História Under The Same Sky - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Angust, Bts, Drama, Jikook, Romance, Yaoi
Visualizações 15
Palavras 2.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie~
Podem me tacar as pedras. Eu sei que demorei muito a atualizar. Desculpem. D:
Pelo menos combinou com o nome do capítulo. q kkkkkkkk

Boa leitura!

Capítulo 5 - I'm late


JIMIN’S POV

 

Semana passada começamos a ter estudos intensivos para o primeiro simulado que teríamos este ano. Como já estávamos no último ano do colegial, já tínhamos que nos preparar para o vestibular. Eu ainda não tinha decidido para o que queria prestar. Era aquele momento da sua vida em que você já teria que tomar uma grande decisão em antes mesmo de ter tempo de ter experiências que te ajudem a decidir isso. Era tudo muito rápido. O colegial parece passar em um piscar de olhos e quando nos damos conta, já temos que prestar vestibular sem nem ao menos saber o que queremos fazer. Sou uma pessoa que gosta de aproveitar ao máximo a vida, mas sem fazer planos. Quero apenas vivê-la plenamente sem me preocupar. Mas também sou responsável e sei que atitudes e decisões bem pensadas são essenciais para o meu futuro, e por isso mesmo me preocupo.

Hoje seria o simulado e com base em seu resultado poderíamos ter uma noção sobre quais cursos aceitavam a nota que obtivéssemos. Mas é claro que isso seria apenas uma base, pois ainda estávamos no primeiro semestre letivo e teríamos mais tempo para nos prepararmos. Porém, mesmo que fosse apenas um simulado, eu estava nervoso. Queria tirar uma boa nota que me desse mais possibilidades e opções de cursos. Até porque como ainda não decidi o que quero fazer, com minha nota já poderei ter uma noção dos cursos e das universidades que me aceitariam. E como já era de se esperar, meus pais também estavam ansiosos. Eles não tentavam me impor qual caminho seguir, mas torcem para que eu consiga entrar em uma boa faculdade, assim como eu também espero. E por causa de toda esta ansiedade, quase não consegui dormir. Antes mesmo que o despertador tocasse, eu já estava acordado, entretanto, mesmo assim consegui me atrasar. Tomei banho e vesti meu uniforme às pressas, passei pela cozinha rapidamente para comer alguma coisa. Meus irmãos já tinham ido para a escola há poucos minutos atrás e agora eu já estava do lado de fora de casa, com a mochila nos ombros, pronto para ir.

 

- Estou indo. – Gritei para meus pais antes de fechar a porta de casa.

 

- Jimin, você pegou seu ID? – Ouvi minha mãe perguntar da cozinha.

 

                Droga! Como estava me esquecendo de algo tão importante? Sempre o deixava na mochila e justo hoje estava me esquecendo dele. Ainda bem que minha mãe me lembrou, pois não poderia fazer a prova sem minha identificação de estudante. Entreguei em casa novamente e corri para o meu quarto. O encontrei sobre a escrivaninha e o coloquei no bolso, saindo apressadamente de casa.

 

- Obrigado por me lembrar, mãe. Até mais.

 

- Boa sorte filho. – A ouvi dizer antes de fechar a porta.

                Corri até o ponto de ônibus e felizmente consegui chegar a tempo de o pegar antes que ele saísse. Me sentei e fiquei olhando para o meu ID, brincando com ele entre minhas mãos, talvez procurando um modo de controlar minha ansiedade. Encostei minha cabeça na janela e fiquei observando a paisagem da cidade.

 

[...]

 

                Despertei assustado, sem nem me dar conta de que havia pego no sono, olhei pela janela e não estava reconhecendo muito bem onde eu estava. Havia passado da parada na qual eu deveria descer. Me levantei desesperado e dei sinal. Desci na próxima para e fiquei observando ao redor. Droga! Olhei para o relógio e vi que só faltava alguns minutos antes que a prova começasse, não sabia se chegaria a tempo. Pensei em esperar o próximo ónibus, mas pelo quadro de horários, ainda demoraria quinze minutos para que ele passasse, e eu não poderia esperar tudo isso. Olhei em volta mais uma vez, tentando reconhecer o lugar em que estava, e pelo que me lembrava, não estava muito longe do colégio. Talvez se eu corresse, conseguiria chegar a tempo. Pelo menos não perderia a esperança de que conseguiria. Não perdi mais tempo e comecei a correr o mais rápido que podia, recebendo vários olhares enquanto o fazia, mas não me importava.

 

[...]

 

JUNGKOOK’S POV

 

                Desde a semana passada havia me desanimado ainda mais com estudos e tudo o que envolvesse vestibular e escolhas sobre meu futuro. O colégio era onde conseguia me livrar de meu pai me cobrando sobre isso e agora esse assunto também se fazia presente todos os dias para me atormentar ainda mais. Hoje teríamos um simulado, para que tivéssemos base sobre os cursos e faculdades que poderíamos escolher, e eu não estava nem um pouco animado. Não queria fazer uma prova da qual a nota não seria creditada a mim e da qual seria base para uma coisa na qual não estava interessado a fazer e que nem ao menos tinha noção do que escolheria. Queria apenas que não nos obrigassem a fazer algo que não queríamos e que não seria contado pelos professores.

                Obviamente não contei nada sobre as aulas preparatórias e o simulado para os meus pais, não era louco de fazer isso. Por isso, o café da manhã havia sido tranquilo, ainda mais porque quando desci para tomar meu café da manhã, meu pai já havia saído para o trabalho, então estávamos apenas minha mãe e eu. Comemos praticamente em silêncio e fui o primeiro a terminar. Me despedi e logo saí de casa. Ultimamente estava indo para o colégio de bicicleta, minha casa não ficava muito longe. Assim como previ, meu pai nunca mais ofereceu a me levar ao colégio, e isso era um grande alívio para mim. Quanto menos tempo passasse com ele, melhor. Ainda mais a sós, era praticamente uma tortura e evitava ao máximo que isso acontecesse.

                Fui pedalando vagarosamente e assim que cheguei aos portões do colégio, parei, ainda sem descer da bicicleta. Suspirei fundo e pensei um pouco sobre aquilo. Eu realmente não queria fazer aquela prova e não via razão para aquilo. Seria penas algo imposto ao qual faríamos metodicamente, e no meu caso, seria pior ainda, pois não tinha interesse algum. Coloquei de volta ao pedal o pé que havia depositado no chão enquanto me mantinha parado e dei meia volta, saindo dali. Não iria me obrigar a fazer aquilo contra a vontade, e como hoje só teríamos prova, não perderia conteúdo.

                Fui até uma cafeteria que ficava a alguns poucos quarteirões do colégio e comprei um café gelado. Voltei para onde havia deixado minha bicicleta enquanto terminava minha bebida e assim que a terminei, joguei o copo fora e removi o cadeado que havia colocado em minha bicicleta. Ouvi um estrondo e logo minha bicicleta caiu sobre meus pés. Olhei para frente e vi que toda a fileira de bicicletas havia sido derrubada e a minha havia sido a última a cair, pois havia a deixado na ponta. Continuei a seguir meus olhos pela fileira e ouvi um grunhido. Logo pude ver alguém caído, com uma mão sobre a perna e a cabeça baixa. Me aproximei e logo percebi de quem se tratava.

 

- Jimin? – O garoto tinha uma expressão de dor e assim que ouviu minha voz, levantou a cabeça para me encarar. – O que está fazendo aqui?

 

- Eu estava indo para o colégio. – Parecia sem graça e desviou o olhar. – Estava correndo e acabei tropeçando.

 

- Francamente. – Revirei os olhos. – Você é bem desastrado. – O vi se encolher com meu comentário, mas não disse nada. – E como assim está indo para o colégio agora? Sabe que a prova vai começar em... – Olhei para meu relógio para ver as horas. – dois minutos.

 

                Assim que ele me ouviu lhe dizer quantos minutos faltavsm para o início da prova, Jimin rapidamente se virou para mim assustado. Consegui ver o pânico em seus olhos e o encarava com uma feição tranquila. Ele tentou se levantar, mas assim que o fez, soltou mais um grunhido de dor, levando a mão até próximo ao joelho. Olhei em direção a sua mão e vi sua calça rasgada, revelando seu joelho machucado e sangrando. Ele tentou se levantar mais uma vez e estendi minha mão, o ajudando a se erguer.

 

- Obrigado.

 

- Por que está tão atrasado? Se tivesse saído de sua casa antes não precisaria correr e não teria se machucado.

 

- Eu acabei dormindo dentro do ônibus. – Disse enquanto ajeitava a mochila em suas costas. – Eu costumo vir a pé, mas justo hoje que resolvi vir de ônibus para não me atrasar, aconteceu isso. – Suspirou pesadamente.

 

- Hmm.

 

- E você? O que está fazendo aqui? – Me lançou um olhar inquisitivo. – Não parece estar com pressa.

 

- E não estou.

 

- O quê?

 

                Vi um ID caído próximo a pilha de bicicleta e me abaixei para pegá-lo. Já sabia que era de Jimin, mas mesmo assim o virei, revelando sua foto. Soltei um riso nasalado ao perceber o quanto ele era desastrado e desatento. Se eu não tivesse visto, ele também perderia sua identificação. Me levantei e o mostrei o ID.

 

- Como pode ser tão desatento? – Ele arregalou os olhos e abriu a boca para me responder, mas não saiu nada. Deve ter ficado surpreso por não ter se dado conta de que sua identificação havia caído. – Tome. – Disse a empurrando contra seu peito e ele a pegou, ainda em silêncio devido ao seu constrangimento. – Vá. Talvez eles ainda te deixem fazer a prova. – Me virei para a pilha de bicicletas caídas no chão e comecei a levantá-las. Jimin veio até mim e começou a me ajudar.

 

- Pode ir.

 

- Mas e você? – Olhei para ele e o vi torcer os lábios.

 

- Não se preocupe comigo. Agora vá logo. – Ele continuou parado me olhando e me virei, voltando a fazer o que estava fazendo.

 

Olhei de relance e o vi se afastar. Andava com dificuldade devido ao ferimento. Suspirei, pensando que daquele jeito ele só chegaria ao final da prova. Terminei de ajeitar as bicicletas e montei na minha. Comecei a pedalar e parei ao lado de Jimin, que pareceu um pouco assustado com a minha atitude repentina.

 

- O que foi?

 

- Andando desse jeito você não vai chegar nunca.

 

- Mas...

 

- Você quer fazer a prova, não quer? – Ficou me encarando pensativo e revirei os olhos diante de sua hesitação. – Suba logo.

 

                Ele finalmente se deu por vencido e subiu na garupa da bicicleta. Não perdi mais tempo e voltei rapidamente para a direção da qual havia vindo minutos atrás.

 

[...]

 

                Assim que chegamos ao colégio a prova já havia começado e por isso, obviamente, não nos deixaram seguir para nossa sala. Fomos até a diretoria e explicamos o que havia acontecido. No princípio, a diretora não parecia muito convencida, mas logo que viu que Jimin estava machucado, pareceu se compadecer e disse que poderíamos fazer a prova, e a ouvir isso meus olhos se arregalaram. Jimin era quem estava pedindo para fazer a prova, não eu. Eu não queria fazer aquilo, estava ali apenas para ajudar Jimin a tentar convencê-la.

                Tentei fugir da situação, dizendo que não precisava me deixar fazer a prova e que o erro foi meu por ter me atrasado, mas mesmo assim não consegui me livrar. Ainda mais porque a diretora achou um ato nobre de minha parte ter trazido Jimin e disse que não poderia me punir ou negligenciar por causa disso. Mal sabia ela que eu preferia ser negligenciado e não fazer a prova.

                Sendo assim, depois de cuidarem do joelho de Jimin na enfermaria, acabei tendo que fazer a prova com Jimin. Enquanto eu estava desapontado, ele parecia aliviado e feliz por terem nos permitido fazer a prova, mesmo que não nos dessem tempo à mais para fazer por termos perdido alguns minutos. A diretora disse que teríamos que fazer a prova ali mesmo na diretoria e que teríamos que fazer ao mesmo tempo que os demais alunos, mas como não perdemos tanto tempo, não teria problema. Agora meu único objetivo era terminar aquilo logo e ir embora.

 

JIMIN’S POV

 

- Dormir dentro do ônibus no dia da prova... – Hoseok dizia enquanto saíamos do prédio depois de termos terminado de fazer a prova. Havia o encontrado após sair da diretoria e lhe contato o que aconteceu. – Você deve ter muita confiança em si mesmo. Ou seria audácia?

 

                Estava prestes a respondê-lo quando avistei JungKook passando por nós, conversando com um de seus amigos. Me apressei em ir até ele.

 

- Aonde você vai? – Hoseok perguntou, logo me seguindo.

 

- JungKook! – O chamei e os dois viraram para me olhar. Ele não disse nada, apenas ficou esperando que eu falasse, até que seu amigo interveio.

 

- Olá. – Sorriu para mim. – Sei que somos da mesma turma, mas nunca nos apresentamos devidamente. Sou Kim Taehyung.

 

- Ele não quer saber disso, Taehyung. – Hoseok se meteu na conversa. –Nem mesmo lhe dirigiu a palavra. – Riu e Taehyung fez uma careta.

 

- Hoseok! – O repreendi e logo voltei minha atenção a Taehyung. – Prazer, sou Park Jimin. – Sorri e logo ouvi a voz de JungKook.

 

- O que você quer?

 

- Queria te agradecer por mais cedo. – O encarei, ainda sorrindo. – Obrigado. – Fiz uma breve reverência.

 

- Por sua causa tive que fazer a prova. – Bufou e continuou andando enquanto empurrava sua bicicleta. Fiquei o olhando confuso, sem entender sua atitude.

 

- O que...

 

- Ei! – Taehyung exclamou para JungKook, que estava se afastando. – Me espera! – Começou a ir atrás dele e se virou, acenando para nós em despedida.

 

                Hoseok se aproximou e colocou uma mão sobre meu ombro.

 

- Não ligue. Ele é assim mesmo.

 

- Garoto estranho. – Bufei, vendo os dois saírem pelo portão do colégio.

 

[...]

 

                Assim que cheguei em casa, tomei banho e depois desci para comer com meus pais. Quando voltei do colégio eles viram minha calça rasgada e perceberam que eu estava com um pouco de dificuldade para andar e tive que contá-los tudo o que havia acontecido.

 

- Você estava na bicicleta de um garoto? – Meu pai exclamou assim que lhes contei sobre isso. Eles já sabiam de minha opção sexual, por isso sempre que me viam ou lhes contava que estava com um garoto ele se alarmava. Como se eu fosse ter interesse por qualquer garoto que conheça ou eles por mim.

 

- Que pena que você se atrasou. – Minha mãe se pronunciou. – Mas que bom que encontrou esse garoto para lhe ajudar.

 

- Sim... – Achava que era melhor não mencionar o fato dele ter se irritado por ter que fazer a prova por minha causa.

 

- Que garoto é esse? De onde ele é? – Meu pai continuava com o interrogatório.

 

- Ele é da minha turma.

 

- Você deve agradecê-lo por ter te dado carona. – Minha mãe interveio.

 

- Sim. Eu já fiz isso. – Dei um meio sorriso e comecei a comer.

 

- O quê? Agradecer? – Meu pai continuou. – Seu filho já tem idade para casar e estava na bicicleta de outro garoto.

 

- Pai...

 

- Espero que vocês dois tenham se saído bem. – Disse minha mãe, ignorando o que meu pai disse.

 

- Também espero. – Suspirei.

 

E eu realmente esperava me sair bem, mesmo depois de ter me atrasado. Ainda mais depois de ter feito JungKook me levar para o colégio e ter sido o culpado dele ter feito a prova contra sua vontade.


Notas Finais


Coitado do Jimin. Se atrasa, se machuca e o Kook ainda fica bravo com ele. :')
E esse pai dele? kkkkkkkk

Comentem. Não sejam leitores fantasmas. :(

Bjos e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...