História Unidos pela maldição de viver - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Kia-sama

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 1.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpa a demora nós tivemos uns probleminhas, afinal nós temos vida tbm😂😂😂

Capítulo 6 - Um mundo enfeitado com palavras


Fanfic / Fanfiction Unidos pela maldição de viver - Capítulo 6 - Um mundo enfeitado com palavras

P.O.V Seiji

 

  Tomoharu se parado por várias garotas, eu puxei Azuka para dentro da escola, aquela cena me fazia sentir segurando vela, então adentrei a escola com Azuka e lá fomos a diretoria, notei que ela estava indo sem resistência então, me virei e vi que ela estava basicamente dormindo me pé.

Eu estalei os dedos na frente dela, mas não obtive resposta. Eu a coloquei sentada em um banco próximo e a acordei, ela estava bêbada de sono.

-Huh?-Ela levantou a cabeça esfregando os olhos.-Onde eu… ah, oi Seiji…-Ela olhou para mim ainda acordando.-Você não podia me deixar dormindo?-Ela perguntou um pouco mal-humorada.

-Não, estamos no meio da escola e temos que buscar alguns papéis na diretoria e Azuka eu realmente espero que você não vá para lá fazer alguma coisa que não seja buscar papéis.-Eu disse me levantando.

-Então eu esperaria sentada por isso.-Ela falou com um sorriso perverso no rosto.

-Hiroshi vai adorar saber disso.-Eu falei enfatizando o "adorar" e devolvendo o sorriso.

-Ok ok eu prometo não ser expulsa.-Eu olhei para ela como se dissesse "e mais o quê?"-Nem suspensa.

-E não vai levar advertência.-Eu disse puxando ela para a diretoria.

-Ok...-Ela disse de má vontade.-Eu estou com fome!-Ela falou com raiva.

-Pega.-Eu joguei um biscoito de chocolate que fez Azuka sorrir.

-Se livrou de um longo dia.-Ela falou abrindo e comendo o biscoito.

A garota me segui devorando sem dó o biscoito, não a culpo, ela não tomou café da manhã.

Continuamos andando pelo lugar até chegarmos na diretoria bati na porta esperando alguém me chamar.

-Entre por favor.-A voz disse.

Entrei e conversei calmamente com o diretor, que nos deu os horários.

-Seiji Miyazaki e Azuka Matsuri.-Ele olhou os papéis procurando nossos horários.-Aqui está, sejam bem vindos.-O diretor falou nos entregando os horários.

Nos retiramos da sala, eu puxando Azuka e Azuka comendo o biscoito.

Chegamos a sala onde teríamos matemática.

As cadeiras eram dupla então sentamos, convenientemente, lado a lado.

O professor chegou alguns minutos após.

Azuka estava dormindo, e eu estava lá cuidando para que ela não fosse para a diretoria e consequentemente para a sala de Hiroshi.

P.O.V Tomoharu

Após aquele maldito sinal tocar, fui arrastado pela multidão de meninas que se formou ao meu redor. Pensei em sumir uns instantes mas, Azuka e Seiji me matariam, então pelo bem da minha existência astral, vou para a sala.

Andei pelos corredores ignorando a multidão ao meu redor, logo, fui ignorado por elas. Andei calma e lentamente pelo corredor, subi as escadas e cheguei a sala. O professor não havia chegado, me pergunto o que Azuka está fazendo…

Acho que Azuka acertou minha cabeça com muita força recentemente…

Abri a porta e sentei-me na última carteira logo as garotas novamente se aproximaram, eu queria fazê-las pegarem fogo.

Ótimo, o professor chegou.

P.O.V Seiji.

P.O.V Azuka

A aula de matemática passou bem rapidamente, ignorando o fato de que eu a passei dormindo.

Logo começou o recreio e todos os alunos saíram atropelando uns aos outros pela porta.

Puxei Seiji pronta para assalta-lo. Ele ficou meio confuso e com raiva da minha atitude.

-Ah! Agora você resolve acordar?-Ele perguntou ironicamente.

-Você sabia que isto ia acontecer. Matemática é uma...-Eu disse mas, foi interrompida por Seiji que tampou minha boca com a mão me impedindo de completar a frase.

-Essa foi por pouco…-Ele suspirou aliviado e tirou a mão de minha boca logo vi então, o professor que por ali passava.

-Vamos para a cantina!-Eu puxei ele que se surpreendeu.

Puxei ele até a cantina e o fiz comprar nossos lanches.

Fui até o jardim e deixei ele e Tomoharu sozinhos, ignorei Tomoharu por simples orgulho.

O jardim era tão calmo… nele haviam roseiras vermelhas e brancas… não havia ninguém por perto, apenas uma menina, que julgo ter 12 anos, sentada em um banco lendo.

Me levantei e fui de encontro a ela. Ela estava lendo um livro e nem me notou chegando.

Ao chegar, abaixei seu livro a surpreendendo.

Era uma garota de cabelos médios e castanhos, olhos também castanhos e óculos vermelhos.

-Huh?-Ela olhou para cima confusa.

-Posso ficar aqui?-Perguntei gentilmente.

-Bom,-Começou ela com um sorriso calmo.-Nada lhe impede disso.-Ela continuou calmamente.

Eu sentei-me ao seu lado e perguntei a ela o livro que lia.

-Que livro está a ler?-Eu perguntei olhando para ela que riu e me mostrou a capa.-Coração de tinta? É um belo livro.-Eu menti para impressiona-lá.

-Não conhece o livro.-Ela desmascarou-me me surpreendendo.-Pode lê-lo. Eu já o li muitas vezes.-Ela continou calmamente.-Pode me entregá-lo quando acabar.

-A propósito eu me chamo…-Logo fui interrompida por ela.

-Azuka.-Ela respondeu.

-Como sabe?-Perguntei curiosa.

-Durmo no quarto ao lado.-Ela respondeu me surpreendendo.-Eu já ouvi as brigas que você tem com Tomoharu. Devo admitir, que é cômico seus desentendimentos.

-O que faz aqui? Tem escola na base.

-Bem, não me sentia bem lá. Como um peixe fora d'água.-A garota falou voltando seus olhos para o livro.-Os livros são algo tão impressionantemente simples, quando eu morrer, espero que não seja em uma biblioteca.-Azuka ficou um tanto desconcertada com a frase.

-Por que?-Perguntou ela sorrindo de nervosismo.

-Por que está nervosa? Nós duas sabemos que isso vai acontecer algum dia. E o fato de não querer que aconteça em uma biblioteca se dá porque os livros carregam um mundo inteiro dentro deles, imagine o que aconteceria se o mundo se manchasse de sangue?-A garota falou tão calmamente um assunto tão fúnebre que Azuka ficou um pouco assustada.

-É um belo pensamento.-Azuka conseguiu dizer algo.

-Não é. É apenas um pensamento comum, se procurar achará alguém com a mesma opinião.-Disse a garota com os olhos intactos no livro.

-Afinal pequena, como se chama?-Azuka perguntou querendo mudar logo de assunto.

-Korya.-Ela respondeu voltando os olhos castanhos para Azuka.

-É um belo nome.-Azuka sorriu.

O sinal do recreio soou como como o comando de uma execução, Azuka não havia comido nada, em um ato surpreendente, Korya esticou a mão com um doce na mão.

-Pode ficar, prefiro chocolates.-Azuka pegou o doce e comeu.

-Mas é chocolate.-Azuka retrucou.

-Exatamente.-Ela falou deixando Azuka confusa.

-Bom, acho melhor ir pra sala.-Azuka disse se levantando.

-Concordo.-A pequena garota se dirigiu ao prédio um pouco distante.

A mentira é apenas uma das várias maneiras de se contar uma verdade.-Korya.


Notas Finais


Fiquem com essa porcaria.
Desculpa se estiver muito ruim 😅😅😅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...