História Unexpected Love (Camren) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Criminal, Dinheiro, Hot, Incesto, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Prima, Romance, Sexo
Exibições 402
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


MEUS AMORES!!
mil desculpas por não ter postado esse cap ontem, foi aniversario da minha mãe e ai eu fiquei super ocupada.
OUTRA COISA IMPORTANTÍSSIMA: eu fiz esse cap todinho escutando 100 Hands do 5H mesmo e eu super recomendo!

NOTAS FINASSSSSS!!!

Capítulo 9 - Be Strong


Camila Pov's

Minha cabeça estava a mil. Mas pela primeira vez pelo motivo certo, a felicidade. Eu me sentia incrivelmente bem e feliz.

A minha noite com Lauren tinha sido fantástica Não tinha como botar defeitos, não tinha como eu me sentir arrependida, não tinha como eu fingir que eu não tinha gostado. O efeito do seus lábios em meu corpo, sua pele quente sobre a minha, suas íris incrivelmente verdes me observando com aquele brilho que só ela tinha. Lauren sem dúvidas superou todas as minhas expectativas.

Sexo sem compromisso. Eu me sentia em curto só de pronunciar aquela frase. Na teoria parecia tudo tão fácil. A gente se envolveria sexualmente quado uma das duas sentisse vontade. Apenas isso, sem sentimentos, sem discussões, sem problemas. Mas a quem eu estava querendo enganar? Em alguma hora eu iria me cansar de ser tratada como eu pedaço de carne, porque eu não era assim. Eu não me preocupava só com sexo, eu não queria só sexo. Não que eu quisesse ter ago a mais com ela, mas o simples fato de eu saber que eu posso acabar me entregando demais enquanto para ela isso tudo não passa de uma atração me deixava em pânico. Respirei fundo e resolvi ignorar esses pensamentos, pelo menos por enquanto. 

Lauren tinha saído para atender um telefonema e pediu para eu permanecer na mesa o que eu prontamente fiz já que eu não queria me meter em seus assuntos. Enquanto ela estava fora eu aproveitada toda aquela deliciosa panqueca que ela tinha preparado. Até nisso ela tinha me surpreendido. Quem imaginaria Lauren Jauregui preparando panquecas depois de uma boa noite de sexo? Eu não.

Me desliguei dos meus pensamentos assim que observei a morena se sentando na mesa com um semblante preocupado.

– Problemas na empresa? - perguntei bebendo um pouco do meu suco.

Lauren parecia visivelmente perturbada. Seus olhos não estavam com o mesmo brilho de sempre, eles estavam opacos e sombrios. Seu olhar era direcionado a mim mas não parecia um olhar de desejo como sempre mas sim um olhar de pena. Sua boca se abria diversas vezes mas não saia nenhum som. Parecia que ela estava tomando coragem para me dizer algo. O que estava me deixando tensa.

– Camz... - começou com a voz suave. Foi ai que eu percebi que tinha alguma coisa errado. – Clara acabou de me ligar. 

– Lauren, desembucha. - nessa hora eu já estava com medo do que ela estava guardando.

– Sua mãe, ela teve uma piora considerável. Seu corpo não respondia mais aos medicamentos e ela teve que ser internada as pressas. Camila, sua mãe entrou em coma na madrugada de hoje.

Foi como se alguém tivesse pegado meu pulmão e tivesse  pisado em cima dele até me faltar completamente o ar. Eu me sentia zonza, meu coração estava acelerado e meu estômago levemente embrulhado. Eu não conseguia chorar, eu não conseguia gritar. Meu corpo todo parecia estar em transe.

– Ao..nde ela está? - perguntei assim que eu consegui reunir um pouco de sanidade para formular aquelas palavras.

– Clara transferiu ela para o melhor hospital de New York. Em Cuba o tratamento não é tão efetivo como aqui. 

Foi ai que a fixa caiu. Minha mãe estava em coma. Seu corpo estava preso em uma cama de hospital enquanto sua alma vagava longe. Ela não falava mais, ela não comia, ela não me daria mais um daqueles esporros violentos por eu estar chegando em casa tarde mesmo eu já tendo idade suficiente para isso e nem me ligaria de madrugada para perguntar como eu estava indo na faculdade.

Eu me sentia suja, completamente imunda. Enquanto minha mãe entrava em coma eu estava fudendo desesperadamente na casa de sua amiga de infância que tinha me acolhido com o maior amor e cuidado do mundo. Sem pensar em nada eu me levantei correndo da mesa e subi para o meu quarto trancando a porta em seguida.

Era incrível o quanto a vida podia virar a gente do avesso sempre que ela sentisse vontade. Eu estava agora falando o quanto minha noite tinha sido maravilhosa e o quanto eu me sentia feliz e bem comigo mesma e agora eu estava aqui trancada no meu quarto chorando e perguntando o porque disso tudo.

As lágrimas nessa hora já corriam livres e rápidas pelo meu rosto. Sinu nunca foi a melhor mãe do mundo ou até a mais compreensiva mas ela definitivamente não merecia esse tipo de destino. Ela já tinha sofrido tanto com as safadezas do meu pai e com a agressividade do câncer. Ela já tinha se privado de viver tanta coisa para poder pagar a melhor escola da cidade para hoje em dia eu ter a possibilidade de cursar a faculdade dos meus sonhos e seguir a profissão que eu tanto amo. Ela definitivamente merecia ser feliz. Ela merecia poder realizar seus sonhos de conhecer o Brasil, nadar com os golfinhos em Cancana ou até um bobo que era conhecer o Bon Jovi. Me matava a ideia de ela não sair dessa, de ela desistir de lutar e se entregar para o caminho mais fácil que era dar um fim nesse sofrimento. Mas ainda sim eu tinha fé. Minha mãe não nadou tanto para morrer na praia, não mesmo.

– Esqueceu que eu sou a dona dessa casa e tenho a cópia da chave de todas as portas? - disse Lauren entrando no quarto.

Eu não respondi, não me movi eu só continuei parada olhando atentamente para o enorme quadro com uma arte abstrata pendurado na parede. Suspirei quando senti aquele perfume tão conhecido por mim entrar em minhas ventas. Lauren se posicionou atrás de mim e puxou o meu corpo fazendo eu me deitar entre suas pernas encostando minha cabeça em seu ventre.

– Não precisa falar nada. Só chora, se liberta. - disse sussurrando no meu ouvido.

Meu choro era silencioso.As lágrimas jorravam mas sem escândalo. Parecia que até nisso eu era parecida com Sinu. Eu não gostava de desabar na frente de ninguém. Lauren fazia pequenas carícias em meu braço e mesmo eu não querendo admitir a sua companhia ali estava me fazendo um bem enorme.

– Sabe Camz, eu sei que nada do que eu falar vai diminuir ou amenizar a dor que você está sentindo. - a voz de Lauren saia tão suave que parecia me acariciar. – Mas Deus nunca dá pra gente um peso maior do que a gente consiga carregar. Você pode pesar menos do que uma formiga de tão magra mas eu sei que por dentro você é forte. Pelo o que Clara me contou de Sinu, ela também é assim. Ela precisa de você agora, ela precisa dessa força que eu sei que existe dento de você para poder sair dessa. Ela precisa daquela Camila que fica me dando patada quando eu falo alguma idiotice ou sou grosseira. Ela precisa dessa mulher que existe dentro de você por trás desse seu rosto de menina. Sempre foi vocês duas Camz e vai continuar sendo. Vocês vão sair dessas juntas, eu acredito nisso. Eu acredito em você.

Lauren parecia sem fôlego ao terminar. Ela falou tudo com uma sinceridade tão grande que fez cada parte do meu corpo se derreter. Lauren me olhava de uma forma tão intensa que parecia que ela conseguia enxergar dentro de mim, dentro da minha alma. Aproximei mais os nossos corpos e a beijei. Não foi um beijo como um dos vários de ontem. Era um beijo delicado, era um beijo calmo. Eu estava completamente frágil e Lauren parecia usar isso no beijo. A minha fragilidade com a calma dela estavam em uma sintonia perfeita.

Você não está sozinha, Camz. - disse separando os nossos lábios.

E mais uma vez eu me sentia completamente hipnotizada por aquelas íris verdes.


Notas Finais


esse cap ta um amorzinho :((((
Mas se preparem pq o próximo está três vezes pior hahaha
gente a fic agora está entrando no rumo que eu queria para ela, vão acontecer várias coisas e eu acredito que vocês vão se emocionar e dar muita risada ainda! E é claro muitos hots..

com bastante comentário eu juro que posto o outro mais tarde ok???

bjsss até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...