História Universo conspira contra nós - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Bia, Castiel, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Laço, Sophia, Universo
Exibições 87
Palavras 1.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


1° trolei minha amiga com o cap de hoje XD.
2° bati a minha meta de 20 favoritos em menos de 10 cap. Obrigada pessoal ❤.
3° li uma fanfic ótima chamada Etherious Natsu Deagneel (recomendo).
4° zerei meu jogo favorito.
como não ficar feliz? Melhor presente que podia receber hoje *----*
BOA LEITURA PESSOAL

Capítulo 8 - Infância


Fanfic / Fanfiction Universo conspira contra nós - Capítulo 8 - Infância

Devo ter perdido o pouco de sanidade que tinha em concorda vir pra cá, só tinha lembranças daquele dia em que precisei me esconder para não ter um triste fim pelas mãos da Debrah.

A única diferença era que dessa vez a casa estava super limpa, e tenho certeza de que não foi ele que arrumou, mas a cena de Castiel com uma vassoura nas mãos limpando a casa era muito engraçada, não resisti a dá um sorriso nasal.

 

- Sobe pro quarto, é a da direita, vou arrumar alguma coisa pra gente comer - disse entrando na cozinha, o segui a passos lentos. A cozinha era bem grande também, toda mobiliada com mesa grande no centro, muito bonita por sinal.

- A gente não pode ficar na sala? - falei apreensiva sobre ir para o quarto dele.

- A tv quebrou a uns três dias, então se quer ficar, vamos falar sobre seu passado - disse sumindo na mesa apoiando os braços na mesma.

- Por que ainda insiste nisso? - quase todo dia ele dava indiretas sobre o assunto, e eu sempre saia pelas beiradas, esse assunto era um pouco delicado, mesmo confiando um pouco em falar disso com ele, não gostava de lembra.

- Te conhecer melhor, você sabe. - disse sorrindo.

- Conte algum sobre você, que conto sobre mim. - falei puxando uma das cadeiras e sentando a sua frente.

- Da minha infância? - balancei a cabeça afirmando e continuou - lembro de brincar com uma prima até uns 4 ou 5 anos, depois ela sumiu sem explicações, meus pais desde aquele tempo não eram muito presente, e assim as vezes a minha tia vinha cuidar de mim, a melhor coisa que me deram foi o Dragão recém-nascido aos 10 anos. A parti daí conheci o Lys, Debrah e mais um pessoal da escola, tinha bastante brigas com o Nathaniel e Kentin por sempre ganharem nos jogos quando faziam dupla, e o Lys, o Armin e o Alexy separava os três. Você provavelmente não conhece o Nathaniel, kentin, Armin e Alexy porque não de outras turmas, mas são bem legais. - falou sorrindo de canto, com certeza tinha boas lembranças da infância.

- E quando pintou o cabelo? - falei encarando o mesmo.

- Quando tinha uns 15 anos por causa de uma aposta que perdi, mas acabei gostando e deixei assim. Sua vez. - soltei um suspiro longo, tentando pensar por onde começar.

- não lembro de nada de antes do orfanato, parece que as melhorias evaporarão desse tempo. As mulheres que cuidavam da gente eram bem legais, menos a supervisora que parecia uma bruxa. Fiquei próxima a diretora depois de alguns anos e.... por causa disso.... Todo dia alguns garotos puxavam meus cabelos, chutava, dava murros ou tapas - dei uma pausa soltando um longo suspiro e continuei - tinha medo de contar pra diretora, sabia que ia ser pior, achava loucura que tantas crianças pudessem fazer uma coisa dessas, por causa disso tentei fugir quando tinha 9 anos, mas um dos garotos me pegou no flagra e contou tudo a supervisora, que me deixou de castigo por umas duas semanas limpando o chão dos corredores. Quando completei 15 anos praticamente implorei pra diretora deixar eu sair, estava insuportável ficar lá, e depois da tentativa tinham piorado, faziam de tudo pra ficar de castigo. Ainda bem que a diretora deixou e conseguiu uns papeis pra poder me emancipar, sabia que era errado, mas ela entendia meu lado depois que contei, tive que implorar pra não fazer algum com eles também por medo de virem atrás de mim. Deste então mudei pra essa cidade, comecei a trabalhar na cafeteria pra poder pagar o lugar em que fiquei antes de achar aquela casa, que por sorte a dona alugou por um bom preço com alguns movei, na noite do dia em que foi pra casa encontrei a Light lá grandinha em uma caixa de papelão, não resistir e a levei pra casa, e é a melhor companheira que poderia ter. Na escola entrei depois de consegui a casa, e o restante você já sabe...

 

Ficamos um tempo em completo silencio, abaixei a cabeça tentando disfarça as poucas lagrimas que insistiam em sair, segurei o choro o máximo que pude, não queria mais chora por causa do passado ainda mais na frente de Castiel.

Levantei da cadeira um tanto triste, quis ir embora e fica ao lado de Light, senti medo dele rir de mim e achar que era merecido, mas o que ele fez foi bem o inverso. Ele me abraço forte, correspondi colocando os braços na sua cintura e a cabeça em seu peito, eu precisava daquele abraço, sentir que estava protegida de todos.

Depois de um bom tempo nos soltamos, ainda sem uma palavra, ficamos nos encarando por um momento até senti seus lábios novamente nos meus, com suas mãos agora em meu rosto e as minhas ainda em sua cintura. O gosto de hortelã que sentia era incrivelmente viciante, seus lábios eram viciantes, me cedi ao desejo de sentir sua boca mais uma vez, mesmo sendo errado e que pudesse me ferrar muito, mas eu os queria e não podia esconder isso de mim mesma.

Diferente dos outros que eram puros, calmos e cheios de ternura, esse era feroz, com desejo e luxuria de ambos, sentia como se pudesse ir aos céus e voltar apenas com esse beijo, sentia meu corpo ferve por dentro e tenho certeza de que não era a única.

Nos separamos MUITO ofegantes um do outro, mantendo nossas testas coladas, dava pra sentir sua respiração pesada. Ousei abrir os olhos e vi que o mesmo também tinha aberto, seus olhos brilhavam, suas pupilas estavam delatadas e o rosto um pouco avermelhado, com certeza não estava muito diferente dele.

Afastamos um do outro evitando o olhar, toda coragem que tinha para olha-lo parecei ir embora sem aviso prévio. Sentia meu rosto arder e ao mesmo tempo que queria sair correndo, queria sentir seus braços me aquecerem novamente, o que estava acontecendo comigo?

 

- O quarto de hóspedes é o da direita - disse se pronunciando, continuei evitando olha-lo, não sabia o que era capaz de fazer. - eu vou pro meu, qualquer coisa fala comigo, se tiver fome pode pegar, boa noite.

 

Assenti sem dizer uma palavra. Depois dele sair, eu fui para o quarto como ele disse. O quarto era bonito, grande como toda a casa, tinha uma cama de casal no canto, um guarda roupa, uma mesinha de centro preta com um tapete por baixo, uma porta onde provavelmente era o banheiro.

Deitei na cama pensando no que tinha acabado de acontecer. Eu literalmente me entreguei a ele por pura e espontânea vontade, gostei e retribui, sentia-me bem e protegida em seus braços, queria ficar a seu lado e não sair mais.

Ah cara, por que ele tinha que existe, por que o proibido tinha que ser tão gostoso. Estou incrivelmente fodida e não sei o que fazer. Estou me apaixonando pelo Castiel.


Notas Finais


sei que ta ficando pequeno, mas acredito que é o suficiente pra dar alguma curiosidade e poder começar bem o próximo. Ainda assim, vou tentar aumenta um pouco.

Então, o que acharam? Aceito criticas (construtivas).

Beijos de ichigo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...