História Unknown Dimension - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Ezarel, Iris, Jamon, Kentin, Keroshane, Leiftan, Lysandre, Melody, Miiko, Nathaniel, Nevra, Rosalya, Valkyon, Violette
Tags Amor Doce, Brigas, Eldarya, Fantasia, Magia, Mistério, Romance, Violencia
Exibições 124
Palavras 1.029
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa a demora... Semana de provas...

Capítulo 23 - Souplesse que prévu d'entendre


 Congelei no lugar, meu coração disparou e eu prendi a respiração, o mundo perdeu o som e agora eu só posso ver...

 Ver minha irmã deitada na cama, agonizando, se retorcendo de dor e suada. Ezarel passa por mim a passos largos e vai até ela. Quando percebo que logo perderei as forças por estar prendendo a respiração, solto o ar, o mundo volta a ter som, mas o coração continua acelerado.

 Não havia somente eu, Ezarel e minha irmã ali, mas os outros também estavam. Senti a presença deles atrás de mim, o calor de seus corpos.

 - Alma... - Criei forças para retirar os pés do chão e caminhei rapidamente até a cama de lençóis branco.

 Joguei-me na cama ao seu lado e segurei sua mão.

 - Ela está piorando... -  Ezarel segura a outra mão dela.

 - O que eles fizeram com você...? - Olhei nos olhos de minha irmã. - O que vocês fizeram com ela?!

 Levantei, avancei em direção a Nevra que está próximo a cama e soqueei ele, ele segurou meus braço.

 - Não fizemos nada.

 - E por que não me contaram?! - Puxei bruscamente meu braço e dei dois passos largos para trás.

 - Íamos contar, Angel. No momento certo, logo... - Miiko diz e se aproxima se afastando da porta.

 - Não quero saber! Eu tinha o direito... Argh!

 Voltei a atenção para Alma assim que ela geme, Ezarel passa os dedos em sua testa a acalmando, olho para ele.

 - Afaste-se dela - lanço-lhe um olhar mortal, mas ele não reage e continua ali.

 - Você não percebe que estamos fazendo de tudo para mantê-la viva? - Nevra toca meu ombro, sua voz é calma, não rude como a alguns minutos atrás.

 Não o respondo, me aproximo da cama e caio de joelho no chão chorando, meus braços estão em cima da cama escondendo meu rosto. Sinto um toque macio em meus cabelos, levanto o olhar e as mãos de minha irmã estão próximas, mais lágrimas descem pelo meu rosto, mas desta vez de certa felicidade, não completa, pois ela parece doente.

 - Alma...

 - A-Angel... - Ela pronuncia, sua voz está rouca e fraca, mas não deixa de ser suave.

 Seu tom não muda muito do meu, apenas um pouco mais agudo.

 - Venha, Angel. Melhor sair, Ezarel vai cuidar dela - Miiko se aproxima.

 - Faça isso...

 Talvez se eles estivessem tratando mal a Alma, ela não estaria em um quarto luxuoso... Talvez eu deva acreditar neles.

 - Vou fazer.

 E pela primeira vez ouço a voz de Ezarel sair em uma mistura de calma e preocupação. Levanto e saio do quarto de cabeça baixa.

 Jamon me acompanha até meu quarto e fecha a porta, deito na cama por cima dos cobertores e fecho os olhos.

 Por anos esperei um reencontro com a minha irmã, por anos achei que a reencontraria em um lugar para as almas, ou seja: depois que chegasse a minha hora de partir. Isso se eu já não estiver morta, pois lembro-me de ir dormir e depois aparecer aqui...

 Mas eu nunca imaginei que eu a encontraria em um lugar como este. Um mundo completamente diferente do que estou acostumada.

 Só queria entender o que está acontecendo... Canto baixinho uma música que minha mãe costumava cantar.

"D'où je viens le temps n'existe pas,
 Les secondes deviennent des heures,
 Les années de courts instant sitôt envolés
 Et nos mots trompeurs sont remplacés
 Par la musique et les couleurs
Qui flottent commes des parfums dans l'air ambré"
(Souvenirs D'Un Autre Monde - Alcest)

(De onde eu vim, o tempo não existe
 Os segundos se tornam horas
 Curtos anos passam voando
 E nossas palavras enganosas são substituídas
 Por música e cores
 Que flutuam como perfumes nesse ar de âmbar
.)

 - Está precisando de alguma coisa? - Ouço a voz de Miiko reçoar do outro lado da porta.

 Talvez ela somente esteja agindo assim pelo o que aconteceu.

 Abro os olhos e vou até a porta a abro e vejo o rosto de Miiko ali.

 - Vocês tem livros?

 - Temos, mas... Suponho que  você não entenda nossa língua.

 - Ok. - Dou um longo suspiro e viro-me em direção a cama novamente.

 - Tem algum que gostaria de ler?

 - Não exatamente...

 - Angel, tem um motivo pelo qual sua irmã está aqui. Será contado na hora certa...

 - E eu poderei voltar para meu mundo?

 - Não sabemos ainda...

 - Como assim? - Sento na beirada da cama.

 Ela ficou em silêncio, assenti e levei como se eu nunca mais pudesse sair daqui.

 Sem nada para dizer, Miiko sai do quarto.

...

 Dias se passaram e eu pouco via minha irmã, ela tem piorado, mas hoje parece um pouco melhor.

 Estamos sentadas na porta do QG, conversando. Ela contou-me que as criaturas dali a cuidavam e que nunca a fizeram mal.

 - Ezarel cuida de mim, já que ele cuida da alquímia. Mas até agora nenhuma de suas poções de cura parecem ter dado um... Bom resultado - ela diz com os dedos entrelaçados em cima do colo.

 Ela usa um vestido rosa claro de seda com uma camada rendada em cima, as alças são fininhas e há também um decote pequeno em V, em seus pés estão sandálias de couro marrom como as minhas, terríveis, mas... A roupa dela é praticamente a de uma humana. Duas mechas da frente de seu cabelo está trançada e puxada para trás juntando-se mais ao meio e o resto do cabelo está solto e comprido, ondulando-se nas pontas.

 - O que você tem, exatamente? - Pergunto, ainda não consigo esconder a felicidade ao escutar a voz dela.

 Alma não parece ter escutado.

 - E o Castiel?

 Castiel... Ultimamente tenho pensado muito nele. Tenho pensado muito no que Nevra disse sobre Castiel nem ao menos ligar se eu tenha acordado em casa ou não. Pensei também em sua traição... Ele havia jurado amor a mim um dia antes de contar o que acontecera... Será que realmente me ama? Será que vou vê-lo novamente para perguntar? Não tenho visto Nevra e nem ao menos perguntei onde ele estaria para ninguém.


Notas Finais


Ainda ficarei um tempo sem escrever por causa das provas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...