História Underfell - o verdadeiro ''mal'' - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne
Exibições 25
Palavras 1.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido <3

Capítulo 6 - 6


Fanfic / Fanfiction Underfell - o verdadeiro ''mal'' - Capítulo 6 - 6

-PARECE QUE SE LIVROU MUITO FÁCIL – disse papyrus.

Papyrus estava pronto para lutar novamente, ele estava com uma expressão um tanto estranha, ele mantinha um sorriso no rosto, acho que ele realmente não vai desistir de tentar me matar, mas eu vou tentar fazer ele mudar de ideia!

-Toma cuidado, Frisk! Ele é mais perigoso do que parece – diz Flowey

-Pode deixar, eu vou conseguir! – disse eu, tentando ser otimista

Papyrus jogou alguns ossos na minha direção, mas nada que eu não pudesse desviar.

-Papyrus, eu já disse, não quero lutar e não vou lutar! – disse eu, calmamente

-Eu to pouco me fodendo pro que você acha, eu vou te matar! – disse Papyrus nervoso

Em seguida, Papyrus jogou mais ossos, eu desviava de alguns, outros me acertavam.

-Você está bem? – perguntou Flowey

-Estou com 10HP, eu diria que  estou sim, haha – disse eu, tentando esconder os ferimentos que insistiam em sangrar

-JÁ ESTÁ MORRENDO? VOCÊ É MAIS FÁCIL DO QUE EU PENSAVA! – exclamou Papyrus

-Eu não vou lutar, já falei, não quero te ferir! – retruquei

-ME FERIR? FERIR O GRANDE PAPYRUS? NÃO ME FAÇA RIR, VOCÊ É SÓ MAIS UM HUMANO QUE TERÁ UMA MORTE DOLOROSA!

Ao falar isso, Papyrus me cercou de ossos, não consegui desviar, os ossos atravessaram meu corpo, fazendo vários rasgos na minha barriga

Eu morri, novamente, tudo se escureceu, mas bem no fundo eu via olhos vermelhos e ouvia uma voz dizendo “eu vou te ajudar, não se preocupe, apenas me deixe tentar te ajudar”

O que seria isso ou quem seria essa pessoa? Não sei se devo aceitar tal ajuda, mas na situação que eu estou, ajuda é sempre bem vinda, mas acho melhor não.

-Pessoa, eu não posso aceitar sua ajuda, eu consigo  sozinha, só preciso de algumas tentativas, mas me diz, qual seu nome?

???: meu nome é ...

Quando a tal pessoa ia falar, eu acordei no último save point, ainda bem que salvei quando sai da garagem, passar por tudo de novo não seria fácil.

-Frisk, toma cuidado! Mas que coisa! Já morremos mais vezes do que podemos contar! – disse Flowey irritado

-Hahahaha, ta bom madame, vou tentar ser melhor, agora quietinho, vamos logo! – disse eu, rindo baixo

-Hum – Flowey mostra a língua

Andamos um pouco e encontramos Papyrus, novamente!

-PARECE QUE SE LIVROU MUITO FÁCIL! – disse Papyrus, já invocando ossos pra cima de mim

-Papyrus, você acredita que a pior pessoa pode mudar? Que ela pode ser melhor se tentar? – eu disse

Papyrus desfez seu sorriso por um momento, mas logo depois voltou com ele ainda maior, ele invocou ainda mais ossos em minha direção.

-CALE A BOCA! – disse Papyrus

Os ossos vinham em todas as direções, eu não poderia morrer de novo, eu realmente não sei o que fazer.

Eu me encolhi um pouco e esperei por um milagre, quando os ossos estavam perto, pude sentir aquela mesma sensação da minha alma ficando azul e eu sendo levitada, desviei de alguns ossos, mas mesmo assim alguns me acertaram. O que seria essa coisa azul?

-Flowey? – olhei pra Flowey assustada

-Não sou eu que fez isso – disse Flowey

Logo depois voltei pro chão e minha alma voltou a ser vermelha novamente. Senti um conforto quando minha alma ficou azul, deve ser alguma magia que fez isso, enfim, Papyrus não vai parar, tenho que continuar desviando.

-MAS O QUE? COMO? GRR, SAAANS, SE VOCÊ ESTIVER AI, SEU VERME, PARE DE FAZER ISSO!

Sans? Jamais, ele quer é me matar também.

-Papyrus, me escuta, eu acredito que você possa ser alguém melhor, por fav...-

Antes de eu terminar de falar, Papyrus invocou mais ossos e jogou, ele parecia irritado, ele hesitou um pouco, mas me atacou mesmo assim.

-VOU TE COLOCAR NA SALA DE TORTURA DE NOVO!

Alguns ossos me acertaram, eu desviei, mas ele jogou muito dessa vez, meu HP ficou em 1.

-E-eu acredito q-que dentro de v-você ainda tem uma p-pessoa boa! – disse eu

Logo depois eu desmaiei

(Papyrus p.v.o on)

-BLÁ BLÁ BLÁ, PAPO FURADO!

Como se ainda houvesse algo bom em mim, perda de tempo garotinha!

-Hey, Chefe! -  disse Sans, saindo das árvores

-SEU INÚTIL, ESTAVA AJUDANDO A HUMANA? ME TRAINDO?

Eu dei um tapa na cara dele, ele merece, traiu minha confiança

-Grr, estou me cansando disso, pra que fazer isso com ela? Sabe que ela irá morrer de qualquer jeito, pra que torturar? Essa é a pior dor que se pode sentir, eu ajudei ela mesmo, fiz ela desviar de seus ossos, e eu vou continuar ajudando – ele se vira – você não é meu irmão, meu irmão se foi a muito tempo, se quer mata-lá, vai em frente, não me importo!

-SANS...

Por que ele ta dizendo isso? Eu não sei o que sentir, eu gosto de torturar as pessoas!

-VOCÊ É MESMO IDIOTA! – eu gritei

-FODA-SEEEE – gritou Sans

Grr, mas que merda! Enfim, vamos ver o que eu faço com essa humana, hehe

(Frisk p.v.o on)

Eu acordei novamente na garagem, Flowey estava no meu ombro me olhando, ele já tinha acordado.

-Flowey, o que aconteceu? – disse eu me levantando

-Papyrus nos trousse aqui, eu acordei faz alguns minutos – disse Flowey

Eu me levantei, mais ao lado tinha outro recado do Papyrus

 “ AQUI ESTÁ MEU NÚMERO DE TELEFONE, ME LIGUE SE PRECISAR DE ALGUMA COISA. DIGAMOS QUE SUA MORTE FOI ADIADA, MAS ELA CHEGARÁ DE QUALQUER JEITO, VOCÊ VAI MORRER DE QUALQUER JEITO. NYEHEHEHEHE”

-Que amor de pessoa – diz Flowey, revirando os olhos

-Eu que o diga – disse rindo

Nós saímos da garagem, eu salvei. Fomos em direção aonde Papyrus estaria, mas quando chegamos lá, tivemos uma surpresa.

-Heya!

Não era o Papyrus, era o Sans que estava ali.

-Olá! – eu disse

-Então, sabe quando você sentiu sua alma azul? Foi eu, mas não pense que eu não quero que você morra, apenas adiei sua morte pra ter mais emoção, enfim, você vai morrer logo, você é fraca, estarei te esperando no corredor, adeus!

Ele disse isso e sumiu, ele é bem mais legal que o irmão dele, enfim, vou continuar meu caminho.

-Vamos Frisk, próximo lugar, Waterfall! – disse Flowey

 

 

Continua..


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...