História Unpredictable - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanyeol, Exo
Exibições 28
Palavras 4.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI GENTE EU SEI QUE VOCES QUEREM ME MATAR NE MAS EU TENHO UMA DESCULPA
eu escrevi um pedaço do capítulo quase que todo meu tempo livre, e a criatividade vinha aos poucos entao desfulpaaa
eu vo posta so nos feriados e talvez ate sabado sai capitulo novo ne????
enfim
amo vcs nao me matem
xxlali

Capítulo 3 - Unbreakable


Fanfic / Fanfiction Unpredictable - Capítulo 3 - Unbreakable

Não fique mal porquê os bons momentos passaram, sinta feliz porquê viveu-os.

Haru

Já passam das cinco da manhã e eu não consigo dormir. Fiquei rolando na cama, tentei até contar os fios do meu cabelo no escuro, limpava minhas unhas com as mesmas... Continuava chovendo, com trovoadas ainda mas nada como antes.  

 Comecei a raciocinar tudo que aconteceu nos dias anteriores e tudo parecia tão fácil, parecia que era uma brincadeira, eu iria acordar nua e um monte de gente estaria tirando fotos minha e postando online. Já vi essa cena num jogo, não posso descartá-la. Chanyeol deveria estar no quinquagésimo décimo sono, então rolei na cama e fiquei olhando para ele no chão. Parecia um anjinho... Lúcifer também era um anjinho:

ㅡ Vai ficar me olhando mesmo?- O demônio tava acordado. Me assustei e rolei pro outro lado.

ー Desde quando você tá acordado?- Mudei de assunto.

ー Você não parava de rolar na cama e...- Um raio caiu bem perto da janela, ou foi o que parecia. O menino quase pulou do colchão.- E... Esses raios me assustaram um pouco...

ー Só um pouco?- Comecei a rir, mas parei logo depois quando ele levantou do colchão e sentou na cama. Parecia um filme de terror: a cara dele de psicopata, uma garota indefesa, no caso eu...

ー Você não deveria ter rido de mim.- Ele chegou mais perto de mim, suas mãos vindo em minha direção. Deus, é agora que eu te encontro!

 Eu achava que ia ser estuprada ali mesmo, mas por incrível que pareça ele só me fez cosquinhas.

ー AH CHEGA GAROTO EU VOU MORRER!!!- Pedi misericórdia a lucifer, quer dizer, Chanyeol.

Um segundo depois ele parou, e deitou do meu lado. Eu achei que ele rolaria para deitar no chão mas ele ficou parado, se ajeitou e fechou os olhos:

ー O que tá fazendo?- Perguntei.

ー Dormindo mas você não tá deixando...- Suspirou e virou-se para mim. Nossas cabeças estavam próximas, não tão próximas, mas estavam perto.

ー Sua mula.- Empurrei ele de leve.- Você deveria dormir no colchão. 

ー Qual problema de dormir do meu lado?- Ele perguntou mais sério.

ー Você sabe o que acontece nos dramas, se alguém souber disse vão achar que dormimos juntos. E a gente nem é próximo... Quer dizer... Você entendeu...- Desviei o olhar e ele começou a rir.

ー Não vou fazer nada com você se é o que está pensando. Como eu disse, não tenho atração nenhuma por você. E ninguém vai saber, mesmo que isso seja bom já que acreditariam mais que a gente está "namorando".- Ele fez aspas com a mão.

ー Aish, sua desgraça.- Troquei de lado, e fiquei contrária a ele. 

ー Única desgraça aqui é você.- Mudou de lado também.

ー Dá pra calar a boca eu quero dormir.
 

Houve um silêncio que só ouvíamos as nossas respirações e a chuva lá fora, que havia retornado bem mais forte. Acho que foi por isso que ele deitou do meu lado. Ai que bebezinho!! Tava tudo tão calmo, finalmente meu sono estava chegando, e chegando, e chegando... 


Dois dias depois
 

Era estranho ser chamada de nova namorada de Chanyeol pelos cantos, principalmente pelas "fãs" dele, que no caso eram meninas do fundamental que passavam mais tempo falando dele do que respirando. Ok tenho medo delas. E os amigos dele me olhavam de forma estranha, alguns sorriam, outros ficavam com cara de peixe morto, variava de pessoa para pessoa, menos Sehun... Ele simplesmente me ignora, mas semana passada a gente se falou por mensagens como melhores amigos, e agora ele simplesmente me apagou do mundo de papel dele. Ele praticamente me empurrou com os ombros quando a gente se esbarrou, mas eu nem liguei. Segui na direção da minha sala, olhando sempre pro chão ou para frente, desviando dos olhares das pessoas. 

 Ainda não havia encontrado Chanyeol, o que era um alívio, não sei como reagir como namorada de uma pessoa como ele, e também não sei o que alguém faria no meu lugar. Entrei na sala e sentei na minha carteira, estranhei Minseok não ter chegado à essa hora, sempre chega antes de mim. O sinal bateu e todos entraram na sala, inclusive Chanyeol. 

Minha sala agora era composta por: Dupla dos nerds na frente, Kim Junmyeon e Zhang Yixing; ao lado deles KyungSoo e o Jongin que também mudou de sala; na terceira frente da terceira fileira Luna e HyeJin, não falo muito com elas mas estudam muito. Atrás da dupla de nerds tem um pessoal que eu não conheço e não consegui decorar o nome; na ultima carteira Baekhyun e Luhan, bagunceiros; na fileira do Jongin tinha Kris e Tao, não falo muito com eles mas são amigos de Chanyeol também; um monte de gente que eu não conheço atrás; eu e Minseok, dois estudiosos né?; e atrás de mim Chanyeol e Sehun, os irritantes; atrás de Luna e HyeJin, uma pancada de gente que eu nunca falei nem um oi e o um "novo" novato (até porque essa escola não tem nenhum novato né?) chamado Jackson, outro chinês na turma. Óbvio que a turminha de Chanyeol toda veio para minha sala e eles fizeram outros da nossa turma mudarem de sala. Pessoas ricas ainda me assustam. 
 

Park e seus amigos, que chegaram logo após o sinal tocar, olharam diretamente para mim. Desviei o olhar deitando a cabeça na mesa mas não adiantou de nada:

ー Bom dia, Kim.- Ele um sorriso cínico, talvez esteja bravo por eu ter saído de sua casa sem dar tchau. Vai saber.

ー Bom dia, Park.- Devolvi o sorriso e ele de sentou do meu lado, ocupando o lugar vazio de Minseok.ー Não sei se você percebeu mas... Aí.- Apontei para ele.- É o lugar do Xiumin. 

ー Não é mais.- Deu de ombros. Á essa altura todos prestavam atenção na aula, então falávamos bem baixo.

ー Eu hein.- Revirei os olhos e olhei pro professor. Tentando o máximo para prestar atenção na aula. 

ー Você podia ter deixado um bilhete né? Ou uma mensagem...- Comentou sobre eu ter deixado sua casa sem avisá-lo.

ー Vai me dizer que ficou preocupado?- Levantei uma sobrancelha.

ー Talvez.- Me encarou e depois se virou para frente.

O resto da aula seguiu-se normal, o professor passou algumas coisas no quadro, deveres no livro... Chatices de ensino médio e blá blá blá. Me peguei pensando em Minseok, ele disse que raramente faltava aula, principalmente em época de prova. Resolvi mandar uma mensagem:

"Minnie-ah, por quê não veio o.o?" - HaruHaru
Enviada 9:55 a.m; Lida 9:55 a.m

"Desculpe HaruHaru :(
Tô doente.
" - Minnie
Recebida 9:56 a.m; Lida 9:56 a.m

"Pô melhorinhas então, amanhã eu te conto as fofocas miga."- HaruHaru
Enviada 9:57 a.m; Lida 9:57 a.m

"Vem aqui hoje à tarde então. Vou parar de responder se não mamãe me mata, beijinho." - Minnie
Enviada 9:58 a.m; Lida 9:58 a.m

ー Não vai não, hoje a gente vai na casa de Jongin.- Chanyeol apareceu do meu lado olhando para meu celular.

ー Quem disse que eu concordei?- Arqueei uma sobrancelha olhando para ele. 

ー Quem disse que você precisa concordar?- Levantou uma sobrancelha também. 

ー A lei da vida, e outra eu vou me sentir um pepino no meio dum monte de azeitonas.- Retruquei e desviei meu olhar, indo responder o Minseok.

ー Você não vai á casa de Xiumin!- Exclamou furioso, e tomou meu celular. Confesso que aquilo havia me deixado meio assustada. Ainda bem que todo mundo já havia deixado a sala para educação física, restando nós dois ali. Alguns segundos depois me encarando, ele percebeu o que fez e colocou o celular na mesa.ー Sabe? Eu não entendo por quê desisti de te humilhar... Você não colabora e além disso, quer sair com seus amigos me deixando mal falado... Você é tão idiota mesmo, do jeito que Sehun falou.

ー E-E-Eu...- Engoli o seco.ー Eu vou com você á casa de Jongin. Me desculpa, vou me esforçar...- Falei de cabeça baixa, peguei minhas coisas e saí correndo da sala. Deixando um Chanyeol gritando meu nome sozinho. 
 

Fui até o banheiro e corri pra primeira cabine que encontrei, tranquei ela e derrubei todas as lágrimas do meu corpo. Posso parecer forte mas meu melhor amigo -quer dizer agora é ex- falar que eu sou idiota? A pessoa que eu mais confiei a minha vida inteira, simplesmente me ignora e depois me xinga? Não conseguia processar nada ainda, só queria o colo da minha mãe. Me sentia um total lixo depois de tudo isso.  

Passadas meia hora ali dentro, enxuguei minhas lágrimas e abri a cabine. Lavei meu rosto e saí dali. Fui direto pro ginásio, correndo. Chegando lá procurei um lugar isolado na arquibancada, não queria falar com ninguém, ou melhor, ver ninguém. Mas infelizmente alguém sentou ao meu lado: 

ー Chanyeol me contou o que aconteceu...- Não reconheci a voz de cara mas não olhei para saber quem era também.ー Disse que pegou pesado com você e você saiu correndo chorando. Ai eu falei pra ele vir aqui falar com você, mas ele disse que você o provocou e blá blá blá... Sabe como ele é né?

Não. Não sei, não quero saber.

ー Não precisava ter vindo aqui falar comigo, eu me resolvo com ele depois mas obrigada...- Olhei para a pessoa.- Junmyeon? 

ー Ah, sim. Nós nunca conversamos direito...- Ele abaixou a cabeça.

ー Desculpe por isso, na maioria das vezes eu evito pessoas do grupo de vocês, mas agora tô namorando alguém de lá né? Eu deveria ter me apresentado ou sei lá.- Olhei pra ele sorrindo, e ele correspondeu o sorriso. 

Parando um pouco para observar, ele parece um Deus grego, podia-se dizer que era um dos mais bonitos do grupinho de Chanyeol. Ele estava com o cabelo bagunçado e seus olhos eram bem pequenos, o contorno dos seus lábios também me chamou atenção, não só mais que seu sorisso. Ele usava uma camiseta branca da escola mas não estava nem um pouco suado, talvez nem tenha jogado uma partida de futebol. Xiumin não me falou muito dele, mas era o tipo de cara que as garotas babavam só de passar, um Aaron Samuels na minha vida. E ele tinha um sorriso lindo, nossa...

ー...Ãh... Haru?- Ele passou a mão na frente dos meus olhos. Oh céus, será que estou babando? Merda!

ー Desculpa de novo, você me lembrou um ator japonês aí.- Dei uma disfarçada com direito a risada e desviei o olhar dele. Ele começou a rir. Nossa senhora que risada gostosa. 

ー Ok, acredito. Enfim eu tava dizendo, não precisa se desculpar, você é aluna nova também.- Ele comentou e eu apenas concordei com a cabeça, talvez eu tenha ficado com vergonha de um menino pela primeira vez na vida.ー Espero ver você na casa de Jongin.- Ele se levantou.ー Foi legal conversar um pouco com você, Haru. Até.- Acenou e saiu. 
Meu Deus do céu o que aconteceu aqui?

(...)

A manhã acabou que passou rápido e eu já estava na saída esperando Chanyeol sair da sala pra gente ir logo. Novamente, estou sendo obrigada. Graças à Deus sempre trago uma roupa na mochila ou deixo no armário para imprevistos como esse, então troquei de roupa logo que bateu o sinal.

Lembrei que quase nem falei com os meninos hoje também então só acenei para eles que estavam em rodinha, com Jongdae. No caso, Chanyeol estava demorando muito para vir eu estou quase desistindo. Até lembrei de passar maquiagem na cara e o filho da mãe me deixa esperando. Quando eu estava me virando para ir embora, alguém me chama de longe: 

ー Desculpa à demora.- Chanyeol chegou mais perto e me puxou.ー Vamos logo, vou passar numa mercearia pra comprar cervejas.

Juro que não sabia de onde aquele humor veio. Até meia hora atrás ele só falou comigo, bem arrogante, me obrigando a sair com ele. Não vou nem reclamar né? Preferi ficar quieta.
No caminho, ele parecia verdadeiramente animado, mas eu não perguntei o motivo, na verdade, fiquei calada o tempo inteiro. O que incomodou ele depois de um tempo:

ー Por quê você não fala comigo? Eu sou legal, sabia?- Disse com bico olhando pra mim, estávamos parados no semáforo. Continuei quieta.ー Para de birra, eu vi você sorrindo pro Junmyeon hoje, quase jogou tudo isso no lixo, né?- A sua expressão mudou, de fofo sorridente para bravo e sarcástico, desviando o olhar para o trânsito. 

ー Não sou eu que não consigo fazer isso direito nem na frente dos amigos.- Dei uma risada debochada. Ele me olhou sem entender. ー Fica contando exatamente tudo que nós fazemos, toda hora. Pareceu menina quando namora pela primeira vez. Por favor não jogue a culpa apenas em mim.- Virei para a janela e coloquei meu fone.

Chanyeol ficou quieto por um bom tempo. O carro ficou em um silêncio até a casa de Jongin. Já na porta da casa do indivíduo, que no caso era uma portona, Chanyeol entrou super animado e os meninos que haviam se encontrado na porta da escola, já estavam todos ali. Dei um oi pro pessoal e procurei um sofá para me sentar, não querendo pagar de anti social, só estava bem puta, no estilo cara de cu pra quem viesse falar comigo. 

Os meninos estavam esparramados no sofá e uns dois na cozinha trazendo comida e copos lotados de bebidas alcoólicas. Sehun estava num puff de frente para minha pessoa, e eu só olhava pra ele com uma cara que ele conhecia bem. Junmyeon, que não sabia se fazia alguma coisa ou me deixava quieta, estava sentado no tapete perto do meu pé, Kris e Lay estavam em seu próprio mundo, no sofá do meu lado, Kyungsoo, com sua cara de peixe morto, deitado perto de Sehun, e os Chanyeol e Jongin no meio da gente. 

Conversa vai, conversa vem, o interfone tocou e Jongin foi atender. Um pouco depois ele voltou com duas meninas, que nem me perceberam ali, e sentaram na rodinha. Uma delas tinha o cabelo tingido loiro, usava uma calça e uma blusa que deixava seus ombros à mostra, se minha vó estivesse aqui provavelmente ela teria batido em seus ombros, e um salto enorme para disfarçar sua pequena altura. A outra tinha cabelos castanhos, usava uma saia cheerleader e um cropped. Elas começaram a fofocar da escola, falavam mal de tudo e de todos, até da pessoa mais excluída que evita gente do seu tipo:

ー Aquele seu ex amigo, o Xiumin, tá todo mundo dizendo que ele é gay!- A morena disse.ー Ainda vou descobrir quem ele namora.- Deu um risinho frenético. Juro que eu tive vontade de vomitar. Chanyeol olhou para mim e deu uma risada disfarçada.

ー Provavelmente é aquele feio do Kim Jongdae...- A loira comentou. Meu, não fala do meu irmão não. Eu quase voei na cara dela.ー Dois feiosos juntos, nossa! Acho que vou pedir pro pessoal do jornal da escola colocar na primeira página. Deveria colocar aquela sua namorada também, como você teve coragem?- Perguntou séria a Chanyeol e começou a rir. Ninguém além da amiga dela acompanhou, todos os meninos olhavam para mim. Minha reação foi sair dali imediatamente.

ー Haru-ah!- Jongin me chamou mas eu continuei andando até a porta. Abri ela e fui correndo até o portão do condomínio. O que foi algo bem burro já que eu não sabia como abrir, parabéns Haru. Provavelmente o porteiro pediria permissão ao dono da casa, e eu estava com vergonha demais para isso.

Olhei em volta e o único jeito era sentar e chorar. Quer dizer, até tentei achar um jeito de sair mas eu só poderia voltar lá e pedir para Kai, o que eu não faria por estar magoada. 

ー Ei!- Um ser alto apareceu na minha frente e pegou na minha mão.ー Vamos, vou te levar a casa de Xiumin!- Chanyeol me levantou.

ー Qual é desse cavalheirismo todo? Achei que quisesse ficar e tomar cerveja com seus amigos.- Falei com um tom de deboche, já em pé.

ー Nada não, só não queria ficar mais lá, e eu não deveria ter te obrigado a vir...- Chanyeol olhou em volta como se tivesse com vergonha de dizer algo, até suas orelhas ficaram vermelhas.ー Des-... Desculpa!- Abaixou o olhar.

ー Tudo bem.- Bati em sua costas.ー Vamos logo, orelhudo.

ー Não se acostume!- Park disse firme, eu apenas mostrei a língua.

(...)
 

Contei exatamente tudo que aconteceu desde sábado á domingo para os meninos que se encontravam na casa de Minseok, que eram Luhan, Baekhyun e Chen. Parecia uma reunião de fofocas, todos sentados em círculo, comendo bobagens e falando sobre nossas vidas. No caso só a minha:

ー Mas a questão é: Você ainda odeia ele?- Baekhyun jogou na rodinha.

ー Eu não sei, não tenho ódio nem afeto, nem desgosto nem caroço.- Soltei um suspiro.

ー Desgosto nem caroço... Boa vou usar essa quando alguém me matar no LoL.- Luhan, o viciado comentou. 

ー Toda menina tem amigas meninas legais que dão conselhos e tudo aqui na Coréia, e eu tenho vocês... Seus nerds.- Fiz uma cara de desgosto.

ー Yah! Sem a gente você não é nadinha.- Jongdae mostrou a língua.

ー Ah eu esqueci de falar... Sei que é um assunto delicado então... Luhan e Baek.- Chamei atenção dos dois.ー Vocês podem sair um minutinho? Preciso falar com os dois...

ー Claro que sim, não quero ouvir bronca não.- Baekhyun disse brincalhão. Eles levantaram e saíram, provavelmente foram a alguma PC Bang. 

ー Então... O que quer falar com a gente, HaruHaru?- Xiumin tentou dizer sorrindo mas estava nervoso.

ー Eu sei que é horrível falar isso porquê são dúvidas de rumor e boatos mas... Vocês estão namorando?- Joguei logo as cartas na mesa. De primeira eles ficaram se entre olhando, nervosos...

ー Sim...- Disseram juntos de cabeças baixas.

KYAAAH*!!!!!- Gritei assustando-os.ー MEU DEUS POR QUÊ NAO ME DISSERAM ANTES??

ー Sabe... Hoje em dia é meio difícil ter uma reação positiva como a sua...- Jongdae entristeceu-se.

ー Ah...- Percebi que eles estavam desconfortáveis.ー Desculpa gente. Eu meio que extrapolei, teria sido melhor deixar vocês me contarem.- Sentei ao lado dos dois de novo.

ー Ah não se preocupe, Haru. Eu já ia te contar hoje.- Minseok me abraçou.ー Não se sinta mal. 

ー Eu devia ter percebido também. Se bem que foi rápido, né? Seus safados!- Olhei maliciosa pros dois.

ー Amor não tem hora nem lugar, você me disse isso uma vez quando tava apaixonada no ator Hong JongHyun.- Chen comentou. 

ー Yah!!! Ainda sou apaixonada nele, um dia ele vai perceber que o amor da vida dele sou eu...- Suspirei e deitei no chão.

ー Sua irmã é muito iludida, hein Chennie.- Minseok me zoou.

ー Deixa ela, amor, se não vai matar você.- Chen bateu de leve nas costas do Minnie.

ー Vocês são tão fofos que me fazem gorfar. Vou atrás dos dois gamers, beijos... Se forem transar usem camisinha.- Mandei beijos no ar e saí da casa de Minseok.

Eram quase oito da noite, devo ter perdido a noção do tempo. 

Logo que olhei para a rua, vi que o carro de de Chanyeol continuava ali, e o mesmo estava dentro do automóvel. Que garoto estranho, cruzes. Fui até o carro e assim que me aproximei, ele abaixou o vidro: 

ー Vou te levar para casa.- Sorriu.

ー Sério, o que deu em você hoje? Tipo isso tudo, por quê está fazendo isso se me odeia tanto?- Abri a porta e entrei no carro.

ー Se foi pra reclamar, por quê entrou no carro?- Chanyeol retrucou.

ー Yah! Me responde.- Disse firme.

ー E-eu... Eu não sei.- Disse por fim e deu partida no carro.

Não sei dizer se minha expressão era de indignação ou surpresa. Talvez os dois junto e misturado. Só sei que depois disso, ele ficou calado. Mas não do jeito de hoje à caminho da casa de Jongin, dessa vez ele dava impressão de que a qualquer momento iria chorar. Não parei de olhar para ele um segundo se quer, para ver se o incomodava, mas ele nem prestou atenção em mim, só olhava para rua. Um tempo depois, já parando de olhar para ele, finalmente disse algo:

ー Quando aquelas meninas disseram aquilo sobre você e seu irmão e quando eu quase fiz o que prometi fazer na festa da Krystal, eu sentia como se eu fosse você, na época que eu era pirralho.- Ele começou dizendo.ー Eu não podia ameaçar ninguém ou dizer que meu pai era tão rico que podia esmagar eles como insetos. Só podia aguentar firme e voltar para cada sorrindo para dar um motivo para minha mãe não sair de casa. O que não funcionou porquê... Logo que eu fiz 10 anos, cheguei em casa todo feliz pois havia tirado um 10 na prova de matemática, e queria mostrar para ela.- Deu uma pausa logo que paramos no semáforo.ー E meus pais estavam discutindo tanto que jogavam vasos e livros uns nos outros, até que minha mãe gritou que odiava a vida dela, e que queria que eu não tivesse nascido para ela ter que aguentar tudo aquilo. Aí ela saiu pela porta e... Ela nunca mais voltaria para ver a nota que eu havia tirado.- Ele já se encontrava em lágrimas.ー Desde então eu prometi a mim mesmo que nunca mais choraria e seria rude com todos que não fossem da mesma classe que eu.- O que foi uma ideia bem idiota né?ー Eu sei que parece ser uma ideia boba mas... Estava com raiva e ódio dela que eu não ligava mais pra morte dela. Ainda não ligo, mas...- Ele enxugou as lágrimas e estacionou.

ー Você pode não acreditar em mim mas... Ela estava num momento de raiva, todo ser humano no mundo, até o mais são, dizem coisas que as vezes podem ser irreparáveis depois quando estão com a cabeça á mil. Eu tenho certeza que se sua mãe aguentou um casamento em que ela não se sentia feliz por tanto tempo, foi porquê amava você. E amor de mãe é inquebrável.-Eu disse por fim, tentando acalmar Chanyeol.

ー Eu realmente espero que suas palavras estejam certas... Obrigado... Haru.- Agradeceu.

ー Você quer entrar?- Mudei de assunto.ー Minha tia vai jantar na casa da mãe de Sehun hoje e provavelmente chega tarde, Jongdae vai dormir na casa de Xiumin e Heechul tem que dar aulas as aulas noturnas até 2 da manhã. Ou seja, vou ficar sozinha, pobre e indefesa.- Suspirei e ele riu.

ー Isso seria um convite para me aproveitar de você?- Perguntou malicioso. Dei lhe um tapa.

ー Claro que não garoto! É que essas histórias de palhaços aparecendo do nada nos EUA me deu medo, daqui a pouco aparece aqui na Coréia também do jeito que informação e gente doida são rápidos.- Expliquei ao orelhudo.

ー Vamos jantar num restaurante então, você disse que não sabe cozinhar...

ー Yah!- O interrompi.ー Eu nunca te disse isso. Você anda me stalkeando aonde?- Perguntei surpresa e ele deu uma gargalhada pegando seu celular no bolso.

ー Você tweetou isso, eu tirei print pra te zoar.- Mostrou-me o tweet em que eu dizia "Vocês namorariam alguém que não sabe nem fazer arroz nem deixar queimar?".

ー Eu só disse que não sei fazer arroz direito, não que eu não sei cozinhar.ー Cruzei os braços e fiz bico.

ー Aham... Acredito.- Ele disse e deu partida no carro de novo. Comecei a rir um pouco.

Chanyeol agora aparentava ser totalmente o oposto do que eu achava que conhecia. De arrogante e nojento para sensível e fofo, uma grande reviravolta. No momento estamos cantando Cheer Up da Twice e ele fez um ShyShyShy dirigindo. Quem te viu, quem te vê. Espero que isso tudo não seja um tipo de truque para eu acabar sendo humilhada, sério é um trauma de filme de bullying. 

Mas tudo aparenta ser paranoia minha, espero...
 


Notas Finais


*expressão japonesa para surpresa ou gritos em geral.

roupinha linda para casita do kai: http://www.polyvore.com/m/set?.embedder=3963200&.svc=copypaste&id=209325853


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...