História Under the Mistletoe - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Romance, Taeseok, Vhope
Exibições 64
Palavras 2.426
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa vai ser uma oneshoot simples de amorzinho do OTP Master que é VHope.

Se veio atrás de secso pesadaum, não lê jdksjskshs

Aish, nunca sei o que escrever nesse lugar aqui, então vamos logo pra história.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Under the Mistletoe - Capítulo 1 - Capítulo Único

Narradora On.

Essa história fala sobre dois melhores amigos que se amam incondicionalmente, mas nenhum dos dois garotos se declarou, ou simplesmente disse o que sentia. Todos já haviam reparado seus sentimentos um pelo outro...

...Menos eles.

Jung Hoseok tinha uma vida normal. Tinha muitos amigos queridos, incluindo aquele por quem era apaixonado, notas altas, uma vida social normal. Uma boa vida, segundo essa sociedade em que vivemos.

Já Kim TaeHyung era popular, desejado por todas e as vezes até por todos, tinha milhares de amigos por onde passava, mesmo que não amasse nenhum deles, exceto Hobi, como ele gostava de o chamar.

Tae e Hobi sempre foram amigos. Desde seus cinco anos de idade. Sei que está pensando agora "huh, isso é extremamente cliché", e realmente é, mas esses dois, em 12 anos, nunca revelaram um ao outro o que sentiam.

Tae havia cansado de ver tantas pessoas passando pela vida de seu melhor amigo e o quebrar em milhares de pedacinhos que ele tinha que juntar. Não que ele não gostasse de passar um tempo sozinho com o seu melhor amigo e amor, mas era péssimo ver Hoseok naquele estado.

Agora chega de enrolação, vamos à história.

Era uma segunda feira fria. O inverno estava muito próximo em Saint Paul - Minnesota, assim como o baile de inverno. Hoseok tinha uma namorada, seu nome era Lee YooYoung. Era considerada uma das meninas mais bonitas da escola, e Hoseok mal acreditava que era sua namorada. Gostava dela, mas seu coração sempre pertenceu à TaeHyung, sem que todos soubessem. Na tarde daquela segunda feira, Hobi e Yoo saíam tranquilamente da escola.

— Hobi, você vai sair com a minha família e eu no sábado, né?

— Sábado agora?

— É amor. Sábado agora.

— É dia do Tae ir pra minha casa. Não pode ser outro dia?

— Caralho Hoseok, eu não aguento mais você me trocando pelo TaeHyung!

— É nosso sábado sagrado, prometemos um ao outro que pra sempre íamos nos encontrar no terceiro sábado do mês.

A essa altura, todos no pátio pararam andar para observar a briga, assim como TaeHyung.

— É minha família Hoseok! Eles querem conhecer você!

— Não tem como remarcar? Por favor... Seja compreensiva.

— Não! Eu já cansei de você ficar me trocando pelo TaeHyung.

— Eu não troco, eu só...

— Chega! Ou é eu, ou ele. Você escolhe.

Todos os olhavam ansiosos pela resposta. Tae sentia um aperto no coração com o risco de perder o melhor amigo. Sabia que Hoseok gostava muito da garota.

— Anda! Eu ou o TaeHyung?

— Reconsidere...

— Não! Faça logo sua escolha!

— Desculpa, uma amizade de 12 não se joga fora por um namoro. Terminamos aqui. — Seus olhos se enchiam de lágrimas por ter perdido a garota.

— Tchau Hoseok. — A garota saiu andando.

Nesse segundo, TaeHyung correu até o amigo, largando qualquer pessoa com quem ele estivesse falando para lhe dar um abraço forte e um beijo no topo da cabeça.

— Quer que eu fique com você hoje, hyung?

— Pode pedir a sua mãe para passar a semana em minha casa? Por favor... — Sua voz estava trêmula pelo choro que TaeHyung não permitia ninguém ver.

— Claro. Vou pra casa para falar com ela e buscar minhas roupas. Está bem?

— Obrigado Tae, você é um ótimo amigo...

"Amigo"... Aquela palavra sempre doía muito naqueles dois. Desde os 14 anos, onde já tinham certeza dos sentimentos um pelo outro, que não queriam mais ser apenas amigos.

Como dito, TaeHyung foi para sua própria casa, falou com sua mãe e pegou algumas mudas de roupas enquanto Hoseok se afogava num pote enorme de sorvete. Não demorou muito para TaeHyung estar na porta de Hoseok, que era emancipado dos pais, então morava sozinho.

— Obrigado por vir.

— Nunca o deixaria sozinho.

E entre palavras doces, TaeHyung adentrou a casa junto à Hoseok com uma mochila de roupas e a mochila escolar. Deixou tudo no quarto de Hoseok, que era o único quarto do apartamento que eles chamavam de casa. Os dois foram para a sala, e visto que Hoseok não iria tirar de Titanic, TaeHyung o puxou para o seu colo e acariciou os cabelos recém-alaranjados do garoto.

— Fiquei com medo de você acabar escolhendo a YooYoung.

— Eu nunca faria isso.

— Mesmo, hyung? — Os olhos do loiro brilharam naquele momento.

— Claro, TaeTae. Você é meu melhor amigo desde meus cinco anos, eu te amo mais do que qualquer pessoa.

— Eu também te amo, hyung.

Os garotos deram um longo abraço e Tae conseguiu fazer o mais velho tirar daquele filme chato. Sugeriu dos dois garotos jogarem vídeo game até não aguentarem mais, e fizeram como foi dito.

Após uma realmente longa sessão de jogos, Hoseok e TaeHyung foram para o quarto que sempre dividiam quando Tae ia naquela casa. Para os garotos, a hora de dormir era a mais esperada, pois podiam dormir juntos e colocar culpa no sono caso quisessem se abraçar durante a noite.

Hoseok sempre acordava com os braços de TaeHyung envolvendo sua cintura e sua respiração batendo contra a nuca do mais velho quando o garoto ia dormir em sua casa. Ele não queria levantar, mas era necessário ir para a escola. Antes de acordar TaeHyung viu o dinheiro dos convites sobre o criado mudo, que ele havia colocado ali para não esquecer. Suspirou fundo e sentiu Tae se mexer atrás de si, o puxando para perto de novo. Virou-se para o mais novo, beijou sua testa e afagou o rosto do mais novo, o acordando aos poucos.

— Bom dia, Hobi hyung.

— Bom dia, TaeTae.

Os dois sorriram e perceberam que estavam muito próximos, o que causou um rubor forte nos dois. Hoseok se levantou em três segundos, se arrancando dos braços do garoto e entrou no banheiro. TaeHyung não aguentava mais guardar isso para si. Tinha que se declarar. Os dois garotos estavam prestes a se formar e nunca falaram sobre seus sentimentos.

Hobi tomou um banho rápido, mas foi o suficiente para fazer o rubor sumir. Colocou o roupão no corpo e saiu do banheiro. TaeHyung ao entrar, sentiu o cheiro gostoso do perfume que Hoseok sempre teve. O cheiro que era só dele. Sorrindo, fechou a porta e tomou seu banho.

Os dois, já arrumados, tomaram seu café juntos e seguiram para a escola a pé, pois não era muito longe. Chegando lá, todos olhavam para Hoseok por causa do término do dia anterior, o que o deixava morrendo de vergonha, e reparando nisso, TaeHyung envolveu o mais velho num abraço de lado, com seu belo sorriso retangular à mostra.

— Eu estou aqui hyung, vai ficar tudo bem.

Sempre que Hoseok sentia que estava em perigo, Tae pronunciava a mesma frase, que o acalmava intensamente. Os dois foram juntos a aula e se sentaram juntos também. Os términos de Hoseok sempre se resultaram nos dois colados feito unha e carne, como quando eram crianças.

Após a aula, eles estavam andando juntos pelo corredor, quando uma garota que Hoseok não se recordava o nome por ter a visto poucas vezes. Lembrava-se que era uma líder de torcida, mas não sabia seu nome.

— JoHee. O que foi?

— Nada TaeTae. — Ela piscou pro mais novo. — Como vai, Seokkie?

— Bem, obrigado. — O mais velho sorriu.

— Isso é ótimo. YooYoung não merecia você.

— Veio aqui pra dizer isso? — TaeHyung estava morrendo de ciúmes do mais velho.

— Na verdade, vim te convidar para ir ao baile comigo.

— A mim? — O mais novo se assustou.

— Sim. — Ela sorriu.

— Desculpe JoHee, mas eu tenho outros planos.

— Sem problemas. Até outra hora TaeTae. Até também, Seokkie. — Ela beijou a bochecha dos dois e saiu.

— Outros planos? Já chamou alguém, TaeTae? — O mais velho estava morrendo de ciúmes do par de TaeHyung, mas não demonstraria.

— E-eu... Só disse aquilo pra ela ir com outra pessoa...

— E por que? JoHee é linda!

— Não tanto quanto a pessoa que quero convidar.

TaeHyung ficou olhando o mais velho com admiração, e o lerdo sequer percebeu, pois sua atenção ia para as decorações do baile que passavam por eles. Suspirou fundo e puxou TaeHyung para que eles continuassem andando.

— Hyung, vá para a biblioteca que eu vou no banheiro.

— Eu posso te acompanhar.

— Não, vai para a biblioteca, é melhor que você procura o livro de matemática logo.

— Vamos fazer um trabalho de física.

— É, isso mesmo. Agora vai.

Hoseok seguiu em direção à biblioteca e TaeHyung foi comprar os ingressos do baile. Dois. Um para si e um para o seu par, que ele esperava do fundo de seu coração que aceitasse. Jung Hoseok.

Escondeu os ingressos onde sabia que seu hyung não ia mexer, dentro de sua mochila. Hoseok tinha horror a bagunça e a mochila de TaeHyung era pior que bolsa de mulher.

Fizeram o trabalho com cuidado, as vezes Tae fazia brincadeiras e Hoseok o repreendia. Quando se tratavam de trabalhos escolares, Hoseok era extremamente dedicado, o que explicava suas notas altas.

Os garotos finalmente se despediram da biblioteca e foram para a casa de Hoseok.

Aquela semana se passou rápida, e Hoseok já nem lembrava de sua ex. O baile era naquele sábado e Hobi ainda não sabia que seria o par de TaeHyung.

Ele conseguiu esconder os convites muito bem, e no sábado, saíram pela tarde nas lojas de Minnesota à procura de ternos para o "casamento do irmão mais velho de TaeHyung". Ele tinha inventado essa desculpa apenas para seu hyung comprar um terno para eles irem ao baile.

Os dois pararam numa lanchonete para comprar um copo de café, pois estava um frio absurdo e eles ainda não haviam comprado o terno. Saíram com os copos de café pela cidade até encontrarem JoHee novamente, antes que Tae mostrasse o real motivo deles estarem na rua comprando ternos.

— Seokkie! TaeTae! Como estão?

— Bem. — Os dois deram a mesma resposta.

— TaeHyung, pode me ajudar com uma coisa?

Ela nem deu chance do mais novo responder e o puxou para um lugar qualquer. Hoseok esperou o amigo ali e encarou uma vitrine com um terno realmente muito bonito, sorriu fraco e voltou a olhar o amigo de longe. A menina o envolvia com um cachecol bonito e os dois riam como duas crianças. Quando Tae voltou o café já estava gelado.

— JoHee gosta de você.

— Não, ela... Ai hyung, não me distraia, ok?

— Distrair do que?

— Você gostou desse terno? — Apontou pro terno que ele viu na vitrine.

— Sim, mas...

— Mas nada, vamos lá.

Após interromper seu hyung, o puxou pra dentro da loja, pediu o terno, colocou o convite no bolso interior do terno e fez o mais velho provar.

— Tae, vem ver.

— Onde?

TaeHyung seguiu a voz de seu hyung e o viu no terno. Era um terno azul marinho, com uma gravata preta de acompanhamento. Ele estava lindo demais.

— Está lindo, hyung.

— Você acha mesmo?

— Sim, tem poucos bolsos, do jeito que gosta.

— Pois é, e tem um bolso aqui também. — Ele colocou a mão dentro do terno e sentiu um papel. — Acho que tem uma etiqueta aqui dentro.

— Onde?

— Aqui... — Ele puxou, viu que era um convite pro baile, e olhando pro mais novo, sorriu fraco. — F-foi você?

— Quer ir ao baile comigo, hyung?

— Ir... com você? M-mas e o casamento...

— Era mentira... eu tinha que te tirar de casa de algum jeito. — Sorriu retangular. — Quer?

— Quero... obrigado, dongsaeng!

Mesmo que achasse que o mais novo havia o convidado apenas por pena, o abraçou forte por ter alguém que se importava tanto com ele. Faltavam poucas horas para o baile e o terno de TaeHyung já estava comprado, então eles correram para casa.

Os meninos tomaram um banho rápido, se arrumaram e Hoseok se olhou no espelho com o terno. Estava inseguro com sua aparência, tinha medo de que as pessoas o achassem feio demais para TaeHyung.

— Você está lindo, hyung.

Tae apareceu atrás de si no espelho e quando o mais velho se virou, o topo de sua cabeça recebeu um beijo singelo. Entre sorrisos, Tae levou Hoseok para a limousine que os esperava na porta e eles partiram para o baile.

Estava tudo decorado com o tema inverno. As luzes fracas, as cores frias como principal decoração... Tudo perfeito. Os decoradores mereciam palmas. TaeHyung entrou no baile com um sorriso estampado no rosto só por estar ao lado de Hoseok.

Eles se sentaram em uma das mesas com alguns de seus amigos que pareciam felizes com seus pares, trocando beijos e carícias o tempo inteiro. Tae ajeitou os cabelos loiros e sorriu para o hyung.

— Hobi, quer dançar?

— Quero...

Ele sorriu timidamente e foi conduzido por seu dongsaeng até a pista de dança. A música que tocava ao fundo era "Shy - Jai Waetford". Uma música lenta, mas que tinha uma batida.

Eles dançavam pelo salão sem se importar com o que os outros pensavam. Apenas olhavam um nos olhos do outro. Eles tinham uma conexão muito forte. Se amavam mais do que qualquer coisa por anos e sempre reprimiram esse sentimento.

— Hyung, posso te levar a um lugar legal?

— Pode...

TaeHyung tirou Hoseok da pista de dança e o levou para o pátio da escola, que estava vazio, onde ainda se ouvia a música, mas tão alta quanto lá dentro. Pararam em frente à uma árvore e TaeHyung sorriu.

— Olhe para cima.

— O que tem? — Ele disse com a cabeça levantada.

— O que vê?

— Os galhos da árvore com viscos pendurados.

— Segundo a tradição, se tiver um visco acima de duas pessoas, elas devem se beijar.

— Espera, o...

TaeHyung não deixou seu hyung terminar, e apenas o beijou embaixo do visco.

O beijo tão esperado pelos dois garotos finalmente havia acontecido. TaeHyung puxou Hoseok pela cintura e o mesmo abraçou seu pescoço, retribuindo o beijo de forma tão apaixonada quanto TaeHyung. Eles continuaram a dançar calmamente com a música, aproveitando o beijo tão gostoso que compartilhavam.

Eles se amavam mais do que qualquer coisa, e foi necessário estarem em baixo de um visco para que finalmente se conectassem.

Obrigado, visco.


Notas Finais


EEEEEEENTÃO É ISSO.

Espero que tenha ficado bonitinho,por que era essa a intenção.

Talvez eu faça um extra com um hot loco, mas tô pensando ainda.

Só isso mesmo, não sei o que escrever aqui.

Bacon desliga ~~Chu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...