História Urban Angel. - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Romance
Visualizações 145
Palavras 2.005
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei muiiiiito.
Não chutem meu bumbum pfv!!!!!
Espero que gostem.
Pfv comentem.
Favoritem!
Isso incentiva a gente.

Capítulo 15 - Growing


Fanfic / Fanfiction Urban Angel. - Capítulo 15 - Growing

Sasuke:

Acordei com uma tremenda dor no corpo, relutei em abrir os olhos algumas vezes, eu sentia apenas plena paz interior por ter sido sincero com Sakura. Sentei-me na cama encarando os raios de sol da manhã que invadiam o quarto. Procurei por ela na paisagem, e lá ela estava... os braços cruzados à frente do corpo, ela ainda usava minha camisa e shorts jeans. Os longos cabelos roseos estavam presos. Seus olhos verdes me encararam de uma maneira tão incisiva que me senti mal.

-Temos que conversar. -Disse ela séria. Permaneci sentado esperando o que viria. Ela abaixou a cabeça.

-Sasuke... se vamos ficar juntos, tem coisas que preciso dizer à você. -Ela humedeceu os lábios com os olhos fechados. Estava ficando preocupado. 

-Você sabe... começamos de forma extremamente errada. -Me permaneci parado e firme apenas escutando-a falar.


Sakura:

Ele me encarava friamente como em suas reuniões de trabalho em casa. Firme, indecifrável. Um braço apoiado no joelho dobrado. Prossegui. Soltei o ar calmamente dos meus pulmões. 

-Sasuke você me sabotou de todas as formas possíveis. E eu recuperei por baixo dos lençóis tudo o que tirou, sem usar sequer teu sobrenome para isso. -Sasuke me encarou levemente... Por uma fração de segundos, surpreso.

-Permita-me perguntar... Como?

-Finalizei meus trabalhos acadêmicos. Shizune teve acesso às câmeras escondidas instaladas no laboratório para provar minha inocência, só o dono do Hospital sabia da existência delas. Nunca gostei do meu emprego. Então adeus Kurenai! Minha mãe trabalha agora no financeiro do hospital para Tsunade. Ela também se maravilhou com o currículo da mamãe. Ela aceitou.  Pedi a Madara que livrasse minha família dos Sarutobi e ele me garantiu que a gangue saiu de Konoha. Uchihas são realmente influentes. Não pode me tirar mais nada. Jamais contarei algo a Mebuki porque ela não merece saber que foi mais uma vez enganada e usada. -Sasuke fechou os punhos, parecia estar tentando se conter.

-Isso quer dizer que nada do que eu disse ontem te fará ficar? - Seu incômodo era visível. 

-Isso quer dizer... que eu vou subir por mim mesma na área em que escolhi trabalhar. Quer dizer que não usarei seu nome para subir. Quer dizer que todas as vezes que se achar esperto eu estarei à altura. E quer dizer que gosto de você e não do seu dinheiro maldito. -Sasuke franziu o cenho, balançou a cabeça negativamente.

-Estou surpreso com a astúcia.

-Segundo... me casei obrigada! Achei que nunca o amaria, e confesso estar ficando por conta própria! Por quê eu acompanhei suas mudanças, as feridas que você fez... Você anda conseguindo curar. Você anda curando até as que não foram ocasionandas por você! Espero continuarmos crescendo juntos assim Uchiha! -Sasuke ainda me encarava. Levei as mãos à cintura.

-Nada de interferir nas minhas conquistas! E me respeite! Apenas isso... Peço apenas isso. Deixo claro tudo isto. Se não me quiser assim... Sugiro que... que apenas me deixe ir. -Disse firme sentindo um nó na garganta. Mas era o certo.

-Você é a minha mulher Sakura. Você é quem eu quero, A mulher que escolhi amar depois de ser massacrado. Eu aceito suas condições, jamais discordaria delas em meu juízo perfeito. Eu... Te devo essas coisas.-Ele se levantou caminhando até mim.

-Tenho uma proposta. -Disse o dono da voz rouca parando distante de mim.

-Acho que... Será saudável fazermos acompanhamentos psicológicos juntos. Para repararmos isso tudo. Quero fazer o possível para que sejamos um casal saudável.

-Ótima ideia... Só... vamos recomeçar. -Disse. Achei algo sensato em tentar. 

-E se você perceber que não sou o que você quer? -Sasuke olhava o chão. 

-Você vai ter muito tempo para me provar que é a pessoa certa, porque o palpite sobre ser você, eu tenho. Eu... realmente quero tentar. -O sorriso nos lábios finos se alongou.

-Basta. Nunca pensei que teria paciência para flertar novamente, mas lamento dizer que vai perder este jogo e se amarrar em mim. -Disse ele de forma simples, porém as mãos no bolso e o olhar para o chão exalavam humildade, pela primeira vez em tempos com o Uchiha. Sorri.

-Bem... quer que eu peça café? Ou quer que eu faça um café?

-Você cozinhando? -Debochei. Sasuke sorriu maroto e foi ao banheiro, Escutei o barulho da torneira, provavelmente escovava os dentes. Caminhei pelo apartamento enorme invadido por raios de sol. Liguei o ar pois o calor no Rio era bastante intenso e ardente. Olhei a cozinha pensando em fazer um bolo mas o tal do "pan de queja" tinha ligação direta com o meu estômago.

-Sasuke! -Gritei.

-Hai?- Gritou de volta.

-Eu quero "pan de queja"!

-Pão de queijo! -Ele gritou de volta em seu português "Japonisado".

-Por favor! -Gritei.

-Hai! -Disse ele.

x

Buscamos no mesmo bar a comida, e eu ja sentia extrema necessidade de devorar o meu subindo o elevador. Ao chegar no apartamento me peguei cantarolando alegre. Peguei o suco gelado de laranja e bebi para em seguida comer meu pão de queijo sentada no tapete macio da sala. Sasuke me encarava.

-Que foi?

-Impressionante os seus maus hábitos. -Disse Sasuke.

-Ainain seus maus habitos. Bla bla bla ain ain ain. -Fiz questão de parecer o mais irritante possível. Sasuke me olhou e a irritação podia ser vista em seus olhos. Ele encarou o nada mordendo seu pão. Após terminar de comer joguei a garrafinha do suco no lixo e decidi ir tomar um banho. Fui para o quarto e peguei um vestido branco de alças simples e um biquini vermelho com algumas flores brancas estampadas. Peguei uma toalha branca e fui tomar banho, escolhi a água gelada.

-Hoje vamos fazer um passeio de barco com Karui e Chouji. É um barco rústico, espero que não se importe.-Disse Sasuke na porta do banheiro que deixei aberta.

-Eu não ligo se for simples Sasuke-kun. -Ele ficou mudo e então percebi que ele havia saído dalí. Terminei meu banho e me vesti apenas com o biquíni. Sasuke me esperava na sala sentado no sofá. Ele usava uma bermuda xadrez toda de um azul fechado com uma regata cinza claro. Ele me encarou de forma lúxuriosa. Lhe entreguei um protetor de fator alto. Sasuke me encarou com um olhar sôfrego. Nos encaramos por um tempo até que comecei a me sentir excitada, caminhei até ele ficando na ponta dos pés para alcança-lo. Beijei-lhe os lábios frios. Senti seus braços abraçarem meu corpo e o tubo de protetor cair. O beijo simples e casto se tornava voraz. Sentia ondas de excitação em meu corpo até contrair meu sexo. Me separei apenas para reparar em seus cabelos revoltos e no rosto levemente corado por ser branco demais. Lhe tirei a regata calmamente revelando o corpo delineado que ele tinha. Não muito musculoso e sim no que as mulheres diriam "perfeito". Passei os dedos com carinho em suas cicatrizes como se eu pudesse tirar as mesmas de sua alma. Coloquei sua camisa no sofá o puxando pela mão para o quarto gelado pelo ar condicionado. Mas antes que eu pudesse fazer algo ele trancou a porta e pressionou meu corpo contra ela, sua respiração estava em meu pescoço e senti um beijo frio e delicado ali que me arrepiou por inteira. Sasuke saiu beijando meu peito, meu decote e parou me encarando. Seus olhos negros me deixavam tímida. Senti a parte de cima do biquíni ser tirada. Sua boca quente sugou o meu seio esquerdo de uma forma muito prazeirosa, eu me excitei bastante como se meu sexo possuísse ligação direta com o ato. Seus dedos apertavam o outro seio, e se dedicavam a uma massagem delirante. Mudando sua boca de lugar ele sugou o outro mamilo fazendo-me entrelaçar os dedos em seus cabelos sedosos. Ele se dedicou um tempo bom ali fazendo meu sexo sentir ondas de excitação. Sasuke me levou até a cama me virando de bruços suas mãos longas massageavam minhas costas e beijos eram depositados ali sem a menor pressa. Os beijos desceram até a base da minha coluna e depois até as minhas nádegas. Ele beijou a lateral do meu corpo até que seus dentes desamarrassem minha ultima peça de roupa. Um lado se soltou e eu me sentia exposta a ele, sentia a face arder. Sasuke acariciou meu rosto, logo após desamarrou o outro lado retirando o tecido de mim, ele apenas deixou em um lado qualquer da cama sem tirar os olhos de mim. Minhas pernas rondavam sua cintura. Ele voltou a me beijar e lentamente massageava meu clitóris de forma certeira. Segurava em seu braço e o apertava de acordo com a sensação que eu sentia com o ato. Alguns gemidos escapavam e ondas de satisfação me faziam mexer o quadril. Senti seus dois dedos entrarem e seu polegar ainda atencioso em meu clitóris. Gemi alto.

-Não vamos andar de barco hoje?-Ele me perguntou.

-Esqueça o barco! -Disse suplicante. Sasuke com um sorriso sincero abriu de forma delicada as minhas pernas me olhando ali. Ele se aproximou e então sugou da mesma forma certeira e maravilhosa o meu clitóris. Seus dedos me penetravam e eu me sentia cada vez mais próxima de um ápice mas ele parou. Me levantei retirando sua bermuda encarando seu "material" ereto. Ele me virou e fiquei de costas para ele ainda ajoelhada. Ele colou nossos corpos e seu membro duro passou por todo o meu sexo. Sasuke me torturava com movimentos de vai e vem que estimulavam meu clitóris, resolvi ficar "de quatro" perdida na luxúria. E ele me penetrou lentamente apertando com força a minha cintura. Gemi alto com tamanho prazer. Sasuke continuou a penetração massageando meu clitóris até que tive um orgasmo e meu sexo apertou o dele dentro de mim. Com isso Sasuke chegou ao seu ápice. Escorregavamos lentamente para a cama, ele se deitou em cima de mim e logo se retirou caindo para o lado.

-K-Kami. -Sasuke buscava ar com um braço na testa. Eu também ofegava. Tomava remédios de forma regrada por isso estava calma. Olhava o quarto claro em busca de ar. Me levantei indo novamente tomar um banho. Senti o corpo grande me abraçar assim que a água me molhou, ele escondeu o rosto em meu pescoço. Peguei o sabonete lavando seu corpo e logo após lavei o meu. Nos exugamos e saímos do box. Coloquei uma camisa lisa de Sasuke e me joguei na cama exausta. Sasuke fez o mesmo porem só usava um samba canção de seda azul. Ele me abraçou e então apagamos mais uma vez.

x

Levantei ainda sonolenta encarando o quarto dourado pela posição do sol, sua luz amarelada anunciava a hora 16 do dia. Peguei meu celular encarando-o, havia acertado. "16:02" denunciava o relógio. Me levantei procurando por Sasuke e então o vi entrando pela porta que dava acesso ao elevador. Sasuke carregava uma caixa com pizza e algo que parecia ser refrigerante.

-Sakura você tem conexão wifi com comida? Isso são coisas que a gente conta no primeiro encontro! -Sasuke brincou. Lhe mostrei a língua, porém feliz porque estava faminta e queria comer. Ele colocou na mesa a caixa e o refrigerante bastante gelado. Peguei dois pratos, talheres e um tubo de ketchup. Sasuke pegou copos. Me servi um pedaço que parecia ser de frango e coloquei bastante molho. Sasuke em deu um copo cheio de refrigerante e então me sentei à mesa provando o alimento. Fechei os olhos apreciando o sabor. Sasuke riu. 

-Sabia que reagiria assim! -Sorri. Naquela dia comemos bastante, e quando a noite caiu fomos a lapa, um ponto turístico cheio de diversos tipos de música e é claro que o Uchiha escolheu um lugar com noite de "Bossa Nova" ele era apaixonado naquilo. E foi uma noite bastante divertida em que até o tal "funk carioca" dancei com Karui, Chouji e Sasuke. Eu não podia estar mais feliz naquele momento, Sasuke e eu mudando... Mudando para algo saudável e melhor. Todas as minhas coisas recuperadas e as pessoas que nos fizeram tão mal estavam presas. A vida finalmente teria parado de nos dar rasteiras? 

To Be Continued. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado pessoal.
Comentem! Favoritem. Pfv.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...