História Undertale, Uma rota... Diferente - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance, Undertale, Universos Alternativos
Exibições 10
Palavras 864
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - O que acontece com o Fell?


Fanfic / Fanfiction Undertale, Uma rota... Diferente - Capítulo 3 - O que acontece com o Fell?

[POV Eu]

 

-Ok, Fell, como você conseguiu invadir essa Timeline?- Fell sorriu e disse:

-Sweetheart, a Alphis da minha Timeline criou uma máquina que podia nos levar e nos trazer de Timeline em Timeline. E eu vim parar aqui.

-Por que você atacou a mim e a Pap?- Sans perguntou para Fell.

-Porque eu quis, essa resposta serve?- Percebi que os dois iam começar uma briga.

–Mas por que você os atacou sem motivo Fell?- Eu perguntei para tirar a atenção um do outro.

-Veja bem Sweetheart, eu sou de Underfell, para mim, atacar as pessoas de surpresa é uma “brincadeira”. –Ele havia dito isso dando uma risada, na qual irritou muito Sans e o Lucas.

-Para falar a verdade, eu queria matar vocês, mas poupei vocês, não sei bem o motivo, mas poupei.

-Ok Fell... agora volte para sua Timeline.

-Não tem como, eu fui trazido aqui e pouco antes de eu chegar por completo aqui, eu vi a máquina da Alphis explodir. – Olhei para Lucas e depois para Sans.

-Ah não! Com a gente é que ele não vai. – Lucas disse decifrando meu olhar para ele.

-E na minha casa é que ele não vai ficar! – Sans disse também decifrando o meu olhar para ele.

-Mas ele não pode ficar sozinho, porque ele seria capaz de matar todos aqui. – Lucas e Sans concordaram.

-Bem está ficando tarde demais para vocês andarem sozinhos por Snowdin e Waterfall sozinhos, fiquem na minha casa até amanhã. – Sans disse soltando Fell e pedindo para nos segurarmos nele para irmos para casa com os “atalhos” dele.

-Fell não vai com a gente vai?- Lucas perguntou com desdém.

-Infelizmente vai ter que ir conosco.- Sans disse bufando, acabei rindo da situação, pois Fell estava com uma expressão tipo... Como?... E não sabia se agradecia ou se xingava Sans.

Ao chegarmos na casa de Sans e de Pap, ouvi uns barulhos de coisas quebrando.

-Não se preocupe Kiddo, é só o Pap fazendo o Spaggetti, mas com o tempo que estávamos fora, ele já devia ter terminado.

Nós entramos na casa, eu fui para a cozinha para conversar com Pap.

-Pap, Sans disse para eu, o Lucas e o Fell passarmos a noite aqui na sua casa, mas eu estava pensando em ir para o Hotel aqui perto e...

-Já disse que vocês ficam aqui hoje, -Sans havia me interrompido- além do mais que o mal humorado ali pode dormir no sofá enquanto você e o pivete dormem no meu quarto. – Sans não me deixou responder.

 

[POV Lucas]

 

Eu ouvi quando Sans falou que íamos ficar no quarto dele, bem pelo menos ele não ia ficar comigo e com a May.

-O que foi garoto?- Era Fell quem perguntava, eu até gosto do jeito maligno dele, mas a May não gosta da rota Genocida, eu até pensei em resetar o jogo em alguns Saves das Ruínas, mas pela felicidade da May vale a pena não matar os monstros daqui, só não entendo por que ela é sempre tão assim, tão piedosa com todos, não entendo qual é a graça de seguir a rota Pacifista, o que isso nos trará? Bem, hoje eu converso com ela para saber por que ela não segue a rota Genocida comigo.

-Garoto... Não te ensinaram que quando alguém faz uma pergunta você deve responder?

-Não é nada Fell!- Percebi que havia gritado, a May veio para ver o que estava acontecendo, daí eu lembrei, lembrei que eu falava que eu era como o Fell, me lembrei que ela não seguia a rota Genocida por falta de coragem, ela não consegue matar, mesmo em jogo ou algo assim, ela se sente mal vendo a tristeza dos outros, assim como eu me sinto mal quando ela está magoada, me sinto mal por ter dito, lá na superfície, que na rota Pacifista ela morreria á toa, mas não... Até agora nós trabalhamos juntos e quase não morremos, mas tudo bem, pelo menos ela insistiu em seguir a rota Pacifista.

-O jantar está pronto!- Papyrus fez todos rirem de mim com o pulo do susto que acabei levando, senti meu rosto corar, mas no final acabei rindo também. A janta estava ótima, muito pelo contrário do que parecia ser no jogo, depois do jantar, nós, eu e May, ficamos na sala por um tempo, sem fazer nada, foi aí que eu lembrei, May adora músicas.

-May eu vou sair por um tempinho, mas já volto.

-Aonde você vai?

-Vou dar uma volta. - Eu sabia que ela tinha ciúmes, mas todos ali eram monstros, então... Tipo, não que eu tenha algo contra, mas eu já achei uma pessoa que me faz feliz. –Prometo que volto logo.

-Ok. – depois de fechar a porta saí em disparada para alguma loja que vendesse celulares para que possa ser um celular só para a May colocar as músicas dela.

Depois de muito correr e muito procurar, finalmente achei uma loja que vendia celulares e comprei um, estava bem barato mas era bom, do mesmo tipo que Toriel havia nos entregado, mas era mais moderno, novamente sai em disparada para casa, mas na entrada de Waterfall vejo uma silhueta familiar, será que é...


Notas Finais


Que será que está na entrada de Waterfall?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...