História Until you save us from Darkness - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Aurora de Martel, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Derek Hale, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Isaac Lahey, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Lydia Martin, Malia Tate, Marcellus "Marcel" Gerard, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Scott McCall, Stefan Salvatore, Stiles Stilinski
Tags Delena, Haylijah, Klaroline, Revelaçoes, Stebekah, Stydia, Teen Wolf, The Originals, The Vampire Diaries
Exibições 165
Palavras 2.718
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OI OI! Eu disse que essa semana ia ter capítulo e olha eu aqui!
Esse capítulo é importante para explicar o que vai vir por ai!!
Noticia boa: A segunda temporada está a todo o vapor! Ansiosos?
9 capítulos até a season 2 <//3

LEIAM AS NOTAS FINAIS <3

Boa leitura, XOXO, Laís <3

Tradução do título: Aquele onde a rainha H começa a sua vingança

Capítulo 13 - The one where the Queen H begins your revenge


Fanfic / Fanfiction Until you save us from Darkness - Capítulo 13 - The one where the Queen H begins your revenge

‘’[...] Bem-vindo à sua vida

Não há como voltar atrás

Mesmo enquanto dormimos

Nós vamos encontrá-lo

Estando em seu melhor comportamento

Vira as costas para a mãe natureza

Todos querem governar o mundo
 

É o meu próprio projeto

É o meu próprio remorso

Ajuda-me a decidir

Ajuda-me a tirar o máximo da

Liberdade e do prazer

Nada dura para sempre

Todos querem governar o mundo [...]’’

 

Caroline e Hope conversavam normalmente quando Lydia abriu a porta do quarto, se juntando as amigas.

– Hey, Lyds! – Hope cumprimentou a amiga. – Eu escutei a sua conversa com a minha mãe, o que você queria comigo?

– Oh, é que Stiles me disse que você e Caroline tinham viajado para pegar o corpo do irmão da vagabunda ruiva, e eu queria saber se isso é verdade. – Lydia Explicou.

– É verdade. Nós fomos ontem a noite, agora ele está em um galpão, aqui mesmo, na cidade. – Hope explicou. – Por quê?

– Sei lá, você acha isso uma boa ideia? – Lydia perguntou preocupada. – Eu não acho que isso seja bom, Hope.

– Aurora merece, ok? – Caroline se pronunciou. – É uma vingança antiga, nós sabemos, mas aquela vadia merece.

– Eu sei que Hope tem os seus motivos, mas eu estou sentindo algo estranho nesses últimos dias. – Lydia confessou.

– Como o que? – Hope perguntou.

– Eu sinto, de uma forma muito estranha que isso não vai dar certo. – Lydia disse. – Eu sinto como se algo muito ruim fosse acontecer. É bizarro, mas eu sinto.

– E isso começou quando? – Caroline perguntou.

– Há alguns dias, um tempo depois de Hope me dizer que começaria uma guerra contra a Aurora. – Lydia disse. – Eu não sei se a vingança dela vai dar errado, ou se algo que Hope fizer irá fazer com que Aurora tome uma decisão drástica, mas eu sinto que algo muito ruim vai acontecer.

– Lydia, vai ficar tudo bem. Eu prometo. – Hope disse acalmando a amiga. – Eu vou acabar com isso o mais rápido o possível. Nada de ruim vai acontecer.

– É, Lyds! Nada de ruim vai acontecer, ok? – Caroline confirmou as palavras de Hope. – Tudo vai acabar bem.

– Eu espero que sim porque eu vejo que se isso não sair da maneira certa Hope caminhará para uma escuridão imensa onde ela só sentira dor e culpa. – Lydia disse.

– Tudo bem... – Caroline disse tentando mudar de assunto. – Que tal falarmos de hoje a noite, hum?

– É! É seu aniversário, Lyds! – Hope disse animada. – É noite das meninas.

– Dança, bebida, meninos... – Caroline disse tentando animar a ruiva. – Vai ser a melhor festa de todas, não acha Hope?

– Claro, Care. – Hope disse concordando com as palavras da amiga. – E você, Lydia, o que acha?

– É, vai ser uma grande festa! – Lydia disse se animando com as amigas.

[...]

Quando a noite caiu todos na mansão dos Mikaelson sabiam o que aquilo significava: Festa! Hope, Caroline, Elena, Hayley e Freya se arrumaram para a festa de aniversario de Lydia e assim, seguiram para a festa.

A boate estava fechada exclusivamente para Lydia e seus convidados (Uma das grandes vantagens de ser amiga de vampiros que podem hipnotizar humanos). E desta forma, todos ali presentes eram conhecidos, Allison, Malia, Kira, Scott, Stiles, Liam, Isaac, Derek, Erica, e vários outros convidados.

A musica estava alta e todos se divertiam como nunca, mas no meio da festa Hope recebeu diversas ligações de Damon, que não só assustou a híbrida, como também a preocupou.

– Hey Lydia, eu tenho sair por alguns minutos. – Hope disse tirando a atenção da amiga da alta e barulhenta musica que tocava. – Eu já venho, ok?

Lydia apenas assentiu, pois não tinha entendido nada do que a amiga havia dito.

Quando a Mikaelson saiu da boate, ela acabou sendo surpreendida por uma pessoa do passado: Christopher.

– Olá, querida. – Christopher disse tirando a atenção da Mikaelson do celular. – Sentiu minha falta?

– Christopher... – Hope disse recuperando a sua paciência. – Eu acho que eu te chutei da ultima vez em que nos vimos, certo?

– É, eu me recordo de algo assim, mas você deve saber que eu não desisto com facilidade. – O loiro disse com convicção.

– Você pode até não desistir, mas eu sim. Adeus. – A Mikaelson disse andando pelas ruas de Beacon Hills sem se importar com Christopher.

– Ei! – Christopher chamou por Hope. – Você não pode pelo menos me dar uma chance, Ali? Pelos velhos tempos?

– Christopher, por favor... Não. – Hope disse claramente cansada daquele assunto. – Eu tenho que ir, ok?

– Um café! – Christopher continuou. – Uma única xicara de café e depois se você não quiser mais me ver, eu vou entender.

– Um café e eu nunca vou ter que olhar na sua cara? – Hope perguntou.

– É tudo o que eu peço. – Christopher disse e logo depois deixou que um sorriso escapasse.

E assim Christopher e Hope seguiram até a cafeteria mais próxima, para Christopher tudo aquilo não passava de um plano para que Aurora e Katherine consigam o corpo de Tristan, e para Hope aquilo era um tédio sem fim já que ela estava saindo da festa de Lydia para encontrar Damon.

– Já estamos aqui então vamos pedir esse café a acabar com isso o mais rápido possível. – Hope disse completamente irritada.

– Você diz como se estivesse que estar em outro lugar. – Christopher notou.

– É porque eu tenho que estar em outro lugar.

– Eu achei que minha companhia te agradasse.

– Se estivéssemos nos anos 20 e eu fosse uma humana sem sal isso poderia até ser verdade, mas não é.

– O que aconteceu com a doce menina que eu namorei há 98 anos atrás? – Christopher perguntou como se não soubesse a resposta.

Hope pensou na pergunta de Christopher por alguns minutos e quando estava pronta para responder foi surpreendida pelo seu celular, que começou a tocar.

– Só um minuto. – Hope disse retirando o celular da jaqueta de couro que usava. – É o Damon, eu preciso atender.

– NÃO! – Christopher gritou. – Como vou provar que sou uma nova pessoa se você me troca pelo o seu amigo, hum?

– Está pedindo para eu escolher entre você e ele? – Hope perguntou.

– Sim, eu estou.

– Tudo bem então, tchau Christopher. – Hope se levantou da cadeira e começou a ir em direção a saída da cafeteria, mas foi impedida com Christopher.

– Eu estava brincando. Você pode atender. – Christopher disse sem graça.

– Acontece que o celular parou de tocar há minutos atrás. – Hope bufou. – Vou esperar ele retornar.

Christopher e Hope ficaram ali naquela mesa apenas esperando Damon dar um sinal de vida, mas nada. A Mikaelson já estava quase desistindo quando a salvação bateu em sua porta, ou para ser mais exata, bateu em sua mesa.

– HOPE! Eu preciso da sua ajuda. – Derek disse claramente desesperado. – Stiles está ferido e... Eu acho que não vai dar tempo de chegar até o Hospital.

– O QUÊ? Oh meu Deus. O que aconteceu? – Hope perguntou claramente preocupada.

– Eu te explico no caminho, vamos! – Derek pegou na mão da Mikaelson e saiu daquela cafeteria o mais rápido o possível. Rápido o suficiente para Christopher não conseguir fazer perguntas.

– O que você está fazendo ai parado? Vamos! – Hope disse sem paciência. – Stiles está ferido, temos que ir logo.

– Stiles está bem. – Derek explicou. – Isso foi só para te tirar daquela cafeteria sem que o idiota do seu ex-namorado vampiro fizesse perguntas.

– Você mentiu?! – Hope perguntou claramente irritada. – Olha, obrigada aquele ‘’encontro’’ estava uma merda, mas por que você mentiu, Derek?

–  Damon está correndo perigo, Hope. Eu não entendi muito bem, ok? Mas você não pode confiar no Christopher. – Derek explicou.

– Derek, me explica isso melhor, por favor. – Hope disse tentando entender o que Derek estava tentando dizer.

– Damon me ligou, e na conversa eu vi duas mulheres conversando sobre o Christopher estar enrolando você na cafeteria, sobre um homem chamado Tristan e uma vingança relacionada a matar alguém. 

– AH MEU DEUS! MERDA! – Hope gritou. – Damon me ligou, mas eu não consegui atender!PUTA MERDA!  

– O que você vai fazer? – Derek perguntou.

– Vou salvar o Damon antes que seja tarde demais. – Hope disse. – Avise os outros!

[...]

Assim que Derek deu o recado de que Damon corria perigo, Hope foi o mais rápido que pode até o galpão onde ela sabia que Tristan estava e que claro, seria onde ela iria encontrar Aurora e seja lá quem mais estivesse com ela.

– AURORA! – Hope gritou. – APAREÇA ANTES QUE EU TE ENCONTRE, VADIA!

– Hope! – Aurora surgiu assim que ouviu os gritos da híbrida. – Veio se unir a diversão?

– A única coisa que eu vou unir é a minha mão no seu coração. – Hope disse sem paciência. – Diga a onde o Damon está!

– Oh, o Salvatore do mal. – Aurora disse. – É, eu estou com ele. E dai?

– Sério? Você ainda desafia uma pessoa que não pode vencer? – Hope perguntou sarcástica. – Você não tem amor a própria vida?

– Eu cansei das suas ameaças vazias, Mikaelson.

– Então me deixe fazer uma que eu iriei cumprir com prazer. – Hope fez uma pausa. – Solte Damon e eu não irei te matar... Hoje.

– Bom, eu posso soltar Damon, mas quem vai salvar a doce Elena?

– Como assim, Elena? – Hope perguntou confusa. – Elena está na festa da Lydia.

– Será que estava? Tem certeza que era realmente a Elena? – Aurora perguntou irônica.

– Katherine... – Foi tudo o que Hope disse.

– Ponto para você! – Aurora disse animada. – Oh, você não sabia que ela me ajudava? Ela, Christopher, Esther estão do meu lado. O lado que quer acabar com você e com a sua família.

– Não importa. – Hope disse sem dar importância. – Assim matamos todos de uma vez, certo?

– Chega de papo, Hope. – Aurora disse determinada. – Vamos deixar isso menos entediante. Siga-me.

Aurora e Hope caminharam por aquele enorme galpão até Hope encontrar Damon e Elena aprisionados.

 – Olha quem veio salva-lo, Salvatore. – Aurora disse sarcástica. – É uma pena que ela só poderá salvar um de vocês, não é?

– Eu vou salvar os dois, Aurora. – Hope disse com os dentes trincados de raiva.

– Você pode QUERER salvar os dois, mas querer não é PODER, Hope. – Aurora disse vitoriosa. – Os dois estão em lados opostos, não tem chance de um deles sair com vida daqui.

– Existe uma maneira que é matando você, sua vadia miserável! – Hope disse calculando as possibilidades que tinha de salvar Damon e Elena ao mesmo tempo, mas Aurora estava certa, não existia uma maneira logica de Salvar os dois ao mesmo tempo.

– Então, escolha um, Hope. – Aurora disse observando o impasse que ela mesmo tinha formado.

Hope observou a situação por alguns minutos e pensou na melhor estratégia para poupar a vida de Damon e Elena.

– Eu já escolhi. – Hope disse entrando no jogo de Aurora. – Elena.

– Oh, sério? Eu jurava que a pequena Gilbert não iria passar dessa noite. – Aurora disse surpresa ao ouvir a escolha de Hope. – Pois bem, eu sou justa. Elena é toda sua.

Hope correu até Elena, a libertou de suas correntes e contra a vontade da morena a forçou a beber seu sangue.

– Eu sinto muito, Elena. – Hope sussurrou para a Gilbert que não acreditava no que a Mikaelson havia feito. – Eu não posso deixar o Damon morrer.

Antes que Aurora pudesse fazer algo contra Damon, ela sentiu ser jogada com tudo contra a parede.

– Sério? – Ela perguntou. – Você não pode salvar os dois, Hope! Você fez a sua escolha!

– Eu posso salvar os dois, e eu vou. – Hope disse determinada.

– Eu acho que terei que te dar outra lição.

– Eu vou adorar ver você tentar. – A Mikaelson disse em um tom de deboche.

Sem paciência para aturar as provocações de Hope, Aurora partiu para cima da moça no mesmo segundo, mas agora ela estava em desvantagem. Hope era mais forte, mais rápida e mais ágil. Ela não era mais uma vampira contra uma humana indefesa, agora era uma vampira contra uma híbrida original.

A luta durou por um bom tempo, até que em meio de um deslize Aurora se descuidou e Hope conseguiu quebrar o pescoço da ruiva.

– Não é o bastante, mas é o suficiente para tirar vocês daqui. – Hope disse enquanto tentava se recuperar da grande luta que havia acabado de ganhar. – Vamos sair daqui, rápido.

Hope caminhou até Damon e o libertou de suas correntes.

– Você está bem? – Hope perguntou para o amigo que parecia cansado.

– Ela injetou veneno de lobisomem em mim. – Damon disse com dificuldade.

Hope no mesmo momento mordeu seu pulso e ofereceu ao seu amigo, que nem ao menos hesitou ao aceitar a cura.

Enquanto Damon se fortalecia pelo sangue de Hope, eles acabaram ouvindo um pequeno barulho, como se um pescoço tivesse sido quebrado.

– ELENA! – Hope gritou no mesmo segundo.

– Ops. – Katherine disse abrindo um pequeno sorriso.

– Eu sugiro que você fuja. – Hope disse sem se incomodar em mostrar seus olhos de híbrida.

– Oh, Não vai acontecer. – Katherine disse em um tom desafiador.

Hope no mesmo segundo foi até Katherine e sem que a morena pudesse conseguir reagir, Hope atravessou sua mão até chegar ao coração de Katherine.

– Eu não estou em um dia bom, Kath. – Hope disse sarcástica. – Então não brinque comigo.

– Vamos, me mate! – Katherine disse sem medo nos olhos. – Nós duas sabemos que você nunca seria capaz de me matar, não é mesmo?

– Hope! – Damon chamou a atenção da amiga. – Não temos tempo.

Hope olhou com raiva para Katherine e retirou sua mão de seu peito.

– Você teve sorte hoje, Katherine. – Hope disse com os seus dentes afiados a vista. – Mas eu sugiro que você fuja para bem, bem longe. Se eu te encontrar novamente, eu irei te matar, não importa o dia, não importa a circunstancia, eu vou te matar. Você fugiu de um híbrido raivoso por 500 anos, e isso não vai ser nada comparado ao o que eu vou fazer se eu ver a sua cara novamente. Fuja Katherine, fuja para bem longe porque você não vai querer que eu te encontre.

Katherine apenas olhou para os olhos de Hope, esperando encontrar uma mentira naquelas palavras, mas pela primeira vez, não havia uma única esperança de salvação para Katherine.

Quando a Mikaelson soltou Katherine, ela nem mesmo pensou duas vezes em desaparecer.

– Damon! Pegue a Elena e vá! – Hope disse autoritária. – Daqui algumas horas, Aurora vai acordar e não quero colocar vocês em perigo, de novo. 

O Salvatore nem ao menos contestou apenas pegou Elena, a colocou em seus braços e deixou aquele galpão enorme e sujo de sangue.

[...]

Com a saída de Damon e Elena daquele galpão, Hope finalmente conseguiu colocar o seu plano de vingança em ação.

A Mikaelson colocou Aurora nas correntes e esperou com muita paciência até a ruiva despertar.

– Mas o que... – A ruiva disse enquanto tentava entender o porquê dela estar acorrentada.

– Olá, querida. – Hope disse com a ironia em sua voz.

– Você! – Aurora gritou. – Me solte agora! KATHERINE!

– Ah, não! – Hope disse com um sorriso vitorioso em seu rosto. – Katherine não vai te ajudar, Aurora! Ninguém vai! Essas correntes não vai te segurar por muito tempo, mas vão ser o suficiente para que você assista de camarote a morte do seu doce irmão, Tristan.

– O QUÊ? – Aurora gritou.

– Ele está bem ali, sofrendo. – Hope apontou para o lado oposto de onde Aurora estava. – Eu o coloquei bem na sua frente, espero que não se importe.

– O QUE VOCÊ FEZ?! – Aurora gritava desesperada. – EU VOU TE MATAR! ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM, HOPE MIKAELSON!

– Mas eu não quero que eu fique impune, Aurora. – Hope disse sem dar importância para as ameaças da ruiva. – Eu quero que você se vingue. Mas, eu quero que você se lembre que isso que está acontecendo com o Tristan é só uma demonstração do que eu sou capaz de fazer.  – Hope disse enquanto olhava vitoriosa para o corpo de Tristan. – Pense duas vezes antes de ferir as pessoas que eu amo, Aurora, ou a próxima será você.

– ISSO SIGNIFICA GUERRA! – Aurora gritava com raiva.

– UMA GUERRA QUE VOCÊ NUNCA IRÁ VENCER. – Hope rebateu no mesmo tom que Aurora. – Isso é só o começo, então aproveite a morte lenta e dolorosa do seu irmãozinho. Ah, e quando ele começar a dissecar, lembre-se que eu sou a culpada.

Assim que a Mikaelson terminou de falar, ela levantou da cadeira arrumou sua roupa, ajeitou seu cabelo e seguiu em direção a saída daquele galpão, sem ao menos olhar para trás.

Hope sabia que a guerra estava mais próxima do que nunca, mas desta vez ela estava pronta para vencer. 


Notas Finais


80 FAVORITOS <3 OMG! E quase 2.500 exibições OI? Muito obrigada <3

Antes de fazer os comentários sobre esse capítulo, tem duas coisas que eu gostaria de pedir para vocês <3

1 - Comente qual é o seu personagem favorito da fic ( Não tem motivo é só porque eu tenho uma imensa curiosidade)
2 - Me façam perguntas sobre essa season e sobre a season 2 que eu irei responde-las <3

DICA DA TIA: Guardem bem as palavras da Lydia!
''eu vejo que se isso não sair da maneira certa Hope caminhará para uma escuridão imensa onde ela só sentira dor e culpa.'' Guardem essa frase no coração, SÉRIO! Ela é super importante para a Season 2
Gente esse Christopher já passou da hora de morrer, sério!
Hope melhor pessoa EVER <3 Admito que dei muita risada com o ''Está pedindo para eu escolher entre você e ele?'' '' Sim, eu estou'' '' Tudo bem então, tchau Christopher.'' HAHAHAHAHAHA
Hope foi uma bitch maravilhosa nessa cap <3

É isso gente, até a próxima semana <3
XOXO, Laís <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...