História Unpack Your Heart - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sons of Anarchy, The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Echo, Emori, Harry "Opie" Winston, Indra, Jackson "Jax" Teller, Jasper Jordan, John Murphy, Juan Carlos "Juice" Ortiz, Lexa, Maya Vie, Octavia Blake, Personagens Originais, Raven Reyes
Tags Anya, Clarke, Clexa, Gangue, Lexa, Sons Of Anarchy, The 100
Exibições 74
Palavras 2.849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Luta, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AAAAAAAAAAA
Oi gente!
Estou cheia das coisas para fazer mas essa história entrou na minha cabeça e não to conseguindo traduzir/escrever mais nada enquanto não colocar isso aqui no papel. Essa história tem elementos de Sons of Anarchy mas você não precisa conhecer a série para ler aqui; SoA é uma história baseada em Hamlet mas aqui tá mais para um Romeu e Julieta moderno. Não sou muito boa escrevendo humor então preparem-se para uma história mais puxada para o drama. A performance musical contida nesse capítulo é de Sara Bareilles mas na história é de autoria da Lexa, todos os direitos continuam sendo da Sara.
Todos os capítulos terão nomes de músicas e lá embaixo eu colocarei o link para vocês ouvirem e o nome da fic foi baseado na música de mesmo nome do cantor Phillip Phillips.

Capítulo 1 - Fire Away


Fanfic / Fanfiction Unpack Your Heart - Capítulo 1 - Fire Away

O sol nascente se reflete no espelho retrovisor da motocicleta, tão brilhantemente como no capacete da jovem. O orvalho lentamente pinga das folhas para o chão pronunciando o início da manhã. Ninguém a nota ali, observando as ondas quebrarem contra a praia, pensando em um futuro que não pode ter...

Ela já amou uma vez. Uma mulher de cabelos escuros, pele negra e olhos castanhos. Elas foram amigas antes de serem algo mais, a melhor maneira de começar uma relação, e provavelmente a pior para terminar uma. Alguém poderia assumir que uma era perfeita para a outra e talvez pudesse ter sido verdade, em um sonho distante. Mas isso foi antes dela se apaixonar por alguém que não existe.

Por semanas ela pensou no que isso queria dizer. Como deve ser? Se apaixonar por alguém que você não sabe que existe? Como deve parecer do ponto de vista de uma pessoa de fora? Estar num relacionamento, feliz e amando, mas você não pode sentir essas coisas?

Respirando fundo ela guardou o moleskine na mochila e colocou o capacete, recordar não traria nenhum bem. E se tinha uma coisa que seu trabalho poderia usar era a raiva acumulada em seu peito.
 

_______________________________________________________________________

POV CLARKE

A garota riu da idiotice de seus amigos enquanto tentava completar um desenho em seu caderno, todos estavam reunidos no único parque da pequena cidade de Charming. Aquele era o último dia das férias de verão antes da maioria deles começar o último ano do ensino médio, ela incluída. E por isso resolveram aproveitar a temperatura agradável do fim de tarde brincando.

— Ah, vamos lá Clarke. Não tem nenhum gatinho na mira? Por favor me diz que não vai voltar com o Finn. Eu amo o garoto, mas ele é um babaca quando se trata de vocês dois. - disse Octavia apoiando a cabeça no ombro da melhor amiga enquanto tentava enxergar o que ela desenhava.

— Por favor O., tenha mais fé em mim, não vou voltar com ele... de novo. - disse a loira com um sorriso, mostrando o rascunho do desenho do grupo todo junto, mesmo que por dentro não tivesse tanta certeza como sua voz demonstrava. Finn era um babaca, mas ela se sentia amada com ele e nas poucas vezes que ele a tratava bem, era um cara incrível. E tanto ela como a morena sabiam que era capaz dela acabar voltando com o outro.

Alguns minutos se passaram e os únicos que as duas podiam ouvir era o do lápis contra o papel e das risadas e gritos dos garotos jogando futebol americano improvisado. Até que um dos garotos se aproximou e sentou-se ao lado das duas. — Ei Clarke, nós estamos combinando de ir para Fairhaven depois da partida e ter um último dia apropriado antes do começo das aulas. - disse Monty.

Ela fez uma careta mas antes que pudesse abrir a boca para rejeitar a oportunidade ele continuou. — Nós sabemos que você tem que chegar em casa cedo, e não queremos a ira de Jax caindo sobre nós mas vamos lá, é a vinte minutos daqui e tem uns bares legais e tem a praia! Aqui nesse fim de mundo não tem nada. Por favor. - praticamente implorou o garoto. Octavia que estava meio sonolenta, acordou e abriu um grande sorriso. — Você me ganhou com a palavra Fairhaven... A cidade tem os melhores bares. E os caras mais gostosos também. - disse antes de arregalar os olhos e olhar para o irmão como se quisesse ter certeza que ele não estava ouvindo. — Só não diga pro Bel. - ela sussurrou, causando a gargalhada dos dois.

Depois de mais dez minutos o jogo informal finalmente acabou e os garotos se aproximaram. — Do que vocês tanto riam? - perguntou Bellamy de maneira curiosa enquanto bebia um pouco de água. Octavia tentou fazer sua melhor cara de anjo enquanto Monty tentava segurar a risada e Clarke sorriu. — Só estávamos comentando sobre como vai ser legal ir pra Fairhaven. - comentou antes de dar as costas para o amigo, que também se formaria naquele ano, e lançar uma piscadela marota para a amiga.

...

Uma hora depois de sair do parque, os dois carros carregando os amigos chegaram na frente de um dos bares mais movimentados da pequena cidade litorânea de Fairhaven (segundo o google maps), tinham demorado mais do que o esperado para chegar lá porque tiveram que esperar Maya acabar de se arrumar.

— Eu juro que se você demorasse mais um minuto eu ia embora sem você Maya! - disse Jasper de maneira bem humorada ao sair do carro dele, uma SUV antiga mas em bom estado. A namorada dele só mostrou a língua e todo mundo caminhou para a entrada do estabelecimento. — Tem certeza que é aqui Harper? - perguntou Clarke ao olhar de relance para o grande número de motocicletas parada na frente do lugar e também para alguns homens que pareciam ter saído de um filme de ação onde eles eram os vilões. — Sim Clarke, vamos! - respondeu a outra garota.

...

Ninguém pediu por documentos e assim que entraram no lugar puderam ouvir música tocando, não o tipo de música que faz você querer dançar loucamente pelo salão mas também não o tipo de música que te faz querer dormir. Clarke acabou ficando para trás quando seus amigos correram para reservar uma mesa. — O que uma gatinha como você está fazendo num lugar como esse? - perguntou um cara, alto, de tez cor de oliva, musculoso e vestido com roupas de couro, se aproximando demais dela. Ela deu um passo para trás e olhou ao redor, procurando pelos amigos dela e não obtendo sucesso. — Deixa a garota em paz Santiago. Já arrumou as correias da sua moto? - uma voz levemente rouca soou por detrás dela, a fazendo dar um leve pulo no ar com o susto. O rosto do homem se contorceu numa careta e ela achou que ele ia falar mais alguma coisa mal intencionada para ela mas ele só acenou positivamente, deu meia volta e saiu.

— Me desculpe por isso, algumas pessoas não tem jeito. - disse a voz feminina.

Ela se virou e encontrou o par de olhos verdes mais bonitos que ela já viu na vida. Abriu a boca para tentar falar alguma coisa mas nada saiu, isso causou uma risadinha na garota de cabelos castanhos. — Lexa. Sua vez. - disse alto uma mulher de cabelos escuros que estava atrás do bar.

Ela fez um joinha para a mulher e depois se virou para Clarke. — Seus amigos estão ali. - falou apontando para um local específico do bar antes de dar uma piscadinha para a loira e passar pelo bar, trocar algumas palavras com a mulher e sumir de sua vista.

Clarke ficou parada com alguns segundos antes de se mexer e ir até os amigos. — Onde você estava Clarke? Já íamos atrás de você. Já estava se agarrando com alguém? - disse um dos amigos dela tentando provocar uma reação dela. Ela só mostrou o dedo para Harper e tentou evitar a coloração vermelha de surgir em seu rosto.

— Com licença. Me pediram para mandar isso para vocês. - disse a mesma mulher que tinha chamado Lexa, ela carregava uma bandeja com um balde contendo pelo menos meia dúzia de cervejas. — Quem mandou essa dádiva?! - perguntou Finn. A mulher nem tentou esconder uma risadinha antes de olhar para Clarke de maneira maliciosa. — Ela. - disse antes de apontar para o palco. Qualquer coisa que os outros fossem falar ficou muda quando viu a mesma garota de antes subindo no palco que tinha ali no bar, com um violão pendurado no ombro.

...

LEXA POV

Enquanto ajeitava a correia do violão no ombro ela podia ver os membros frequentes do bar gritando para ela e mandando elogios, principalmente Raven que gostava de falar obscenidades em alto e bom som. A jovem parou de olhar para o violão e ergueu o dedo do meio na direção de qual a voz tinha vindo.

Inconscientemente ela olhou para a mesa em que a tal garota loira estava, a garota dos cabelos dourados que aparentemente não conseguia falar. Isso levou um pequeno sorriso ao rosto de Lexa. Os olhos dela encontraram os azuis da outra e por alguns segundos pareceu que aquela garota era a única presente ali. Balançando a cabeça para voltar ao planeta Terra, ela colocou o microfone na altura certa e deu duas batidinhas para testar se estava ligado. — O nome dessa música é Send Me The Moon.

Por alguns segundos ela pensou sobre como a situação era no mínimo divertido, flertando com uma garota enquanto ia cantar uma música que tinha escrito para a ex.

Os dedos começaram a dedilhar as cordas enquanto sua voz melodiosa contrastava completamente com o ambiente do lugar. O olhar surpreso da garota com o tipo de música a divertiu internamente, provavelmente devia esperar algum tipo de rock.

Holding my breath

Last one I’ve got left

'til I see you

Deliver my heart with the

Pieces and parts of me left

Every last day seemed to carry the weight

A life time

Watch from the ground

As the gold fluttered down from the sky

Ela não precisava olhar para as notas em que seus dedos passavam, já tinha tocado essa música muitas vezes. A primeira para um público, mas não é como se alguém ali fosse reclamar de qualquer coisa que ela fizesse. Talvez Raven, mas até ela tinha bom senso em relação a seu bem estar.

Lexa olhou para Anya que estava no seu lugar de sempre, balançando a cabeça levemente no ritmo da música enquanto bebericava alguma bebida louca que só ela sabia fazer. Essas raras apresentações eram uma das poucas maneiras de ser livre, ela sabia disso e Anya não a deixaria extrapolar. Afinal, não devia mostrar fraqueza para ninguém, nem mesmo para os Mayans que eram mais do que seus amigos.

Inches away from you

Scared what I’ll take from you, darling

I can live with your ghost

If you say that’s the most I’ll get

Darkness to light

Moved from day into night to be near you

Still here I stand

I am sinking like sand in your sea

Ela fechou os olhos e se deixou imergir na música, quase não se lembrava da última vez em que tinha se sentido tão livre. Depois de Costia era quase como se a vida fosse só os Mayans e mais nada. Será que olhando de onde for que estivesse ela estaria orgulhosa de Lexa?

Sweet sun

Send me the moon

Empty the skies out

Bringing me one step closer to you

Send it soon

And I will breathe in, breathe out

Until you come in and out

Of view

Of view

You already do

Todos do bar estavam em silêncio, era até uma cena engraçada ver aquele monte de pessoas com roupas de motoqueiros, com jeito de poucos amigos e cheios de agressividade quietos, observando uma garota colocando parte de si para fora em uma música.

 

POV CLARKE

— Clarke... Clarke... CLARKE! - alguém gritou, tirando a atenção da loira do palco. Ela se virou para encontrar Finn olhando para ela com jeito de poucos amigos. Ele estava inclinado em sua direção, quase invadindo seu espaço pessoal. O que não a deixava feliz, nem um pouco. Finn não podia aguentar dois dias sem flertar com ela? — O que foi Finn? - ela perguntou depois de suspirar.

— Legal né essa garota que está cantando. Porque que ela mandou bebida pra gente? - ele disse, arrastando sua cadeira um pouco mais para frente. Clarke olhou para os outros amigos, mas Harper estava ocupada conversando com Bellamy e Monty, Octavia estava ocupada babando por um cara aleatório e Jasper e Maya estavam se agarrando loucamente em um canto do bar. Colocando a mão no peito dele, para impedir seu avanço, ela olhou para o palco para notar a garota finalizando a música. — Vou lá agradecer.

Ela aproveitou e escapuliu da mesa e correu para o bar, onde encontrou a mulher que tinha levado as bebidas para sua mesa. — Oi, você sabe onde eu encontro a... Lexa? - disse, soando um pouco incerta na hora de dizer o nome da garota.

Soltando uma risada, a mulher se apoiou no balcão e olhou para Clarke como se a estivesse analisando. Depois de alguns segundos ela voltou para a posição em que estava antes e continuou a secar o copo que estava em sua mão antes de apontar para uma parte mais restrita do bar. — Obrigada.

Ela desviou dos homens meio bêbados jogando sinuca e se aproximou de uma mesa onde estava Lexa e uma mulher mais velha. — Anya, o carregamento deve ser entregue amanhã, por hoje vamos só descansar tudo bem? Não quero mais saber de nenhum...  - disse a voz da garota, sendo interrompida por um arquear de sobrancelha da outra. Quase esbarrando em uma cadeira Clarke sorriu desconfortavelmente. — Me desculpe, se quiser eu volto... - começou a falar. — Não precisa. Depois continuamos essa conversa Anya. - disse antes de dar um passo na direção da loira e indicar que ela devia seguir a mesma.

— Espero que você e seus amigos tenham gostado da rodada, não precisava vir agradecer. Tenho certeza que seu namorado deve estar sentindo sua falta. - disse ela com um sorriso, puxando a cadeira para Clarke se sentar. — NÃO! NÃO! Ele não é meu namorado... E eu não vim aqui para agradecer... quero dizer, eu vim, mas não só por isso. - ela disse rapidamente, ficando vermelha e fazendo a outra sorrir.

— Meu nome é Alexandra, mas pode me chamar de Lexa. É um prazer te conhecer... - ela disse ao estender sua mão para a loira cumprimentar. — Clarke... Clarke Griffin. - respondeu a loira ao colocar sua mão na dela. Mesmo depois do cumprimento, a morena continuou segurando a mão de Clarke por alguns segundos antes de soltá-la e chamar alguém do bar. — Vai querer alguma coisa Clarke? - perguntou ao receber a garrafa de cerveja.

— Não, obrigada. - disse, notando o olhar malicioso que a bargirl lançou na direção de Lexa e ficando levemente vermelha. — Nossa, ela já sabe o que você ia pedir. Você é frequente aqui? - perguntou, se batendo mentalmente pela falta de educação. Ela deu de ombros e tomou um gole de sua cerveja. — Pode-se dizer que sim. Esse bar é meu. Então... - respondeu com um sorriso. — O que achou da performance? - perguntou mais séria, como se realmente quisesse saber a opinião da loira e não somente enxer o espaço do silêncio.

— Eu achei incrível! Não sei como não conhecia aquela música. - ela respondeu animada, gesticulando para o palco. Isso causou um sorriso no rosto de Lexa. — Ainda bem, eu que fiz a música. Acharia ruim se alguém estivesse tocando meus sons por aí. - ela respondeu, rindo baixinho.

Depois disso as duas passaram pelo menos uma hora conversando sobre coisas aleatórias, Lexa principalmente ouvia enquanto Clarke falava sobre o que esperava do ultimo ano da escola e como ela estava animada para tentar uma bolsa acadêmica para artes. — Então você é uma artista? Porque isso não me surpreende? Um dia desses pode me mostrar alguma pintura sua. - a outra disse.

— Não é como se você também não fosse uma? - Clarke respondeu, corando com o final da fala de Lexa por notar que ela tinha dito ‘um dia desses’, deixando a entender que queria ver a loira de novo. A morena balançou a mão como se não concordasse com sua fala. — Isso é só um hobby.

Mais alguns minutos de conversa se passaram e um homem se aproximou de Lexa, sussurrando alguma coisa em seu ouvido. — Parece que seus amigos estão indo embora e um deles está causando certo tumulto porque não conseguem te encontrar. - disse com cara de não estar feliz. Clarke se ergueu e lançou um olhar pedindo desculpas para a outra. — Acho que preciso ir. - disse antes de dar as costas para a morena, com muita vergonha de seus amigos para falar qualquer outra coisa.

— Ei! Clarke! Espera. - disse Lexa. A loira se virou para a morena que também tinha se levantado. — Lincoln tem uma caneta aí? - perguntou para o homem que tinha se aproximado. Depois de receber a caneta, puxou um guardanapo e rabiscou alguma coisa antes de entregar para Clarke. — Esperarei sua ligação. - disse com um sorriso.

Clarke só respondeu pegando o papel e acenando afirmativamente com um sorriso seu antes de continuar para a saída. Encontrou seus amigos do lado dos carros e viu que Finn tinha a boca sangrando. Imediatamente o sorriso sumiu de sua boca. — O que aconteceu? - perguntou para os outros.

— Nosso querido amigão aqui resolver brigar com um dos motoqueiros lá dentro porque não te achou. Aliás, onde você estava? - disse Octavia, com um tom maroto e uma piscadela. — Eu estava conversando. Só conversando Octavia. - respondeu para a outra antes de lançar um olhar desapontado para seu ex, ignorando-o e entrar no carro de Bellamy.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...