História Undertale do Humor (HUMORTALE) - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Doggo, Flowey, Frisk, Gerson, Greater Dog, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin, W. D. Gaster
Tags Alternativo, Comedia, Engraçado, Fireboltvioleta, Humor, Paródias, Serie, Subterrâneo, Undertale, Universo, Zoeira
Exibições 195
Palavras 1.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - W. D. Gaster e... PERA AÍ UM TIQUINHO...


Fanfic / Fanfiction Undertale do Humor (HUMORTALE) - Capítulo 20 - W. D. Gaster e... PERA AÍ UM TIQUINHO...

 

FRISK: quem é o padre versão zumbi?

SANS: eu quem pergunto (cruza os braços e batuca o pé no chão) quem é você?

GASTER: (erguendo a mão para ele) Sou Gaster… (fala dramaticamente) Sans… eu sou o seu pai.

SANS: (cai de joelhos com as mãos na cabeça) NAAAAAAAAAÃO! (faz cara de ué) pera. QUE?

CHARA: carai. Isso tá parecendo o Programa do Ratinho (tira adaga do bolso)

Um a um, todos que possuem armas as conjuram nas mãos. Undyne dá Smyle no colo de Alphys, e também se arma com suas lanças, enquanto a dinossaura agarra Smyle, impedindo-a de entrar na briga também.

SMYLE: (esperneando) mi sota, mamain. Dexa eu azudar a ota mamain!

GASTER: sim, Sans. Sou o pai de vocês (fala sombriamente) eu me deletei há muito tempo dessa linha temporal. Mas, graças ao vértice de vocês, pude retornar para cá.

PAPYRUS: (ignorando o guincho de “choquei, meu bem” de Mettaton) e como você saiu pelo vértice se ele estava sendo vigiado?

GASTER: (shrug face) era hora da troca de plantão dos guardas. Apareceram dois cachorros patetas. Foi só distraí-los com um osso. Truque clássico (gesticula, fazendo o pátio escurecer sinistramente) mas isso não importa agora. O que importa é eu terminar o que tentei começar há muito tempo… alterar essa linha temporal para uma bem melhor… e deletar essa cópia fraca e patética.

UNDYNE: poha, o que vocês vilões veem de tão ruim nessa linha temporal? Ela é joinha. DEIXA COMO ESTÁ, CARAI.

METTATON: (escondendo Calibri atrás dele) hunf! Só não te arranco uns pedaços por que não sou abutre pra ficar desossando cadáver.

TODO MUNDO: OOOOOOOOORRA.

PAPYRUS: (choramingando por mal ter conhecido o pai e todo mundo já querer matar ele) aí pegou pesado, amor.

SANS: tá legal.. p-pai (gagueja pela primeira vez na vida, chocando geral) agora abaixa as mãos e deixe de ser maluco, tá legal?

GASTER: hum… eu acho que não.

Levados pela nuvem negra que Gaster criou, todos são do nada jogados no chão e imobilizados - exceto Sans, que escapa no último segundo e se teletransporta para cima do telhado.

SANS: WHOA! (olho direito flameja) tá legal. Agora já tá abusando, cara!

GASTER: (sem ligar pra gritaria de protesto de geral) muito bom, Sans. Sabia que era mais poderoso que essa gentinha fraca (Sans é pego de surpresa por um tentáculo de fumaça que também o prende ao chão, antes que possa revidar) forte, mas muito distraído. Que pena.

CHARA: solta a gente, seu doido!

GASTER: ah, vou soltar sim (risada maldosa) assim que deletar esse universo para sempre. Mas, enquanto isso… (solta um dos presos, e todos entram em pânico quando percebem Smyle sendo erguida pelo cangote, enquanto a salamandrinha esbraveja, zangada) ora, ora. E quem é você, pequena?

ALPHYS: SMYLE!

UNDYNE: (rosnando) tire suas mãos dela, seu canalha! (tenta se soltar, sem sucesso)

GASTER: (gargalhando, enquanto Calibri tenta desesperadamente fugir dos tentáculos de fumaça) poupem o esforço. Não podem contra o poder de quem já viajou entre universos! (aperta o pescocinho de Smyle, que começa a chorar)

Antes que a choradeira comece, porém, algo brilhante e prateado atinge Gaster, que, jogado para trás, solta Smyle – ao que a monstrinha vai até onde as mães estão, e começa a tentar libertá-las da fumaça negra.

SANS: (perplexo) mas o que…

O choque é geral quando, surgidos da entrada do pátio, Asriel – flutuante, transformado em Deus da Hipermorte – e uma carneira loura de armadura, enraivecida, se adiantam e confrontam Gaster.

AAYRINE: NÃO. TOCA. NA. CRIANÇA! (lança outro facão de energia, que volta a derrubar Gaster no chão)

TODO MUNDO: BIA!

TORIEL: Asriel! Filho!

DEUS DA HIPERMORTE: (rosnando, com sua voz ecoante) cara… você prendeu meus pais e amigos, interrompeu nossa lua de mel e tentou machucar nossa afilhada (conjura Chaos Buster) tu pediu pra morrer, diabo.

SANS: (com o queixo apoiado na palma da mão e o cotovelo no chão) falou o cara de chifres.

GASTER: n-não! (se ergue, tentando revidar) eu sou um viajante dos universos! Não podem me derrotar!

AAYRINE: (rindo sarcasticamente) bem, desculpe estourar sua bola, Slender versão submundo… mas você não é o único viajante de universos aqui.

Aayrine lança mais dezenas de espadins de energia em Gaster, prendendo-o contra o chão. Algumas delas cortam as nuvens negras, libertando todos que estavam presos no pátio. Smyle, aliviada, abraça as mães, pulando de felicidade.

DEUS DA HIPERMORTE: brigado, doçura (dá um beijinho no focinho de Aayrine) agora, aos negócios (mira Chaos Buster bem na fuça de Gaster)

PAPYRUS: (correndo até eles) ASRIEL! ESPERA!

SANS: é! (só que com menos desespero) não faz isso!

AAYRINE: por que não? Ele atacou vocês!

CALIBRI: (ofegante de raiva) ele...entou.. fazer dodói… na Smyle!

SANS: eu sei… mas não podem matá-lo… (revira os olhos, exasperado) ele é nosso pai.

Aayrine e Asriel olham de Gaster para Sans e Papyrus, e deles de volta pra Gaster, feito quem assiste a um jogo de pingue-pongue.

ASRIEL: (ficando tão chocado que some com o Chaos Buster e volta ao normal; Bia faz o mesmo, voltando a forma humana) sério? Que zica, hein?

AUTORA: (resmungando) esses facões de energia neutralizam os poderes dele. Podem levá-lo para a masmorra enquanto decidimos o que fazer (suspiro) Undyne…?

UNDYNE: (raivosa) nem precisa dizer (amarra os facões de energia feito cordas no esqueleto, e sai esmurrando Gaster castelo adentro) só não arrasto tua fuça no chão por que você não tem uma, seu infeliz!

Todos acompanham Undyne escoltar Gaster, até eles sumirem corredor afora.

ASGORE: (confuso) espera… como sabiam que tinha… que voltar?

AUTORA: (dando um sorrisinho torto) para sua sorte, Asgore, você é uma bosta pra desligar o celular direito. Ouvi vocês depois que terminamos de conversar. Foi só questão de Asriel, hum, mudar de forma e conjurar um portal direto para o castelo a partir de Snowdin. Isso esgota ele horrores (dá beijinho em Asriel) mas achamos que valia a pena arriscar.

ALPHYS: e ainda bem (suspiro aliviado) se você não tivesse tanto poder quanto ele, estaríamos fritos. Valeu, Bia!

AUTORA: (dá de ombros) não foi nada. Só soltei minhas tripas depois de sair do portal, por causa da viagem… então é melhor pedir pra alguém limpar a frente do castelo, Asgore.

ASGORE: (dando um revirar de olhos épico) beleza (arrebanha geral para dentro do castelo) vamos, pessoal. Bora descansar de mais uma tentativa de homicídio.

Asriel, assobiando, ajuda o pai a fechar o pátio. Bia, por fim percebendo a presença de Calibri dá um gritinho de fofura.

AUTORA: ah, que fofinho! (pega Calibri, risonho, no colo)

METTATON: (rindo também) Alphys que nos deu de presente. Está com a alma da Zoeira (ri de novo ao ver a cara surpresa da Bia) mas é uma gracinha não é? (percebe o rosto de Bia murchar um pouquinho) o que foi, Bia?

AUTORA: (soltando Calibri no chão) ahn, nada (espera a porta do pátio se fechar para cochichar) só um pressentimento assustador, de repente…

METTATON: (pouco convencido) defina pressentimento.

AUTORA: (engolindo em seco e arregalando os olhos) pressentimento de que o enjoo de mais cedo não foi por causa da viagem no portal…

.

.

.

.

.

TRETA: (levantando seus olhos da UnderVeja) que foi? Não olhem pra mim. Tenho nada a ver com isso não… (volta a ler)

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...