História Until I Disappear - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Ghost Shipp, Romance, Yoonmin Au
Visualizações 30
Palavras 2.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~Heyo!
Eu demorei de novo né?
Por favor não me matem, eu tava meio ansiosa em relação à algumas coisas (tipo esse maldito final de bimestre) e isso me deixou com um pequeno bloqueio - logo quando eu tinha apagado boa parte desse capítulo para reescrever -, mas vocês podem me perdoar, sim?
Ok, não quero enrolar aqui.
Tenham uma boa leitura :3

Capítulo 5 - Todos temos costumes


Já se fazia uma semana que Jimin havia encontrado Yoongi em sua mesa na cozinha, e desde então o garoto parecia nunca mais ter tido uma boa noite de sono.

Depois daquela tarde junto aos idosos, Jimin usou a noite que iria descansar para tentar entrar em contato com a neta da Sra. Yoon, mas sem sucesso. Custou muito para convencer Yoongi de esperar o final de semana passar para conseguir falar com a mulher, mas depois de explicar várias coisas o de cabelos claros se deu por rendido.

Yoongi era muito insistente quando queria.

O primeiro dia da semana passou de forma rápida, tendo em conta que Jimin havia conseguido um horário para conversar por telefone com a mulher e Yoongi até que não havia incomodado-o muito.

Porém, na terça-feira, o garoto de cabelos brancos estava um tanto agitado, e Jimin até tinha medo de perguntar para o outro. Optou por deixar o clima tranquilo como estava, pelo menos Yoongi assim não tirava seu gatilho de tagarela.

– Bom dia Jimin, como foi o seu dia ontem? – uma colega da classe de Taehyung cumprimentou Jimin assim que quase esbarrou no garoto na entrada da universidade.

– Foi até que bem tranquilo SangHee, e o seu?

– Foi bom, mas eu devia te avisar que o Taehyung não parece tão bem assim.

– Você acha que houve alguma coisa? – perguntou Jimin, procurando um lugar para se sentar no pátio do lugar.

– Bem, ontem estávamos fazendo o nosso trabalho juntos e ele parecia um tanto nervoso, mas eu não perguntei nada pois achei que seria falta de educação. Ele parece estar aflito com alguma coisa; ele é um ótimo amigo, e eu sei que você se importa com ele, então só queria que você ajudasse ele no que seja. Nao é muito bom ver um amigo desse jeito…

– Entendi. Bem, primeiramente eu tenho que ver ele, e depois você pode ter certeza de que eu vou falar com ele.

A garota lhe deu um sorriso simpático, apertando de leve seu braço e depois se despediu do garoto.

– Eu não gosto dela. – comentou uma voz atrás de Jimin que o fez pular do banco em que estava sentado.

– Yoongi! Céus, você deveria aparecer como um alguém normal, sabia?

– Quem nesse século usa "céus" como expressão? E eu não sou normal, como pode ver… – o outro parou em sua frente e aponto para si. – O que aquela garota queria?

– Me impressiona que você não tenha ouvido. Ela é amiga do Taehyung, e as vezes conversamos, ela é uma garota muito inteligente por sinal.

– Eu não gostei dela. – concluiu Yoongi.

– Você não precisa gostar, nunca vai falar com ela mesmo.

Yoongi pôs a mão em seu peito, fingindo ter sido ofendido.

Antes que protestasse qualquer coisa, Jimin levantou de seu banco e foi em direção às salas de aula.

– Você ama me deixar falando sozinho, não é Jiminie? – gritou Yoongi de longe.

Jimin apenas deu um pequeno sorriso e continuou o seu caminho.

 

As aulas de economia eram um tanto desinteressantes para Jimin, pois algumas vezes torcia o nariz para tanta teoria chata, porém era um dos melhores de sua sala, e o professor tinha uma admiração pela dedicação do garoto.

É claro, contanto que nem Jimin e nem ninguém o atrapalhasse em sua parte teórica.

– O que você vê de tão legal em ciências sociais? – comentou Yoongi, que se encontrava sentado em cima da mesa vazia ao lado de Jimin. – Desculpe, mas eu realmente não entendo a área de humanas, sempre fui mais de linguagens.

Jimin apenas ignorou o mais velho assim como todos os seus outros comentários; queria passar aquela manhã de forma calma e sem estresse.

– Você até que você seria bom num curso de ilustração, pelo o que eu estou vendo desses desenhos que você está fazendo ao invés das anotações que o seu professor está falando...

Jimin começou a batucar a mesa seus dedos, coisa que, Yoongi já havia percebido, ele fazia quando estava nervoso ou com raiva.

O de cabelos claros levantou as mãos em sinal de rendição, voltando-se para a frente e se levantou da mesa, passando a andar pela sala de aula de forma distraída.

"Ok, eu não vou me estressar hoje." pensou Jimin "É só fingir que ele não está aqui, assim como todos fazem e…”

Os pensamentos do garoto são interrompidos quando sente seu celular vibrar em seu bolso. Tirou o aparelho com cuidado e olhou para tela, se surpreendendo com o nome que aparecia piscando ali.

"Chamada de Srta. Yoon”.

– Não vai atender não? – perguntou Yoongi, que apareceu atrás de Jimin.

– Não posso. – Jimin sussurrou.

– Deve ser importante.

– Não...

– Você está esperando essa ligação dela faz dois dias.

– Yoongi.

– É só atender e…

– Fique quieto!

Um silêncio em massa parecia ter surgido naquela sala.

Só depois de perceber que a sala inteira o encarava Jimin notou que havia gritado, e até o seu professor havia parado de escrever enquanto falava para olhar nos olhos do moreno com um olhar sério.

– Park Jimin, por acaso está com algum problema?

Quando o professor Jihyun falava daquela forma, Jimin se sentia a pessoa mais culpada do mundo, mesmo quando não era direcionado a si. Porém dessa vez o professor olhava em seus olhos e continuava com uma cara séria.

– Desculpe-me Sr. Jihyun-ssi, eu só estava ouvindo umas vozes... Mas eu não deveria ter gritado. Eu acho que acordei um pouco estressado.

O homem estreitou os olhos por alguns instantes, depois suavizou sua expressão.

– O.K. Eu não vou implicar porque é a primeira vez que você dá uma dessas, e espero que seja a última. Se você não estiver passando bem, pode tomar um ar.

O garoto se levantou mais do que depressa, saindo da sala de cabeça baixa para ninguém notar o seu rosto vermelho de vergonha.

"Yoongi, eu te mato" sussurrou Jimin enquanto andava a passos pesados até o banheiro no corredor das salas.

 

A loja naquela tarde estava consideravelmente vazia, tendo passado no máximo três pessoas durante todo o expediente de Jimin.

Assim que as sua aulas acabaram, Jimin praticamente exigiu que Yoongi fosse para a casa do Park para não incomodá-lo em seu trabalho, e dessa vez (surpreendentemente) Yoongi assentiu sem contestar indo para o caminho oposto do outro sem antes lembrá-lo de retonar a ligação de manhã.

– Anda… Por favor, atenda. – murmurou Jimin enquanto pressionava o seu aparelho com cuidado em suas mãos.

Já se passaram três horas de expediente, e Jimin já devia ter ligado pelo menos umas cinco vezes de volta para a mulher - pensou em ligar mais vezes, mas não queria parecer desesperado. Só na sexta vez que  conseguiu ouvir uma voz feminina do outro lado na linha falando de forma séria.

Escritório de relações públicas, Yoon Sunhee falando.

– Senhora Yoon... digo, Srta. Sunhee-ssi. Você não me conhece mas eu sou Park Jimin, e por recomendação da sua avó, Sra. Yoon, eu queria tomar um pequeno tempo da sua agenda para conversar.

Uh… E o que teria a me dizer?

Jimin precisou de alguns segundos para pensar. Ele não tinha pensado em como iria e nem sobre o que falar com ela.

– É um assunto meio… esquisito, entende? Tem a ver com algo fora do natural, e sua avó me disse que você é a melhor pessoa para eu falar sobre isso.

Acho que agora estou entendendo o que você quer dizer. – a mulher no outro lado da língua não parecia mais falar de forma rígida, o que de certa forma tranquilizou Jimin. – Acho que você poderia ir até a minha empresa para conversarmos, aos sábados eu não sou tão atarefada. Seria bom pra você?

Concordou com a cabeça, quase se esquecendo de que falava ao telefone.

– Sim sim, eu acho ótimo.

Eu te mandarei o endereço da empresa. Ah, e se tiver um tempo, mande um beijo para a Sra. Yoon.

Jimin se despediu da mulher com um sorriso enorme em sua cara estampando um alívio que não sentia há dias.

 

As pernas de Jimin pareciam ter sido moídas por um moedor de carne em tamanho humano quando saía de seu turno. Como não tinha muito que fazer, Sr. Jung achou que seria uma boa ideia ocupar Jimin com tarefas adiantadas, por isso o garoto passou o resto do seu turno fazendo a troca dos produtos das prateleiras, em seguida tendo que correr para o correio passar um endereço de entrega.

O trabalho foi duro, mas o garoto não tinha o que reclamar, o seu chefe sabia que precisava do salário para se sustentar e por isso lhe pagava bem por seu eficiente serviço meio-expediente, e Jimin precisava mesmo se focar em sua rotina e não acabar enlouquecendo com Yoongi.

Sabia que assim que colocasse os pés em sua casa seria martelado de perguntas do mais velho, por isso nem fazia questão de se apressar em sua caminhada.

Porém, assim que abriu a porta de sua casa, não ouviu nenhum barulho suspeito ou um garoto de fios claros gritando por seu nome. Era estranho, mas Jimin sentia que faltava alguém ali, e não era a sua irmã, pois Saeng estava passando a semana na casa de um amigo; resolveu subir até seu quarto e tomar um banho quente para relaxar como não fazia a muito tempo.

Antes de entrar embaixo do chuveiro, Jimin encarou o seu reflexo no espelho e deu um longo suspiro enquanto percebia já pequenas olheiras em seu rosto, fruto de longas noites estudando sem dormir.

"Lembrete: salvar o futuro do meu rosto".

Logo o garoto entrou debaixo do chuveiro e, quando a água quente passou a cair sobre as suas costas, já sentia os seus músculos relaxando.

— Recapitulando, sábado iremos sair pela manhã de ônibus para a cidade vizinha onde Yoon Sunhee passará o endereço de seu local de trabalho, e com isso vamos tentar descobrir por que…

— Só você pode me ver sendo que eu nem devia estar aqui? Justo. - uma voz dentro do banheiro ecoou até os ouvidos de Jimin, que pôs a mão na boca para abafar um grito de susto.

— Eu não sabia que você falava sozinho. - caçoou Yoongi.

Jimin procurou pelos cantos a origem da voz do mais velho, e tomou um pequeno susto ao encontrar Yoongi sentado em cima da pia do banheiro balançando as pernas no ar. O vapor da água que saía do chuveiro embaçava a visão de Jimin, mas podia ver claramente o outro sorrindo.

— Yoongi!

— Que foi? Pensei que gostaria de me ver, se estava falando sozinho é por que estava com saudades de um belo Yoongi.

Jimin revirou os olhos.

— É um costume meu, as vezes vou planejando as coisas e listando tudo em voz alta. É bom pra se concentrar, mas a minha mãe me achava um pouco louco.

— É um costume peculiar, porém todos temos costumes.

— O.K. Yoongi, agora você pode sair daqui, não é um lugar apropriado para conversas.

O mais velho bufou.

— Ah Jimin, não é comi se eu nunca tivesse te observado enquanto trocava de roupa; é normal.

Jimin estava pronto para rebater quando pensou mais um pouco.

— Mas isso é… Espere, você me vê trocando de roupa?

O outro se levantou da pia do banheiro e encarou o garoto de cabelos castanhos com um pequeno sorriso.

— Não, mas pensando bem isso não é uma má ideia.

 

 

"Onde Yoongi se meteu dessa vez?"

Enquanto a noite caia sobre a cidade e as luzes artificiais já ofuscavam um céu cheio de estrelas, Jimin estava mais preocupado em descobrir o paradeiro de seu hyung, que parecia gostar de sumir do nada.

Como não havia achado o garoto dentro de sua casa, foi até a parte de trás da residência onde tinha o quintal. Não achava que iria encontrá-lo ali, mas era o último lugar onde poderia procurar.

Apertou-se em sua blusa quando uma brisa fria tocou-lhe assim como o todo ambiente. Percorrendo os olhos pela pequena área verde onde ali estava, Jimin ficou surpreso ao encontrar a figura de um garoto deitado na grama olhando para o céu.

Yoongi percebeu a presença do outro e abriu um sorriso, acenando para se sentar perto de si.

— Eu me lembrei de uma coisa hoje, mais especificamente um costume. Não sei quando eu fazia isso, mas sei que tenho a lembrança de estar deitado na grama de algum lugar qualquer, seja de dia ou de noite; parece algo que eu fazia sempre.

O céu estava nublado, mas mesmo assim Yoongi o encarava com um sorriso que Jimin nunca havia visto em seu rosto. Um sorriso alegre e contagiante.

— Claro que deve ser Yoongi-hyung. Afinal, todos temos costumes, não é?


Notas Finais


Eu sou muito stan do Yoongi ousado sim, me processem
Ah, quem nunca deu um grito do nada na sala e sentiu a vergonha alheia na pele, né non? Ou é só eu mermo? Recomendo que façam que nem o Jimin ;)
Falando em Jimin, eu não ando acompanhando tanto a tour deles mas só queria declarar que ALGUÉM PELO AMOR DE DEUS FAZ UMA HIDRATAÇÃO NO CABELO DO JIMIN, AGRADECIDA
Pronto, desabafei =^^=
Bem, é isso. Espero que tenham gostado e até a próxima sexta (dessa vez é de verdade)
Beijinhos! sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...