História Undercore - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Frisk
Tags Adaptação, Romance, Undertale
Visualizações 5
Palavras 1.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Ossos pervertidos


Fanfic / Fanfiction Undercore - Capítulo 6 - Ossos pervertidos

Caminhado em uma trilha entre as árvores, os dois se encontravam novamente em um completo e irritante silencio. Continuaram por alguns minutos até sentirem uma sensação estranha, a de estarem sendo perseguidos. Frisk começou a apertar o passo em quanto Flowy olhava para todos os lados tentando descobrir de onde vinha aquela presença.
Acabaram parando em frente a um desfiladeiro, aparentemente havia uma ponte lá em volta de alguns pilares, mas que agora estava quebrada.
 
- mas que droga, ficamos sem saída! – disse Flowy, começando a ficar com medo.
- calma, irmão, vamos dar um jeito. – disse Frisk, tentando acalmar Flowy.
- mas tem que ser rápido, ficar parado aqui assim só vai servir para nos atacarem de surpresa! – reforçou Flowy.
 

Naquele instante, surgiu uma sobra por de trás dos dois e quase que imediatamente Frisk se virou, pronta para criar um escudo, mas não havia nada lá. Mais calma, se virou e deu de cara com um esqueleto.
 
- HHHHHHHHHAAAAAAAAAAAA!!! – gritou Frisk, caindo de bunda no chão cheio de neve.
- opa anjinho, não queria te assustar, meu nome é Sans, o esqueleto. – disse lhe estendendo a mão.
- não precisamos da sua ajuda para levantar. – disse Flowy, com uma cara demoníaca.
- ora ora florzinha, não fique com os nervos a flor da pele. Hahaha.
- mais que droga de piada foi essa!? (piada nível Sans, acostume-se)
 

Frisk se levantou tirando a neve das costas, em quanto Flowy encarava Sans, rosnando, por assim dizer. A garota analisou o esqueleto que não parecia ser agressivo, ele vestia um casaco preto com detalhes em amarelo e azul, uma bermuda preta e chinelos de lã.
 
- isso é maneira de cumprimentar um novo amigo?! Vamos, anjinho, é só um aperto de mão!
 

Sans estendeu a mão novamente em direção a Frisk, com um sorriso malicioso. Desconfiada, ela estendeu a mão, no que elas se encostaram Sans a puxou para perto e a lambeu, dos dedos até o pulso. Frisk corou imediatamente puxando a mão para perto do peito e dando um pulo para trás.
 
- QUAL É O SEU PROBLEMA! – gritou Flowy, pronto para bater em Sans.
- ué, foi só um cumprimento, por aqui fazemos assim, também fazemos coisas bem piores com anjinhos frágeis e delicados iguais a você ♥ ! – sussurrou Sans, se aproximando de Frisk.
 

Chocada com aquilo, Frisk ficou sem palavras, nem conseguiu pensar direito, em quanto Flowy a envolvia com as vinhas tentando afastar Sans.
 
- nem ouse tocar um só dedo nela saco de ossos sorridente!!! – rosnou Flowy encarando Sans.
- HAHAHA, era brincadeira, qual é! Jamais machucaria um anjinho como sua amiga ai ♥. – disse Sans, dando de ombros.
- pare de me chamar assim, meu nome é Frisk e na próxima vez que tentar alguma gracinha, vai se arrepender. – ameaçou Frisk, voltando ao seu normal.
 

Ela não ia realmente machucar o esqueleto, só queria que ele parasse com aquela atitude, aquilo era incomodo, de certa forma.
 
- hmm Frisk, um belo nome para um anjinho ♥! HAHAHA, não se preocupe, não vou fazer nada que você não queira ;) ... Mas falando sério agora, é raro encontrar um humano por aqui, o que aconteceu? Está perdida?
- isso não é da sua conta saco de ossos!!! – rosnou Flowy, ainda com raiva do esqueleto.
- não estou falando com você florzinha.
- tá tudo bem irmão, não me importo de falar, afinal, Sans faz parte desse mundo, vou salva-lo também. – disse Frisk convicta.
- me salvar, que papo é esse anjinho? Não estou em perigo nem machucado, mas se quiser cuidar de mim sou todo seu ♥!
- não é isso seu esqueleto pervertido, nos viemos libertar os monstros! – disse Flowy.
- o que? HAHAHAHAHAHA, não me faça rir, uma humana libertando os monstros?! Minhas piadas não chegam nem perto dessa sua ai, realmente muito boa, HAHAHA.
- não é piada, saímos das ruinas em direção ao castelo, queremos mudar esse mundo e libertar os monstros! – afirmou novamente Frisk.
- das ruinas hen ... aquela bruxa velha ainda tá viva pelo jeito. Mas me admiro ela ter deixado vocês saírem. - Disse Sans cruzando os braços, mudando completamente de tom.
 

Sans não gostava de Toriel, ele achava hipocrisia ela se preocupar tanto com as crianças que saíram de lá, mas nunca tomou coragem de sair das ruinas para acompanha-las.
 
- BRUXA VELHA!? Não fale assim da nossa mãe, seu saco de ossos nojento! – gritou Flowy.
- esse adjetivo ainda é fraco comparado ao que penso dela, largar o rei e se esconder nas ruinas?! Grande atitude de uma rainha, abandonar seu povo. Parte da culpa pelo subsolo estar assim é dela, isso é inegável. Em fim... De todas as crianças que passara por mim, você é a única mais velha, quantos anos tem? Há quanto tempo está no subsolo?
- tenho 17, cai aqui a mais ou menos três anos! Bom, não vou tentar justificar o que a mamãe fez ou tentar convencer você de que ela é uma pessoa boa, ela cuidou de mim, me treinou, me deu uma família e muito amor, acreditou em minha determinação em mudar esse mundo. Ela fez mais por mim em três anos do que a humanidade inteira fez em toda a minha vida. – disse Frisk, convicta e determinada, encarando Sans, tentando ser a mais complacente possível.
- hhaaaaa, ok anjinho, cada um tem sua opinião, mas caso você não saiba, os monstros aqui de fora tem o dever de capturar os humanos para entrega-los a Asgor, não pense que isso vai ser uma jornada fácil. – disse Sans, suspirando, balançando a cabeça.
- sei muito bem disso, mas não tenho medo, trabalhei muito duro pra chegar até aqui! O engraçado é você, dizendo essas coisas, mas ainda não tentou me capturar, até parece que eu consegui te convencer assim, tão fácil, hihihi. – disse Frisk, com uma cara de convencida.
-não ficha se achando garota, é só que sou preguiçoso de mais pra capturar alguém, além do mais, meu irmão vai adorar fazer isso, ele é muito legal.
- e ele é um saco de ossos pervertido como você? – insinuou Flowy.
- não, ele é bem sério e dedicado, bem diferente de mim. Bom vou indo, tenho que avisar ele sobre vocês, ele vai ficar animado! Até mais anjinho, florzinha. – disse Sans desaparecendo bem em frente aos olhos dos dois.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...