História Unpredictable - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fernando Torres
Exibições 26
Palavras 1.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei meus lindu, e espero conseguir ficar e postar pelo menos uma vez na semana. Bom, espero que gostem :)

Capítulo 25 - Tomando mais cautela.


Rafael apareceu na minha frente de supetão e eu não tinha ideia do que dizer, afinal, não tem nem o que inventar em relação a Fernando e eu dentro de um helicóptero, mesmo que não tivesse sido planejado.

- Você tá bem? – e notei que ele estava com um cheiro muito particular de cigarro.

- Sim, claro, como você imagina que eu esteja após saber que você e Fernando estavam juntos em um helicóptero?

- Escuta o que eu tenho a dizer... Eu juro por Deus, que quando eu entrei no helicóptero, junto com o piloto, eu dormi logo após 5 minutos, e assim que eu acordei eu me deparei com Fernando, que disse que o Mr. Rodriguez havia passado mal logo um pouco depois de Londres, e que não seria seguro seguir viagem dessa maneira. Então, como Fernando era a única pessoa que pilotava e que estava disponível, ele se disponibilizou a isso, sabendo que eu havia compromissos para o dia seguinte.

- Aham, sei.

- E desde quando você desconfia de mim e de Fernando? Será que você está cego em relação ao fato de que eu e ele não temos mais nada? Poxa. – E saí para a área externa do hospital, sentando-me em um banquinho.

Rafael pensou, abaixou a cabeça, levantou e disse:

- Perdão Mary, eu só... estava com algumas coisas na cabeça. Na verdade, o Neymar ficou me azucrinando em relação a isso logo após que a notícia do acidente virou pauta nos jornais.

Dei um murro na parede, e disse:

- Claro, tinha que ser o Neymar mesmo, ou você nunca percebeu que ele é doido pra separar a gente? Queria entender porque ele não gosta de mim, nunca o fiz nada.

- Tá tudo bem, passou – e me abraçou forte – o importante é que você tá aqui comigo de novo – e sorriu.

Eu sorri pra ele, talvez um sorriso meio amarelo, porque eu ainda tentava digerir as palavras de Fernando no quarto, mas me esforçava para fingir que estava bem, por mais que logo após eu me deitaria na cama e choraria por horas e horas até cair no sono (ou até o remédio fazer efeito).

Abri o aplicativo de passagens de avião e comprei uma passagem para Leeds para 23:59, já que estava completamente traumatizada com helicópteros. Quando Rafael me chamou para comer um hambúrguer no Three John’s Pub.

- O que você acha de, sei lá, comer alguma coisa?

- Podemos, já que meu voo só sai às 23:59 mesmo.

- Perfeito, então vamos.

Saímos do hospital e fomos andando até o Three John’s Pub, já que levava uns 5 minutinhos a pé, e claro que, mesmo grávida, eu não recusaria o perfeito hambúrguer com bacon e barbecue daquele bar maravilhoso, e mesmo sendo 18 horas.

Eu não tinha muito o que dizer, pois ainda estava em choque com o acidente, mas Rafa queria tanto conversar sobre tudo que eu fingi estar interessada e tagarela para isso.

- Hoje o treino foi tão produtivo... Minhas cobranças de falta têm alcançado cada vez mais sucesso, e se tudo der certo até o final da temporada eu já estarei como cobrador de falta oficial do time.

- Oh que legal meu amor, fico muito feliz de que seu esforço tem sido recompensado...  - Eu estava tão aérea que nem tinha me dado conta que Rafa não faz parte de uma posição no time para cobrança de faltas - E os garotos, como estão?

- Tá todo mundo joia, o William está um pouco abatido ainda com a história da mãe, mas é aquilo, todo mundo já esperava né.

- Pois é... Oba, hambúrgueres. – E os hambúrgueres chegaram.

Comemos, e como fazia tempo que eu não pedia aquele hambúrguer, mesmo indo com certa frequência em Londres, acho que era o melhor de todos que eu havia comido na minha vida.

Logo depois, Rafael perguntou se queria que me levasse para o aeroporto de uma vez, mas ainda eram 20h e eu queria aproveitar um pouco da cidade.

- Agradecida, Rafael, mas eu quero dar umas voltas pelo centro da cidade, se não se importar.

- Oh, não, que isso Mary, eu sei como Londres te faz falta, enfim, se precisar, pode me ligar, tudo bem?

- Tudo joia, muito obrigada, mesmo – e dei-lhe um beijo no rosto, não consegui encostar nos seus lábios depois daquela história toda.

Saí do bar e decidi dar uma volta pelos arredores mesmo, pelos quais eu já tinha muito costume de andar, já que eu costumava dar umas caminhadas pelo centro quando estava de bobeira. Aquilo me nostalgiou de uma certa maneira como se tudo que eu estava lembrando tivesse acontecido há anos, mas não, fazia apenas um ano depois de tudo aquilo, depois de todas os meus desentendimentos com Fernando, depois de todas as histórias entre mim e Rafa, depois e todas as idas e vindas com os dois. Não sei, era complicado dizer algo, ainda mais depois de tudo que Fernando falou nos últimos 3 dias, eu não tinha como fingir que nada estava acontecendo entre mim e ele, mas eu não tinha como dizer isso para Rafael como se fosse algo super normal.

A verdade nisso tudo é que há anos atrás, lá no Brasil, depois daquela decepção amorosa que me destruiu definitivamente, tudo que eu queria era ter alguém pra chamar de meu, alguém pra eu amar, e que amasse também, que fizesse tudo por mim, que abrisse mão de certas coisas por causa de mim, e nisso, apareceram dois caras que tinham tudo para ocupar essa vaga de tanto desejo meu, apareceram ao mesmo tempo e me deixaram nessa terrível saia justa. Às vezes, me arrependo amargamente de tanto ter pedido aos céus para que essa pessoa que eu tanto desejava aparecesse, porque o pior disso tudo é saber que eu já magoei esses dois caras incríveis. É complicado lidar com isso e conviver com isso todos os dias como se fosse nada. É impossível lidar com isso e continuar intacta.

Eram 21 horas, e o meu instinto me mandou de volta para o hospital onde Fernando estava, e que no caso já estava dormindo, já que estava por efeito de vários analgésicos e anti-inflamatórios. Mesmo assim, pedi para a enfermeira para entrar, e apenas observá-lo, sem tentar acordar ou mexer com ele. Desse modo, ela concedeu e me levou até lá.

Eu olhava pra ele, e ao mesmo tempo pedia perdão novamente pelo que eu o fiz passar, além do sofrimento de não corresponder da maneira que ele merecia. Tudo bem que ele já havia me traído, mas ninguém merece passar por isso, nem o meu pior inimigo. Fiquei por lá por mais uns 20 minutos, agradeci a enfermeira e pedi um táxi rumo ao aeroporto.

Chegando lá, comprei um chá mate para terminar de amargar a minha vida, fiz o meu check in e entrei no avião rumo a Londres, já que o dia seguinte haveria muitas coisas a se fazer em Leeds.

Já na cidade dos Kaiser Chiefs, em plena madrugada, peguei um táxi para casa e logo ao entrar me atirei na cama sem nem pensar duas vezes, já que essa história toda já estava me deixando maluca.

O celular despertou e tudo que eu mais queria era ficar quietinha na minha cama, mas não podia mesmo, Leeds United me esperava para que a vitória acontecesse amanhã. Então tomei meu banho, tomei meu café e fui direto para o CT, em um gás que acho que nenhuma gestante teria às 8 da manhã naquele friozinho gelado inglês.

O treino durou o dia inteiro e logo após, Röwsler nos comunicou que ficaríamos na concentração para o jogo de amanhã pois era um jogo crucial. Logo, passei em casa rapidamente para tomar um banho e arrumar minhas coisas para a concentração e parti para a mesma.

Ao aparecer no CT, Röwsler me chamou e disse que precisava me apresentar a uma pessoa que se tornaria essencial para o sucesso do Leeds nessa temporada. Por um certo momento, pensei que poderia ser um prodígio da base ou até mesmo um futuro reforço. Mas não.

- Acho que você já o conhece, mas te apresento formalmente como novo diretor de futebol do Leeds United, que inclusive nos ajudará bastante e estará muito presente durante os treinos e reuniões, seu cunhado, Gabriel Henrique!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...