História Universo de Gelo e Fogo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Daenerys Targaryen, Eddard Stark, Jon Snow, Robb Stark, Sansa Stark
Tags Game Of Thrones
Visualizações 132
Palavras 1.669
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Esse capitulo ficou um pouco mais longo do que eu gostaria (espero que não esteja chato de ler );
Nem todos os personagens da serie/livros aparecerão;

Espero que gostem!!!

Capítulo 1 - Escolhas Importantes


Fanfic / Fanfiction Universo de Gelo e Fogo - Capítulo 1 - Escolhas Importantes

                Esse seria um dia lendário, sabia que o futuro de sua casa dependia dele, cantariam canções sobre o príncipe dragão que enfrentou o veado Baratheon, dois homens que apesar de tão diferentes compartilhavam o amor pela mesma mulher. Franziu o cenho, lembrou-se de Lyana, ela estava próxima de dar à luz, não queria deixa-la, pelo contrário, a vontade de revê-la e atirar-se em seus braços era tudo que o movia desde o torneio em Harrenhal, mas para garantir o futuro deles precisava vencer Robert e acabar com a rebelião.  

A fim de evitar mais mortes desnecessárias, ambos aceitaram duelar sozinhos até a morte, não seria fácil vencê-lo, ele sabia, Robert tinha uma fama invejável por todo o continente, mas apenas um homem sairia vivo e Rhaegar estava decidido a viver.

Ao meio dia, chegaram a Ramo Verde do Tridente -o local que aconteceria o confronto- Lorde Baratheon usava um elmo decorado com os chifres de um veado e seu costumeiro martelo, cujo comprimento assemelhava-se a distância entre o pé e a coxa de um homem adulto, sem dúvida, capaz de esmagar um dorso se o atingisse, mesmo se o homem estivesse usando uma armadura. Já o príncipe lutava com uma espada de aço valiriano, uma armadura escura decorada com rubis e safiras, demostrando a grandeza e riqueza de sua casa, além de tradicional elmo com três cabeças de dragão.

Após algumas provocações de ambos os lados começou a batalha. Robert atacava sedento por sangue e o príncipe apenas desviava-se e defendia, foi assim por alguns minutos. Podia-se ouvir o estridente barulho de aço se chocando contra aço, os movimentos dos dois exalavam elegância, como que numa dança. Em um desses ´´paços``, o martelo passou rente ao braço direito do príncipe arrancando-lhe um punhado de sangue pouco a baixo do ombro, com o braço de luta do príncipe afetado, Robert aumentou a intensidade de seus movimentos, Rhaegar tentava com dificuldade se livrar dos golpes, algumas vezes a lamina escapava e lhe cortava a carne –nada muito grave- o exército rebelde comemorava, para muitos já estava certo quem venceria. Porém, para a surpresa de todos, inclusive do exército Targaryan, o qual até então estava cabisbaixo, foi notória uma melhora em relação ao príncipe, num piscar de olhos o quadro se inverteu, era Rhaegar que atacava e Robert tinha dificuldade em se defender. Apesar de forte Robert não era muito inteligente, seu martelo era muito pesado e demandava uma grande energia manuseá-lo, Rhaegar sabendo disso adotou uma estratégia defensiva nos primeiros minutos da luta para que o Baratheon se cansasse, e como o previsto não demorou muito para que isso acontecesse. O príncipe que por muito tempo observou atentamente os pontos fortes e fracos de seu oponente, aproveitou a lentidão do mesmo e ferozmente investiu na esquerda e foi assim: em meio a expressão de desespero na face de seu adversário, o unanime coro de seu exército ao fundo e movimentos que dariam inveja nos próprios deuses o nobre príncipe cravou sua lamina no peito de Robert para em seguida decapitar lhe a cabeça.

Vendo que seu maior líder estava morto, o exército inimigo bateu-se em retirada, inutilmente claro, pois logo foram cercados e rendidos, os poucos que ainda lutaram rapidamente foram mortos e os Lords Arryn, Tully e Stark foram presos.

 

                                                                                    ***

 

Ned foi posto sentado em uma cadeira, o silencio na sala permitia-o ouvir os festejos dos soldados a poucos metros fora da tenda onde estava, já era noite, estava cansado, vira mais cedo a morte do amigo que considerava um irmão, agora só restava esperar um pouco mais para se juntar a ele. Sabia o que era feito com traidores, não temia a morte, seu único lamento foi não ter conseguido justiça por seu pai e irmão brutalmente assassinados a mando do rei, e por ela, sua querida irmã Lyana que imaginava ter sido estuprada e morta pelo homem que agora era enaltecido nos versos das músicas que estava escutando, doía pensar nela, sua irmã que tanto amava, o tanto que ela deve ter sofrido, lembrou-se também do corvo que havia recebido, Lady Stark estava gravida de seu primeiro filho, um filho que nunca iria conhecer e que antes mesmo de nascer seria exposto às consequências de ser filho de um traidor, a dois dias  festejava com Robert a notícia, hoje  se encontra no final de sua vida...

Foi interrompido de seus pensamentos pela chegada do príncipe, agora limpo e com suas feridas cuidadas.

 

-Lord Stark, não posso nem imaginar o que está passando: Rhaegar

-Me poupe dessas palavras vazias, acabe logo com isso: Ned Stark

 

                Rhaegar fez um sinal com a mão e um servo serviu vinho a Ned, que olhou com receio para o copo a sua frente.

 

-Tranquilize-se, não está envenenado, não tenho interesse em mata-lo: Rhaegar.

-O que você quer?: Ned

-Primeiramente quero te pedir perdão, perdão pelo seu pai e irmão é totalmente compreensível sua revolta à coroa: Rhaegar.

-A revolta começou quando você sequestrou minha irmã: Ned

-Infelizmente houve um mal-entendido, deixe-me explicar ...:Rhaegar

-Não há explicação que justifique o que você fez. Que o rei é louco, disso todos sabemos, mas você... você era a esperança desse reino quando seu pai morresse: cortou Ned

-Eu amo Lyana!!! A amo desde o dia que a vi em Harrenhal e descobri que ela era o cavaleiro da arvore que ri- fez um sorriso no canto do rosto-não sequestrei ela... nós fugimos porque nos amamos :Rhaegar.

-Eu conheço a minha irmã, ela NUNCA fugiria com você, e mesmo se o fizesse, isso não alivia sua culpa, você já é um homem casado: Ned.

-Um casamento arranjado com uma mulher que eu não amo. Sim eu cometi um erro: Achei mais prudente esperar a hora certa para revelar a meu pai as minhas intenções com Lyana, mas acabei menosprezando a sua família. Eu esperei demais e quando finalmente tentei contar a vocês meu pai já havia feito o que fez e a rebelião já havia começado: Rhaegar.

-Do que está falando? :Ned

-Eu me casei com Lyana-nesse momento houve uma fisionomia de surpresa na face de Ned- na religião dos deuses antigos, não podia contar logo de início a meu pai, pois temi que sua paranoia o fizesse acreditar que eu começaria uma rebelião da fé dos sete por eu já ser casado: Rhaegar.

-Se o que diz é verdade porque não falou com Lord Rickard meu pai?: Ned

-Pois Lyana estava noiva de Robert Baratheon e eles iriam se casar rapidamente, eu agi por impulso: Rhaegar.

-E depois de casados, não podia nem ter mandado um corvo?: Ned

-Eu... eu... eu me esqueci: admitiu Rhaegar com vergonha da sua estupidez.

-Você se esqueceu!?!: Disse Ned com um certo grau de irritação na voz.

-Eu cometi um erro, do qual vou me arrepender pelo resto da minha vida. Eu nem devia estar aqui, queria estar com a sua irmã e nosso filho que já até deve ter nascido: Rhaegar.

-O que você disse!?!: Exclamou Ned surpreso.

-Lyana está gravida de nosso primeiro filho: Disse Rhaegar em um tom amável.

 

                Aquelas palavras aqueceram o coração de Ned, queria que o que Rhaegar estivesse dizendo fosse verdade. Pelo menos um pouco de esperança no fim do túnel.

 

-Você quer dizer o SUPOSTO primeiro filho dela, pelo que me consta você já tem dois: Alfinetou Ned.

-Sim, Rhaenys e Aegon terão mais um irmão para brincar. Sei que você preferiria que nossos caminhos tivessem levados a outros rumos, eu também, não tenha dúvidas, mas se Lyana tivesse se casado com Robert ela seria infeliz, você sabe que ele a faria!!: Disse Rhaegar como em uma suplica.

-Por que está me contando tudo isso?: Ned perguntou sinceramente.

-Porque quero que sejamos aliados: Finalmente Rheagar chegara ao ponto.

-Aliados!?!? Acho que herdou a loucura de seu pai: Respondeu Ned

-Falo sério, não há motivos para mais mortes. Jure fidelidade à coroa e permanecerá protetor do Norte: Propôs Rhaegar.

-Mesmo se eu aceitasse, meu povo nunca aceitaria. Seu pai matou Lord e herdeiro da casa Stark...: Foi a vez de Ned ser interrompido.

-Eles irão, o norte é fiel a um juramento e eles juraram seguir você e suas decisões. Por favor Ned seria o melhor para todos, sem mais vidas nortenhas ou sulistas desperdiçadas: Rhaegar suplicou novamente.

-Seu pai não aceitará: Lembrou Ned.

-Assim que eu voltar a Porto Real reunirei o conselho, afastaremos meu pai e o mandaremos a Pedra do Dragão, e eu assumirei como regente até a sua morte quando serei oficialmente coroado rei. O reinado de terror de meu pai finalmente acabará: Revelou Rhaegar.

-E quanto aos outros Lords meu sogro Lord Tully e meu amigo Lord Arryn, o que acontecerá a eles?: Perguntou Ned.

-Lord Tully só se rebelou por lealdade a você que desposou a filha dele e Lord Arryn por sua vez só se rebelou quando o rei pediu que ele lhe entregasse a sua e a cabeça de Robert e por lealdade a você. Portanto, eles podem continuar protetores das Terras Fluviais e do Vale respectivamente, tenho certeza que se você jurar lealdade a mim eles também o farão- disse Rhaegar.

- Então, o que me diz?: Perguntou Rhaegar.

 

                Ned pensou na proposta que acabara de ouvir. Pensou em Lyana e nessa história maluca que acabara de ouvir, era completa demais para ser mentira. Pensou no príncipe, ele parecia ser sensato, apesar de ter cometido erros que resultam na morte de seu pai e irmão. Isso lhe deu raiva, morreram por conta do ´´esquecimento`` do príncipe, mas por causa da morte deles, ele é o Lord de Winterfel e como tal tinha um dever com o seu povo. Não podia negar que a proposta era benéfica ao Norte. Por fim pensou em seu filho, tinha vontade de  vê-lo crescer, de ensina-lo a manejar uma espada ou de simplesmente pega-lo no colo. Estava decidido.

 

-Eu aceito sua proposta, MEU PRÍNCIPE: Respondeu Ned

 

                Se ajoelhou e fez o juramento, em seguida tomaram vinho para comemorar.


Notas Finais


Minha primeira vez escrevendo uma batalha, espero que vcs tenham curtido

Comentem se gostarem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...