História Uppertale: Os contos dos Irmãos Dreemurr - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Gerson, Grillby, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Chara Irmãs, Error Sans, Frisk, Ink Sans, Pacifista, Undertale, W D Gaster
Exibições 35
Palavras 1.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Howdy! Esse capítulo teria saído mais cedo, mas ocorreram uns imprevistos... Espero que tenha ficado bom... Dois personagens mais ou menos originais fazem a sua primeira aparição... E também parte do passado de Frisk é revelado... Divirtam-se! A menção é de uma AU beeem desconhecida e está bem sutil...

Capítulo 10 - Desencontros Familiares


Fanfic / Fanfiction Uppertale: Os contos dos Irmãos Dreemurr - Capítulo 10 - Desencontros Familiares

Chara – P.O.V. - O.N.

Argh! Quer saber de uma coisa? Vou voltar para casa e ficar lá por um bom tempo! Procurei por toda a cidade pela Dona Sônia, e cheguei até a ir para a cidade vizinha procurando por essa mulher, e nada! Vou descobrir o passado de Frisk de outro jeito! Mas primeiro quero voltar para casa, possuir o corpo de Frisk e comer um chocolate...

Cheguei em casa e encontrei Asriel descendo as escadas:

- Saudações Asriel!

- Ah, Chara! – ele sorriu – Que bom que voltou! Frisk estava querendo mesmo falar com você!

- Estava? Bem, eu também quero falar com ela! Onde ela está?

- Lá no quarto, mas acho que dormiu...

Estranho... Não é comum Frisk dormir de dia, ela normalmente é mais ativa que o Rey... O que será que aconteceu?

- Asriel... Aconteceu alguma coisa enquanto eu estava fora? – perguntei a ele

- Bem... Sim! Aconteceu uma coisa horrível! – ele abaixou as orelhas

Ele contou tudo o que aconteceu: Frisk não acordando, tendo pesadelos onde Ômega Flowey dizia que ninguém iria salva-la, ela acordando e estando doente por uma semana...

- Meu Deus... Se eu soubesse, teria voltado antes!

- Não é culpa sua Chara... E Frisk está bem agora! Espere ela acordar e vocês duas poderão ter a sua conversa! – ele sorriu

Nós sentamos no sofá – ele sentou, eu flutuei – e ele ligou no canal do Mettaton.

- Ah nããããão! De todos os canais, por que tem de ser justo o desse robô bissexual?

- É a única coisa legal que está passando... Mas se você não quer, que tal uma partida de xadrez? – ele sugeriu

- Você sabe que eu não consigo tocar em nada...

- Ah, eu movo as peças pra você! Vamos, vai ser legal!

- Ok... Eu quero as peças negras!

 Nós começamos e jogar, e em algum tempo eu já havia comido o cavalo, o bispo e as duas torres dele. Estava prestes a fazer uma jogada que iria capturar a rainha quando a campainha tocou.

Asriel foi atender a porta – eu tentei derrubar a rainha, mas isso é detalhe – e o visitante era... Um policial? Não temos policia aqui em Newer Home, a guarda real faz esse serviço aqui...

- Howdy! – disse Asriel – O que o senhor gostaria?

Ele olhou para Asriel com um olhar de desprezo, ele usava um broche do reino vizinho, que não suportava monstros.

- Por acaso aqui é a casa da senhora “Toriel Dreemurr”? Ex- Rainha dos monstros e diretora da escola “Escola”? – ele disse friamente

- Ah sim! É a minha mãe! Mas ela saiu para ir ao mercado...

- Por acaso, é aqui que se encontra uma garotinha chamada ‘Frisk’? – ele interrompeu Asriel, tem alguma coisa errada acontecendo aqui...

- Asriel, não responda! – disse – Tem algo de errado! Desvie o assunto!

- Bem... Por que querem saber disso?

- É bem simples... – um casal se aproximou dele: uma mulher de vestido bege claro, óculos pequenos e cabelo preso em um coque; e um homem de terno, de bigode e cabelos pretos – Eu estou aqui com os pais dessa garota, eles estão procurando por ela há um bom tempo, e receberam uma dica de que ela estaria aqui.

QUE? Esses não são os pais dela! Quer dizer, os nossos pais. Eles morreram há 9 anos! Antes eu achava e agora eu tenho certeza: TEM ALGUMA COISA MUITO ERRADA ACONTECENDO!

- P-pais? – Asriel recuou alguns passos – M-mas Frisk é órfã!

- Sim, ela é – a mulher se aproximou e tirou um papel da bolsa – Mas como está escrito aqui nesse comprovante, nós a adotamos a cerca de 2 anos atrás e podemos legalmente leva-la conosco!

Mas o que... Adotada? Esse casal a adotou? E agora quer tira-la dos Dreemurrs? Eu preciso descobrir as intenções desse casal...

- Asriel! Distraia-os! Eu vou ver as memorias deles e ver o que eles realmente querem!

Asriel assentiu e os chamou para entrar, então eu entrei na mente de um deles, esperando encontrar algo ruim...

Mas encontrei algo muito pior...

Esse casal é de uma linhagem de humanos que odeiam e desprezam a magia, também e quem a pratica, tanto que esses dois são membros de elite da D.A.S. e querem mandar os monstros de volta para o Subterrâneo.

E a respeito de Frisk, há 2 anos eles descobriram que uma criança do orfanato da vila Ebott possuía uma Aura Magica com a ajuda de um aparelho, eles foram até lá e descobriram que essa criança era Frisk, e tentaram adota-la.

Porém, Frisk ainda estava traumatizada com a minha morte e não queria ir com eles, mesmo que o orfanato fosse fechar por falta de renda, e só depois de muita insistência eles conseguiram a levar para casa, mas a trataram muito mal: A trancaram em um quarto escuro, só com algumas cobertas emboloradas, e a alimentavam 3 vezes por dia com as sobras... Eles acreditavam que estavam fazendo um bom trabalho, e que se isolassem a criança a Aura magica dela iria desaparecer eventualmente.

Mas não foi isso que aconteceu: Aproximadamente uma semana depois, Frisk fugiu e correu em direção ao Monte Ebott, o homem fez menção de correr atrás dela, mas a mulher disse:

- A deixe ir, todos os que sobem aquela montanha desaparecem, será menos trabalho para nós!

Eles ficaram furiosos ao descobrir que não só ela sobreviveu, mas também libertou os monstros e virou a embaixadora deles... Mas pensaram que, se conseguirem usa-la como refém, podem forçar os monstros a voltarem para o Subterrâneo.

Mas eu não vou deixar isso acontecer mesmo!

Saí do corpo dele para ver que os dois estavam no andar de cima, na frente da porta do quarto, e Asriel estava na frente.

- Saia da frente, garoto-bode! Ou eu faço um cachecol com a sua pele! – disse a mulher

- V-vocês não vão leva-la! Ela é minha irmã! Ela está feliz aqui!

- ‘Irmã’? Não me faça rir, monstro estupido! Agora saia!

Ele deu um tapa no Asriel, fazendo-o voar e cair de costas, então entraram no quarto e foram em direção de Frisk que ainda estava dormindo, nessa hora eu me descontrolei: entrei no corpo da mulher e a fiz meter a bolsa na cara do marido.

- Por que diabos fez isso? – ele exclamou

- E-eu não... – ela tentou dizer, mas eu a fiz meter um soco na cara dele.

Então fiz com que ela o agarre-se e se jogasse com ele escada abaixo, eles caíram na sala confusos e doloridos, eu sai do corpo dela e pisquei para Asriel, ele entendeu na hora e desceu as escadas com a espada erguida:

- S-saiam daqui agora! Ou vão ter mais!

O homem se levantou e chutou a espada das mãos dele, então o pegou pela gola da camisa e disse:

- Olhe aqui seu miserável, eu não suporto magia e se fizer isso de novo, A SUA POEIRA VAI SUJAR O CHÃO DESSA CASA!

Essa foi a gota d’agua para mim, entrei no corpo dele e o fiz socar a própria cara varias vezes enquanto dizia:

- Por que está se batendo? Por que está se batendo?

Continuei fazendo isso por um tempo, até que a mulher – que eu nem notei que tinha subido – desceu as escadas segurando Frisk e com uma faca a centímetros da garganta dela.

- PARE COM ISSO OU ELA MORRE!

Sai do corpo dele imediatamente, Frisk começou a se debater nos braços dela:

- NÃO! VOCÊS NÃO! ME SOLTEM AGORA!

- Me poupe dos seus comentários, projeto de humana! Você vai vir conosco, e vai ser condenada a...

Antes que ela pudesse terminar a porta se abriu, Toriel e Asgore estraram na casa:

- Crianças, chegamo... – ela deixou as compras caírem – QUEM SÃO VOCÊS? SOLTEM A MINHA FILHA!

Asgore se adiantou: a agarrou, tirou Frisk dos seus braços, pegou ela e o marido pelo cangote e os jogou para fora da casa:

- Nunca mais tentem machucar minha família de novo! Ou vão se ver comigo!

- Se ver com você? – ele se levantou – Você sabe quem eu sou?

- E você sabe quem EU sou? – Asgore desafiou – Sou o Rei dos monstros e prefeito dessa cidade! Vão embora, ou eu chamo a Guarda Real! Não são bem-vindos aqui!

Eles se levantaram com ódio no olhar, então se afastaram dizendo:

- Escrevam o que eu digo: Um dia, todos vocês monstros nojentos, vão voltar a apodrecer lá em baixo!

Asgore fechou a porta com raiva e todos se viraram para Frisk, que estava encolhida chorando.

- Minha criança, você está bem? – disse Toriel

- N-não! – ela gemeu – Eles quase me mataram... De novo!

- De novo? – disse Asgore – Você os conhece?

Ela começou a contar, disse que tinha se lembrado, como eles a chamavam de “Demônio”, que era uma aberração e devia ser eliminada... Que eles não a mataram só por que tinham medo da magia reencarnar e eles terem de caça-la de novo... Toriel, Asgore e Asriel a abraçaram – eu teria abraçado também.

- Não se preocupe com isso, você faz parte da nossa família agora! Ninguém vai te machucar enquanto estivermos com você!

Ela agradeceu e eles se soltaram, Frisk e Asriel subiram para o quarto enquanto Tori e Asgore foram para a cozinha discutindo.

- Oi Frisk! – Eu disse

- Ah, Chara! – ela sorriu – Que bom te ver! Encontrou algo do meu passado?

- Agora sim... – respondi desanimada – Por que você correu para o Mt. Ebott?

- Eu fui atrás do ultimo lugar onde eu vi a minha irmã – o sorriso dela desapareceu – tropecei em uma vinha, cai e perdi a memoria...

- Que triste... Mas eu decidi uma coisa: Estou cansada de ficar rodando por ai, vou ficar aqui por um tempo.

- Ah, que bom! – ela voltou a sorrir – Será ótimo ter você conosco!

Ela entrou no quarto e começou a escrever em um caderninho, Asriel perguntou:

- Ah, teve um sonho?

- Sim... Mas era estranho, parece que eu tinha dado minha Alma para você... E eu e Chara morremos!

Asriel se arrepiou ao ouvir aquilo:

- O QUE? Eu nunca aceitaria a sua Alma! Eu preciso de vocês duas!

- E eu também preciso de vocês! – ela disse – Se eu não conseguisse a Determinação Pura, talvez eu só te desse a metade da minha Alma ou algo assim...

- Não sei se daria certo... Imagine se a Alma se transformasse em duas Almas Monstro e você virasse um monstro por fazer isso!

Nós rimos bastante com essa. O resto do dia passou normal: Conversamos bastante, Toriel fez uma torta e Frisk foi se deitar cedo por causa do seu estado de saúde... Eu vou cuidar da minha irmã custe o que custar, ela tem de ser feliz...


Notas Finais


Como ficou? O que acharam dos novos personagens? Como acham que essa trama secundaria vai se desenrolar? Deixem seus comentários! Até o próximo capítulo... Onde uma coisa que acredito que todos querem vai acontecer!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...