para Jeon um tanto frio e ditou paciente; 

 

 

 

 

 

 

— Já deu.

 

 

 

 

— Quem você acha que é para... 

 

 

 

 

 

— Olha, estou tentando acabar com isso sem chamar a polícia. — coçou a sobrancelha esquerda, ato que irritou Jungkook um pouco pelo jeito "sabe tudo" do colorido à seu lado. 

 

 

 

 

 

 

 Não era um bom dia para ser preso, pensou Jungkook, se afastando um tanto ofegante. Taehyung soltou Jimin na mesma hora e voou para cima de Hoseok, passando a mão pelos machucados. 

 

 

 

 

 

– Você está muito machucado. — ditou o loirinho mexendo apenas os lábios, saindo óbvio. — Deixe eu levar-te para casa e fazer um curativo e... 

 

 

 

 

 

 

— Não me diga o que fazer. 

 

 

 

 

 

— Hoseok eu só quero ajudar. — ditou sério, quem ele pensa que é para o cortar assim? 

 

 

 

 

 

— Então pare de sempre querer ajudar. Você não é a solução de tudo, Taehyung. Por que não vai ajudar o seu namoradinho à sair daqui e te arrastar junto? 

 

 

 

 

 

 

 E foi com essas palavras ouvidas que o loiro dera meia volta e saiu. Jimin teve que correr atrás desse, pois nem ao menos o esperou. Jungkook que ainda permanecia alí balançou a cabeça e saiu também, deixando um Hoseok machucado ali; que logo foi ajudado pelo mesmo que interrompeu a briga. 

 

 

 

 

 

— Obrigado. — sorriu ao verdinho ao esse estender um braço amigo. 

 

 

 

 

 

— Por nada. — retribuiu com um sorriso fechado. — Eu precisava parar isso, odeio violência. 

 

 

 

 

— Ah sim. — Hoseok coçou a nuca envergonhado por pensar que ele o fez apenas por ele. Resolveu se apresentar para quebrar o gelo. — Sou Hoseok, e você? 

 

 

 

 

 

— Min. Min Yoongi. 

 

 

 

 

 

 

[…]

 

 

 

 

 

 Jungkook estava confuso, oras, não é que ele amasse a mulher, mas ele gostava um pouco dela, e de qualquer forma doeu se sentir tráido, trocado, estava pensando longe e se castigou por deixar Jimin ter visto aquela cena desagradável onde ele transava com a mulher, era seu ruivinho alí, como ele pôde fazer aquilo? Se xingou mentalmente enquanto andava pelas ruas de Busan - sua cidade natal -, chutando as pedrinhas no chão com força, como se elas fossem culpadas, como se fossem seus problemas que ele apenas chutava para longe. 

 

 

 

 

 Após ser expulsado da casa do Kim, Jimin voltou à pé e em passos lentos para sua - mais do irmão - casa. Ah... Jungkook. Tinha que enfrentar a fera. Esse que fez um Hoseok machucado brigar com um Taehyung, agora, também machucado, por dentro. Ele o seguiu até a casa colorida do loiro, e quando iria entrar para consolar o amigo, esse o dera uma portada na cara. Jimin até entendia que Taehyung precisaria de um tempo à só então não se preocupou em o deixar sozinho. 

 

 

 

 

 Chegando mais perto da casa branca, Jimin suspirou. Não tinha muitas lembranças boas de quando se aproximava de sua casa.  Bom, pelo menos ele não veria o seu Jungkook em cima de uma vadia. Suspirou fundo antes de girar a maçaneta e entrar na casa. 

 

 

 

 

 

Vazia, sem nenhum vestígio de vida e nem de Jungkook algum. 

 

 

 

 

 

 

 

[…]

 

 

 

 

 

 

 

 Era madrugada quando Jeon chegou, o Park não dormira desde o ocorrido durante a tarde, estava ocupado demais criando teorias ;paranóias; sobre onde estava seu irmão e o que ele estava fazendo, "Será que ele está bebendo? É isso que as pessoas fazem quando são traídas, certo?", "Será que ele vai se jogar da ponte?", "Será que ele trará alguma vadia?". Tudo estava sendo questionado na base dos porquês, Jimin era bom usando perguntas para responder perguntas, confuso, até ele acha isso, bom... ele é um homem confuso.

 

 

 

 

 



 Mas ele veio sozinho, sem mulher, sem drogas, sem bebidas, apenas o solitário e misterioso Jeon Jungkook, Jimin quis correr até seu irmão e o lascar um beijo, mas ele fez o seu dia piorar, Park foi até seu irmão que estava prestes à subir as escadas e o puxou, de uma vez, brutalmente
 

 

 

 

Esta é a hora de chegar Jungkook? — Jimin aontou para seu pulso onde se encontrava o relógio que o maior lhe deu aniversário, muito bonito por sinal, "Jungkook tem um bom gosto" pensou quando o ganhou. — Já é madrugada e você me vem assim como um gatinho querendo fugir, me diga, onde você estava?

 

 

 

 O Park não deixava de esbranjar sua masculinidade nas horas que estava com muita, muita, muita raiva, e Jungkook que pouco presenciou seus alges de raiva, sempre ficou com medo desse lado de Jimin.

 

 

 

 

— Jeon Jungkook, me responda! 

 

 

 

 

 Jimin segurou a garganta do homem mais de dez centímetros acima dele e o levou até a parede próxima, ele estava muito puto e não se deve deixar Jimin puto. Nunca. 

 

 

 

 

— Você saiu sem sequer falar onde iria, me deixou muito preocupado, imagina se você fosse raptado? Uh? — Jimin nem percebera a força posta em sua mão e a apertava cada vez mais, Jungkook tentava tirar aquela mão dali mas ele não conseguia, Jimin é muito forte quando quer.

 

 

 

 

– Ch-Chimchim su-sua mão...

 

 

 

 

 

 Foi como um balde d'água fria ao perceber o que estava fazendo, se xingava mentalmente, afinal, Jungkook estava em sua própria casa e poderia sair e voltar a hora que quiser sem dar satisfação a ninguém.

 

 

 

 

— Agora sabe como é se preocupar com o irmão que saiu sem dar satisfação Jiminnie, hun? — segurou no queixo do ruivinho e o levantou com um sorriso sádico na boca — Me diga, hun? COMO FOI A PORRA DA SENSAÇÃO DE SAIR PARA TRANSAR COM QUALQUER UM?

 

 

 

 

 A situação não estava muito boa, estava tudo tenso, Jungkook ficara puto derrepente (e com motivos) e já se encontrava inúmeras lágrimas no rosto do ruivo, agora quem estava com medo era Park Jimin.



 

— M-Me desculpe h-hyung. — o abraçou forte, e no fim foi isso, lágrimas e mais lágrimas, apertos para lá e para cá, dois homens perdidos e sem noção do que faríam para resolver todos os seus problemas.

 

 

 

 

Jimin beijou intensamente seu irmão.




Seu pecado. Seu doce pecado.

 

 

 

 

 

 

 

~~ ☆`

 

 

 

 

 

— Jungkook? 

 

 

 

 

 

 

 

 Sua voz ecoou pela sala. Nada de Jungkook. Ele então se espreguiçou-se à ver que dormira no sofá. Foi um sonho. Tudo fora apenas um sonho. Tudo bem que ele estava aliviado por não ter de fato enforcado o irmão, mas ele não o beijou. Tinha caído no sofá após sua preocupação com o Jeon desaparecido e acabou desmaiando. 

 

 

 

 

 

Mas ele ainda está desaparecido? 

 

 

 

 

 

 

 O ruivo então - preocupado novamente - subiu as escadas, indo em todos os cômodos e suspirando aliviado à ir ao quarto do irmão e escutar o chuveiro. Jimin então esperou quinze, meia hora e quando dera quarenta minutos bateu na porta. 

 

 

 

 

 

 

— Jungkook? Tudo bem? 

 

 

 

 

— Huh? Sim. — Escutou a voz abafada do irmão entre a porta e voltou à sentar na grande cama do quarto para o esperar. 

 

 

 

 

 

 

 Se jogou para trás, inalando fundo o cheiro gostoso de bebê que o Jeon tinha. Sorriu bobo ao lembrar de uma vez que, quando crianças dormiram juntos na mesma cama. 

 

 

 

 

Jimin se lembra de ter dito aos seus onze anos, junto com seu irmão à seu lado, o abraçando; 

 

 

 

 

 

— Jungkookie. — chamou Jiminnie, manhoso como sempre e fazendo o irmão chamado o olhar. 

 

 

 

 

— O que foi, Chim? 

 

 

 

 

— Para sempre o Jungkookie vai me abraçar assim? Nas noites de tempestades? — apontou para a grande janela, mostrando uma chuva forte que caía e um trovão cair o que o fez dar um pulinho. — Eu tenho medo. 

 

 

 

 

 

— Claro que vou. - sorriu para a criança ao seu lado, o apertando mais. 

 

 

 

 

 

 

 Jimin se lembra de Jungkook se levantar várias vezes para "ir ao banheiro". Na época o menor não entendia mas agora mais velho soube que foi pelo fato deles estarem abraçados de conchinha, o que causava um certo incômodo em Jungkook. Jimin riu baixo e mordeu o lábio inferior, gostava tanto de provocar o Jeon. Jimin era um pestinha assanhado. E um baixinho apaixonado. 

 

 

 

 

 

 

— Jimin? — esse pulara da cama ao ver o irmão sair do banheiro, já vestido. Que pena. — Faz o que aqui? 

 

 

 

 

— Fiquei preocupado. 

 

 

 

 

 O ruivinho se levantara e imediatamente abraçou o irmão, esse que mal retribuiu, apenas com tapinhas nas costas do menor. Jimin se sentiu um bobo por achar que o seu sonho iria se tornar real assim. Que eles iriam se beijar naquele simples abraço. Foi só um sonho


 Viu o irmão se soltar e se jogar na cama, Jimin estranhou. Esse não estava com a aparência boa, olhos e rosto inchados. Jimin estava preocupado novamente, preocupado com o seu Jungkook.



 

×××







Taehyung (+50)





 Hoseok bufara, como o Kim era irritante quando queria... Viu pela barra de notificações que a maioria das mensagens eram só letras aleatórias, apenas para chamar a atenção do moreno. E o Jung estava irritado, triste e com dor. Não foi o melhor dia dele; descobrir que foi traído e ser brutalmente agredido por esse que o fez. Ele só voltou para casa com a ajuda do verdinho, assim chamava Yoongi.


 Seus pensamentos foram (novamente) interrompidos pelo som irritante de mensagem, que penetrava nos tímpanos de Hoseok. Esse - quase sem paciência - pegou o celular finalmente visualizando às, agora, 80 mensagens do amigo loiro.





O que foi?




Visualizada √√ 


 

 

Taehyung: Grosso.

 

Taehyung: Eu estou preocupado com você.





Oh, sério? Não pareceu.



 

Taehyung: Você me cortou quando eu iria falar.






Você foi embora com seu namorado.

Me deixou lá.





 

Taehyung: Por deus Hoseok! Pare de ciúmes. Eu sei que você me ama.
 




Não.

Eu cansei de você, Taehyung.

 

Vá para a puta que pariu com seu namoradinho de merda.

 

 

 

Taehyung: ...

 

 

 

 

 

Talvez ele tivesse foi bosta. 

 

 

 

 

 

 

Desculpe. 

 

 

 

Não enviada. 

 

 

 

 

Taehyung. 

 

Me bloqueou? 

 

 

 

 

Não enviada. 

 

 

 

 

 

Ok, ele definitivamente tinha feito bosta. 


Notas Finais


primeiramente, perdão pela demora para postar aconteceram alguns imprevistos e não sei se vou continuar essa fanfiction tão cedo,
por isso vou postar todos os capitulo já escritos e logo colocarei em hiatus. Isso não significa que não continuarei ok? Só estou dando um tempo, mas logo logo mais fanfics serão postadas ♥




é isso, espero que entendam meus amores ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...