História Unexpected - Capítulo 94


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kaya Scodelario, Magcon, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Whitesides, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Sam
Visualizações 34
Palavras 3.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 94 - 94


Acordo com o toque do meu celular e o pago, encaro Sam e a mesma está dormindo como uma pedra, saio da cama e sigo para o closet dela, olho no visor e é Andrew.

- Bom dia.

-Bom dia Shawn... Como está?

-Estou bem Andrew e você?

Coço meus olhos e bocejo.

-Estou bem, mil desculpas por te acordar mas você terá que ir para LA depois de amanhã, sei que você está com Sam e tudo mais, mas o pessoal quer começar a adiantar o single.

-Ok... Tudo bem, vou me programar aqui e comprar outra passagem... Tenho que estar no Canadá dia treze.

-Eu sei Shawn... Você estará na sua casa dia treze.

-Como está as coisas?

-Bem... Desculpe te acordar, mas precisava te avisar.

-Tudo bem... Se você não se importar eu vou voltar a dormir.

-Vai lá... Desculpas novamente.

-Tudo bem, até mais.

-Até.

Finalizo a chamada e me encaro no espelho, Meu rosto está inchado.

Coloco o celular no bolso e volto para o quarto, Sam está na mesma posição, me deito ao seu lado e a encaro, ela puxa mais a coberta para cima de si e se encosta em mim.

Coloco minha mão em sua cintura e a mesma está quente, acaricio ela e fecho os olhos.

( 10:00 P.m)

Acordo e Sam ainda está dormindo, acaricio a bochecha dela e a mesma coça os olhos como uma criança.

-Bom dia. Falou com a voz rouca.

-Bom dia. Digo.

Ela fica alguns minutos em silêncio e me encara.

-Dormiu bem? Pergunto.

Ela afirma e boceja.

-Que horas são? Perguntou.

Olho no relógio Que marca dez horas e cinco minutos.

-Dez horas e cinco minutos. Respondo.

Ela me encara com cara de preguiça e fecha os olhos.

-Ei... Andrew me ligou mais cedo. Digo.

-E? Perguntou me encarando.

-E terei que ir para LA depois de amanhã, o pessoal da gravadora quer adiantar a gravação do single. Continuo.

Ela parece um pouco triste.

-Tudo bem... Então vamos aproveitar o tempo que temos juntos. Falou.

Ela se levanta da cama e começa a se dispir, ficando apenas com a calcçinha, ela segue para o banheiro e fecho os olhos.

Ela me deixa simplesmente louco.

Escuto o barulho de água então me sento na cama e pego meu celular.

-SHAWN! Você pode pega um sabonete para mim?! Sam gritou.

Saio da cama e abro a porta.

-Licença. Peço.

-O sabonete está na quarta gaveta. Falou.

Sigo para onde ela diz e pego o sabonete, caminho até o box e desvio o olhar.

-Parece que nunca me viu assim. Disse.

Rio.

-Eu sei...Mas é diferente. Falo ainda sem encara-lá.

-Obrigada. Falou.

Saio Do banheiro e passo as mãos pelo cabelo, ela está me deixando louco.

-SHAWN? Ela me chama.

-O que? Pergunto.

-Pode vir aqui, por favor. Falou pidona.

Adentro o banheiro novamente e sigo para o box, Sam abre a porta e me molha.

-Ops. Falou.

A encaro e não entendo, Eu não sei o por que disso.

Ela caminha até mim e inicia um beijo com uma mistura de pressa e desejo, a separo de mim e tiro minha camisa, volto a beija-lá e sinto seus mamilos roçarem em mim, Sam aprofunda o beijo e cada vez mais sinto um desejo insuportável de te-lá, agora e aqui mesmo.

Sinto meu pênis formando a ereção e Sam me encara.

-Não precisa se não quiser. Digo.

Ela sorri e me Da um selinho.

-Mas eu quero. Disse sincera.

A encosto na parede com delicadeza e começo a distribuir pequenos beijo pelo seu pescoço e vou descendo até seu troco, paro alguns segundos antes De chegar nos seios e Sam arfa, refaço o caminho e sinto as mãos de Sam no cós da minha calça, ela parece estar em dúvida se tira ou não.

-Está tudo bem se não quiser. Digo.

Sinto meu pênis latejar e a encaro no fundo de seus olhos clr oceano.

-Eu quero, muito, shawn. Disse.

Levo sua não até o cós e a abaixo, as mãos dela tiram minha calça e sobe para minha barriga, suas unhas sobem e descem por ela e a mesma comeca a distribuir beijos em meu pescoço, sinto a ponta de sua língua no canto da minha boca e seguro sua cintura, acaricio a parte de dentro de sua coxa e sinto ela arfar,sua mão para sobre a minha e a sobe um pouco, levando-a até a virilha, faço pequenas carícias no local e começo a distribuir pequenos beijos agora em seu pescoço até seus seios, ela arfa novamente e me encara, provavelmente pelo tamanho da minha ereção.

A encosto na parede novamente e ela me encara com desejo, passa a língua sob os lábios e da uma pequena mordida no lábio inferior.

-Por favor. Suplicou.

Ergo um pouco uma de suas pernas e me posiciono, começo a penetra-lá devagar e com calma, ela inicia um beijo voraz e começo o movimento de vai e vem, suas unhas começam a roçar minhas costas e a prendo na parede com um pouco de força, começo a fazer movimentos mais rápidos e Sam começa a gemer, a beijo para abafar os gemidos e a solto.

Ela me encara e prendo suas duas mãos no alto, começo a fazer uma trilha de beijos de sua boca ate seu caminho da felicidade.

Ela puxa meu cabelo de leve, me obrigando a encara-lá e ela simplesmente me coloca na parede e faz o mesmo comigo, a pego no colo e ela passa suas pernas ao redor da minha cintura, A penetro e começo a me mover, me encosto na parede e Sam me puxa para longe da parede, começa a me beijar com fome e rapidez, acelero os movimentos e sinto ela começar a ter pequenos espasmos, caminho para de baixo do chuveiro e Sam começa a soltar vários gemidos, A beijo novamentepara abafa-los e sinto minhas veias engrossarem.

Sam está passando suas unhas em minhas costas e intercala entre minha nuca, A chamo em seu ouvido e ela joga a cabeça para trás,quando todo seu peito, ela ia soltar um grito alto mas tampo sua boca antes, sinto algo quente saindo de dentro dela e a mesma está tendo pequenos espasmos e sua respiração está falha, continuo os movimentos e a seguro com força, ela está mole, sinto que cheguei ao meu ápice e saio De dentro dela, morro sei ombro quando sinto o gozo jorrando para fora, ela passa a mão em meu cabelo e me sento no chão, juntamente com ela.

Sua respiração ainda está falha e seu corpo ainda está com espasmos, apoio minha cabeça em seu peito e a sinto acariciar meu cabelo.

-Foi incrível. Disse em um sussurro.

A encaro e lhe dou um selinho, tiro uma mecha de seu rosto e sorrio.

-Eu te amo. Disse a encarando em seus olhos.

Ela não diz nada, além de dar um lindo sorriso.

Encaro seu ombro e ele está vermelho.

-Me desculpe pelo seu ombro.

Ela ri.

-Não tem problemas. Disse.

Ela se levanta e a encaro de cima a baixo.

-Vamos terminar esse banho. Disse com a mão esticada.

A seguro e me levando, a puxo para um abraço e sinto a água quente do chuveiro caindo sobre nós.

Beijo o topo de sua cabeça e ela me encara.

-Cada vez que transamos você faz eu sentir uma sensação diferente, mas elas são sempre ótimas e eu adoro isso. Ela diz.

Sorrio e acaricio a bochecha dela.

-Você me faz sentir coisas que nunca ninguém fez eu sentir, obrigada por isso. Digo.

Ela sorri e balbucia um obrigada.

-Estamos desperdiçando um monte de água. Disse.

Concordo e começo a lavar a cabeça dela.

-Obrigada por isso, adoro quando alguém lava minha cabeça. Disse e Rio.

Enxaguo a cabeça dela e passo o condicionador, começo a lavar a minha enquanto ela se ensaboa.

-Me desculpe pelas suas costas e pela sua barriga. Falou.

Encaro minha barriga que está com vários arranhões.

-Não tem problema. Digo me enxaguando.

Ela me empurra para fora do chuveiro e adentra, tirando o sabão do corpo e o condicionador do cabelo, a encaro e sorrio grande.

-Pode ir mendes, Eu terminei. Falou.

Ela se enrola em uma toalha e torce minha roupa molhada, enquanto término meu banho.

-Tem um par de roupas sua aqui. Ela diz saindo do box.

-Tem? Pergunto.

-Tem...Uma blusa sua, que você me emprestou, tem um moletom seu de quando estávamos em Nova Iorque e você havia esquecido lá e um dos seus moletons que você me deu. Respondeu.

-Ah, verdade... Tem uma cueca? Pergunto.

Ela afirma.

Desligo o registro da água e me enrolo na toalha, Sam já não estava mais no banheiro, caminho para o quarto e a vejo no Closet.

-Sua roupa está em cima da cama. Falou.

A pego e me troco, encaro Sam que ainda está se vestindo.

Seco meu cabelo e a encaro.

-Tem escova no banheiro e uma em cima da mesa do computador. Falou.

Ela se vira e a encaro de cima a baixo, ela está com uma calça jeans escura, uma blusa vermelha de manga comprida e um blusa de frio que cai nos ombros, Branca.

Ela tira a toalha do cabelo e caminha pegar o pente, ela começa a desembaraçar o cabelo e me encara.

-Posso? Perguntou apontando para o cabelo.

Afirmo e ela caminha até mim,me empurra para a cama, na tentativa de alcançar cem por cento minha cabeça, rio.

-Você é um gigante, na verdade é o Golias. Disse rindo.

Rio ainda mais e seguro a cintura dela.

-Que horas são? Perguntou penteando meu cabelo.

Pego meu celular e aperto o botão.

-Meio dia. Digo.

Ela abre a boca em um perfeito "O" e Rio.

-Pronto. Disse tacando o pente na cama.

Me levanto e a abraço.

-Shawn, me solta, tenho que terminar de me arrumar. Falou e nego.

-Só com um beijo... Na verdade quatro. Digo.

-Hm... Não. Disse mexendo a cabeça.

Rio e tento dar um beijo nela, mas a mesma desvia.

-É sério Shawn, tenho que terminar de me arrumar, para descermos e almoçar. Falou.

-Um beijo. Digo.

Ela me da um beijo rápido mas com carinho, a solto e a mesma sorri, ela caminha para o banheiro e me sento na poltrona, pego meu celular e entro no Instagram e aponto o celular para Sam, que me encara, faço um boomerang.

Rio e ela diz algo que não entendo.

-Shawn, abre a minha bolsa e pega o meu rímel rosa, por favor. Pediu e concordo.

Abro a bolsa dela e acho logo de cara, o pego e caminho para o banheiro, ela está concentrada passando um pó.

-Não sei o que é, mas está ficando bonita. Digo e ela ri.

Entrego o rímel.

-Obrigada. Disse me encarando.

Me apoio no batente da porta e fico encarando ela.

-Iremos jantar no caso. Digo e ela ri.

-Juro que só falta o rímel, e o semhor escove os dentes. Falou.

-Quando você sair da frente da pia. Digo.

Ela sai da frente da pia e me encara, sigo até ela e escovo meus dentes, Sam já está pronta.

-Vamos... Minha barriga está se comendo. Disse com uma voz de desespero.

Ela pega a nota dela que está encostada na porta e a calça, pega minhas roupas e são do quarto, a sigo e a vejo pegando seu celular e saindo do quarto.

-A casa está quieta. Comentou.

A encaro.

-Mãe! Mãe! Ela gritou.

Ela não tem respostas.

-Nash! Hayes! Gritou novamente.

Ela não tem respostas.

Ela segue para a cozinha e não há ninguém, ela anda a casa toda e não os encontra.

-Hm... Vou ver se eles estão na pista... Você vem? Perguntou.

Afirmo e a sigo, ela sai de dentro da casa e estende a roupa.

-Bom... Acho que ninguém nos ouviu. Falou rindo.

Concordo e seguro sua mão, sinto o vento cortando meu rosto e arrepio.

-Está com frio? Perguntou Sam.

-Não... Para onde estamos indo? Pergunto.

-Lá no fundo, Hayes construiu uma pista para treinar MotoCross, é um pouquinho longe, mas se quiser podemos ir de quadriciclo. Respondeu.

A encaro.

-Quer?Perguntou parando ao lado do quadriciclo e de uma árvore.

Concordo.

Ela sobe e subo atrás dela, Sam liga o quadriciclo e começamos a andar.

-John fez uma trilha entre as árvores para chegar lá, mas Hayes e os amigos gostam de seguir reto, eles dizem que chegam mais rápido. Ela diz.

Começo a ver um monte de terra e Sam logo para assim que chega aonde quer.

-Uau, eles não estão aqui. Falou surpresa.

-Já pensou em olhar suas mensagens? Talvezeles tenham saido. Digo.

-Verdade... Não pensei nisso. Disse e Rio.

Ela pega o celular e o encara por alguns segundos.

-Eles foram para a casa de Will. Disse.

-Ah... Vem, vamos entrar por que eu estou ficando com frio. Digo.

Ela manobra o quadriciclo e segue de volta para casa.

-Quer sair para almoçar? Pergunto.

-Aham...

Ela para de qualquer jeito e o desliga.

-Está brava? Pergunto.

-Não, estou com frio. Respondeu.

Adentramos a Casa e ela pega um gorro de lã preto e o coloca na cabeça.

-Vou subir para pegar minha bolsa. Diz ela.

Concordo e ela sobe a escada correndo e em alguns minutos está de volta.

-Pra você. Disse mostrando um casaco meu.

Rio.

-Descobri como algumas peças de roupa minha sumiram misteriosamente. Digo.

Ela ri e me entrega, o pego e o visto.

Seguimos para o carro e a primeira coisa que Sam faz é ligar o ar no quente.

-O que você quer almoçar? Perguntou.

A encaro.

-Eu não sei, o que tem de bom para comer aqui? Pergunto.

-Hm...Tem comida mexicana, tem Italiana, Shawn tem um monte de coisa... Eu não moro no fim do mundo. Falou.

Rio.

-Eu sei, você entendeu o que eu quis dizer. Digo.

-Tem o Duckworth's Grill & Taphouse, tem também o Blu Star Grill e o Sonny's BBQ, todos são gostosos, o Duckworth's tem cerveja artesanal, que é ótima e a comida também é ótima. Disse.

-Podemos ir nesse então. Digo.

Ela afirma e vejo ela encarando a tela do celular.

-Onde fica? Pergunto.

Ela coloca o endereço no GPS e me mostra.

-No Canadá está nevando? Perguntou.

-Sim... Deve parar por volta de Março a Abril. Respondo.

-Ah... Terei que levar muita roupa de frio. Falou e concordo.

Ela encara e o trânsito e a encaro.

-A noite vou te levar em um restaurante italiano. Disse.

-Hm... Adoro. Digo.

Ela ri.

-Por isso mesmo. Disse.

Ela me encara.

-Iremos almoçar três horas da tarde. Falou.

Rio.

-É... Olha só, chegamos. Digo.

Ela tira o cinto e estaciono, descemos e Sam me espera.

-Vamos logo, esta frio. Disse.

A abraço de lado e adentramos o restaurante, algumas pessoas nos encara e seguimos para uma mesa de dois.

-Boa tarde, me chamo Dylan e irei atende-los. O garçom diz.

Sam sorri e agradeço.

-Vou querer um suco de morango. Sam pede

-Uma cerveja. Peço.

Ele começa a anotar e Sam está encarando o cardápio.

-Vou querer um filé com fritas, purê de batata e arroz. Sam pede.

-E o senhor? Pergunto.

-O mesmo. Digo.

-Já volto com as bebidas. Disse.

Afirmamos e ele se retira.

-Você está com as bochechas vermelha. Sam diz.

Rio.

- Sim. Digo.

O lugar está quente e sinto um leve calor, retiro o casaco e penduro na cadeira.

-Está com calor? Perguntou.

-Um pouco... Seu brinco está enroscado no cabelo. Aviso.

Ela sorri e o solta.

-Estava lembrando de quando você me levou para comer Japonês. Disse.

Rio e arrumo meu cabelo.

-Você não conseguia pegar as coisas...

-No final você me deu peixe na boca. Falou.

Rumos.

-No final você estava reclamando que os peixes te deram azia e você havia bebido alguns copos de saquê. Digo.

-Eu não me lembro de mais nada. Falou e Rio.

-Você dormiu no táxi. Disse.

-Com licença, a bebida de vocês. O garçom diz.

-Obrigada. Disse Sam sorrindo.

O garçom retribui o sorriso e sai.

Sam da um gole no suco e faço o mesmo com minha cerveja.

-Esses dias eu estava lembrando do tombo que eu levei no Central Park. Ela falou.

Rio e a encaro.

-Foi ótimo... Olhei para você e quando olhei de novo você não estava mais ao meu lado. Digo.

Ela ri.

-Aquela rampa estava escorregadia, não tive culpa... Meu bumbum ficou doendo muito. Falou entre os risos.

A acompanho na risada.

-Shawn. Disse Sam me chamando.

A encaro.

-O que? Pergunto.

-Sua fã. Falou.

Olho para meu lado direito e vejo duas meninas, uma loira e a outro morena, ambas alta.

-Desculpe por atrapalhar vocês, mas podemos tirar uma foto com você? Uma delas perguntou.

Afirmo e me levanto, tiramos a foto e elas saem, encaro Sam que está concentrada em seu canudo.

Tiro uma foto dela sem ela perceber e a chamo.

-O que foi? Pergunto.

-Nada... Apenas lembrei de Betty. Disse com um sorrisinho triste.

-Não fique assim, ela está em um lugar melhor. Digo segurando sua mão.

-Eu sei, mas... Deixa, vamos falar de outra outra coisa certo? Disse.

Concordo.

- Já tem ideia mais ou menos de apartamentos? Perguntou.

Nego.

-Meu Deus Shawn! Você é lerdo hein. Disse e dou risada.

-Desculpe se minha lerdeza te incomoda, talvez eu devesse ficar com a minha cerveja. Digo e ela se faz de ofendida.

-Pede para ela cafuné quando você estiver querendo, pede pra ela mexer no seu cabelo e fazer carinho.  Disse 

Ela faz uma cara engraçada e toma seu suco.

-Ela me faz feliz, pelo menos isso. Digo.

-Nossa, eu desisti depois disso. Falou.

Me levanto e a abraço, ela segura minhas mãos e ri.

-Quer uma foto? Escuto a voz de Sam.

Olho para a frente e vejo um garotinho.

Ele  concorda.

-Com Shawn? Perguntou e ele afirma novamente.

Me abaixo ao seu lado e Sam tira algumas fotos.

-Qual seu nome? Pergunto.

-Cody. Respondeu.

Sam sorri e a encaro, o menininho havia saído correndo e Sam direciona seu olhar para mim.

-Ele era tão fofo. Disse 

Afirmo .

  (Quebra de tempo)

Sam pega o violão e me encara.

-O que foi? Pergunto.

-Nada, só vou afinar o violão. Respondeu.

Ela começa a afinar o violão e a dedilhar e logo começa a cantar.

Heart beats fast

 Colors and promises 

How to be brave 

How can I love 

When I'm afraid to fall 

But watching you stand alone

All of my doubt suddenly goes away somehow 

One step closer

A encaro e esboço um sorriso, ela sorri.

I have died every day waiting for you Darling don't be afraid I have loved you for a thousand years I'll love you for a thousand more

Time stands still

 Beauty in all she is I will be brave I will not let anything take away What's standing in front of me Every breath Every hour has come to this.

Ela coloca o violão na cama e se levanta.

 One step closer

  I have died every day waiting for you Darling don't be afraid I have loved you for a thousand years I'll love you for a thousand more

Me feito na cama e ela se senta em minha barriga.

A encaro e ela sorri.

-Eu comi tanto macarrão, que eu tô alimentada por uns cinco dias. Falou e Rio.

-O restaurante é incrível, a noite foi incrível, o passeio foi incrível, você está incrível e você é incrível. Digo.

Ela cora e pisca repetidas vezes de forma engraçada.

-O que foi? Pergunto Rindo.

-A minha lente.-Respondeu - Eu preciso de um colirio.

Ela se levanta e começa a mexer na bolsa e logo está pingando o colírio.

Ela me encara e sesso o riso.

-Desculpe, mas estava engraçado. Digo.

Ela se taca na cama e me encara.

-Sabe o que seria bom agora? Perguntou

Nego.

-Aquele bolo quentinho da sua mãe... Bem quentinho e com aquele cheirinho ótimo.

Rio.

Ela realmente está imaginando o bolo.

-O de chocolate? Pergunto.

-Não, o de frutas vermelhas com algumas gotas de limão. Respondeu.

-Ele é bom também. Comento.

Ela ri.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...