História Unfinished Business - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Personagens Originais, Synyster Gates, The Rev
Tags Avenged Sevenfold, Drama, Humor, Suspense
Visualizações 23
Palavras 1.575
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite!
Antes de tudo quero me desculpar pela demora! Tive alguns problemas pessoais, que além de tudo me deixaram meio desmotivada para escrever. Também estava com uma prova para estudar, que foi na sexta passada, e só ontem conseguir terminar o capítulo... De qualquer forma, espero que vocês não tenham me abandonado xD
Acho que o apropriado para esse capítulo seria ouvir So Far Away, como o próprio título já diz, e vocês (pelo menos os leitores que são fã da banda) devem imaginar o motivo... É claro que é opcional, mas depois me contem a experiência kk
Tenho algumas coisas a dizer, mas vou deixar para as notas finais, então leiam, ok?
Boa leitura :3

Capítulo 11 - So Far Away (Epílogo)


Fanfic / Fanfiction Unfinished Business - Capítulo 11 - So Far Away (Epílogo)

E aí, cara?

Se algum dia tivessem me perguntado qual a coisa mais louca que eu faria na vida, nunca teria imaginado que a resposta seria esse exato momento. Quer dizer, não sei se é exatamente adequado, considerando a parte do “na vida”, mas você entendeu o que quero dizer...

Eu gostaria de poder te dizer tudo isso pessoalmente, mas infelizmente o destino ou qualquer coisa que queira chamar achou que fosse melhor assim. Aliás, me desculpe por ter feito você esperar por tanto tempo para abrir essa carta, mas precisava que soubesse com antecedência que eu não iria a lugar algum sem me despedir, não desta vez.

A primeira coisa que você precisa saber é que recuperei as minhas memórias. Não só as memórias da minha vida, mas as da morte também – espero que isso faça sentido quando terminar de ler. Eu sei que você sofreu, sinto muito por isso. Não, não estou me desculpando por ter morrido (embora talvez devesse), pois sei que você acharia um absurdo e provavelmente violaria meu túmulo ou algo assim. Eu só sinto que tenha passado por tudo isso, todos vocês, na verdade.

Não sei muito bem por onde começar, mas talvez pela parte mais difícil seja o único jeito... Só peço que você controle essa sua cabeça quente e termine de ler antes de pensar ou fazer qualquer merda. Também quero que, apesar de saber que você não vai concordar, mas considere como meu último desejo, que mantenha segredo sobre isso – e é óbvio que me refiro à minha família, ou aos caras.

A final song, a last request

O mistério sobre o meu acidente, na verdade, parece bem óbvio agora. Acho que não tem uma forma fácil de dizer isso, então aqui vai: a Anna estava envolvida no acidente. Essa é a parte mais importante de tudo que tenho a dizer, Brian, então não esqueça: não foi culpa dela.

Sei que você deve estar confuso, e até mesmo com raiva, mas não desconte nela. Anna não se lembra de nada, algum efeito do coma, eu acho. Em resumo, o que você tem que entender é que foi realmente um acidente, não foi exatamente culpa dela porque eu estava errado também, andando na estrada de moto com o farol apagado, e com um pouco a mais de álcool no corpo do que devia.

Anna tentou buscar ajuda, mas ela estava machucada e capotou o carro, não foi uma fuga nem nada assim. Agora que está lendo isso, é certo que ela já tenha recuperado a própria memória, e pretendo conversar com ela sobre tudo isso, mas de qualquer forma não desconte tudo nela, ok? Sei que pode ser pedir demais, mas ela não merece isso. Anna já passou por muita coisa depois desse acidente, e eu sei que vocês estão construindo algo bom, e não quero que estraguem tudo por causa de algo que deve ficar para trás.

Eu sei que não tenho direito de me intrometer, mas sei que Anna precisa de ajuda agora e, no fundo, você também. Espero que ter um ao outro torne tudo isso um pouco menos confuso e doloroso, pois a última coisa que quero é ver vocês dois sofrendo.

Enfim, além disso, devo outra explicação. Como eu disse, não foram somente as memórias da minha vida que eu recuperei. Achamos estranho que eu somente havia aparecido para Anna tanto tempo depois do acidente, mas agora você já deve ter entendido, não é? Ela estava em coma, e eu estava preso até que ela acordasse, só perdi a memória quando ela finalmente acordou.

Nesse tempo, eu pude refletir sobre tudo o que aconteceu, e tudo voltou quando lembrei do acidente. Eu vi o quanto todos vocês sofreram, e acompanhei até certo período, pois não achava certo estar presente enquanto tentavam tocar suas vidas. Mas o que quero dizer é que eu vi o quanto foi difícil para você.

Não é que eu não me sinta honrado ou sei lá qual o termo certo. Você é meu irmão, e não seria diferente se a situação se invertesse. Mas não quero ver você sofrendo para sempre, quero que viva sua vida e seja feliz. Você merece isso, e eu espero que agora com a verdade revelada, seja mais fácil deixar tudo isso para trás.

Tem tanta coisa que eu gostaria de dizer, mas é difícil colocar em palavras. Acredito que não precise, afinal, você me conheceu por toda a minha vida, melhor do que ninguém, e sabe que apesar de todo mundo sempre ter dito aquela besteira sobre eu ser a alegria da vida de todos ao meu redor, tive minha cota de problemas, e não teria passado por metade deles sem você.

Sua amizade foi uma das coisas mais valiosas da minha vida, e continua sendo. Só me resta agradecer por ter estado presente por todo esse tempo, e por continuar mesmo agora, lembrando de mim, tomando conta da loja, e é por isso que quero que você tenha uma ótima vida, pois você não merece nada menos do que ser feliz.

Mas chega desse papo meloso. Espero que tenha entendido tudo o que quis dizer aqui, e caso tenha mais dúvidas, acho que Anna pode te ajudar, pois está um pouco além do meu alcance agora.

I have so much to say but you're so far away

Um abraço do além,

Jimmy.

 

***

 

Os olhos de Brian ardiam. Não sabia dizer se era pelo sono ou pelas lágrimas, mas era uma sensação irritante e incômoda. As primeiras luzes da manhã já adentravam a janela da sala, e só então ele se deu conta de que passou a noite em claro.

Anna continuava aninhada em seu peito, um dos braços circundando sua cintura, enquanto ele afagava suavemente os cabelos dela em um movimento inconsciente, mas que o tranquilizava. Ela tinha as pernas dobradas de forma desajeitada no pequeno sofá, mas ainda assim dormia pacificamente.

A noite anterior era um borrão. Mal se lembrava de ter dirigido até a casa dela, a visão embaçada pelas lágrimas, e da expressão surpresa e minimamente temerosa dela quando o encontrou à sua porta naquele estado deplorável. Quando ele irrompeu porta adentro, ela aguentou os gritos e os xingamentos sem recuar, observando enquanto ele andava de um lado para o outro, agitado, com raiva, machucado.

The pain is strong and urges rise

Anna não disse uma só palavra em sua própria defesa enquanto ele descarregava todo o peso que a carta de Jimmy havia colocado em seu coração. Quando ele pareceu não ter mais fôlego para continuar, ela permitiu que ele chorasse, sem saber ao certo como confortá-lo, mas agiu automaticamente envolvendo-o em um abraço, assim que Brian pareceu ter esgotado suas forças e desabou no sofá.

I tried to heal your broken heart with all that I could

Ela havia murmurado palavras que mal chegaram a ser registradas por ele, tentando de alguma forma fazer com que aquela dor cessasse, por mais que soubesse ser impossível. Aquela dor que ele sabia que ela também sentia.

Por horas ficaram daquela forma, abraçados e sentados desconfortavelmente no sofá. Cada vez que tentava fechar os olhos, linhas da carta deixada por Jimmy pareciam grudadas em suas pálpebras, fazendo-o ranger os dentes em frustração. Uma parte de si se perguntava se algum dia aquela dor o deixaria, mas ele sabia que, por mais que eventualmente fosse atenuada, nunca se esvairia completamente.

Depois de um tempo, Anna pegou no sono, os olhos ainda úmidos pelas lágrimas que ela também havia derramado. Brian permanecia na mesma posição, incapaz de se mover, e por mais que tivesse vontade de ao menos carregá-la até a cama, não conseguiu sequer reunir forças para se levantar.

Quando o sol já havia despontado no céu, Anna finalmente acordou. Ela pareceu um pouco confusa, mas logo a tristeza invadiu seus olhos, indicando que as lembranças da noite anterior a alcançavam aos poucos.

Os dois se encararam por longos segundos, sem saber o que dizer, não querendo tocar na ferida, mas sem querer fingir que ela não existia. Brian a acomodou em seus braços novamente, depositando um beijo suave em sua testa e murmurando em seu ouvido:

- Eu te amo – ele fez uma pausa, sentindo que ela prendia a respiração, pega de surpresa por suas palavras. – Jimmy sabia. Ele me conhecia como a palma de sua mão. Foi por isso que escreveu a carta.

- Eu também te amo – ela respondeu em voz baixa, levantando o rosto para encontrar o olhar dele. – Eu sinto falta dele.

Now and then I try to find a place in my mind

Where you can stay

You can stay awake forever

Brian apenas assentiu, afagando o rosto dela em um gesto automático. Ela abriu um sorriso fraco, recebendo o toque dele de bom grado.

- Achei que estaria preparado, depois da primeira vez.

- É normal ficar triste – murmurou ela. – Significa que você o amava.

Ele sorriu e a beijou com calma. Perder Jimmy pela segunda vez era realmente difícil, mas as coisas eram diferentes agora. Ele finalmente sabia a verdade, sabia o que aconteceu na noite do acidente, e sabia que o amigo estava em paz com aquilo. Talvez no final das contas aquilo fosse o suficiente para que pudesse seguir em frente.

Your pain is gone, your hands untied

So far away

And I need you to know

So far away

And I need you to, need you to know


Notas Finais


E aí?
Mais do que nunca eu quero saber o que acharam do capítulo e da história em geral, então deixem um comentário aí embaixo para mim, ok?
A carta do Brian foi bem mais difícil de escrever do que eu esperava, então me perdoem se não ficou bem o que vocês esperavam, mas fiz o meu melhor u.u
Quero agradecer do fundo do coração a todos que tiraram um tempinho para ler Unfinished Business! Essa história é muito especial para mim, e significa muito ver que mais pessoas leram e gostaram <3
Não sei nem o que dizer, então só me resta me despedir dessa história.
Quem gostou, pode favoritar e deixar um comentário, ajuda muito nós autores! Podem recomendar a fic, eu não me importo hahaha
E quem quiser ler mais trabalhos meus, sintam-se a vontade, adorarei ver vocês por lá (:
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...