História Undisclosed Desires - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Personagens Addison Montgomery-Shepherd, Alexander "Alex" Karev, Amelia Shepherd, April Kepner, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Cristina Yang, Derek Shepherd, Jackson Avery, Mark Sloan, Meredith Grey, Miranda Bailey, Nathan Riggs, Owen Hunt, Sophia Robin Sloan Torres
Tags Arizona, Arizona Robbins, Callie, Callie Torres, Calliope Torres, Calzona
Visualizações 246
Palavras 4.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, meu amores!
Não sei nem como começar a me desculpar... Eu estou sem redes sociais, sem contato com o mundo virtual por conta dos estudos... Mas tenho esse e mais dois capítulos prontos, olhem que maravilha hahahah! Vou postar um dia sim e um dia não pra não postá-los de uma vez só, assim fica um gostinho de quero mais kkkk...

Obs¹: Agora temos uma playlist pra facilitar a vida de vocês, uhul! (Estará nas Notas Finais)

Obs²: Vai ter musiquinha nesse capítulo também... Quando aparecer no pov da Callie: "Ligo o rádio..." coloquem pra tocar: "Bitter Sweet Symphony - The Verve". Não precisa ouvir até acabar... E também quando aparecer: "Estava tudo nos eixos novamente..." coloquem: "Gone - Michl" é mais pela melodia e não pela tradução. (Elas já estão nas playlists).

Espero que gostem, estou com muitos planos pra essa fic!
Me perdoem pelos erros...
Boa leitura ;)

Capítulo 3 - Can I hug you?



         ARIZONA
         Mansão Robbins/ segunda-feira, 6h30 da manhã.       
        Acordo de um sono maravilhoso com o despertador tocando desesperadamente, estico meu corpo para alcançar o celular que estava na mesinha ao lado da cama. Desligo o aparelho e vejo que já são 6h35, levanto num pulo ao lembrar que hoje é meu primeiro dia como estagiária na empresa da minha família, que futuramente eu serei presidente. 
        Sigo para o banheiro para tomar um banho relaxante e fazer minha higiene matinal, hoje seria um dia e tanto, tinha muitas coisas para aprender na empresa e não deixaria passar nada. Tiro minha roupa e entro embaixo do chuveiro, deixo a água morna cair sobre minha cabeça, lavo meu cabelo com um shampoo de lavanda – meu favorito – e passo um esfoliante no corpo. 
        Após terminar o banho, coloco meu roupão e sigo para meu closet. Hoje eu queria uma roupa que me deixasse com um ar elegante e com um pouco de autoridade. Escolho uma calça flare grafite, uma blusa branca, um blazer sem costura na mesma cor da calça e nos pés coloco um scarpin preto. Me olho no espelho satisfeita com o que vejo.
        Volto para o banheiro para arrumar o cabelo, seco com o secador e o deixo jogado para o lado. Coloco meu perfume favorito, sempre sou elogiada quando estou usando ele - realmente é um cheiro viciante – Passo uma maquiagem básica, mas que realce meus olhos azuis. Pego minha bolsa e meu celular que estavam em cima de uma poltrona e desço para fazer meu desjejum. Chego ao andar de baixo e vejo meus pais e meu irmão sentados na mesa já tomando o café da manhã. 
        - Bom dia, família! – Digo animada.
        - Bom dia! – Eles respondem em uníssono. 
        - Você está linda, maninha – Timothy diz enquanto toma sua xícara de café.
       - Obrigada, Tim – Agradeço e me sirvo com o líquido preto.
       - Preparada para o seu primeiro dia, querida? – Minha mãe pergunta com um lindo sorriso.
       - Sim, mamãe! Estou muito ansiosa – Digo mordendo um pedaço da minha torrada com geleia.
       - Você vai se sair bem, minha filha, é uma Robbins! – Meu pai se pronuncia.
        Após o café da manhã, me despeço deles e vou em direção à garagem para pegar meu carro. Dirijo pelas ruas de Londres pensando em como seria meu dia, eu estava muito ansiosa, todos os meus sonhos estão se realizando. Chego em frente ao grande prédio da Robbins Construction, que agora se chama “Robbins-Torres Construction”, estaciono meu carro e quando estou saindo do veículo, avisto Callie vindo em minha direção com um enorme sorriso nos lábios. 


        CALLIE
        Mansão Torres/ 6 horas da manhã.
        Acordo com o despertador tocando irritantemente. Passo a mão pela mesinha ao lado da cama tentando achar meu celular para desligar aquele alarme chato. Eu, definitivamente, não sou ninguém de manhã. Olho o visor do celular e sorrio ao lembrar que hoje era meu primeiro dia no estágio e veria a loira de olhos azuis que tem invadido meus sonhos.
        Levanto e vou me arrastando para o banheiro fazer minha higiene matinal, me olho no espelho e vejo o quanto estou acabada. Entro embaixo do chuveiro e deixo a água gelada cair para me despertar, lavo meu cabelo e passo meu óleo corporal de banho favorito, ele deixa minha pele bem macia e cheirosa. 
        Termino meu banho e sigo para o meu closet, escolho uma saia tubinho preta um pouco acima do joelho - o suficiente para mostrar um pouco minhas pernas bronzeadas -, uma blusa branca com detalhes pretos e um blazer também na cor preta, nos pés coloco um scarpin preto de bico fino e salto agulha. Verifico o look no espelho e vou para o banheiro para secar meu cabelo, deixo os longos fios pretos caídos para o lado direito. Faço uma maquiagem leve e finalizo com um batom vermelho para realçar meus lábios carnudos.
        Assim que termino de me arrumar pego minhas coisas e vou para a cozinha tomar meu café da manhã. Chego ao local e vejo minha família já sentada na mesa, coloco minha bolsa na cadeira ao lado e me sento junto a eles.
        - Bom dia! – Cumprimento com um sorriso. 
        - Bom dia! – Eles respondem juntos. 
        - Hoje é o seu primeiro dia na empresa, como está se sentindo? – Minha mãe pergunta. 
        - Ansiosa e nervosa, mamá – Respondo enquanto passo a pasta de amendoim na minha torrada. 
        - Você vai tirar de letra, tenho certeza – Meu irmão Marcus disse me encorajando, ele sabe o quanto fico nervosa. 
        - Obrigada, maninho – Agradeço apertando a mão dele por cima da mesa.
        - Estou muito orgulhoso de você, mi hija! Vai dar tudo certo – Foi a vez do meu pai me encorajar. 
        Depois de conversar um pouco com minha família e terminar o café da manhã, me despeço e sigo para fora da casa para buscar meu carro. Entro no automóvel e respiro fundo, sempre fico nervosa nessas situações. Ligo o rádio e coloco uma de minhas músicas favoritas para me relaxar no caminho. 
       Sigo dirigindo pelas ruas de Londres cantando animada, ajudou a me fazer esquecer um pouco o nervosismo. Graças ao trânsito maravilhoso, o percurso foi feito em menos de 30 minutos. Cheguei um pouco antes do horário, gosto de ser pontual. Quando desci do carro, avistei Arizona chegar e fui em direção a ela. 
        - Bom dia, Arizona! – Cumprimento sorridente. 
        - Bom dia, Calliope! – Ela diz dando um sorriso de covinhas – Ah, esse sorriso – penso. 
        Caminhamos para dentro da empresa em um silêncio agradável, paramos em frente ao elevador e esperamos o mesmo chegar. 
        - Estou um pouco nervosa – Digo quebrando o silêncio. 
        - Eu também estou – Ela diz com um sorriso envergonhado e estende o braço me dando passagem quando a porta de metal se abre. 
        O silêncio se fez novamente, mostrando claramente o quanto estávamos nervosas com o nosso primeiro dia na empresa. Nosso andar era o penúltimo e parecia que nunca chegaríamos. Quando a porta da caixa de metal se abriu, mostrou um homem não muito alto, de cabelo preto e com um terno bem alinhado esperando por nós. 
         - Vocês são Arizona Robbins e Callie Torres, sim? – Assentimos com a cabeça e o cumprimentamos com um aperto de mão – Sou Andrew Deluca, responsável pelos estagiários. Vocês não são quaisquer estagiárias, são as futuras presidentes dessa empresa e por isso terão uma sala só para vocês – Ele ia explicando cada detalhe enquanto caminhávamos pelo extenso corredor – Cada uma terá a sua secretária e sua sala, mas quanto às salas, vocês ficarão juntas em uma por enquanto por um motivo que já vou explicar. Essas são suas secretárias: Leah Murphy e Jo Wilson – Nos apresentamos, eram meninas lindas por sinal – Leah é a secretária da Arizona e Jo é a da Callie, depois elas irão ajudar vocês com o restante das coisas sobre a empresa – Ele terminou de falar e se virou para uma enorme porta de madeira que ficava em frente ao balcão de vidro fosco onde estavam as secretárias – Aqui é a sala de vocês – Ele abriu a porta para entrarmos e veio logo atrás, o espaço era enorme, muito maior do que eu poderia imaginar. Havia duas mesas grandes uma de frente para a outra, em um canto tinha um sofá de três lugares com duas poltronas e uma mesa de centro de vidro. No outro canto tinha uma espécie de mini bar, com algumas bebidas. As paredes tinham um tom pastel, que dava um ar calmo ao ambiente. As janelas iam do teto ao chão e tinham uma vista privilegiada de Londres, eu e Arizona nos olhamos sem acreditar naquilo - Gostaram?  
        - Nossa, eu nem sei o que dizer – Arizona diz ainda observando cada detalhe.
        - Nem eu, estou perplexa... – Digo me aproximando da janela para ver a vista. 
        - Vocês ficarão juntas nessa sala porque terão que trabalhar juntas em um projeto – Ele começa a explicar – Será um teste para virmos o potencial de vocês – Eles diz e nos entrega uma pasta com algumas folhas – Esse é um pedido antigo de um cliente aqui da empresa, já foi feito, mas vocês terão que fazer um projeto de acordo com as modernidades de hoje em dia. Como eu já disse, é apenas um teste, mas vocês precisam dar o melhor de vocês! Vou deixa-las a sós agora, o prazo para a entrega é sexta-feira, boa sorte! – Ele termina de explicar e sai da sala.
        - Você tem alguma preferencia de mesa? – Arizona pergunta.
        - Não, são iguais – Digo e nós rimos do óbvio. 
        - Então fico com essa – Ela diz apontando para a mesa da direita e senta na cadeira atrás da mesma. 
         Pegamos os papéis dentro da pasta e começamos a ler a proposta, vez ou outra eu interrompia minha leitura para observar à loira. Ela concentrada era mais linda ainda, usava um óculos de grau – com uma armação retangular preta - no meio do nariz, franzia a testa enquanto lia e passava a mão levemente no queixo. Seria muito difícil me concentrar com ela na minha frente todos os dias. Sem perceber acabo soltando uma risada que não passou despercebido pela loira. 
        - Alguma coisa engraçada aí, Calliope? – Ela pergunta me olhando por cima dos óculos com um sorriso no canto da boca. 
        - N-nada – Respondo nervosa com o olhar da loira – Meu Deus, o que estou fazendo da minha vida? – Pergunto pra mim mesma. Ela volta com sua leitura e eu a observo por uns segundos ainda, logo volto a me concentrar nos papéis. 
        - Acabei – Ela diz uns minutos depois. Eu também já havia acabado só estava anotando algumas coisas. 
        - Eu também, estava anotando alguns pontos interessantes – Digo dando meu melhor sorriso. Ela caminha até minha mesa e coloca um papel com uns esboços sobre a mesma – Uau! Você desenha bem – Elogio. 
        - Que isso, são só alguns esboços, enquanto estava lendo tive umas ideias – Ela diz e vejo seu rosto corar por causa do elogio. 
        - Mesmo assim... – Continuo – Eu também estava anotando algumas coisas, vem cá – Chamo para que ela ficasse ao meu lado para ver o que eu havia anotado no computador. Ela apoia uma mão sobre a mesa e a outra no encosto da minha cadeira e inclina o corpo para frente pra ver o que eu tinha para mostrar. Sinto meu corpo arrepiar ao sentir seu perfume entrar pelo meu nariz – E-então... – Me atrapalho um pouco – Eu pensei em fazer isso aqui na parte elétrica – Digo apontando para a tela do computador – O orçamento é alto, podemos investir bastante nessa estrutura – Explico.
        Continuamos trocando ideias por horas, a cada minuto surgiam novas ideias. Arizona deu a ideia de montarmos um plano de trabalho pra não nos perdemos nas ideias e pra rendermos o máximo possível. A conversa estava rendendo tanto que nem vimos a hora passar, ascendo o visor do celular e vejo que já se passava de 13h.  
        - Vamos almoçar? Estou faminta – Digo arrumando minha mesa que já estava uma bagunça.
        - Vamos sim, também estou morrendo de fome. Tem um restaurante aqui perto que é ótimo – Ela sugere. 
        Pegamos nossas bolsas e saímos da sala, nossas secretárias já tinham ido almoçar. Seguimos em direção à saída do prédio, a loira sugeriu de irmos andando já que o restaurante era na mesma rua. Enquanto andávamos fui reparando em cada canto, eu estava triste por ter saído do meu país e por ficar longe dos meus amigos, mas Londres era realmente lindo e encantador. Arizona contava suas aventuras pela cidade e eu amava ouvir, ela tinha um enorme sorriso de covinhas sempre que falava das coisas que fazia ali. Chegamos ao restaurante, era sofisticado e simples ao mesmo tempo. O maître nos levou até uma mesa, fizemos nossos pedidos e enquanto comíamos conversamos sobre o projeto. 
        O dia passou muito rápido, conseguimos adiantar muitas coisas, não queríamos acumular nada. Quando cheguei a casa já se passava das 19h, o trânsito não facilitou dessa vez. Fui direto para o meu quarto, joguei meu sapato em um canto e segui para o banheiro, me despi e entrei embaixo do chuveiro, gemi quando a água quente entrou em contato com minha pele, estava muito cansada, o dia foi exaustivo.  
        Depois que tomei meu banho e coloquei uma roupa confortável, desci para comer algo, meu estômago já estava reclamando. Fiz um lanche rápido e leve e fui para o meu escritório, queria fazer mais algumas anotações. Algumas horas depois vejo a tela do meu celular ascender, mostrando que havia uma mensagem. Sorri ao ver que era da Arizona.


        Não consigo dormir, esse projeto está me deixando nervosa rsrsrs [Arizona.] 
        Nem eu, estou no escritório fazendo anotações [Callie.]
        Agora vou tentar descansar um pouco, o dia foi corrido. Beijos, até amanhã! [Arizona.]
        Eu vou também. Beijos, até! [Callie.]


        Após me despedir, vou para o meu quarto e me jogo na cama, meu corpo agradeceu ao sentir a superfície fofa. Não demorou muito e eu peguei no sono.
      
        ARIZONA 
        Cheguei a casa era 19h42, o trânsito não perdoou. Estacionei meu carro na garagem e adentrei pela porta da frente, logo avisto meus pais sentados na sala de estar tomando café, cumprimento-os e me sento em uma poltrona perto deles. 
        - Então, minha filha, como foi o primeiro dia? – Minha mãe pergunta.
        - Foi ótimo e cansativo – Digo cansada apoiando meu rosto sobre o encosto da poltrona. 
        - Deu pra notar – Mamãe diz dando uma risadinha. 
        - Já conheceu a empresa toda, querida? – Papai pergunta.
        - Não tive tempo, Deluca apenas nos mostrou o nosso andar. Trabalhamos o dia todo no projeto.
        - Está gostando de trabalhar com a Calliope? – Ele pergunta. 
        - Sim! Ela é incrível e muito inteligente. Com certeza herdou toda a inteligência do sr. Torres – Digo animada.
        - Que bom, meu bem! Fico feliz – Papi diz por fim. Despeço-me deles e sigo para o meu quarto.
        Entro no meu quarto tirando o blazer e jogando-o sobre a poltrona junto com minha bolsa, retiro o sapato e me jogo na cama. Uma parte do meu corpo estava clamando por um banho quente e a outra parte pela cama macia, me entrego à preguiça e fico pensando em como foi o dia. Sem perceber esboço um sorriso ao lembrar de como eu e Callie nos damos muito bem trabalhando juntas, ela é realmente uma profissional incrível, além de ser uma pessoa totalmente adorável. 
        Deixo a preguiça de lado e vou para o banheiro. Tiro o restante da roupa e me olho no espelho, meu rosto entregava a quão cansada eu estava. Entro embaixo do chuveiro e meu corpo agradece quando sente a água quente cair sobre ele, relaxando todos os músculos. Fico alguns minutos na mesma posição, apenas deixando meu corpo relaxar sobre aquela água deliciosa. Termino o banho e coloco uma roupa confortável, escuto meu estômago e lembro que não comi nada desde o almoço, apenas tomei um café. 
        Vou para a cozinha em busca de algo para comer, enquanto procuro algo na geladeira sinto alguém se aproximar.
        - Ai que susto, Timothy! – Digo quando vejo meu irmão se aproximar lentamente.
        - Ah, nem foi nada, vai – Ele diz rindo da minha reação e dou um tapa em seu baço – Ai, isso doeu.
        - Já disse que odeio levar susto – Reclamo enquanto coloco na mesa às coisas que peguei na geladeira – Chegou da faculdade agora? – Mudo de assunto.
        - Sim, e como foi o seu primeiro dia na empresa? – Ele pergunta e senta ao meu lado.
        - Foi ótimo, trabalhamos o dia todo em um projeto, estou exausta – Digo enquanto como meu sanduíche. 
        - Imagino – Ele diz passando a mão em meu cabelo em forma de carinho – E como é trabalhar ao lado da latina mais linda do mundo? – Ele fala dando um sorriso safado. 
        - Estava demorando... – Bufei – Ela é muito inteligente e gentil, é uma honra poder trabalhar com ela!
        - Não vejo a hora de conhecê-la melhor – Ele diz todo cheio de si.
        - Tire seu cavalo da chuva, Tim, a Callie não parece ser dessas que fica com mais novos – Digo rindo da cara de decepcionado do meu irmão.
        - Não custa tentar... – Ele diz por fim. 
        Eu e Timothy conversamos sobre coisas aleatórias enquanto comíamos, uma coisa que nunca faltava entre nós era assunto e boas risadas. Tim, além de meu irmão, era meu melhor amigo. Sabíamos tudo um do outro, e quando algo dava errado corríamos um para o outro. Ele sempre foi um irmão super protetor, me defendia sempre que acontecia algo comigo. 
        Nossos pais nos criaram para sermos o porto seguro um do outro. Lembro que quando ele nasceu, eu fiquei com ciúmes e o papai disse: “Irmãos são o melhor presente que Deus pode nos dar! Você precisa cuidar do seu irmão, Arizona, pois quando eu e sua mãe não estivermos mais aqui, vocês serão o porto seguro um do outro”. Ele disse isso muitas vezes durante o nosso crescimento, e eu percebi que o Timothy não estava ali para tirar tudo que era meu – Era o que eu pensava – e sim para ser meu ponto de apoio sempre que eu precisasse. 
        Crescemos e mudamos, mas nossa amizade fica mais forte a cada dia que passa e eu agradeço todos os dias a Deus por ter me dado esse presentinho loiro de olhos azuis. Tim é um galinha, mas é uma ótima pessoa, mas uma hora alguém vai colocar ele nos eixos – Assim espero. 
         Depois de muita conversa, subi e fui para o meu escritório. Fiz mais alguns esboços e anotei umas ideias. Peguei meu celular para ver a hora, 21h30. Senti uma vontade de mandar mensagem pra Callie, escrevi e enviei, não demorou muito e ela respondeu. Sem perceber esbocei um sorriso com a rapidez da latina, parecia que ela estava esperando por minha mensagem. Despedi-me e segui para o meu quarto, deitei na cama e coloquei o celular sobre a mesinha, amanhã o dia será longo. Não demorou muito e acabei adormecendo. 
        XXXXXX


        Robbins-Torres Construction/ Quarta-feira, 11h46 da manhã.
        Tinha tudo pra ser um dia perfeito, Londres acordou com o céu azul e o sol brilhando mais do que nunca, mas nada é perfeito. Depois de revisarmos algumas coisas no projeto naquela manhã, descobrimos um problema.
        - Não, Arizona. Não podemos fazer isso! Os andares de cima terão problemas de eletricidade – Callie diz nervosa andando de um lado para o outro. 
        - Mas não posso mexer nessa parte da estrutura, vai comprometer tudo – Digo impaciente. 
        - Vamos ter que refazer tudo, algo está errado! – Ela diz sentando em sua cadeira levando as mãos no rosto. 
        - Podemos dar um jeito, não temos tempo pra refazer tudo – Digo tentando convence-la. 
        - H-Hum... – Ela da uma risada sarcástica – Vocês da Engenharia Civil se acham os reis da Engenharia, mas não são! Não podemos dar um jeitinho, temos que refazer tudo ou esse projeto não poderá nem sair do papel – Ela diz levantando e colocando as mãos sobre a mesa visivelmente irritada. 
        - NÓS NÃO TEMOS TEMPO PARA REFAZER TUDO! – Grito sem perceber, não havia gostado da forma que ela se referiu a mim. Não me acho superior, estou apenas procurando uma forma de consertar o erro. 
        - TEMOS QUE DAR UM JEITO! – Ela grita no mesmo tom e vejo seus olhos escurecer dois tons. Antes que eu pudesse responder, a porta de madeira se abre revelando Andrew Deluca.
        - Está tudo bem por aqui, senhoritas? – Ele pergunta com uma feição séria. 
        - Está sim, eu já estava de saída para almoçar – Callie pega sua bolsa e sai da sala sem nem olhar pra mim. 
        - Vocês estavam brigando? – Deluca pergunta assim que a latina passa por ele como um furacão. 
        - Não, apenas aconteceu um imprevisto no projeto e estávamos tentando entrar em um acordo – Digo levantando da cadeira e pegando minha bolsa – Estou indo almoçar também. 
        - Vocês tem apenas dois dias para entregar o projeto – Lembrou. 
        - Nós sabemos, não se preocupe, estará tudo pronto até sexta-feira! – Me despeço e sigo para almoçar. 
         Nunca imaginei ver a Callie daquele jeito, ela ficou muito nervosa. Eu também estava, não gosto quando algo dá errado. Fui para o mesmo restaurante de sempre, ela não estava lá, provavelmente foi para outro pra não ter que encontrar comigo, o que foi bom, precisávamos esfriar a cabeça. Fiquei um tempo ali pensando no que fazer enquanto comia, até que tive uma ideia. 


        CALLIE
        Saí daquela sala o mais rápido que pude. Não acredito que ela gritou comigo, eu detesto que gritem comigo. Se Andrew não tivesse chegado naquela hora provavelmente iríamos entrar em uma discussão desnecessária. Decidi ir para outro restaurante, precisava esfriar a cabeça e encontrar com Arizona agora não seria bom. Dirigi pelas ruas procurando por um lugar para almoçar e acabei indo no mesmo que fui com Arizona e April.
        Fiz o meu pedido e fiquei pensando no que aconteceu. Nós “brigamos” pela primeira vez e eu não gostei nada dessa sensação, estava mal por isso, mas não poderia ceder. Não tem como darmos um jeito, teremos que fazer tudo de novo. 
        Terminei de comer e depois que paguei a conta voltei para a empresa, precisava resolver esse problema logo, só temos dois dias pra terminar esse projeto e ele tem que estar perfeito. Entrei na sala e ela ainda não havia chegado. Aproveitei pra ler a papelada e tentar achar o que estava errado. Estava tão concentrada que nem vi a loira chegar. 
        - Tive uma ideia – Ela diz apoiando as mãos na minha mesa inclinando o corpo. 
        - Meu Deus, que susto! – Digo colocando a mão no peito.
        - Desculpa, não quis te assustar – Ela diz colocando a mão na boca pra não rir.
        - Tudo bem... Que ideia você teve? – Pergunto ajeitando minha postura na cadeira.
        - Ah... Então, nós teremos que refazer todo o projeto novamente e com o nosso horário aqui na empresa não conseguiremos terminar até sexta-feira, pensei em quando sairmos daqui podemos ir para a biblioteca no centro da cidade, eu costumava ir pra lá estudar porque me transmitia paz e eu conseguia estudar melhor e o bom é que fecha 00h, teremos tempo o suficiente. Vamos ficar muito cansadas, mas é isso ou não vamos conseguir entregar a tempo! – Ela sugere.
        - Estou dentro, acho uma ótima ideia – Digo dando meu melhor sorriso – Eu descobri o que aconteceu, estava lendo aqui e vi que esse cálculo estava errado – Digo apontando para a folha – por isso as coisas não estavam batendo – Explico.
        - Ai graças a Deus, vai ser bem mais rápido assim – Ela diz aliviada. 
        - Agora vamos refazer isso aqui porque temos muito trabalho pela frente – Digo empolgada.
        Estava tudo nos eixos novamente, voltamos nossa atenção totalmente para o projeto, nosso tempo estava curto e qualquer distração poderia colocar tudo a perder. A hora passou rápido, quando olhei o visor do celular já era 17h45. Arrumamos nossas coisas e fomos para a biblioteca cada uma em seu carro, o local era realmente ótimo, o silêncio era como um calmante. Ficamos concentradas por algumas horas até que Arizona quebrou o silêncio. 
        - Calliope? – Ela sussurra me olhando por cima dos óculos – Céus, essa mulher é minha perdição – penso.
        - Sim? – Respondo no mesmo tom e volto a olhar para o notebook. Eu precisava me concentrar ou iria avançar naquela boca rosada ali mesmo.
        - Me desculpe por ter gritado com você mais cedo. Eu só fiquei irritada quando você disse que nós da Engenharia Civil nos achamos Deus e eu não me acho superior que ninguém, só estava tentando arrumar uma forma de consertar pra não termos que fazer tudo de novo – Ela se explica com cara de cachorrinho abandonado – Essa mulher está fazendo eu me apaixonar cada vez mais – minha mente murmura. 
        - Tudo bem, Arizona. Eu também te devo desculpas, eu fiquei nervosa, odeio quando as coisas dão errado – Digo dando um sorriso sincero.
        - Posso te dar um abraço? – Ela pede dando um sorriso lindo de covinhas. 
        - Claro – Permito e ela se aproxima envolvendo seus braços em meu pescoço enquanto eu envolvi os meus em sua cintura. 
        Senti meu corpo se arrepiar com Arizona tão próxima a mim, seu cheiro era inebriante, eu poderia senti-lo o resto da minha vida. Sua pele é macia e eu estava me controlando para não passar minha mão por todo seu corpo. Ela não fazia ideia do quanto aquele abraço estava sendo torturante pra mim, seu perfume já estava me deixando tonta de tão bom que era, eu poderia dizer que era alguma poção para fazer as pessoas se apaixonarem por ela. Quando percebemos que ficamos abraçadas por tempo demais nos afastamos lentamente, ela tinha um sorriso tímido nos lábios e eu a olhava totalmente apaixonada – Eu estou muito ferrada – Minha mente murmurou.
        - Estou faminta – Ela diz quebrando o clima que ficou entre nós.
        - Eu também – Digo olhando a hora no celular – Já são 23h30, será que tem algum lugar aberto para comermos? – Pergunto. 
        - Talvez tenha algum fast-food aberto ainda – Ela diz arrumando suas coisas que estavam sobre a mesa – Vamos? 
        - Vamos! – Pegamos nossas coisas e seguimos para os nossos carros. 
        Dirigimos pelas ruas a procura de algum lugar para comer, por fim encontramos um drive-thru. Arizona entrou na fila de carros para comprar nosso lanche e eu esperei por ela no estacionamento do local, logo ela conseguiu comprar e estacionou seu carro ao lado do meu, fui para o carro dela e lá comemos, conversamos e rimos muito. O assunto entre nós fluía bem, e isso era ótimo, tínhamos muito em comum, parecia coisa do destino.
        - Está sujo aqui – Digo passando meu polegar no canto da boca da loira para limpa-la. 
      - Eu pareço uma criança comendo, sempre me sujo – Ela solta uma risada gostosa que já era a minha favorita. O silêncio se instala dentro do veículo e tudo que eu desejava no momento era beija-la, mas sabia que não poderia fazer isso.
        - Acho que precisamos ir embora, está tarde – Digo quebrando o silêncio e olhando a hora na tela do celular – Já são 00h52.
       - Nossa, nem vi a hora passar – Ela diz surpresa – Foi muito bom distrair a cabeça um pouco com você, já estava ficando louca com esse projeto – Ela diz e em seguida me surpreende com um abraço. 
        - Foi mesmo – Dou um sorriso envergonhado.
        Despedimo-nos e segui para o meu carro, saímos do estacionamento e cada uma foi para sua casa. Eu estava em um beco sem saída, Arizona Robbins conseguiu laçar meu coração sem ao menos saber disso. Eu sei que será difícil, mas estou disposta a tentar conquista-la. E ninguém resiste aos métodos Torres, não é mesmo? 


Quando menos esperamos nos apaixonamos. Às vezes a pessoa não precisa fazer nada, só de ser ela mesma nos faz cair nesse sentimento sem explicação. Ou talvez seja o destino começando a fazer o seu trabalho, nada em nossa vida acontece por acaso, sempre tem uma razão e um por quê. Uns entram na nossa vida e trazem coisas boas ou ruins depois vão embora, outros entram e permanecem para sempre. A vida é realmente um carrossel que não para de rodar e quando menos esperamos, a vida nos surpreende. 
 


Notas Finais


Bom, esse foi o capítulo de hoje, espero que tenham gostado!
Como já disse, temos que ter paciência nesse início, porque a Arizona nunca namorou e nem sabe o que é estar apaixonada, vai demorar um pouco pra cair a ficha dela.

Me perdoem, eu não sei nada de Engenharia, sou de biológicas... kkkk.

As playlists
No Spotify: https://open.spotify.com/user/caqueirozx/playlist/1FXvZFnUnWOKgbcSkJYbJe
No Youtube: https://www.youtube.com/playlist?list=PLfmAoRP93Sbucwk_COWgol2l0575i2ora

Me digam o que acharam, aceito dicas, ok?

Beijoxxx, até o próximo! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...