História Universo apaixonado - Eadlyn e Kile - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens Eadlyn Schreave, Kile Woodwork
Tags Amor, Casamento, Contrato, Eadlyn, Filha, Kile, Marid, Romance
Exibições 47
Palavras 1.507
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero realmente que gostem!
Eadlyn e Kile, mesmo não tendo acontecido nos livros, ainda é real para mim *alerta trouxa* hahaha
Mas enfim!
Prometo postar pelo menos um por semana, mas eu estou de ferias então pode sair dois ou três também dependendo ok?
PS: fanfic postada no nyah também!

Capítulo 1 - Prólogo


Eadlyn Schreave P.O.V.

- Eadlyn onde vai com toda essa pressa? – ouvi minha avó perguntar. Amberly Schreave uma mulher já avançada da idade, com cabelos escuros já aparecendo fios brancos mais ainda era bela. Tinha voz calma e sempre graciosa.

- Tenho um trabalho da faculdade e queria terminar o mais rápido possível para não deixar para última hora – eu explico paciente parada a sua frente.

- Mas tenho certeza que tem um tempo para tomar um chá com sua velha avó – ela disse sorrindo e suspirei.

- Sempre tenho um tempo para minha avó nem um pouco velha – digo me sentando a sua frente, onde ela sempre toma chá da tarde.

- Sempre muito boa Margarete! Mas me diga tem se interessado por alguém? – ela me chamou pelo terceiro nome, odeio quando faz isso.

- Vovó! Você me parou apenas para perguntar sobre minha vida amorosa?

- Ah claro que não. Mas está na minha pauta de conversa – ela disse muito sensata.

- Não vovó, a senhora sabe que eu estou me ocupando com a faculdade – respondeu sem graça.

- Então tudo bem... pode ir fazer seu trabalho – ela me dispensou.

Então eu me levantei beijei sua testa que sorriu carinhosa e quando estava subindo as escadas chamou minha atenção mais uma vez.

- Querida! Apenas quero lhe lembrar que as pessoas dessa casa fazem de tudo para o seu bem – ela disse e tento entender o que aquelas palavras significam.

- Como?

- Nada não, acho que estou ficando muito louca – ela ri e se levanta saindo do meu campo de visão.

Esqueço aquelas palavras, as vezes vovó não fala coisa com coisa. Obvio que todos da minha família queriam o meu bem, mas porque vovó Amberly me lembrou disso do nada? Foi estranho, mas era melhor não pensar muito.

Tomei um banho coloquei uma roupa confortável e comecei a fazer o meu trabalho para a aula de designer. Eu estava fazendo moda, não que eu fosse seguir carreira já que eu sou filha de Maxon Schreave um dos maiores empresários da cidade. Éramos famosos e ricos e eu... bom eu teria que me contentar com algum casamento arranja e ficar sendo dona de casa como minha mãe.

Quando percebi já era sete horas da noite. E minha mãe entrou no meu quarto. Ela era América Schreave uma ruiva elegante, alta e sempre de postura reta com um sorriso brilhante.

- Querida eu e seu pai queremos falar com você.

- Cadê o papai? – perguntei já que só ela tinha entrado no quarto.

- Se arrume e vá para o escritório – ela disse simples. Sorriu e saiu mais rápido do que entrou.

Não sabia direito o que vestir, até porque estávamos em casa. Mas obedeci. Coloquei um vestido simples, solto e um salto. Porque eu amo saltos. E desci para sala principal, encontrei minha mãe, minha avó, meus tios Marlee e Carter que moram conosco, e meus irmãos Kaden e Osten. Eles têm 25 e 24 anos respectivamente. Eu tenho 22 sou a mais nova. O mais velho já é casado.

- Linda como sempre – tia Marlee falou.

- Olha quem fala – digo sorrindo. Tia Marlee era sinônimo de perfeição. Loira de um corpo divino e um sorriso radiante.

Vovó dá uma risada gostosa do tipo “como eu aguento elas ainda”.

- Vai no escritório Eadlyn é importante – ela disse em seguida.

Estava ficando preocupada. O que do nada ficou tão importante. Ontem estava tudo bem, mas agora todos estão meio apreensivos. Com medo da minha reação de alguma coisa.

- Com licença – peço entrando.

- Querida. Como está? – meu pai perguntou se levantando. Ele é lindo, um corpo forte e uma voz que sempre me acalmou. Ele sempre foi meu chão, sempre esteve ao meu lado, meu pai era Maxon Schreave poderia ser o maior magnata da cidade, mas sempre será o meu pai que cozinha biscoitos, péssimos, diga-se de passagem, para mim quando era criança. Que me consolava e me mimava.

- Um pouco curiosa – confesso. Ele ri.

- Então vamos acabar com esse suspense. Sente Eadlyn!

Meu pai e minha mãe ficaram lado a lado e ela segurou sua mão. Eram fofos, tiveram a sorte de se apaixonarem. E conseguiram ficar juntos.

- Eadlyn eu tenho que te contar uma coisa e peço calma – ele começou. – Lembra-se da nossa conversa sobre casamento? – e eu assinto. – Ótimo! Bom você vai se casar!

- Mas pai eu só tenho vinte e dois anos. O senhor disse que seria depois dos vinte e cinco! – falo me levantando.

- Eu sei, mas os planos mudaram!

- Os planos mudaram? OS PLANOS MUDARAM! O que poderia mudar que é mais importante que a minha felicidade? – perguntei exaltada.

Eu sabia que teria que me casar, com alguém que eles escolhessem, tinha aceitado aquilo. Mas eu ainda tinha três anos de liberdade. Não estava pronta!

- Filha...

- Não mãe. Vocês prometeram – relembro a promessa e o abraço na tentativa de convencê-lo.

- Sinto muito, mas já está decidido – ele fala firme.

Me afasto e começo a chorar. Eu ia me casar e me ver presa a alguém que nunca vi, não sei quem é ou se será gentil. Eu estava furiosa e com muita raiva. Tinha planos ainda, talvez viajar, trabalhar em alguma empresa de moda. Tinha tantas coisas para se fazer e agora elas estão adiadas para sempre.

Me recuperei apenas para perguntar quem era.

- Kile!

- Não! Qualquer um menos ele – digo chocada.

- Pensei que ficaria feliz vocês sempre foram amigos – minha mãe fala.

- Por isso mesmo nos erámos amigos, praticamente irmãos e não o vejo a dois anos! E querem me casar com ele? – estava omitindo uma grande parte da nossa história, mas não iria revelar que nós tivemos um caso e ele simplesmente sumiu por dois anos, não me ligou, não atendeu minhas ligações. Simplesmente desapareceu. E eu o odeio por isso.

- Eadlyn odeio ser duro mas já está decidido!

- Mas pai por que me casar assim do nada? Kaden e Osten são mais velhos e não estão casados!

- Eadlyn não vou discutir com você! Kile já estava voltando para o noivado e acredite o casamento ocorrera em menos de um mês! 

- ONDE ESTÁ O MEU PAI? – escutei a voz de Ahren. E simplesmente corri.

Ele estava entrando na sala e sua esposa Camille vinha atrás segurando sua filha. Atravessei a sala e me joguei nos braços do meu irmão. Sempre me protegeu de tudo e de todos ele tinha que ficar do meu lado.

- Ahren faça alguma coisa! Eu não quero me casar agora! – pedi.

- Calma e vou conversar com ele – ele disse me abraçando.

- Ahren – meu pai o chamou.

- Pai você não pode fazer isso, Eadlyn ainda só tem vinte e dois anos! – ele tentou argumentar. – Kile é meu melhor amigo, com todo respeito tia Marlee e tio Carter. Mas casar ele com Eadlyn, eles são praticamente irmãos!

- Concordo com Ahren – disso Kaden com Osten os apoiando. Tive um pouco de esperança.

- Ahren, Kaden e Osten! Os três no meu escritório – papai falou sério e os três entraram.

Normalmente eu correria até Camille para pegar a pequena Eva. Eu adorava ficar com a mais nova integrante da família, ela tinha três meses e era uma alegria, mas não estava com disposição e ninguém ousou falar comigo enquanto eles estavam no escritório.

Depois de uns cinco a dez minutos eles saíram e Ahren parecia derrotado.

- Desculpe Eadlyn, mas você vai se casar!

- Vai ser melhor assim!

- O que vocês sabem que eu não sei? – perguntei me levantando, mas ninguém me respondeu. – Ótimo – disse com todo o meu cinismo. – Mas não espere que eu sorria no altar!

E assim corri para o meu quarto chorar pelo resto da noite. Porque eu ainda tinha esse direito. Entendam eu estou brava por casar cedo, sim, mas estou mais brava inda por ser Kile.

 Dois anos atrás, ficamos por uns meses. Beijos, pegação e palavras de carinho foram trocadas, eu estava apaixonada, não me importo dele ser praticamente meu irmão, porque crescemos juntos e vivemos juntos desde sempre. Mas porque de um dia para o outro ele sumiu, simplesmente tia Marlee disse que ele tinha ido para a Alemanha. E por lá ele ficou até agora, ele não me ligou e não atendeu minhas ligações, nem mensagens. Nada!

Tive que sofrer calada, pois ninguém sabia do nosso pequeno romance.

Kile Woodwork P.O.V.

Tio Maxon me ligou, explicou muita coisa, falou muita coisa e pediu muitas coisas. Mas no fim eu estava feliz, eu ia me casar com Eadlyn, a única pessoa que já amei e finalmente teria em meus braços. Provavelmente ela me quer morto pelo que fiz nesses dois anos, mas fiz porque a amo, não queria sofre e não queria vê-la sofrer. Fugi como um covarde, mas era o melhor a se fazer e agora, agora tudo mudou!

E vou provar para Eadlyn que ela pode confiar em mim.

 


Notas Finais


Por favor não esqueça de comentar... isso é muito importante! Quero saber quem são vocês!
Beijinhos até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...