História Unexpected Love - (Simbar) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Lutteo
Visualizações 78
Palavras 798
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii! Voltei! Sejam bem vindos a mais um capítulo dessa linda história¤

Capítulo 4 - Meeting - Parte II


Fanfic / Fanfiction Unexpected Love - (Simbar) - Capítulo 4 - Meeting - Parte II

 

Depois de levar um tempinho encarando a situação tomei iniciativa:

-Olá Sr. Álvarez!

Olá Ámbar! - Ele falou apertando.

Notei que o Simón, escutou e se surpreendeu:

-Ámbar?

Ah! Oi, tudo bem? - Eu falei fingindo está surpresa.

Vocês já se conhecem? - A minha madrinha perguntou se assentando na cadeira.

Sim, nos conhecemos no Roller! - Eu falei sendo o mais simpática possível.

Depois desta meia conversa, minha madrinha e o Sr.Álvarez conversaram sobre negócios e eu o Simón, ficamos calados, apenas comemos as coisas que nos foram apresentados. Uma vez ou outra eu Simón trocavámos olhares, nada especial.

O almoço terminou cerca de 13h50m, tudo muito entediante. Até que finalmente minha madrinha e o Sr.Álvarez se despediram. 

Eu já estava quase de saída mas minha madrinha retrucou:

-Ámbar, se despida de Simón, é falta de educação. Já que se conhecem.

Fui onde Simón, e me despedi. Ele me abraçou e falou no meu ouvido:

-Prazer em reve-la, Smith.

Prazer em reve-lo, Simón. - Eu falei saindi do abraço, da maneira mais sútil possível.

Entramos no carro e partimos em direção a minha casa.

A chegar em casa, subi as escadas correndo. Nescessitava dormir. Mas antes que eu terminasse aquele grande esforço físico, minha madrinha falou:

-Ámbar, muito obrigado. Muito obrigado mesmo.

Foi um prazer madrinha, a comida estava ótima. - Falei dando um sorrisinho.

Entrei no meu quarto logo após aquele pequeno diálogo com minha madrinha. Tirei aquela roupa chique e vesti o meu pijama. Eu precisava dormir, dormir era a única coisa que me transmitia paz, dentre todas aquelas brigas.

Ao deitar-me. Todas as minhas lembranças ruins me deixaram em paz e simplismente dormir.

Sonho de Ámbar:

Eu estava dentre uma constelação, especificamente dentre cinco estrelas. De repente elas tomavam formas e pareciam a do meu pai, a minha mãe, uma menina de cabelos escuros, eu e minha madrinha.

Mas em um piscar de olhos, toda aquela constelação apagava, me deixando no escuro.

Eu só chorava, enquanto aquela mesma luz preta me batia.

De repente veio ao meu sonho, o abraço do Simón, o que transmitiu paz ao meu ser. De repente tudo iluminava e minha mãe dizia:

-Tudo vai mudar Ámbar, basta você confiar. Tudo vai mudar.

Mas a voz dela ecoava com os meus gritos e tudo se misturava no meu sonho. Tudo se quebrava em kakinhos.

Quando eu acordei, eu estava inteiramente suada. Aquilo tudo chegava a me assustar. Eu tinha medo do que poderia acontecer.

Depois de todo esse tempo confusa, decidi sair. Ia patinar um pouco. Me arrumei e desci as escadas. Calcei os meus patins e sai. Fui a praça e no ato vi Matteo e a Luna se beijando, eu não fiz nada. Apenas fiquei observando tudo aquilo. As lágrimas começaram a cair, borrar toda a maquiagem que eu tive tanto cuidado para fazer. Me virei para sair de cena. Mas senti alguém segurar meu braço, e era o Rey.

Achou que a sua madrinha ia resolver? - Ele falou sarcásticamente.

Ainda me deve uma noite, vadia. - Ele me jogou dentro do carro, com muita agressividade.

Eu comecei a gritar, apenas gritar. Vi que Matteo escutou e foi em direção ao carro. Mas quando ele esta a bem próximo, Rey pisou fundo. Senti meu estômago embrulhar.

Foram 20 minutos de pura gritaria e desespero. 

Rey me jogou dentro de um galpão. E rasgou minha roupa violentamente. Quando ele se aproximava dos meus lábios, alguém deu um soco nele.

Solta ela cara. - Alguém falou dando três socos consecutivos.

Reconheci o rosto no ato. Era o Simón. Ele bateu tanto no Rey que eu não o reconhecia. Simón fez seu "adversário" desmaiar. Depois disso, Simón me ajudou a recompor minha roupa.

Eu não falava nada, apenas chorava. Ele me pôs nos braços e me levou até o lado de fora do galpão. Neste momento, Matteo chegou. Cara de pau. Ele perguntou se eu não ia COM ele. Resolvi que ia ficar com Simón. Era o melhor naquele momento. 

Você vai com ele Ámbar? - Ele falou ainda me segurando.

Não Simón, eu vou com você. - Eu falei abraçando o peitoral dele.

Matteo então você liga para a polícia e vigia esse cara aí. - Simón falou abrindo a porta do carro dele.

Você fica aí atrás? Ou prefere ir na frente comigo? - Ele falou sorrindo angelicalmente para mim.

Eu fico atrás, me sinto melhor aqui atrás. - Falei me ajustando aos braços grandes e fortes do Simón.

Ele entrou no carro e dirigiu com toda a calma e as vezes olhava pelo espelho se eu estava bem. 

Aos poucos eu fui dando as cordenadas da minha casa.

Quando entramos, ele explicou tudo para a minha madrinha, que checou todo o meu EU. Para ver se estava bem. Quandi teve certeza disso. Correu para o chofer. Ela ia a delegacia. 

Simón subiu comigo nos braços até meu quarto. Quando ele fechou a porta, a única coisa que fiz foi beija-lo. Como nunca havia beijado alguém na minha vida.


Notas Finais


😇Muito SIMBAR nesse episódio, não?😇
💘Sinto que coisas boas vem por aí...
🙈Beijo no ♡, bye🙈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...