História Unexpected Love (Camren) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Criminal, Dinheiro, Hot, Incesto, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Prima, Romance, Sexo
Exibições 388
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


olha quem apareceu?????? esse cap ta meio tristinho mas no final... HAHAHAHA
gente, eu botei PLAY NA MÚSICA - ME ESPERA ( SANDY ft. TIAGO IORC) e depois que Camila acaba de falar com Sinu vocês podem dar pause ok??

bjss e NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 11 - Come Back


Camila Pov's

Branco. Essa sem dúvidas era uma das úncias cores que eu detestava. As paredes extremamente brancas do hospital faziam um contraste totalmente mórbido com o bege das poltronas da sala de espera deixando minha estadia ali ainda mais torturante. Minha unhas já tinham desaparecido de tanto eu roer. A verdade era que eu estava a ponto de surtar.

Finalmente tinham liberado as visitas. O quadro de Sinu estava mais estável e aparentemente ela estava começando a responder aos tratamentos. Assim que a secretária do hospital ligou me avisando eu troquei de roupa e vim imediatamente para o hospital e pela primeira vez na minha vida eu faltei a uma aula. No momento a única coisa que me importava era minha mãe. Eu precisava vê-la e só de pensar em finalmente poder toca-la meu coração já se enchia de alegria.

– Você precisa se acalmar. - disse Normani com a voz suave me abraçando de lado.

Sim, Normai veio comigo. No dia anterior ela tinha combinado de me buscar para irmos juntas para a universidade já que Lauren teria que ir direto para e empresa  e quando eu soube da notícia ela já estava no meu portão me esperando, então eu entrei desesperada em seu carro e ela me trouxe até aqui. O clima entre nós não estava dos melhores. A ideia dela ser homofóbica me deixava com um pé atrás em relação a nossa amizade. 

– Você se incomoda com o fato de eu e Lauren termos uma relação sexual? - perguntei direta. Normani sorriu abertamente revelando seus lindos dentes brancos impecáveis.

– Camila, a gente ainda não teve tempo de conversar desde o ocorrido na boate e eu acredito que aqui também não seja o lugar adequado mais eu vou falar mesmo assim. Lauren naquele dia veio cheia de acusações para cima de mim e eu não tinha nem a chance de me defender. Não, eu não sou homofóbica. - disse me deixando um pouco mais aliviada. – Eu sou Laurenfóbica. Aquela garota é totalmente sem juízo. Sim ela é gata e tem uns peitos enormes mas ainda sim ela não vale nada. Eu tratei ela daquele jeito naquele dia porque eu não quero que você se machuque.

Laurenfóbica. Essa era realmente ótima. Normani não me parecia ser do tipo preconceituosa já que ela era totalmente feminista e defendia até uma mosca e eu senti sinceridade em todas as suas palavras. E afinal, se ela tivesse se engraçando com um filho da puta de um cafajeste, eu também não iria apoiar. 

– Me desculpe por te tratar mal. - eu disse chorosa. Normani esse tempo todo só estava tentando me proteger e eu tinha sido uma megera com ela. Eu realmente me senti mal naquele momento. Normani abriu um sorriso lindo e me puxou para um abraço apertado. Correspondi na mesma intensidade. Eu sentia falta desses meus momentos com ela.

– Alguma de vocês é Camila Cabello? - perguntou uma voz grave me fazendo soltar Normani.

– Eu sou. - respondi. 

– Me acompanhe por favor. - disse o homem de seus aparentemente 45 anos. Cabelos grisalhos, barriga de chopp e olhos sem vida. Claramente um médico muito trabalhador que não tinha tempo para se cuidar. E o tempo que tinha preferia dedicar ao bar.

– Já volto. - sussurrei para Normani. Ela apenas assentiu me lançando um olhar reconfortante.

Me levantei e segui o mesmo aproveitando para reparar ainda mais no hospital. Mesmo sendo extremamente mórbido e brega o hospital era muito chique. Todo mundo devidamente bem uniformizado, a higiene excessiva e os diversos elevadores espalhados pelos cantos indicavam a grande quantidade de andares. Observei ainda mais quando Louis, o nome que eu vi em seu crachá parou enfrente a uma porta com o número 25. Ele me entregou uma luva, uma toca de cabelo e uma máscara bocal começando a me dar instruções em seguida.

– Sua mãe está extremamente frágil por isso o excesso de cuidados, para ela não ter contato com nenhuma bactéria e nenhum vírus. Nada de beijos ou abraços. Converse com ela calmamente sem falar nada que possa acelerar demais seus batimentos cardíacos. Você está sendo supervisionada Camila e tem apenas 10 minutos. - disse sério me fazendo apenas assentir.

Me assustei com o excesso de cuidados mas até que eu gostei já que isso indicava que ela estava sendo bem tratada. Vesti a toca, a máscara e botei as luvas e quando ele percebeu que estava tudo ok ele finalmente abriu a porta. Me aproximei delicadamente de sua cama nessa altura eu estava com medo de fazer qualquer movimento mas assim que eu vi seu lindo rosto tudo passou. Todos os medos, angústias ou até tristeza.

Seu rosto extremamente sereno mostravam que ela estava tendo uma bela noite de sono. E era isso que eu realmente acharia se não fosse pela enorme quantidade de fios e máquinas ligadas ao seu corpo monitorando cada movimento interno de seu corpo. Me aproximei com delicadeza e me sentei na pequena brecha em sua cama. Minha mão trêmula correu por toda a  extensão de seu braço sentindo a frieza de sua pele até chegar em sua mão aonde eu segurei a mesma antes de começar o meu discurso.

(PLAY NA MÚSICA)

– Ah Sinu, por onde eu posso começar... - comecei a dizer já sentindo um mar de lágrimas molhar o meu rosto. – Tem tanta coisa boa acontecendo mãe. Eu não podia estar melhor na faculdade. As aulas são incríveis, os professores são ótimos e eu estou cada dia mais encantada por direito. Você acertou quando disse que eu iria adorar a tia Clara. Ela é uma mulher sensacional. Madura, segura de si, vaidosa e me acolheu como se eu fosse uma filha. Sempre me trata de igual para igual mesmo com as nossas diferenças financeiras. - sorri. – E tem também a Lauren a sua famosa sobrinha de consideração que você assistiu ao parto e pegou no colo assim que nasceu. Aquela dali é difícil viu. Marrenta, grosseira e uma pessoa extremamente fútil. Mas até que agora ela está me mostrando um lado bem diferente. Ela está me ajudando mãe, ela está nos ajudando e ela acredita na sua melhora mais do que ninguém. Então volta Dona Sinu. Volta para reclamar da minha toalha molhada em cima da cama, volta para me dizer o quanto a rua é perigosa e é por isso que eu não posso sair a noite e principalmente, volta para eu poder cuidar e fazer de tudo por você que nem você sempre fez por mim. Eu te amo tanto mãe, chega a ser absurdo o quanto eu te amo. Eu sei que você é forte e vai sair dessa. Recolhe os cacos e me entrega que eu te ajudo a consertar.

– 10 minutos. - disse a voz grave de Louis entrando no quarto fazendo-me levantar as pressas e passar a mão no rosto tentando retirar qualquer vestígio de lágrimas ali.

Dei uma última olhada para Sinu e com uma dor enorme no coração por deixa-la ali sozinha eu sai do quarto. Segui em direção a enorme sala de espera e assim que meus olhos bateram nas íris verdes de Lauren eu desabei. Minhas pernas pareciam perder as forças me fazendo cair com tudo de joelhos no chão. Lauren me abraçava de um lado e Normani de outro tentando me passar a ideia de que tudo iria ficar bem. As duas resmungavam coisas no meu ouvido e eu não conseguia ouvir uma palavra. A impotência que eu sentia me deixava completamente destruída.

– Normani me ligou e eu vim assim que eu pude. - olhei para Lauren e tentei sorrir para a mesma. Respirei fundo e me levantei com a ajuda de Normani. Eu não queria atrair mais atenção do que eu já estava atraindo.

– Eu preciso de ar. - respondi saindo as pressas daquele hospital. Eu me sentia totalmente sufocada ali dentro.

Respirei fundo assim eu saí de dentro daquele enorme hospital e consegui me sentir um pouco melhor. A brisa batia em meus cabelos fazendo os mesmos balançarem me proporcionando uma sensação de alivio.

– Amiga eu tenho que ir para casa, mas você me mantenha informada. - disse Normani aparecendo juntamente de Lauren.

– Pode ir tranquila. Obrigada por tudo. - respondi com um sorriso sincero. Normani hoje tinha sido uma amiga incrível.

– Tchau Lauren, cuida dela. - disse gritando entrando em seu carro. Dei risada com o seu tom de voz mandão.

Assim que eu vi o carro de Normani se afastar eu me virei observando Lauren..

– Você não precisava ter vindo. - eu disse me aproximando e dando um selinho na mesma.

– Você sabe que eu precisava. - respondeu me dando outro selinho. – Vem, eu vou te deixar em casa e depois partir de volta para a empresa. Hoje o dia está cheio.

Assenti e entrelacei nossas mãos. Lauren me guiou até seu carro e abriu a porta de passageiro para mim me deixando surpresa. Depois ela deu a volta e entrou no banco de motorista.

Foi ai que eu me lembrei de uma coisa. Nosso tão amado acordo. Assim que Lauren ia botar a chave na ignição  eu puxei seu braço fazendo ela se virar. Lauren me olhou com uma cara de interrogação enorme me fazendo abrir um sorriso malicioso em resposta. Puxei a mesma pela gola de sua camisa social e sussurrei contra os seus lábios antes de começar a beija-los.

– Eu quero você agora. - mordi seu lábio inferior puxando o mesmo em seguida. – Me faz esquecer essa dor.


Notas Finais


KKKJKKK SIM GENTE A CAMILA É DOIDA, MT HOT NO PRÓXIMO SIM!!!
a relação de Camila e Lauren por enquanto é uma amizade colorida e consequentemente vai ter muito hot por enquanto até as tretas começarem... e olha que ESTÁ BEM PRÓXIMO!!

com comentário eu volto amanhã cedinho sem cometário só domingo! bjssssss até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...