História Unfortunately Pregnant - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho
Tags Baekhyun, Baekmyeon, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Lemon, Longfic, Mpreg, Sebaekxing, Sexing
Exibições 784
Palavras 2.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem diria que eu voltaria com um capítulo de quase 3.000 palavras hein? E logo em uma semana de prova sos
Anyway, eu espero que gostem do capítulo ❤
Ps. Leiam as notas finais
Boa leitura xuxusss

Capítulo 10 - Unfortunetaly revealing


Eu olhava impacientemente para o relógio, ansioso para meu almoço, mesmo que, provavelmente eu fosse passar o mesmo no escritório, onde eu me encontrava atolado de trabalho e de textos para corrigir.

Quando o relógio marcou 12:00hrs, eu tive que controlar o impulso de correr até o restaurante de comida japonesa mais próximo, pois eu estava tendo um desejo absurdamente incontrolável de comer yakisoba. Me contive em ligar para um fast food e pedir a maior porção de yakisoba que havia e 20 peças de sushi.

Me remexi impaciente na cadeira do escritório e desviei os olhos do computador à minha frente, descansando a vista por alguns segundos.

Senti meu celular vibrar em cima da mesa e logo o peguei, sorrindo ao ver as quase 500 notificações de mensagens de um chat em específico.


Door: gnt

venham aqui pra casa assistir filme e fazer vários nadas hj


Nini: kero


Baekhyun: q hrs amores?


Xing: qualquer hora q eu ja esteja em casa, hoje chego às 15hrs


Chano: precisa levar alguma coisa?


Door: comida ne, tão pensando que vão comer às minhas custas????


Soo: deixa de ser pão duro porra


Nini: deixa de ser pão duro porra rt


Door: pão duro são vcs que n querem trazer comida


Baekhyun: ke

já tão discutindo? euein


Chano: só se salva a gnt msm bae

melhores amigos e o resto


Baekhyun: melhores amigos e o resto rsrsr


Xing: anotado viu Baek, vai chorar na pqp da próxima vez


Baekhyun: cala boca fudido


Chano: pq vc vai chorar p ele e n vem chorar p mim?


Baekhyun: cala boca vc tbm palhaço

meu yakisoba chegou bjsssss

vou p casa de vcs dps q eu passar em casa qnd sair do trabalho


Sorri para o yakisoba em minha mesa e esqueci totalmente do celular enquanto eu comia como se estivesse sem comer há anos, mas me consolei com o fato de que eu estava me alimentando por dois.


***


Passei em casa apenas para tomar um banho e me vestir antes de ir para a casa de Sexing, que já moravam juntos faziam cerca de um ano, quando decidiram levar o relacionamento à um nível mais sério.

Cheguei ao prédio onde eles moravam e o porteiro me deixou subir sem sequer interfonar para o apartamento dos meninos, pois eu já era uma visita frequente naquele local.

Quando eu entrei no apartamento, Jongin estava jogado no sofá e o casal cozinhava e discutia euforicamente na cozinha, pelo que eu pude ver através do balcão, que dividia a sala de jantar e a cozinha.

Me joguei ao lado de Jongin no sofá e me aconcheguei à si, num abraço confortável.

- O que aconteceu? - Jongin perguntou, enquanto passava seus braços à minha volta, me aconchegando ainda mais à si e apoiando seu queixo em meu ombro.

- Nada. Por quê? - Direcionei meu olhar para a televisão à minha frente, onde Jongin assistia um reality show qualquer.

- Você não parece bem esses dias… Mal fala com a gente, fica calado às vezes e, além disso, está umas 1000 vezes mais carinhoso do que o normal. Tá parecendo um gatinho querendo carinho - Eu fiz uma expressão emburrada e ele riu de mim, apertando meu nariz com os dedos, o que me resultou em uma careta.

- Eu 'tô bem, só estou cansado ultimamente - Suspirei e, como se para confirmar o que eu havia dito, bocejei.

- Pode ser a anemia também - Ele começou a acariciar meus cabelos, o que foi a gota d'água para que eu começasse a cair no sono.


***


Acordei sentindo um peso sobre mim e abri os olhos lentamente, esfregando-os para poder enxergar melhor quem estava jogado em cima de mim, me abraçando e com a cabeça escondida em meu pescoço, o que me resultava em arrepios.


Reconheci Park Chanyeol apenas pelo cheiro.


Não estava entendendo direito a situação, mas retribui o abraço e afaguei seus fios macios. Até que ele separou o abraço e olhou para mim sorrindo. Olhei para ele confuso e ele riu da minha expressão.

- Eu provavelmente tenho um encontro hoje mais tarde! - Falou animado.


Ah, era por isso.


- Sério? - Falei animado, o abraçando novamente - É com a tal professora de geografia?

- Sim! Acho que vai dar certo entre nós, ela também parece interessada em mim Baek - E ele me deu um sorriso tão bonito que eu retribuí sinceramente, porém ainda dividido entre sorrir ou chorar.

- Isso é muito bom, Chan - Falei por fim. Senti um olhar forte em mim e olhei para trás de Chanyeol, onde Lay expressava pena em seu rosto.


E eu odiava que as pessoas sentissem pena de mim.


Suspirei e me levantei, afastando todos os pensamentos que pairavam sobre minha mente. Pensamentos que envolviam Chanyeol e a tal professora em um jantar romântico. Estendi a mão para Chanyeol e o guiei até a cozinha, onde todos os meninos estavam.

- Gente - Falei manhoso, fazendo questão de arrastar as letras e apoiando minha cabeça no ombro de Sehun - Eu tô com fome. Muita.

- Sai daqui cria do demônio - Sehun tirou minha cabeça de seu ombro e se afastou de mim.


Provavelmente, por estar muito sensível nesses quase dois meses, por conta da gravidez, eu senti vontade de chorar pelo que Sehun me falou.


Me senti totalmente rejeitado.


Eu provavelmente estava com uma cara de choro, pois Sehun me puxou para si pela cintura com uma mão e com a outra apertou minha bochecha.

- É brincadeira projeto de pessoa - Ele riu e apertou ainda mais minha bochecha.

- Eu vou pro Yixing, ele me trata bem, ao contrário de você - Me soltei de Sehun e fui abraçar Yixing que retribuiu o abraço na hora.

- Claro né, você é praticamente minha cria - Yixing falou, me apertando todinho em seu abraço forte.

- Eu já disse que tô com fome? - Falei novamente, fazendo o pessoal rir.

- Eu fiz brownie de chocolate - Kyungsoo falou e eu logo fiquei eufórico - Tá na geladeira, esfomeado.

- Ai eu já quero. Vou pegar um pedaço - Falei e tomei a liberdade de ir direto para a geladeira pegar um pouco de brownie, que estava tão apetitoso esteticamente, que eu salivei.

- Gordo - Disse Sehun, fazendo uma careta.

- Gorda é essa sua bunda gigante - Falei, mostrando minha língua para si.

- Não precisa colocar para fora, já beijei - Falou rindo, o que me lembrou da fatídica noite em que eu resolvi encher a cara.

- Temos que admitir que foi um ótimo beijo triplo - Yixing completou, rindo e eu, totalmente envergonhado, escondi meu rosto entre as mãos, quando senti minhas bochechas esquentaram - Awn, agora você fica vermelhinho, mas lá quando estava apertando minha bunda nem sentiu vergonha.

- Que história é essa de beijo triplo? - Kyungsoo chegou mais perto, com uma expressão maliciosa.

- Lembra daquela boate que a gente foi? A que o Baekhyun bebeu igual um louco? - Sehun falou, enquanto colocava a mesa.

- Quando eu fui atrás dele na pista de dança, ele começou a me beijar e me agarrar - Começou Yixing, quando viu Kyungsoo assentir - Depois o Sehun veio entender a situação e o Baek beijou ele também e eu me meti no meio.

- Puta que pariu, da próxima vez me enfiem no meio desse beijo por favor - Jongin falou, puxando uma cadeira e sentando-se.

- O maior hétero que você respeita - Sehun falou, debochando.


***


Bufei pela terceira vez seguida, tentando fazer com que Chanyeol notasse meu incômodo ao lhe ver mexendo no celular, enquanto deveria estar interagindo conosco e comentando ou, pelo menos, prestando atenção no filme.

O que me deixava com mais raiva, era o fato de eu saber muito bem, a pessoa com a qual ele estava conversando. Eu nunca fui de sentir ciúmes, mas dessa vez foi incontrolável.

- Chanyeol? - Chamei.

- Hm?

- Solta esse celular.

- Uhum.

- Presta atenção no filme.

- Uhum.

- Paga um ano de Apple Music para mim?

- Uhum.


Revoltado, puxei o celular de sua mão.


- Você não está prestando atenção no que eu 'tô falando! - Exclamei, vendo um Chanyeol revoltado e tentando tirar o celular da minha mão.

- Eu tô conversando com alguém. Me dá esse celular! - Ele continuava tentando tomar o celular de minhas mãos, porém eu o escondi atrás de mim.

- Eu sei muito bem com quem você está conversando! Mas poxa, custa deixar o celular de lado enquanto a gente tá aqui? - Gritei, ficando com, cada vez mais, raiva dele.

- Tá querendo atenção, é? Porra. Então me deixa em paz e vai arranjar alguém pra te comer!


Eu arregalei meus olhos quando Chanyeol falou isso. Fiquei completamente estático e em choque. Até os outros, que haviam parado de prestar atenção no filme há muito tempo, não souberam o que falar diante daquela situação.

Minha respiração ficou pesada e antes que eu pudesse perceber, lágrimas brotaram em meus olhos, mas eu me controlei ao máximo para não desabar ali.

Chanyeol esboçou uma expressão de culpa e tentou balbuciar algumas palavras, porém eu apenas peguei meu celular e minhas chaves que estavam jogadas na mesa de centro e saí do apartamento sem olhar para trás.

Chanyeol tinha a incrível capacidade de me deixar na merda.


Cheguei em casa trancando a porta e jogando, que havia em minha mão, no chão.


Aquela era última coisa que eu esperava de Park Chanyeol.


Por algum motivo eu não conseguia chorar, eu só conseguia sentir raiva. Uma raiva tão intensa que eu podia sentir meu sangue fluindo para meu rosto, fazendo com que eu sentisse minhas bochechas e orelhas queimando.


Para, só então, chorar incansavelmente.


Eu já estava me acalmando quando comecei a sentir algumas pontadas em minha barriga, comecei a me sentir tonto e um enjoo fortíssimo se apoderou de mim. Vomitei tantas vezes naquela noite, que fiquei o tempo inteiro no banheiro, me dividindo entre chorar e vomitar.  

Quando parei de vomitar, me levantei e cambaleei até a sala, onde tentei ligar para o 1° número da discagem rápida, que sequer me importei em lembrar quem era. Liguei o máximo que pude porém eu não consegui. Tentei o 2° número, que só atendeu depois de 4 toques.


Baek? Você está bem?” - Falou a pessoa que pude identificar como sendo Yixing.

Xing… Vem aqui em casa por favor…- Foi a única coisa que consegui falar, pois tudo começou a girar e eu deixei meu celular de lado, sem me importar com Yixing, que provavelmente estava falando sozinho.


Saí porta afora e entrei no elevador, apertando todos os botões, por não conseguir visualizar corretamente o que havia em cada um e esperando que a voz eletrônica me avisasse qual deles era o térreo.

Quando a porta do elevador abriu eu só pude dar alguns passos antes do síndico vir em minha direção, falando coisas das quais eu não entendi corretamente.


***


Acordei sentindo uma movimentação estranha ao meu redor. Pisquei lentamente para acostumar meus olhos com o ambiente claro e identifiquei o mesmo como sendo o hospital. Me remexi, porém senti uma dorzinha no meu braço, no qual havia um acesso, pelo qual eu "tomava" uma bolsa de soro.
A enfermeira me deu um "Bom dia" simpático e disse que iria avisar ao médico que eu havia acordado. Eu apenas assenti, tentando assimilar a situação. A minha hipótese mais válida era a de que Yixing ou Taegyun, o síndico, haviam me trazido para o hospital.

Por esse motivo, eu não me surpreendi ao ver Lay entrando no quarto onde eu me encontrava, acompanhado do médico.


O que me surpreendeu foi o olhar de Yixing sobre mim.


- Você está bem, Sr. Byun? - Perguntou o médico, pegando meu prontuário e escrevendo algo.

- Sim… Tem algo de errado? - Perguntei, incomodado com o clima apreensivo que estava instalado no ambiente.  

- Você tem uma infecção, o que explica os vômitos e as náuseas que tem sentido. Porém o que está afetando o bebê, é o estresse - Eu arregalei os olhos quando ele falou a palavra bebê e olhei para Yixing desesperado, que mantinha sua face impassível.


E, naquele momento, eu percebi que ele já sabia.


Suspirei pesadamente e pedi que o médico saísse por alguns instantes, para que eu pudesse conversar com Yixing a sós.

- Por que você nunca me falou? - Yixing quebrou o silêncio que havia se instalado no quarto.

- Eu mal consegui processar essa notícia ainda, eu nem sei se eu vou realmente ter esse filho. Você consegue imaginar a bagunça que eu estou ultimamente? - Falei exasperado.

- E nada melhor do que ter alguém para te apoiar nisso. Eu pensava que você confiava em mim - Yixing falou, com uma expressão decepcionada - Quem é o pai?

- Eu confio em você mais que tudo. Você pode ter plena certeza disso, mas eu precisava de um tempo para processar isso também - Suspirei cansado - Eu não posso falar quem é o pai. Não antes de falar para ele.

- O quê? Você ainda não falou com ele? Baekhyun, você nunca fez sequer uma ultrassom para ver se essa gravidez é segura e você tem quase dois meses! - Ver Yixing gritando comigo daquele jeito fez com que eu me sentisse a pior pessoa do mundo.


Eu realmente era um amigo tão ruim assim?


Yixing começou a pedir desculpas freneticamente assim que eu comecei a chorar. A expressão de culpa em seu rosto apenas fazia com que eu chorasse mais e eu só pude me acalmar quando ele se sentou na cama e me puxou para um de seus abraços que tinham a incrível capacidade de fazer com que eu me acalmasse em poucos segundos.

- Me desculpe, Bae - Ele afagou meus cabelos e encostou seu queixo em meu ombro - É só que eu estou tão chocado. Eu nem consigo imaginar como você deve estar. Se você quiser ajuda para contar para o pai, seja lá quem ele for, eu posso ir, te dar apoio moral, sei lá. Tudo que precisar eu posso te ajudar. Se quiser ajuda financeira, qualquer coisa, você sabe que pode contar comigo, não é? - Eu assenti e ele se afastou de mim, me dando um sorriso calmo -  Chanyeol me ligou perguntando por você, então eu falei que você está aqui. Ele provavelmente deve chegar em alguns minutos.


Eu definitivamente iria contar dessa vez.


Quando Chanyeol entrou no meu quarto, ele parecia completamente desesperado ao ver meu estado.

- Baekhyun pelo amor de deus, me desculpa! Eu estava no encontro quando você me ligou e como eu ainda estava com raiva eu não atendi. Mas como você ligou tantas vezes eu comecei a ficar preocupado e quando eu cheguei em casa e te liguei você não atendia, eu fiquei tão preocupado - Chanyeol falava rápida e desesperadamente e eu mal pude entender as coisas que ele falou.


Minhas mãos estavam suando e eu mal conseguia conter minha ansiedade do que eu estava prestes a falar para Chanyeol.


Eu nunca fui uma boa pessoa para dar notícias.


Eu nunca sabia escolher quais as palavras certas a serem usadas. Eu não possuía sequer a capacidade de preparar as pessoas psicologicamente para a notícia, eu apenas as despejava e tentava consolar a pessoa depois, caso a notícia fosse ruim.
- Chanyeol - Chamei, interrompendo seu falatório incessante. Quando obtive a atenção desejada eu continuei: - Você se lembra da noite na boate?


Ouvi um suspiro e a resposta foi o que mais me deixou surpreso.
- Sim - Ele falou e não precisou falar mais nada. O olhar dele me dizia que ele se lembrava de tudo, assim como eu.
- Eu estou grávido - Falei, respirando pesadamente e com medo de como ele reagiria.


Ele arregalou seus olhos e tentou balbuciar algumas palavras, mas não falou nada que tivesse sentido.
- E eu sou o pai? - Perguntou, completamente em choque, era nítido em sua voz.


Quando eu assenti com a cabeça, ele foi até a poltrona e se sentou, apoiando os cotovelos na perna e a cabeça nas mãos. Longos segundos de silêncio se seguiram após isso.
Nenhum de nós fazia ideia do que dizer naquele momento, era simplesmente inacreditável demais que nós dois, melhores amigos há anos, estivéssemos numa situação com aquela.

- O que nós devemos fazer? - Perguntou Chanyeol, me tirando de meus pensamentos.

- Eu não faço ideia, Chanyeol - Olhei para si e percebi que ele também me encarava - Eu não acho que eu tô preparado para isso.

- Nem eu.

- Então o que eu faço? Eu devo abortar? - Vi ele arregalar os olhos com a minha sugestão e negar com a cabeça rapidamente.

- Não vamos tomar nenhuma decisão precipitada. É isso que você realmente quer? - Eu neguei com a cabeça - Então você não vai.

- E você ?

- Você sabe que eu sempre quis ter filhos. Não exatamente desta forma, mas quem melhor do que meu melhor amigo? - Eu me permiti abrir um sorriso com a última frase, assim como ele.


Ele se levantou e andou até a cama, onde se sentou e me abraçou forte.
- Eu nunca te abandonaria em um momento desses. Essa criança vai ter o melhor pai do mundo, no caso você - Falou ele, sorrindo.
- Ah tá - Me afastei de si e empurrei seu ombro com o meu.
- É sério, eu tenho certeza de que você vai ser um ótimo pai - Sua expressão estaria séria, se ele não estivesse reprimindo um sorriso sem muito sucesso.
- Nossa, é tão estranho conversar sobre isso.
- Eu acho que posso me acostumar - E após falar isso, Chanyeol deu o sorriso mais lindo que eu havia visto.


"Eu acho que posso me acostumar"

- Baek? 

- Hm? - Olhei para si, esperando sua fala.

- Desculpa, por ter sido um idiota com você ontem. Eu estava com um pouco de raiva de você, porque eu sabia que você estava escondendo algo. Eu não esperava que fosse isso, claro. De qualquer forma, me perdoa?

Naquele momento eu descobri que, querendo ou não, eu sempre perdoaria Paek Chanyeol.


Notas Finais


oi rs
eu agradeço todas as sugestões e críticas nos comentários do cap passado ❤ Eles me ajudaram muito e eu até mesmo cheguei a alterar o planejamento da fic, por conta de novas ideias que surgiram.
Tô gritando que estamos em quase 400 favoritos (falta 1 fave p 400 socorrooooooo) amo vcssss ❤ e fico mt feliz ao ver que estão gostando da fic
Minhas aulas vão acabar na próxima semana, então a partir daí eu vou começar a me dedicar mais à fic e eu estou planejando uma outra fic, mas que ainda não tenho muita certeza
de qualquer forma, a minha prioridade é essa fic que é meu xodó ❤
Até o próximo cap gente
beijobeijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...