História Unrequited Love (Camren G!p) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Demi Lovato, Fifth Harmony, Kendall Jenner, Kylie Jenner, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Kendall Jenner, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Selena Gomez, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Ally Brooken, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Norminah, Romance, Vercy
Visualizações 1.223
Palavras 1.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii meus amores, estão bem? Espero que sim! ❤

Mil desculpas pela demora.

No capítulo anterior vi que muita gente me apoiou e algumas discordou, claro era as opiniões delas. Eu amo todos vocês, até mesmo as que discordaram! ❤

Notas finais!!👇

ENJOY!

Capítulo 22 - Capítulo - 22


Pov Lauren

No dia seguinte

Acordei com meu celular tocando, peguei o mesmo que estava do lado meu lado na cama. Olhei para o visor. Era Vero.

Ligação ON

— O que foi? – perguntei bufando.

— Você topou o que Lauren? O exército? – perguntou curiosa.

— Sim, Vero! – revirei os olhos.

— A tia já sabe?

— Não, eu acordei agora, quando ela chegar do trabalho vou conversar com ela sobre.

— Tomare que ela aceite, já já eu chego aí!

— Tá!

Ligação OFF

Joguei o celular na cama e voltei a dormir.

(…)

Depois de Vero ter pulado em cima de mim enquanto dormia, e nós ter quase se matado, pois eu odeio quando ela faz isso, estava tudo bem.

— Cara eu já tô até imaginando como vai ser o máximo! – disse e eu a olhei confusa.

— O que? – ela revirou os olhos.

— O exército!

— O máximo é, vai ser muito é sofrido isso sim. – disse e ela deu de ombros.

— Foda-se! – disse e eu achei graça da cara que ela fez.

— Mais e aí? Você e a Lucy? – perguntei e ela fechou a cara mais ainda.

— Foda-se ela também, não posso fazer nada, a Keana é minha prima e não vou ignorar ela só por causa de uma briga causada entre elas que eu não tenho nada a ver. – disse e eu concordei. — Amanhã vamos na casa de Dinah? Tenho certeza que a tia Clara vai deixar você se alistar, daí vamos nos despedir dela, ela virou uma amiga de verdade pra nós! – disse sorrindo.

— Então tá né. – só não espero encontrar quem eu quero muito lá, completei em pensamento.

— Ei vem cá? Você já viu o tal amigo da Tay? – Vero perguntou mudando de assunto.

— Não, não faço a mínima ideia de quem seja. Nunca vi ela com nenhum garoto, só as amigas dela. – disse e Vero concordou dando de ombros.

— Tô com fome! – exclamou Vero fazendo uma careta.

— E o que eu tenho a ver com isso? – perguntei e ela revirou os olhos.

— Você é minha empregada, tem que fazer um lanche pra mim agora. – disse se gabando e levantando do sofá.

— Coitada, se você for esperar que eu faça, pode ficar aí sentada, levanto daqui nem morta. – disse e deitei no sofá. Ela gargalhou.

— Vamos sua preguiçosa, não faz nada, vamos fazer um lanche! – disse me puxando pelo braço.

— Vero você é muito chata! – bufei levantando contra gosto.

— Também te amo. – disse sorrindo, revirei os olhos.

(…)

O dia tinha passado muito rápido. Já tinha anoitecido e Vero continuava na minha casa, me infernizando, ela não tinha nada pra fazer, só encher meu saco mesmo.

Estávamos assistindo um filme de ação, Tay tinha chegado da escola e saído com suas amigas para o shopping, Chris estava no seu quarto jogando videogame.

Escutei um barulho de porta sendo aberta e logo olhei para a mesma.

Minha mãe entrava, sua feição era de cansada. Ela segurava sua bolsa preta, uma maleta também preta e vestia sua roupa social.

— Mãe, deixa eu ajudar a senhora?!? – levantei do sofá e fui até ela rapidamente.

— Não precisa Lauren. – disse, dei de ombros não dando atenção para a mesma.

Peguei sua maleta e a bolsa, que estava bem pesada por sinal. Coloquei em cima do outro sofá que estava vago.

Olhei pra ela novamente e ela tirava seus saltos soltando um gemido de alívio.

— Tia, como a senhora aguenta usar esses troços? – perguntou Vero se referindo ao saltos da minha mãe.

— Já estou acostumada Vero! – disse e sorriu.

— Eu não usaria isso nem a pau. – Vero disse e soltei uma gargalhada acompanhada da minha mãe.

— Onde está Tay e Chris? – minha mãe perguntou me olhando.

— Tay saiu com suas amigas e Chris tá lá em cima jogando videogame. – dei de ombros. Ela concordou e saiu para a cozinha. Voltou da cozinha com um copo de água, bebeu o mesmo, deixou em cima da mesinha que tinha na sala e subiu as escadas.

Olhei pra Vero e ela tinha um sorriso no rosto.

— Que foi retardada? – perguntei e ela fechou a cara no mesmo instante, pegou uma almofada do sofá e jogou no meu rosto. — Aí sua idiota! – bufei e ela gargalhou. Peguei a almofada que se encontrava no chão e joguei no rosto dela.

— Vocês se amam hein! – ouvi Tay falar. Ela entrou com sua amiga que olhava pra mim com um sorrisinho. Porém eu não sabia o motivo. Seu olhar desceu novamente para a minhas pernas e aí saquei na hora. Eu estava com um calção fino cinza que marcava claramente meu pau. — Vamos Sofi! – disse e subiu com a amiga.

— Quem é essa? – Vero perguntou.

— Eu lá sei! – dei de ombros.

— Sim, você vai dizer para sua mãe né, a claro vai sim eu vou ajudar você a convencer ela. – disse Vero.

— Convencer? Você não estava tão confiante. – disse.

— Sim, mas só pela cara da tia ela com certeza está naqueles dias.

(…)

A amiga de Tay ficava só me encarando, quando ela finalmente foi embora consegui respirar direito, a garota não tirava o olhar de mim, Vero só achava graça da situação.

Ia dar uma nove horas da noite. Todo mundo já tinha jantado, meu pai ainda não tinha chegado. Só estava na sala eu, minha mãe e Vero.

— Palmito essa é a hora! – disse Vero fazendo eu soltar uma risada. Consegui para de rir e olheinpara minha mãe séria.

— Mãe, a senhora pode conversar? – chamei e ela olhou pra mim desconfiada.

— Claro. – disse e deu uma colherada na sua sobremesa.

— Eu e Vero vamos nos alistar para o exército. – disse.

— Ah sim. – disse e olhou para a televisão. Vero bateu na minhas costas comemorando. Eu ainda olhava pra minha mãe. — Espera você vai o que? – Ela pareceu não se ligar do que eu tinha falado e me olhava com os olhos arregalados.

— Se alistar para o exército com Vero. – disse e ela se levantou do sofá e começou a andar de um lado para o outro. Eu e Vero já estávamos tontas de tanto a olhar andar. — Mãe, da pra senhora parar de andar de um lado para o outro? – perguntei e ela parou sentando no sofá novamente.

— Lauren e Veronica, vocês estão loucas? – ela perguntou nos olhando.

— Claro que não tia, a gente não faz nada, só trabalhamos naquele parque, além disso, mais nada. Nem eu e nem a Lauren tínhamos decidido o que iríamos fazer para cursar na faculdade, então resolvemos nos alistar. A senhora vai deixar ela se alistar? – perguntou Vero fazendo um rostinho fofo, eu estava me segurando pra não gargalhar. Porém ainda continuava séria.

— Vou pensar nisso. – minha mãe saiu pra cozinha.

(…)

Vero decidiu ir pra casa pois Keana estava sozinha e os pais dela estava viajando.

Eu ainda estava acordada assistindo minha série quando alguém bateu na porta do meu quarto.

— Entra! – disse e minha mãe entrou pela mesma, vestindo seu babydool preto.

— Filha, você quer mesmo se alistar? Você tem certeza disso? – perguntou e sentou na beirada minha cama.

— Sim mãe, tenho nada a perder, e eu não tenho nada em mente para faculdade, não iria valer a pena eu cursar algo que eu não goste. Então é melhor assim mesmo, só falta a senhora aprovar isso. – disse e voltei a atenção para a Tv.

— Tudo bem, eu aprovo isso, eu pensei muito bem sobre e concordo. – disse fazendo eu a olhar com os olhos arregalados e surpresa.

— Mãe é sério? – perguntei e ela concordou.

— Sim, se você quer realmente isso, eu não vou discordar, é uma coisa que você quer. – disse sorrindo. Abracei ela.

— Mãe você não existe. – disse sorrindo ainda a abraçando.

— Existo sim! – disse ela dando uma risada. Levantou da minha cama. — Agora eu vou dormir, estou exausta. – disse.

— O pai já chegou? – perguntei.

— Sim, ele já está dormindo. – disse e eu concordei.

— Tá certo, boa noite. – disse e ela saiu do quarto dando boa noite.

Liguei pra Vero na mesma hora que ficou muito alegre com a notícia. E confirmou que amanhã nós iríamos na Dinah.

Eu não gostava de despedidas, eu odiava isso, e logo se despedir das amizades que eu fiz e me apeguei tão rápido, isso não iria ser legal. Porém eu teria que fazer isso. 

Iria ser difícil, mas..


Notas Finais


Gente como eu voltei para as aulas e tá tudo muito corrido, decidi postar um ou dois capítulos por semana, pois eu tenho outras histórias para atualizar e fica difícil. Então peço que compreenda isso.

Bom, até o próximo cap, beijocas 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...