História Under The Light Of Stars (Interativa) (Pausa Temporária) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Slender
Exibições 73
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 3 - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction Under The Light Of Stars (Interativa) (Pausa Temporária) - Capítulo 3 - Capítulo Um

[ Palavras marcadas com asterisco estarão sendo explicadas nas notas finais ] 

Suspirei fortemente, estava pronta para a viagem, primeiramente, eu decidi não ir, mas logo percebi que seria ótimo passar mais ou menos três messes longe do meu tio e seu fedor inigualável de bebida.

‘- Emma?’ – Sussurrou uma voz exaltada, sabia que era minha prima, filha de Joseph, mais uma que me achava uma inútil total.

‘-Katherine’ – Murmuro ainda dentro do quarto, estava lendo, esperando ansiosamente que os minutos passassem rapidamente, algo improvável, mas que em minha cabeça ingênua poderia funcionar.

‘- Abre a porra da porta pirralha’ – Murmurou desferindo um soco na mesma. Revirei os olhos e levantei da cadeira onde descansava, caminhei lentamente até a porta e abri a mesma, dando de cara com a garota de quinze anos que irritantemente batia no pedaço de madeira pintada de branco.

Não podia negar que era bonita, tinha cabelos de tamanho médio de tonalidade loira, mas um louro platinado não oxigenado, seus olhos castanhos escuros, alta, de pele branca, mas não tanta quanto a minha... Bela por fora, horrenda por dentro.

Por algum motivo, ela me odeia desde que eu vim morar aqui, não entendia o porquê,mas com o tempo, desisti de tal pensamento, com os outros ela mostrava-se ser uma garota educada, fofa e amante da família tradicional estadunidense.

‘- O que você quer?’ – Disse indiferente, voltando a meus afazeres, que seriam, ler e esperar o tempo passar.

‘- Quero falar sério com você... Pirralha’ – Sentou-se em minha cama, estava com a cabeça baixa, estranhei.

‘- Pois bem, não enrole, diga-me rapidamente e poderemos sair o mais rápido possível desta situação bizarra!’ – Fecho o livro e guardo o mesmo na estante de vidro, sentei em minha cama, de frente para Katherine.

‘- Quero abrir o jogo com você... ’ – Tentei identificar o significado das palavras em sua frase, não fazia sentido, arqueei ás sobrancelhas.

‘- Continue’ – Passei ás mãos em meus cabelos, fazendo um coque frouxo amarrado em uma fita amarelada, gosto de amarelo.

‘- E- Eu quero me desculpar’ – Sussurrou e ergueu o rosto, estava corado.

‘- Me desculpe por se tão ruim assim, sabe, você é irritantemente chata’ – Murmurou olhando em meus olhos, conseguia ver o reflexo de meu rosto nos mesmos.

Fiquei calada, vi tua silhueta indo em bora, suspirei e dei uma olhada no relógio, 19:00, suspirei, mais uma hora e sairíamos para a viagem.

‘- Banho’ – Murmurei.

Sai andando em direção ao banheiro, minha perna estava levemente suja, o ferro fica horrível sujo.

Após o banho, parei para observar-me no espelho.

Cabelos castanhos longos com pequenos e definidos cachinhos, nada muito desastroso, não era totalmente cacheado como os das meninas tumbler, mas sim, como uma garota normal de cabelo armado, até o término da coluna, pele branca, olhos azuis claros, nariz pequeno e bochechas rosadas, estatura baixa, com mais ou menos 1,55 de altura, seios grandes, cintura fina, perna torneada e minha perna de ferro.

Á tempos não esboço um sorriso em meus lábios carnudos e avermelhados, não sou feliz á muito tempo.

Não sou mais feliz desde que perdi minha perna naquele acidente...

Lágrimas quentes escorriam pelo meu rosto, balancei a cabeça freneticamente, chega de chorar, olhei novamente o relógio, 19:40, hora de me apressar.

Sentada no banco do ônibus, era a única presente dentro dele, observava a paisagem da escola pela janela grande e quadricular, estava iluminada apenas pela lua e pela iluminação dos postes.

‘- Hey Emma!’ – Mais uma pessoa entrou no ônibus, veio caminhando lentamente em minha direção, reconheci sua silhueta, Jason.

15 anos de pura graça, adorava-o eternamente, adorava seus cabelos negros, seus olhos azuis, suas covinhas e seu sorriso branquinho, corei, realmente é uma pena sua opção sexual.

‘- Jay... ’ – Murmurei baixo, encarando seus olhos, duvidosamente o mesmo estava sentado ao meu lado, franzi o cenho.

‘- Tudo bem com você bebê?’ – abraçou-me, retribui, Jason é meu melhor amigo desde... Desde sempre, é o único que me entende, me protege, foi ele quem me ajudou a andar pela primeira vez nessa bosta chamada prótese.

‘- Bem’ – Sorri minimamente, mas logo meu sorriso morreu ao ver mais pessoas entrando no ônibus, algumas sussurravam coisas maldosas enquanto olhavam-nos abraçados.

‘- Ô casal, se peguem em outro lugar’ – Gritou Ryan no fundão.

Corei e me encolhi no banco.

‘- Cala a boca babaca de merda’ – Berrou Jay, ele odiava com todas ás forças Ryan, pois sabia que ele era o culpado de meus pesadelos, da minha opacidade, de tudo que eu sou hoje.

‘- Não ligue para ele’ – Sussurrou em meu ouvido.

Quando varias pessoas já estavam dentro do ônibus, não lotando-o é claro, mas ainda eram muitas pessoas, uma mulher resmungando entrou, olhou para nós e murmurou:

‘- Sou a motorista, não façam-me perder a porra da paciência, seus pirralhos’

Assim que o automóvel ligou, outra pessoa apareceu, um homem, ou melhor, três homens*.

‘- Olá, somos os diretores do passeio’ – A voz animada do menor entre os três* soou em meu ouvido, de forma incrivelmente irritante.

‘- Não queremos bagunça’ – Murmurou o outro, de olhos verdes*.

‘- Ou algumas coisas podem acontecer’ – A voz grave do de amarelo* assustou a maioria do grupo, inclusive Jay e eu.

Sentaram-se nas poltronas preferencias e seguimos o rumo da viagem.

Senti meus olhos pesando, queria dormir... Dormir...

Acordei assustada, pensei que algo sério estava acontecendo, mas na verdade era Jay me cutucando.

‘- Filho da puta’ – Bocejei olhando em seu rosto – ‘- Que foi desgraça?’

‘- É hora da chamada puta’ – Olhou para frente rindo, revirei os olhos e fiz o mesmo.

‘-Nightmare Moon Cristal Ice Quartzo?’

‘-Aqui!’ – Uma menina de cabelos roxos ergueu a mão.

‘-Jason Grace’ – Olhou para o fundo do ônibus.

‘- Eu’ – Berrou a bixa louca do meu lado, ri de forma anasalada.

‘-Isabella Diamond Torres?’ – O homem de marrom sorriu.

‘- Presente’ – Gritou uma menina no fundo, tinha cabelos castanhos claros lisos mais também meios ondulados e olhos azuis piscina.

‘-Luisa Gabriella Coelho?’ – Murmurou o de amarelo.

‘- Hai!’ – A garota de cabelos pretos e olhos verdes que um dia foram meu porto seguro falou.

Fiquei pensativa, ela não mudará muito desde o nosso termino.

‘-Anna Katarina Wallkers?’ - Foi marcando com uma caneta preta os nomes em uma caderneta.

A loira de olhos verdes ergueu a mão.

‘-Katherine Collins?’

‘- Aqui’ – Sorriu minha prima, se fazendo de boa moça novamente.

‘-Bina Kannerberg Clarksoon?’

‘- Aqui seu delicinha’ – Gritou Bina, minha melhor amiga, minha irmã.

Vi uma careta enojada surgir no de laranja.

‘- Emma Tombson... ’ – Murmurou olhando de relance para mim, fiquei estática, seus olhos verdes eram tão... convidativos...

‘- Esquecemos alguém?’ – Murmurou olhando para o lado, o rosto levemente rubro, parecia o meu.

‘- Eu!’ – Ryan berrou, estava ofendido.

‘- Desculpa ai resto, mas ele disse alguém, que é derivado de pessoa, não de boi!’ – Gritou Jay, fazendo com que a turma toda dessem altas gargalhadas, revirei os olhos, mesmo sendo a mais nova da turma pareço ser até mesmo a mais velha.

Tenho meus meros 13 anos.

O tempo foi passando, passando e passando, todos no ônibus já dormiam, menos eu, e o monitor de moletom alaranjado.

‘- Hey... Tombson?’ – Sua voz era grossa, rouca e levemente sexy.

‘- Hum’ – Murmurei voltando minha atenção para si.

‘- Não vai dormir?’ – Sorriu minimamente, dei de ombros e voltei a fazer um leve cafuné nos cabelos negros de Jason.

‘- Teu namorado?’ – Chegou mais perto, sentando-se na poltrona a minha frente.

‘- Não’ – Sussurro.

‘- Parece... ’ – Puxou a touca de seu moletom para cima, escondendo seus cabelos negros.

‘- Já nos disseram isso’ – Bocejei.

Meus olhos, incrivelmente passaram a se fechar de forma rápida... Eu não estava com sono, fiquei assustada, antes dos meus olhos se fecharem de vez, escutei sua voz dizer.

‘- Durma bem, The White Marionette

Cutucões e gritos, acordei escutando tais sons.

O choro vinha das garotas e alguns gritos 'másculos' dos garotos, fiz uma cara de duvida.

‘- O que aconteceu?’ – Perguntei a Bina, que me abraçou, chorando em meu ombro.

‘- O ônibus... ’ – Soluçou.

Olhei em seu rosto com uma expressão de ‘ continua’

‘- Quebrou no meio da The Devil’ – Gritou amedrontada.

Arregalei os olhos, sem pensar em mais nada fui procurar os monitores, nenhum sinal dos três....

Oh merda!


Notas Finais


- Significado dos asteriscos -

Três Homens = Proxys

Menor entre os três = Ticci Toby

Olhos verdes = Hoodie

De amarelo = Masky


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...