História Unpredictable - Capítulo 94


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Shawn Mendes
Tags Magcon, Shawn Mendes
Exibições 179
Palavras 3.610
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 94 - Is not only love!


          Shawn Mendes POV's

Sabe aquela sensação de leveza, de finalmente se desprender de algo? Era exatamente assim que eu me sentia, liberto do “segredo”. Assim que Alice sumiu da minha visão e eu voltei a andar para a saída, e sim, pessoas filmavam ou fotografavam escondidas, mas eu sabia que elas estavam registrando cada passo meu. A cena dela voltando para me beijar se repetia na minha cabeça várias e várias vezes enquanto eu fitava o teto do hotel, parecia que eu havia acabado de dar meu primeiro beijo, sorri lembrando do sorriso que ela tinha nos lábios quando voltava pela última vez, mas meus pensamentos acabam me traindo e eu me lembrei que seriam cinco meses longe dela.

 

         Alice Espinosa POV's

- Foi a coisa mais sensata que você fez desde que eu te conheço. – Freddie disse assim que nos sentamos na poltrona do avião.

- Queria ter feito antes.

- Essa era a hora certa. – Encarei a pulseira no meu pulso por alguns segundos.

- Cinco meses Freddie.

- Passa rápido, não é o fim do mundo. – Ele fala e solta um riso fraco me fazendo reagir da mesma forma.

Por mais que eu estava feliz em não precisar esconder mais nada de ninguém, pensar nos cinco meses longe do Shawn me deixava deprimida. Meu celular vibrou mostrando uma mensagem da Samira na tela.

SAMI: EU NÃO ACREDITO!

SAMI: CASAL DO ANO.

Sorri.

ALICE: Eu também não acredito.

SAMI: Você já abriu o twitter? “ALICE E SHAWN” está nos trends.

Abri o twitter assim que ela mandou a última mensagem, não fazia nem 15 minutos que eu tinha beijado o Shawn e já tinha nossos nomes nos trends? Abri a busca e cliquei no nosso nome e vi muitas fotos e vídeos do momento em que beijei ele, e muitas outras coisas antigas nossas.

 

...

 

Entrei no meu quarto e sorri vendo ele exatamente da mesma forma que eu deixei, até o violão em cima da cama. Joguei minha mochila em cima da cadeira e deixei uma das malas ao lado da porta, coloquei o violão que estava na cama no suporte e me joguei na cama junto com o unicórnio de pelúcia que Shawn havia me dado, encarei o teto por alguns segundos, sentia falta de fazer isso no meu quarto. Senti meu celular vibrar e logo atendi.

- Acabei de pisar na Island, amanhã temos entrevistas pela manhã, a tarde vai provar figurinos para o álbum e mais gravações tudo certo? – Ouvi a voz de Freddie acelerada o que me fez sentar na cama tentando acompanhar a programação de amanhã.

- Tá, tudo bem. – Concordei um tanto assustada, não imaginava que eu faria qualquer coisa durante os três dias que eu ia ficar em casa.

- Ótimo Alice, passo aí as 7:00h, tenta descansar. – Freddie desligou a chamada sem esperar resposta.

- Vou tentar. – Falei para eu mesma jogando o celular nos pés da cama. São duas da tarde e a única coisa que eu conseguia fazer era pensar no quão cedo eu vou ter que acordar para ser simpática, e que grosseria foi essa do Freddie em desligar a chamada na minha cara?

 

...

 

Não fazia a mínima ideia do que a vida estava se tornando, eu tinha 17 anos e já estava estampada em dezenas de jornais e revistas, não que o reconhecimento que eu estava recebendo era ruim, muito pelo contrario, eu amava aquilo, mas era estranho você se ver em uma revista de fofoca acompanhada de um texto bem fútil na realidade sobre minha possível vida amorosa com Austin Mahone ou com Shawn, que há algumas horas atrás não passava do meu melhor amigo para a imprensa.

- Alice Espinosa abrirá a próxima turnê de Demi Lovato. – Samira leu alto. – Essa revista saiu semana passada. – Ela disse jogando a minha frente. Desisti de ler quando ela sobrepôs outra “O grande sucesso de Los Angeles” – Você é Irlandesa, eles nem se deram o trabalho de saber. – Olhei a folha dedicada a mim. – Essa revista saiu logo que entrou na turnê. – Disse jogando mais uma revista para mim. “Alice Espinosa – EP”. – Olha essa! – “Air – Alice Espinosa e Shawn Mendes” corri os olhos na página dupla que só falava sobre o sucesso de Air. – Mas a minha preferida é essa. – Peguei a revista e olhei sorrindo, era a primeira entrevista que eu tinha dado depois de entrar em turnê, eu não tinha conseguido ler ela ainda.

ENT: Qual a pior parte de estar em uma turnê?”

 “ALICE E: Estar longe de casa definitivamente, longe dos meu pais, do meu irmão e da minha melhor amiga, as vezes você não está tendo um dia legal e só quer um abraço deles, mas eles não podem estar lá para você sabe?”

ENT: E o que acontece quando não se tem o abraço deles?”

ALICE E: Normalmente nada (risos). Eu procuro não ter esses dias ruins, a equipe me ajuda e sempre posso contar com eles caso eu precise de um ombro amigo, eles são bem divertidos.”

ENT: Rolam boatos entre um romance entre Austin e você, pode dizer algo sobre isso?”

ALICE E: Eu e Austin somos apenas amigos, nos conhecemos na turnê, é um cara muito legal e talentoso.”

ENT: E Shawn Mendes? Os fãs amam criar teorias sobre vocês.”

ALICE E: Sou amiga do Shawn a anos, antes mesmo da gente seguir firme com a música, ele é incrível, somos apenas melhores amigos.”

Sorri fechando a revista.

- Acho melhor você ir dormir Alice, não quero sua mãe berrando amanhã cedo me acordando as seis da manhã logo no dia que eu não tenho aula. – Samira falou e eu ri.

- Obrigada pela preocupação. – Ela riu juntando as revistas e colocando no cesto.

- Boa sorte amanhã, vê se descansa. – Sami falou antes de bater a porta do meu quarto.

Olhei no relógio, 22:50h, eu sabia que Shawn já tinha terminado a abertura do show mas eu não queria incomodá-lo, deve estar uma correria lá e ele deve estar exausto. Deixei o celular no criado mudo e me deitei tentando dormir, mas tudo que eu queria era estar na correria dos bastidores da turnê do Austin.

Passei a noite toda em claro, acho que depois que você se acostuma com a adrenalina de estar em um palco, quartos de hotéis agitados, uma pequena poltrona de avião como cama e o abraço do seu quase namorado como travesseiro, um quarto silencioso, com uma cama grande e travesseiros extremamente macios não parecem ser confortáveis o suficiente. Freddie dirigia enquanto falava da minha imagem sem parar, eu definitivamente não conhecia aquele Freddie.

- Não deixem que aprofundem em sua vida pessoal, eles só precisam saber da sua carreira como cantora, mas não seja grosseira, tente parecer mais simpática possível. – Ele me olhou provavelmente checando se eu presto atenção no que ele diz, como se eu fosse tratar alguém mal. – Não precisamos de problemas nessa altura. – Por fora eu sorria, mas por dentro eu queria estapear a cara dele por estar sendo babaca. Como assim “problemas nessa altura”? Que altura?

- Eu serei eu mesma Freddie, como sempre, eu não mudei. – Falei na tentativa de calar aquela boca.

- Você sabe, acabou de decolar, precisamos te manter no ar até alcançar o topo, pra isso, você precisa ser gentil, ser a bela mocinha que todos amam ver. – Franzi o cenho mas desfiz antes que ele pudesse ver, ser a bela mocinha pra alcançar o topo? Então eu tenho que ser uma farsa? Óbvio que eu nunca trataria ninguém mal se me tratassem com respeito, mas eu não era nenhum tipo de boneca perfeita. – Sorria durante a entrevista e não fale nada que eu não falaria. – Disse antes de descer do carro, então eu teria que dizer muita besteira?

Peguei minha bolsa e sai atrás de Freddie tentando não perguntar que merda estava acontecendo, passamos pela recepção, e assim que cumprimentei Lucy da forma mais tímida possível, eu percebi que alguma coisa não estava certa comigo, eu travei, nem andava do mesmo jeito, engoli seco tentando só ser eu mesma.

- Freddie se perguntarem sobre ontem no aeroporto? – Perguntei lembrando do que ele disse sobre não permitir perguntas sobre minha vida pessoal.

- Diga que estão namorando. – Ele respondeu depois de um suspiro longo.

- Mas não estamos.

- Belas moças precisam estar namorando depois de um beijo daqueles Alice. – O que???

- Porque disse para eu fazer aquilo se eu preciso mentir agora?

- Alice sei o quanto gosta do Shawn, e sei que queria fazer aquilo, mas eu não fazia ideia do quão deslocados estávamos, se eu soubesse não teria deixado que aquilo acontecesse.

- Do que está falando? E porque tá agindo assim? – Perguntei não aguentando mais aquele papo sinistro.

- Assim que pisei aqui ontem David me jogou um balde de água fria, a tua carreira já não é mais inicial, tem tantos artigos e matérias sobre você na minha sala que eu não faço a mínima ideia de como vou ler, tenho tantas entrevistas para arrumar horário que vou precisar cancelar parte delas, saiu do meu controle todo sucesso que você está ganhando, eu não imaginava que você já era influenciadora da forma que você é, não podemos denegrir sua imagem agora, precisa buscar o topo, sempre. – Disse e antes que eu pudesse falar qualquer coisa ele saiu do elevador dando de cara com uma morena alta que eu nunca havia visto na Island antes.

- Olá Freddie. – Ela abraçou ele formalmente. Sai do elevador antes que ele se fechasse novamente.

- Alice, essa é Amanda Bell. – Olhei para Freddie e lancei um sorriso forçado para a morena, ela não me parecia tão gentil. – David achou melhor já termos uma assessora. – Arregalei os olhos, não precisamos de uma assessora, não ainda.

- Olá Alice, será um prazer ajudar você conduzir sua carreira. – Encarei a moça por um tempo.

- O prazer é meu. – Falei fazendo ela sorrir falso e caminhar até uma das salas deixando pelos corredores somente o som do salto batendo no piso.

 

...

 

- Mas agora, se eu não perguntar seus fãs me matam. – A entrevistadora falou e eu já imaginei o que seria. Olhei pra Freddie e ele parecia tranquilo, a tal da Amanda mexia no iPad enquanto eu queria sair correndo dali. – O que foi aquilo no aeroporto de Simpsonville? Da ultima vez que nos falamos, você e Shawn eram apenas amigos. – Tentei dar o meu melhor sorriso, Amanda pigarreou me fazendo a olhar, ela tinha uma das sobrancelhas arqueadas.

- Estamos juntos a um tempo, mas não estávamos preparados para assumir até ontem. – Por mais que fosse meio verdade, minha voz saiu da forma mais robotizada possível.

- Foi uma das cenas mais fofas que eu vi em toda minha vida, imagino que o pedido de namoro tenha sido incrível. – Sorri desajeitada. – Shawn é um garoto fantástico.

- Sim, ele é incrível. – Digo ainda olhando para Amanda.

- Desejo felicidades a vocês, os dois são uma ótima influência para os jovens! – Aquilo me atingiu como um soco no estômago.

- Obrigada.

- Bom, você anunciou que deixaria a turnê do Austin mais cedo para acompanhar Demi. Como você está lidando com essa correria, quero dizer, você tem recentes 17 anos e essa vida é um pouco agitada para uma adolescente não?

- Hãan sim, foi bem doloroso deixar a turnê do Austin no meio do caminho, mas são coisas que acontecem, assim que embarquei na música eu não imaginava que seria assim, tão louco, mas tem sido bem legal, não soa como um trabalho, eu faço musica porque eu amo e eu tento manter a minha vida mais normal possível e não é difícil com o apoio da família.

- Ser famoso te traz muita pressão, meses atrás você ainda podia ser uma adolescente comum, como lida com isso? O que mudou pra você? – Corri os olhos pela sala, Freddie e Amanda me encaravam, até ontem a tarde nada tinha mudado além do reconhecimento.

- Acho que nada mudou de fato, tirando o reconhecimento claro, mas ainda me sinto uma adolescente comum, nunca fui a rebelde do colégio ou da família, então não precisei de aulas de bons modos depois que fiquei conhecida. – Falei olhando para Freddie que me olhou com cara de reprovação. – Digo, tudo ainda é novo pra mim, por mais que eu esteja recebendo um reconhecimento gigantesco não me sinto tão pressionada pela mídia, não é minha preocupação sair em revistas com manchetes de encrencas porque eu acho difícil isso acontecer, sou muito na minha e eu só quero fazer música e fazer com que as pessoas gostem dela. Recebo um apoio incrível da minha família e dos fãs, isso me deixa mais tranquila quanto as coisas negativas.

- Essas coisas negativas te preocupam muito?

- Na verde um pouco, mas você só precisa aprender a lidar com elas, é inevitável você ler que sua voz não é tão boa, ou que as pessoas não entendem o porque de eu estar ficando conhecida, cada um tem um gosto e tem a liberdade de pensar o que quiser, só não é legal, soa como se eu não fizesse o suficiente para alcançar isso, o que não é verdade, ninguém realmente sabe o que cada um vive antes do reconhecimento.

- Você cresceu muito rápido, alguém te ajudou com isso?

- Na verdade o dueto com o Shawn e a turnê do Austin Mahone aceleraram isso, quando sai em turnê eu era conhecida mas nada como agora, eu cheguei em casa e minha amiga empilhou dezenas de revistas que tinham algo sobre mim e eu só pensei “Wow, o que está acontecendo?” Eu tinha ideia do meu crescimento pelos seguidores, vendas do EP, e outras coisas, mas são coisas gradativas, sair de casa com 3 revistas de matérias comigo e voltar com uma pilha delas foi um choque.

 

...

 

Entrei no vestiário improvisado pela quinta vez, eu estava muito feliz com o álbum, estava explodindo por dentro mas uma parte minha ainda martelava as frases “ser bela moça pra alcançar o topo” “ótima influência para os jovens”, eu não deveria estar me preocupando com isso, eu nunca fui errada, as únicas tretas que eu tive foi porque procuraram, e uma delas acabou se tornando meu namorado, que a propósito nem sabe que é meu namorado agora.

- Alice vou buscar o almoço, o mesmo de sempre? – Freddie gritou.

- Sim. – Respondi.

- Tinna e Amanda estarão aqui caso precise de ajuda.

- Ok. 

Antes de mais nada a equipe cresceu, além da Amanda, eu tinha ganhado uma estilista fixa, Tinna, um cabeleireiro e maquiador, Thomas e por último Ethan, o fotógrafo fixo. Sai do vestiário e Tinna me olhou sorrindo, ela era bem jovem, e parecia tímida.

- Ficou linda nesse vestido Alice. – Ela disse se levantando da poltrona. - Só precisamos de alguns ajustes.  – Continuou puxando com os dedos o resto de pano que havia sobrado na minha cintura.

- Esse é meu preferido até agora. – Falei vendo um sorriso se formar nos seus lábios.

- A propósito, seu celular estava tocando, não levei até você porque Amanda disse que não era importante.

- Amanda estava com meu celular?

- Ela viu quem era mas devolveu para sua bolsa. – Ela disse baixo já que Amanda estava no fundo da sala.

- Tudo bem, eu vou olhar quem era, só um segundo. – Falei e busquei meu celular na bolsa.

 

“3 chamadas perdidas: Shawn Mendes”

 

Senti vontade de gritar com a Amanda, conheci essa mulher hoje e ela já quer decidir o que é e o que não é importante pra mim? Ao invés de fazer o que meu cérebro queria que eu fizesse, liguei para Shawn.

 

          Shawn Mendes POV's

Alice não dá sinal de vida desde que saiu de Simpsonville, eu não havia ligado antes porque provavelmente ela estaria descansando, a turnê é sempre muita correria, imagino que ela quisesse paz nos três dias livres antes dela entrar em outra turnê, não consegui falar com ela pela manhã e agora que a ligação chama, ela não atende. Joguei o celular na cama do hotel preocupado, o que ela estaria fazendo? Dou uma olhada no quarto, estava uma completa desordem, isso não aconteceria se ela estivesse aqui. Peguei as roupas jogadas no chão e joguei na mala, quando me preparava pra apanhar os sapatos ouvi meu celular tocar, corri até ele vendo que era Alice.

- Finalmente. – Falei aliviado.

- Me desculpa eu estava provando umas roupas, vamos fazer o ensaio do álbum e eu preciso escolher... – Ela dsse aflita.

- Ei, tudo bem, eu só fiquei preocupado, achei que não faria nada enquanto estivesse em casa.

- É, eu também achei, mas as coisas estão bem loucas por aqui.

- Você está bem? – Ela demorou alguns segundos pra responder.

- Estou porque?

- Sua voz está diferente, estranha. – Falei indo para a sacada do hotel.

- Eu ligo para você depois tudo bem?

- Tem certeza que está bem?

- Não se preocupa. – Ela não estava bem.

- Ok, me liga assim que puder.

- Eu vou ligar, prometo.

- Eu te amo.

- Também amo você, tchau.

- Tchau. – Falei e ela desligou a chamada.

Tinha alguma coisa errada com ela, eu tinha certeza disso! Fiquei olhando a paisagem de Birmingham por alguns minutos, hoje não tem show, não tinha nada pra fazer, ninguém pra conversar, não tinha nada.

 

          Alice Espinosa POV's

Freddie colocou um prato enorme de legumes e verduras na minha frente, o olhei.

- Não é isso que eu peço sempre. – Falei estranhando aquilo, e ele lançou um olhar para Amanda.

- Alice, você precisa se alimentar bem, comida saudável vai evitar que você fique doente, e vai te fazer mais saudável. – Freddie falou e eu não conseguia acreditar no que eu estava ouvindo.

- Eu não quero comer isso, eu detesto legume. – Falei e vi Ethan entrar na sala.

- Cheguei na hora certa. – Ethan disse divertido, mas ninguém acompanhou a diversão dele.

- Precisa comer isso Alice, tem que parar de comer fast-food, não é saudável. – Amanda falou se sentando na minha frente com um prato como o meu.

- Eu não gosto disso, eu até comeria se tivesse arroz ou qualquer outra comida, mas não vou comer esses legumes. – Ela me olhou séria e respirou fundo.

- Eu acho que não quer ficar doente, cancelar shows futuros, deixar seus fãs preocupados não é mesmo? – Que tipo de lavagem cerebral ela está tentando fazer em mim?

- Eu não vou comer isso Amanda. – Falei sem desviar meu olhar do dela.

- Estou tentando te ajudar com isso Alice, é melhor comer, é para seu bem.

- Não vou comer isso. – Repeti a fazendo suspirar e encostar as costas na cadeira almofadada.

- Não temos outra coisa para você.

- Ótimo, eu mesma compro alguma coisa pra mim. – Falei me levantando da mesa.

- Pode ficar com meu sanduíche Alice. – Ethan disse entrando na frente da porta. – É natural mas acho que você prefere né?

- Não Ethan, pode comer, eu me viro, obrigada. – Agradeci esperando ele me dar passagem.

- Eu gosto de legumes e verduras, pode comer o sanduíche. – O olhei por alguns segundos, e ele gesticulou um “por favor”.

- Tudo bem, muito obrigada. – Falei e ele sorriu.

Eu até comeria pelo menos as verduras daquele prato mas Amanda me irritava em um nível extremo, com apenas um dia de convivência. Se até o final do dia eu não pular no pescoço dela já vai ser um avanço da minha paciência, aliás, um grande avanço para a bela mocinha surgir.

Todos comeram calados, eu estava atordoada com aquilo, de uma hora pra outra a gente deixou de comer McDonald’s no chão do estúdio para comer legumes em uma mesa com cadeiras almofadadas, onde eu estava quando tudo isso mudou?

- Não ache que vai ser sempre assim. – Ouvi a voz da Amanda atrás de mim. Olhei em sua direção.

- Não entendi. – Falei afinando o violão.

- Ethan não vai estar sempre que precisar satisfazer seus caprichos. – Ri fraco ignorando e voltei a atenção ao violão. – Você já tem idade suficiente pra entender que o que tentamos fazer por você é o melhor Alice.

- Tudo bem Amanda, eu agradeço a tentativa.

- Tentativa?

- A tentativa de querer me transformar em uma barbie, eu não sou assim.

- Acho que você ainda não entendeu Alice. Você é uma adolescente de 15 anos...

- 17 anos. – A cortei.

- Você é uma adolescente de 17 anos com uma rotina absurda, você tem fãs que se importam com você por toda parte, tem uma imagem pra manter agora. Não sou eu que estou impondo isso, não é o Freddie e nem mesmo o David, você precisa ser uma influenciadora positiva, não é uma escolha em ser ou não responsável, ser ou não saudável, ser ou não educada, ser ou não famosa. – Ela me olhava de maneira que que deixava intimidada. – Você até poderia ter escolhido entre assinar ou não assinar com uma gravadora, e você escolheu entregar tua carreira para profissionais, agora não tem volta, você tem fama, e precisa buscar as outras coisas pra isso funcionar, a indústria musical só cresce, cada vez mais, quer ser esquecida? – Não respondo. – Quer fazer musica por amor? Ok isso é lindo, mas a indústria musical não se sustenta em apenas fazer as coisas por amor. Se quer ser a Alice Espinosa que ama o que faz, procure buscar o pacote todo, o amor não sustenta a música, ele não te leva ao topo!


Notas Finais


Me perdoem pela demora em postar, mas como sempre a faculdade está tomando meu tempo mais do que deveria! Mais uma vez, me perdoem.
PS: Caso tenha algum erro ignorem, é tarde e eu precisava postar!
beijos e até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...